29 janeiro 2009

Carta do leitor - As questões religiosas Tendenciosas - Diácono Policarpo


Caro Dihelson:

Imagino que bater boca por questões religiosas não é nada proveitoso. Sempre acesso o seu blog, pois ele nos faz amar mais o Crato. Muitos artigos deixam a gente em dia com a cidade e seu povo. Todavia, há artigos que estragam o blog: esses que o Mariano está, insistentemente, publicando nesta semana. Denotam uma visão histórica vesga, pequena e calcada numa única fonte: Leonardo Boff. O bom cientista não se escuda em apenas uma visão, mas vai fundo na história e busca outras e outras opiniões. Esse estilo esboçado pelo Mariano (que parece não ter religião) não passa de algo superado no tempo e no espaço. Hoje os cristãos convergem na busca do seguimento de Jesus Cristo. Se Boff, Lutero, Zwinglio, João Hus, Henrique VIII, Calvino e tantos outros não conseguiram destruir a Igreja de Jesus Cristo em 2009 anos, quem somos nós para tentar. Semear ódio nos leva à colheita de mais ódio. Semear paz e concórdia, com os pés no chão e o olhar na história (não na história de apenas um homem) e a fé cristã no coração a gente consegue construir muito mais, mas muito mesmo. Continue com o seu blog Dihelson, mesmo quando cabeças duvidosas aparecem para semear o joio no meio do trigo.

Você conta com muita gente boa e de cabeça mais esclarecida.

Atenciosamente.

Diác. Policarpo

Resposta:
Prezado Diácono Policarpo,

Minhas respeitosas saudações.

O Blog do crato, como vês, é um veículo de livre manifestação, aonde as pessoas ( desde que sem anonimato ), podem escrever sobre o que desejam, religião, política, etc, e nossa norma maior é dar espaço para todas as opiniões, assim como o Mariano publica os textos dele ( que nem são dele, mas do Frei leonardo Boff ), também tenho o maior prazer em publicar seu texto que se contrapõe ao dele. Essa coisa de democracia é muito perigosa, porque quando levada ao extremo, pode-se incorrer na anarquia, o que não desejamos. Eu procuro evitar isso, impondo certas regras paralelas, sendo uma delas a da boa convivência, do respeito às opiniões e principalmente ao ser humano. Não posso reprimir qualquer texto que nossos escritores escrevem, o que posso fazer é tentar mostrar outras correntes de pensamento, a fim de que as pessoas possam com seu senso crítico, escolher quem apresenta os melhores embasamentos para sustentar suas convicções. Escrevo isso agora para expressar minha opinião geral acerca das questões, e não a um caso específico. Por isso, sinta-se à vontade para me enviar suas opiniões, pois na medida do possível, a publicarei também. Obrigado pelos cumprimentos e elogios ao nosso trabalho.

Abraços,

Dihelson Mendonça

22 comentários:

  1. Prezado Diácono Policarpo
    Gostaria de cumprimentá-lo pelas suas palavras em defesa da Igreja Católica. A nossa Igreja e qualquer outra igreja cristã é composta por homens e por isso mesmo ela é pecadora. Como é assistida pelo Espírito Santo é também santa. Assim como ela é passível de erros, convém notar que ocorreram muito mais acertos que erros ao longo de quase dois mil anos de sua existência. Os ataques que nos últimos dias estão sendo dirigidos à Igreja aqui no Blog do Crato não irão destruí-la e com certeza cairão nos corações de pedra das pessoas sem fé e sem Deus. Apesar de engajado nas pastorais da Igreja Católica, considero que o silêncio contra essas palavras ocas deve ser a melhor resposta. Estava faltando uma pessoa credenciada pela Igreja como o senhor dar uma resposta veemente! Parabéns pela defesa apresentada.

    ResponderExcluir
  2. É preciso só observar se os escritos contra a Igreja católica são meros ataques gratúitos, ou são realmente fatos comprovados com provas, documentação e argumentação cabível.

    Nunca feche a porta do conhecimento sem pesquisar antes, se alguém tem razão, apenas porque ela vai de encontro ao que acreditamos a vida inteira...

    Se o Brasil tivesse sido colonizado por japoneses, estaríamos aqui todos sendo budistas a essa hora, e falando japonês.

    Nunca despreze um conhecimento.

