31 janeiro 2009

Carta a José Nilton Mariano Saraiva - Por Carlos Eduardo Esmeraldo

Prezado José Nilton Mariano

Veja como nós somos: há alguns dias me posicionei contra as idéias do meu ex-colega do velho Colégio Diocesano e ainda hoje meu amigo Armando Rafael, quando ele criticava o desempenho do Governo Lula e toda carga de rejeição que ele tem aos partidos não alinhados com as idéias dele. Naquela ocasião tive a honra de ser secundado por você. E agora, nas questões levantadas pelo amigo com referência aos artigos publicados com transcrição de textos de Frei Leonardo Boff formulando denúncias contra papas e bispos da igreja católica, me ponho ao lado do Armando, pois não pude acompanhar o séquito daqueles que aplaudiram um tema que realmente leva às grandes discussões, sem nenhuma conclusão, posto que atinge questões de fé, assunto de foro íntimo de cada um. Foi por isso que no comentário que eu fiz em apóio ao diácono Policarpo, a quem não conheço, que escrevi: “o silêncio contra essas palavras ocas deve ser a melhor resposta.” E não foi, portanto nenhuma tentativa de desqualificar as palavras de Frei Leonardo Boff postadas por você. Quis dizer com isso que não tinha a intenção de participar do debate, mesmo porque a legião dos que nesse blog o aplaudiam era incomensurável. Quem se der ao trabalho de pesquisar os artigos do Blog do Crato desta semana de 26 a 31 de janeiro, verificará que foram escritos dez artigos, que no meu entender formam uma tentativa de desqualificar a Igreja Católica, isto somente no corpo principal do Blog, afora os inúmeros comentários que cada um dos textos continha. É preciso entender que a Igreja Católica não é um prédio, nem altares ou riquezas, nem somente papas, bispos, padres e diáconos, mas Igreja somos todos nós, povo de Deus que tem como finalidade continuar a missão de Jesus Cristo na construção do Reino de Deus, que é de Justiça, Paz e Amor, aqui e agora. Ser "cristão é tornar-se um perigo" já dizia uma música da Irmã Cecília Vaz muito cantada há uns dez anos nas igrejas. Isto porque não basta ser batizado, crismado ou ir às missas para se dizer cristão, mas ceder o próprio corpo à pessoa de Jesus Cristo para que ele possa dar prosseguimento à sua missão. E isso é quase uma utopia, pois poucos são os que conhecendo a Palavra de Deus se dispõem a tal. É muito difícil oferecer a outra face, desfazer-se de todos os nossos bens em benefícios dos pobres e perdoar setenta vezes sete, isto é: sempre. Conseguimos fazer, quando muito, apenas poucas tentativas daquilo que Cristo nos ensinou.
Muito se tem escrito aqui, que o blog é democrático, que se “deve debater saudavelmente e em nível elevado”, mas percebemos que isto somente se verifica quando as opiniões são todas convergentes. Qualquer opinião contrária é imediatamente taxada de “desqualificação”, como o amigo citou.
Finalizando, faço meu registro de que as revelações declaradas pelo ex-franciscano Leonardo Boff não são para nós católicos motivos de aplausos ou aprovação. E a nossa fé não será abalada por isso.
As idéias de cada um de nós não são todas da mesma forma. Assim como discordamos em alguns pontos, há muitos outros em que concordamos o que não nos impedirá de sermos amigos, assim como o meu saudoso pai foi amigo do seu.
Meu fraternal abraço.

Por Carlos Eduardo Esmeraldo

6 comentários:

  1. Para evitar qualquer mal-entendido, o que quiz dizer com "Finalizando, faço meu registro de que as revelações declaradas pelo ex-franciscano Leonardo Boff não são para nós católicos motivos de aplausos ou aprovação." é que não concordamos e nem aprovamos os que papas e bispos do passado fizeram de errado.

    ResponderExcluir
  2. Meu caro amigo Carlos Eduardo,

    Quando leio um texto, leio as linhas e as entrelinhas. Você disse:

    "de 26 a 31 de janeiro, verificará que foram escritos dez artigos, que no meu entender formam uma tentativa de desqualificar a Igreja Católica, isto somente no corpo principal do Blog"

    Desqualificar a Igreja Católica ?

    Eu não quero entrar no mérito específico da questão da Igreja desa vez, só quero dizer que se expor as verdades sobre um fato, noticiar fatos que aconteceram de verdade, sem INVENTAR, for encarado como desqualificar uma determinada coisa, então, quem estará desqualificando não será quem redige uma notícia ou escreve, mas a própria VERDADE DO FATO é quem estará desqualificando e desmistificando você não concorda ?

    Eu creio que uma pessoa desqualifica outra ou um fato é quando inventa mentiras. E eu não vi nenhuma reação de ninguém com a simples frase:

    "Isso é Mentira..."

