14 janeiro 2009

Alguns dados folclóricos do Crato - Por: Pedro Esmeraldo


Sempre fomos grandes admiradores do folclore, não podendo deixar de enaltecer esse grande procedimento folclorista, visto consideramos como sendo estudo da arte das atividades populares através dos povos civilizados.
Observamos que o Crato é um centro folclorista do Cariri, pois na verdade, aqui se iniciou e divulgou as atividades folclóricas, que surgiram os primeiros ensaios dos estudos desta arte popular no centro do Nordeste.
Ontem, Dia de Reis, 06 de janeiro de 2009, casualmente, passando pela Praça da Sé, deparamo-nos com os reisados, homenageando os Reis Magos, isto vem de há muito, que se notabilizou tradicionalmente, perdura até agora e deve preservar através dos tempos. Foi apresentada pelas filhas do mestre Dedé de Luna e outros. Souberam divulgar com galhardia as proezas do pai, o mestre Dedé, grande folclorista desta cidade, falecido há pouco tempo. Conhecemos bem essa figura histórica por meio de seus esforços. Lembramos do seu valor, amava o Crato com entusiasmo inebriante, deixando toda a população alegre e satisfeita pelo movimento febril de suas danças populares. Infelizmente, o mestre Dedé já se foi. Uma insidiosa doença o levou, deixando uma lacuna no meio das danças populares desta cidade. Continuando com a arte de seu pai, suas filhas mantêm a tradição, com reduto feminino, coisa admirável, já que sente o desinteresse masculino, visto que os homens, por negligência ou por preconceito não desejam mais participar, distanciando-se do meio folclórico regional. Além do mestre Dedé, há outras pessoas notáveis mantendo o desejo de preservar a cultura popular que deve ser cooperada pelas autoridades desta cidade, dando o inteiro apoio para preservar essa tradição. Lembramos também do grande folclorista e jornalista Figueiredo Filho, considerado o guia intelectual das artes populares do Crato, bem como Correinha, um baluarte do folclore.

Observamos ainda outras figuras dignas de merecimentos, podendo citar o mestre Elói, que foi dos maiores interessados pela preservação do folclore local, como também recordamos de Valderedo Gonçalves, que soube cativar a população com artes nobres, mostrando a qualidade de artistas inteligentes, sóbrios e perspicazes e que manipularam as artes com dedicação e apreço. Outro grande artista cratense, improvisador, Cego Aderaldo, (A. Ferreira de Araújo), um dos maiores do Nordeste, nascido aqui em Crato, no ano de 1882, falecido em Recife, em 1967. Foi trovador popular, aprendeu a tocar viola depois que perdeu a visão.

Não podemos esquecer a figura esplêndida de José de Matos, poeta, repentista, crítico, irreverente, respondia tudo através das poesias mordazes e que deixava todos satisfeitos com suas tiradas picantes. Não temos muito conhecimento desse poeta. Não sabemos pormenores, mas deixou palavras que até hoje são recitadas pela massa popular.

Por: Pedro Esmeraldo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.