    Abraços a todos,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  3. Parabéns Diácono Policarpo. Eu como católica, engajada nas pastorais da Paróquia da Piedade em Fortaleza, sinto-me muito confortada com suas palavras, defendendo a nossa Igreja e a nossa fé. Não querendo participar desse fogo cruzado, fico imensamente feliz que o Espírito Santo tenha lhe iluminado, para fazer essa defesa. Esses ataques estavam me incomodando bastante.

    ResponderExcluir
  4. Prezado Dihelson
    Em nenhum momento de meu comentário anterior citei que os ataques à Igreja Católica eram gratuitos. Reconheci que por ser uma assembléia de homens é passível de erros. Mas acredito firmemente que os acertos ao longo da história superam os erros. Infelizmente, muitos pensam que para ser considerado intelectual ou cientista devem abdicar da fé em Deus, pois para eles ter religião é coisa de incultos.

    ResponderExcluir
  5. Não faz muito tempo que fiz publicar um texto onde, em breve resumo, dissertava acerca da liberdade de escolha, da possibilidade de falar, mesmo que não se faça ouvir e/ou ler, expor seus pensamentos - e aqui desnecessário dizer, até por uma questão óbvia, que não seja no anonimato - pois quando assim age, não se esta manifestando absolutamente nada, esta sim, gerando dúvidas acerca do que se afirma; já falei sobre as conseqüências das emoções, que em dicotomia com a razão via de regra resultam em conflitos gravíssimos. Todavia, volto a manifesta-me, e aqui peço licença aos Ilustres colegas que comigo dividem esse espaço, indubitavelmente democrático, no sentido de defender o direito sagrado da manifestação, da exposição de idéias, de pensamentos, crenças, seja lá o que for. Não podemos permitir em hipótese alguma o cerceamento da palavra, quer seja escrita ou falada, conquistamos essa liberdade, depois de um processo que custou caríssimo ao Pais, custou vida, juventude, bens materiais, psicológicos, liberdade, custou muito.... Quero deixar claro que não estou afirmando que o blog esta fazendo isso, de forma alguma.

    O ponto de vista sobre qualquer assunto, deve ser respeitado, independente daquele outro que lê, não importa se ele não concorda, se pensa o contrário, se é adepto de um grupo, de uma seita, de um segmento qualquer, seja lá o que for. Logicamente não defendo a falta de harmonia nas relações, a falta de respeito, de maneira alguma, o que busco é a igualdade nas manifestações. Quando se desqualifica um texto (seja de quem for) , age-se como uma espécie de “ditadura, repressão” , é um querer calar, desmerecer o que fora dito ou escrito. A intenção do amigo Mariano, é simplesmente trazer a baila a possibilidade de conhecer o outro lado, nada mais é do que contar a história por quem esteve lá dentro, que viveu, sofreu, sorriu, enfim , uma pessoa que possa nos falar à respeito sabendo o diz( no caso o Frei Boff). O que me agrada muito nesse “blog” , é justamente a postura adotada por seu administrador, que permite o comentário de todos , sem tolher o direito de ninguém falar o que pensa (logicamente com responsabilidade e permeado em uma relação de cordialidade).Por último, também sou católico (batizado, crismado, primeira comunhão, etc..) e agradeço muito ao amigo Mariano pelas informações trazidas, pois as desconhecia, não quero dizer com isso que deixarei de ir a Igreja, de forma alguma, entretanto, essas informações permitirão conhecer e confrontar com outros dados, possibilitando-me ser um cristão mais consciente. Luiz Cláudio Brito de Lima.

    ResponderExcluir
  6. Já disse varias vezes e repito. Todo mundo tem medo de falar dos desmandos da igreja. Os homens que a representam se escondem por tras de Jesus Cristo. Tenho postado algumas materias no Blog do Juazeiro sempre questionando e até hoje ninguem, absolutamente ninguem apareceu com argumento para justificar alguns fatos. Não conheço o Diacono Policarpo, não sei se na hierarquia da igreja o Diacono está acima ou abaixo do sacristão. Mas gostaria que Ele me explicasse porque o Padre Cicero foi perseguido, humilhado, ex-comungado, em vida, pela mesma Diocese que hoje quer santificar. Traga-me um argumento que me convença porque do contrario vou continuar entendendo que o motivo é o lucro facil que o Padre Cicero oferece hoje.

    ResponderExcluir
  7. A censura acabou faz tempo. Ainda bem.
    Questões religiosas são de foro íntimo e por sorte o Estado Brasileiro é laico. Senão, não sei o que teríamos que suportar.