    Então, se um artigo não for mentiroso, for verdadeiro, como é que a revelação dele será a desqualificação de algo ?

    Como é que a Verdade desqualifica algo ?

    Então você me diga que os artigos eram mentirosos. Se você me disser que aquilo tudo era mentira, eu cncordarei com sua opinião de desqualificação, pois só a mentira desqualifica algo.

    Um grande abraço,
    E Bom descanso semanal.

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  3. Prezado Dihelson

    O meu raciocínio é pautado pela lógica, que não admite contradições. Uma coisa ou é verdadeira ou é falsa, não podendo ser as duas opções ao mesmo tempo. Portanto meu raciocínio é claro e sem entrelinhas. Porém a lógica não pode de forma alguma ser aplicada ao comportamento humano, repleto de contradições. Por isso é que se usa outra forma de raciocínio, que é a dialética. Mas como não sou versado nisso, gostaria de responder seu questionamento com as palavras de um jovem muito inteligente e que recentemente conheci, tornando-me seu admirador:
    “Geralmente a verdade encontra-se no meio-têrmo. A verdade nunca é nos extremos. Numa discussão, como já disse alguém, pode-se ter razão quando o outro não precisa necessariamente estar errado. Todos podem até estarem certos em seus questionamentos e argumentos ao mesmo tempo. De modo que a exposição das idéias é bem-vinda, e a verdade é um diamante de mil faces, e cabe a cada um escolher o que é melhor e mais verdadeiro para cada um sem imposições e sem preconceitos. Não se deve invadir as crenças pessoais das pessoas, como também qualquer idéia formada sem análise sobre tudo, é perigosíssimo ao ser humano. Abraços, e PAZ para todos. Viva a diversidade, sem ofensas.
    Dihelson Mendonça.”

    Quando afirmei que em menos de uma semana foram escritos dez artigos apresentando denúncias contra membros da Igreja Católica, muitas delas com mais de 1000 anos de idade, é porque a insistência com que foram apresentados deu a entender uma tentativa de desqualificá-la. Repare que usei antes do verbo o substantivo TENTATIVA, que aqui poderá ser entendido como um ensaio.

    Para completar, tomo a liberdade de transcrever parte de um dos comentários postados no artigo do diácono Policarpo Rodrigues “As questões religiosas tendenciosas”, que considerei um dos comentários mais coerentes, creio que feito por Elmano Rodrigues e com o qual muito me identifiquei:

    “No livro "os trinta Papas que envergonharam a humanidade" dá-se para entender um pouco do que foi os desmandos praticados pela Igreja Católica, e, no entanto, não me envergonho, de ser um dos seus membros.”

    ResponderExcluir
  4. Prezado amigo Carlos Eduardo.

    Falo de coração que não percebi um ensaio, uma tentativa, como você disse, de desqualificar a Igreja Católica. Note que não estamos discutindo, no sentido de bate-boca, estamos apenas conversando como duas pessoas civilizadas e amigas, para que alguns nao pensem que estamos aqui a fazer o assunto "render"... nao é isso.

    Como eu falei, e você até concorda, a verdade nunca está nos extremos, pode estar num meio-termo. Obrigado pelo uso dos meus escritos. Sinto-me de algum modo que falei algo útil.

    E se você concorda que a verdade está no meio têrmo, que de fato, algumas coisas estão erradas e outras certas em tudo aquilo que foi explanado ( eu acho que isso foi o que aconteceu, não ataques ), então da minha parte, eu me sinto melhor pelo julgamento e conceito que vc passa a ter para mim, pois sou das pessoas que não gosta dos extremos, mas que admitem que tudo é possível. Bloquear os novos conhecimentos por causa de velhos dogmas leva-nos ao dogmatismo, e o dogmatismo é o atraso da humanidade.

    Sinto-me pois, muito contente com sua resposta.

    Um grande abraço,
    Bom Domingo.

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  5. Prezado Carlos Esmeraldo,

    O tema é realmente polêmico e a pressa às vezes é inimiga da perfeição, principalmente no tocante ao uso das palavras.
    Assim, tanto no artigo do Diácono (“... Se Boff, Lutero, Zwinglio, João Hus, Henrique VIII, Calvino e tantos outros não conseguiram DESTRUIR A IGREJA de Jesus Cristo em 2009 anos, QUEM SOMOS NÓS para tentar”) quanto no seu comentário
    (“...Os ataques que nos últimos dias estão sendo dirigidos à Igreja aqui no Blog do Crato NÃO IRÃO DESTRUÍ-LA...”), a impressão que se tem é que havíamos sugerido (ou mesmo o Boff) uma pretensa “destruição da Igreja”, o que não é verdade. Em nenhum momento usamos tal expressão.
    Esperamos com isso ter encerrado o assunto.

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.