    ResponderExcluir
  8. O Luiz Cláudio escreveu esse belo comentário como que "pisando em ovos" com uma classe que poucos teriam, para não magoar lado A ou B. Algumas pessoas me pedem para não escrever comentários no Blog, apenas ficar observando, mas como ser humano, me acho no direito de também participar das discussões. É muito difícil para qualquer pessoa que gerencia uma comunidade não poder participar dela.

    Mas o que quero dizer neste breve comentário é que qualquer fanatismo é ruim. É o que eu falei desde o primeiro comentário, vamos deixar as pessoas exporem todas as idéias, e cada um pode ( eu evitei dizer deve ) analisar e tentar ver sob o prisma do outro companheiro, assim a verdade aparece. Geralmente a verdade encontra-se no meio-têrmo. A verdade nunca é nos extremos.

    E numa discussão, como já disse alguém, pode-se ter razão quando o outro não precisa necessariamente estar errado. Todos podem até estarem certos em seus questionamentos e argumentos ao mesmo tempo.

    De modo que a exposição das idéias é bem-vinda, e a verdade é um diamante de mil faces, e cabe a cada um escolher o que é melhor e mais verdadeiro para cada um sem imposições e sem preconceitos.

    Não se deve invadir as crenças pessoais das pessoas, como também qualquer idéia formada sem análise sobre tudo, é perigosíssimo ao ser humano.

    Abraços, e PAZ para todos.
    Viva a diversidade, sem ofensas.

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  9. Morais, não apareceu e nem vai aparecer! Uma das coisas que muito me revolta é que quando se reúne um cabedal de provas definitivas sobre um determinado assunto, o lado contrário da discussão foge e se cala, sem apresentar qualquer argumentação, sem assumir o erro, e pior, continuar sustentando o erro anterior.

    Eu gostaria muito que numa discussão ( qualquer que fosse o assunto ), depois de verificado o X do problema, de identificado que há algo de errado, a parte errada chegasse e dissesse:

    "O Sr. tem razão. Eu estou errado. Meu pensamento está errado e aconteceu dessa maneira"

    No dia em que isso acontecer, o mundo será um lugar melhor de se viver.

    ( Refiro-me no caso a qualquer discussão sobre qualquer assunto ).

    Abraços a todos,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  10. Tendo em vista que ninguém pode postar comentários anônimos, e muito menos artigos, resolvi investigar mais sobre quem é o Diácono Policarpo que fala em nome da Igreja Católica. Enviei para o mesmo e-mail que recebi a matéria, perguntas para identificação completa da pessoa, afinal, o nome de Policarpo, pode muito bem ser qualquer coisa, qualquer pessoa.

    Pode até ser falso, POLICARPO QUARESMA, por exemplo...

    Estou aguardando a VERDADE e a RESPOSTA.

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  11. Dihelson,

    Pode ser que, na carona da sua indagação, o nobre diácono aproveite para esclarecer ao pessoal do blog, de uma vez por toda, os questionamentos que lhe fizemos, e onde, realmente, foi que ele leu a expressão "destruição da igreja", que nos foi atribuída.
    Ou será que ele estaria vendo chifre em cabeça de cavalo ???
    Esperemos...

    ResponderExcluir
  12. Prezado Luiz Cláudio,

    "A intenção do amigo Mariano, é simplesmente trazer a baila a possibilidade de conhecer o outro lado, nada mais é do que contar a história por quem esteve lá dentro, que viveu, sofreu, sorriu, enfim , uma pessoa que possa nos falar à respeito sabendo o que diz( no caso o Frei Boff)."
    Parabéns, Luiz Cláudio !!! Sua sintetizaçao é perfeita e nos mostra clarividência e sensatez.
    Agradecendo pelo apoio, informamos-lhe que como o assunto é realmente polemico, vamos relevar as agressões que nos foram dirigidas, fruto do calor de um debate que se pretendia salutar e necessário.
    Agora, aqui prá nós, os defensores da Igreja deveriam vir com argumentos consistentes e responder às inofensivas perguntas que foram postas sobre o celibato, as declarações dos Papas ao longo da história (onde até matar foi sugerido) e por aí vai.
    Sem açodamentos, sem agressões, sem procurar atingir a honra das pessoas.
    Particularmente, estamos com o Frei Boff e, consequentemente, contra o Papa.
    Isso chama-se TRANSPARÊNCIA. É pecado ser transparente ???

    ResponderExcluir
  13. Prezado Darlan,

    Pois é, veja como são as coisas: apenas por TRANSCREVER algumas opiniões do Frei Boff (com as quais concordamos), o pessoal resolveu nos sacrificar na cruz.
    Qual é mesmo a definição de intolerância, de intransigência, de abuso ???

    ResponderExcluir
  14. O senhor Policarpo é Diácono sim. Quando foi Diretor do Departamento de Pessoal da URCA, todo mundo se referia a ele assim.
    Eu não o conheço pessoalmente, nunca conversei com ele, mas já o vi no passado lá na URCA.
    Sobre o debate de idéias, acho importante que tenhamos a oportunidade de debater sobre vários temas e instituições.
    Não falo nem da fé, que é problema de quem quer professá-la, mas das ações de certas instituições sobre todos nós, que mal há em discutir?
    O senhor José Nilton Saraiva apenas expressou uma idéia e logo vieram as desqualificações à pessoa dele.
    Isso serve pelo menos para encorajá-lo a continuar!

    ResponderExcluir
  15. A minha formação religiosa extremamente católica, tendo enfrentado a internação em um colégio Marista, e defensor de carteirinha dos ensinamentos recebidos no meu ambiente familiar,
    não me colocou em nenhum momento, como um dos atingidosd nos comentários do Mariano.
    A liberdade de pensar e de opionar, é o princípio básico do direito de liberdade, e de crença, de qualquer ser humano.
    Não se pode de maneira alguma querer tapar o sol com a peneira, e esconder as barbáries praticados no seio da nossa religião, durante a sua existência.
    No livro " os trinta Papas que envergonharam a humanidade " dá-se para entender um pouco do que foi os desmandos praticados pela Igreja Católica, e no entanto, não ve envergonho, de ser um dos seus membros.
    Na guerra das crenças, a cada dia são divulgados casos e mais casos de pedofilia e mais aberrações sexuais praticados por seus membros, e isso não me atinge, porque faz parte das fraquezas inerentes a personalidade humana.
    O direito de trazer a discussão um tema tão significativo, vejo como uma apuração construtiva dos preceitos que herdamos, e que precisam ser assumidos na personalidade de cada um.
    Palmas pro Mariano, que teve a coragem de sair do casulo.

    ResponderExcluir
  16. Prezado Elmano,

    Como pode uma simples manifestação de apoio a idéias com as quais compartilhamos gerar tanta indignação ??? Seria bom se todos agissem assim como você: de forma educada, ponderada e equilibrada, admitindo o direito sagrado que todos temos de nos manifestar, sobre qualquer tema.
    Agora, se a pessoa ofendida tem um argumento consistente, que consiga nos convencer do contrário, estaremos aptos a absorvê-lo.
    Sem maiores traumas.

    ResponderExcluir
  17. Prezado Elmano,

    Você afirma que "...no livro " os trinta Papas que envergonharam a humanidade " dá-se para entender um pouco do que foi os desmandos praticados pela Igreja Católica ..."
    Você teria o site ou endereço da livraria ou editora desse livro ???
    Gostaríamos de conhecê-lo.
    Qualquer contato por favor acesse marianos@fortalnet.com.br
    Desde já agradecemos.

    ResponderExcluir
  18. Tomo a liberdade de transcrever abaixo os comentários de José Nilton Mariano, para em seguida fazer algumas observações:

    1) "Pois é, veja como são as coisas: apenas por TRANSCREVER algumas opiniões do Frei Boff (com as quais concordamos), o pessoal resolveu nos sacrificar na cruz."

    2) "Como pode uma simples manifestação de apoio a idéias com as quais compartilhamos gerar tanta indignação ???"

    Observações:
    Conforme soube pelo Armando Rafael, o diácono Policarpo é Chanceler da Diocese do Crato e neto de um irmão de Dom Quintino Rodrigues, o primeiro bispo do Crato. Ser Diácono, não é a mesma coisa de sacristão, conforme se referiram nos comentários aos textos do Leonardo Boff, postados pelo Mariano. O Diácono exerce as mesmas funções atribuídas a um padre, exceto a confissão e a celebração eucarística. Portanto o diácono pode presidir a celebração de um casamento, batizar, anunciar e pregar a Palavra de Deus.
    Não vi nenhuma tentativa de sacrificar na cruz qualquer membro do blog pela postagem dos artigos com denúncias contra Papas, Bispos e padres da Igreja Católica, o que com certeza não ocorreria se alguém tivesse a coragem de escrever qualquer coisa contra os mulçumanos. Apenas uma única voz se levantou que foi a do Diácono Policarpo, pois tem credencial para tal.
    Eu e Magali, minha mulher fomos os únicos que apoiamos a defesa apresentada pelo Diácono Policarpo. Pois não vimos nada de proveitoso nessas denúncias, já do conhecimento da humanidade há bastante séculos. Também não vimos "tanta indignação", contra os textos, conforme mencionado acima, pois apenas duas pessoas, além do Diácono, voz oficial da Igreja, se posicionaram contra os textos do amigo José Nilton Mariano.

    ResponderExcluir
  19. Prezado Carlos Esmeraldo,

    Receba nosso abraço fraterno (apesar das divergências com relação à Igreja, o que, acreditamos, não será impeditivo para que nos conheçamos pessoalmente, em breve).
    Referimo-nos à sua postagem das 12:45 PM, e, dentro do espírito democrático que caracteriza o “nosso” blog (que o Dihelson não saiba que já somos donos), permitimo-nos tecer breves comentários: quando resolvemos TRANSCREVER (e aí já está claro que com o uso das devidas aspas e citando a fonte) as idéias do Boff aqui no blog, o fizemos por duas razões: por concordarmos com o expresso por ele; e, porque seria um bom tema a se debater saudavelmente e em nível elevado.
    O Zé Flávio, por também concordar, tomou a iniciativa de "colar" uma das nossas postagens lá no Cariricult ( “...Aí, Newton, que ótimo texto o do Boff sobre os tempos atuais e a centralização absurda do poder Papal. Vindo então do Boff , que conhece como ninguém as vísceras e garras do Vaticano, não poderia ser melhor! Parabéns pelo texto! Em tempo, em homenagem a todos os crentes colei o texto no Cariricult, sem a sua devida permissão”).
    O Dr. Valdetário também fez questão de se manifestar, afirmando textualmente: “Prezado José Nilton Mariano, parabéns pela matéria postada. Como já disse em comentário sobre um texto do Dihelson (o do Pe. Cícero) a verdade precisa ser dita. A igreja católica já prestou um grande desserviço à humanidade e continua a fazê-lo nos dias atuais. Precisamos jogar um pouco de luz nessas trevas e fazer com o povo desperte e, literalmente, não caia mais no conto do vigário. Um abraço. Valdetário”.
    Para nossa surpresa, lá no Cariricult, o nosso colega de BNB, Armando Rafael "pegou pesado", (no nosso entendimento), ao afirmar: “ ... Por que esses críticos da Igreja Católica – agnósticos, ateus e “livres pensadores” – não escrevem seus próprios pensamentos? Ao invés disso, colocam textos DE OUTRAS PESSOAS? DE TERCEIROS...”; ( observe que a expressão livres pensadores está destacada das demais, como que a sugerir que não tivéssemos competência para elaborar qualquer texto, mas, simplesmente copiá-los); se isso não é uma ofensa, não sabemos mais o significado da palavra ( e o velho Armando sabe que não é bem assim ).
    Já na intervenção do Diácono Policarpo, ou ele foi de uma infelicidade a toda prova com as palavras ou temos aí uma prova de intolerância explícita, quando ela julga que o Mariano tem “...uma visão histórica vesga, pequena e calcada numa única fonte” já que “...parece não ter religião”, sugerindo e concluindo ao final para o Dihelson que “...Você conta com muita gente boa e de cabeça mais esclarecida”. Poderíamos chamar isso de preconceito, sectarismo ou seria mero desprezo pelo semelhante ???
    Ainda com relação ao nobre diácono e suas funções lá na Igreja (que temos ciência, sim, quais sejam), foi o Morais que questionou: “...Não conheço o Diacono Policarpo, não sei se na hierarquia da igreja o Diacono está acima ou abaixo do sacristão...”. Portanto, o Morais, agora, está sabendo, graças ao seu esclarecimento, muito embora ele afirme de maneira absolutamente procedente que “... Todo mundo tem medo de falar dos desmandos da igreja. Os homens que a representam se escondem por tras de Jesus Cristo”. ( palavras do Morais, que não sejam confundidas).
    De outra parte, o Luiz Cláudio (que não conhecemos) foi muito categórico: “..peço licença aos Ilustres colegas que comigo dividem esse espaço, indubitavelmente democrático, no sentido de defender o direito sagrado da manifestação, da exposição de idéias, de pensamentos, crenças, seja lá o que for”, porquanto “...O ponto de vista sobre qualquer assunto, deve ser respeitado, independente daquele outro que lê, não importa se ele não concorda, se pensa o contrário, se é adepto de um grupo, de uma seita, de um segmento qualquer, seja lá o que for” arrematando ao final “...Quando se desqualifica um texto (seja de quem for) , age-se como uma espécie de “ditadura, repressão” , é um querer calar, desmerecer o que fora dito ou escrito. A intenção do amigo Mariano, é simplesmente trazer a baila a possibilidade de conhecer o outro lado, nada mais é do que contar a história por quem esteve lá dentro, que viveu, sofreu, sorriu, enfim , uma pessoa que possa nos falar à respeito sabendo o diz( no caso o Frei Boff)”.
    O Darlan Reis foi mais incisivo ainda ao afirmar pertinentemente “...O senhor José Nilton Saraiva apenas expressou uma idéia e logo vieram as desqualificações à pessoa dele”, no que foi acompanhado pelo Elmano Rodrigues que cravou “...O direito de trazer a discussão um tema tão significativo, vejo como uma apuração construtiva dos preceitos que herdamos, e que precisam ser assumidos na personalidade de cada um. Palmas pro Mariano, que teve a coragem de sair do casulo”. (observação: não conhecemos, pessoalmente, nenhum dos cidadãos aqui citados).
    Para concluir, prezado Carlos, temos sua própria sugestão de que “...o silêncio contra essas palavras ocas deve ser a melhor resposta” (o que não deixa de ser uma espécie de desqualificação, não ???)
    Finalizando, manifestamos nossa certeza de que em breve teremos a chance de conversar pessoalmente, oportunidade em que lhe renovamos votos de consideração e apreço, extensivos à sua excelentíssima senhora, Dona Magali, filha do nosso dentista na infância e adolescência, Dr. Aníbal Viana de Figueiredo.

    José Nilton Mariano Saraiva

    ResponderExcluir
  20. Mariano,

    Sua análise foi muito correta sobre tudo aquilo que todos falaram. Eu sempre me adianto nas coisas, pela prática de fóruns, por ver aonde elas chegarão.

    Não foi à toa que postei nesses dias aquele texto que fala das pessoas que se dizem agredidas quando a verdade é jogada ao ar.

    Hoje, me adiantei a essa sua postagem ( pode ver o horário ), com a postagem sobre os mal-entendidos, como que a criar um tapete, um alerta contra os mal-entendidos do que se seguirá a partir daqui.

    Sua mensagem foi concisa, precisa, mas sempre poderá haver brechas por onde alguém poderá interpretar de outra forma. Espero que não.

    É apenas um breve relato de toda a discussão, que ao meu entender, foi bastante frutífera.

    E já adiantando: O Blog é de todos. O Blog não é meu. O Blog é do Crato.


    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  21. DOS PORÕES SOMBRIOS DO VATICANO...30 PAPAS QUE ENVERGONHARAM A HUMANIDADE, de Jeovah Mendes. Fortaleza, Tábuas da Lei, 2000. 241p.
    Pesquisa polêmica e reveladora de autor cearense, fruto de anos pesquisando junto a fontes da mais alta competência para que o verdadeiro cristão se liberte das mentiras e hipocrisias seculares

    ResponderExcluir
  22. Mariano,
    A questão de religiosidade, é um tema muito complexo, e que gera sempre conflitos, por isso vai esse endereço, que possui um catálogo com 23 páginas, só sobre Religião.
    As pessoas que gostam de se aprofundar no tema, tem bastante material pra pesquisa.
    Tenho alguns livros bastante interessantes, e quanto terminar de organizar o meu material para doação a bibliotecas, darei um jeito de te enviar alguns livros.
    Por enquanto vá pesquisando em:





    Sonia Silva Rua Domingos Ceroni 86
    Comércio de Livros Ltda 13084-560 Campinas - SP – Brasil
    www.soniasilva.com.br Religiões e Religiosidade no Brasil Fone +55 019 3289 2137

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.