xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 30/12/2008 | Blog do Crato
.

VÍDEO - Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

30 dezembro 2008

Rádio Chapada do Araripe - Por Socorro Moreira

.

Estou ouvindo "Ruby"- Pat Boone ? Um deleite ! Rádio Chapada, meu coração agradece e aguarda a continuação do teu som , no ano que já começa !

Socorro Moreira
.

Brasil, um País de Todos ( digo, de Novelas ) - "A FAVORITA" faz o Brasil parar.

Nota: No Brasil, tudo é novela. Tudo acontece hoje em dia, antes ou depois dessa novela "A Favorita" que o país para pra assistir. Aguardo alguns comentários ( claro, depois da novela )...

da Folha Online

No ar desde o dia 2 de junho, "A Favorita", atual novela das 20h da Globo, teve seu início marcado por polêmicas e uma significativa baixa audiência.

Divulgação
Patrícia Pillar e Claudia Raia em "A Favorita"
Patrícia Pillar e Claudia Raia como as protagonistas de "A Favorita"

A trama começou sem deixar claro ao espectador quem era a verdadeira vilã da história: Donatela (Claudia Raia) ou Flora (Patrícia Pillar).

As duas personagens nasceram pobres, cresceram juntas e até mesmo formaram uma dupla sertaneja durante a juventude. Namoraram, casaram e continuaram amigas até que uma delas --hoje sabe-se que foi Flora --matou Marcelo, marido de Donatela e amante de Flora, que na época do crime estava grávida.

Flora foi acusada pelo assassinato e passou 18 anos presa. Saiu da cadeia disposta a conquistar a confiança da filha, Lara (Mariana Ximenes) e se vingar de Donatela.

Pior estréia da década

"A Favorita" estreou com média de 35 pontos no Ibope da Grande São Paulo, conquistando a desanimadora marca de pior estréia da década para uma novela das 20h na Globo.

Divulgação
Ator Carmo Dalla Vecchia como Zé Bob em "A Favorita"
Ator Carmo Dalla Vecchia interpreta o jornalista Zé Bob em "A Favorita"

O capítulo inaugural teve sua audiência prejudicada pela concorrência com a Record, que antecipou o último capítulo da novela "Caminhos do Coração".

A audiência do folhetim só começou a subir duas semanas após sua estréia, quando registrou uma média de 40 pontos. Mesmo assim, "A Favorita" amargou o pior mês de estréia de uma novela das 20h da emissora em todos os tempos.

Reviravolta

Foi preciso uma transformação entre os mocinhos e vilões da trama para que "A Favorita" deslanchasse sua audiência. No início de agosto, a Globo exibiu o capítulo que revelou Flora como a verdadeira assassina de Marcelo. Antecipar o desfecho do mistério foi uma das estratégias da emissora para esquentar o ibope da novela.

No final do capítulo, que foi ao ar dia 5 de agosto, Flora assumiu de vez a figura de vilã e matou o médico Salvatore (Walmor Chagas) para impedir que ele inocentasse Donatela em depoimento. O episódio rendeu um recorde de audiência para novela, que alcançou 46 pontos de ibope.

Fabrício Mota/Tv Globo
Patrícia Pillar na pele na grande vila de "A Favorita", Flora; entre os crimes atribuídos à personagem está a morte de Gonçalo
Patrícia Pillar na pele na grande vila de "A Favorita", Flora; entre os crimes atribuídos à personagem está a morte de Gonçalo

Depois de experimentar a boa aceitação do público, o roteiro de "A Favorita" insistiu em surpresas e reviravoltas. Donatela foi presa, trocou de identidade com Diva (Giulia Gam) e foi considerada morta. Fugiu da prisão, compareceu a seu próprio enterro e decidiu se reaproximar do seu amado Zé Bob (Carmo Dalla Vecchia).

Aos poucos, Flora foi conquistando terreno na casa dos Fontini --família de Marcelo-- e Zé Bob e Donatella passaram o tempo em busca de aliados a desmascará-la.

Paternidade

Não bastasse a mudança de vilã, o roteiro de "A Favorita" também alterou o nome do herdeiro da fortuna dos Fontini. Halley, até então filho de uma cafetina, descobriu que é o verdadeiro filho de Donatela com Marcelo --seqüestrado ainda bebê. Lara, por sua vez, é fruto do relacionamento de Flora com Dodi (Murilo Benício).

O capítulo que mostrou a descoberta de Gonçalo de que era avô de Halley rendeu ao folhetim um novo recorde, dessa vez com média de 47 pontos de audiência.

Divulgação
Lilia Cabral como Catarina, sua personagem em "A Favorita"
Lilia Cabral como Catarina, sua personagem em "A Favorita"

Mas quando tudo parecia correr na direção certa, com Flora prestes a ser desmascarada por Gonçalo Fontini (Mauro Mendonça), a vilã tratou de se livrar de seu inimigo.

Traição e preconceito

Outras histórias que renderam comentários e audiência para "A Favorita" foram o caso de Dedina (Helena Ranaldi) com Damião (Malvino Salvador). Ela, mulher do prefeito de Triunfo, foi flagrada enquanto se relacionava com o melhor amigo do marido.

Na mesma cidadezinha, outra polêmica gira em torno de Stela, dona de um restaurante na cidade. Homossexual assumida, a personagem interpretada por Paula Burlamaqui precisa agüentar os boatos e preconceitos a respeito de sua orientação sexual.

O relacionamento de Stela com Catarina (Lilia Cabral) ainda é hipótese para o público de "A Favorita", que teme por uma nova revelação.

Fonte: Folha On-Line

Avô Adotivo

Não sei a que atribuir aquela confiança cega que de repente se me depositaram. Pode ter sido estas mechas brancas que teimam em me tingir a barba, ao quebrar o cabo da desesperança dos cinqüenta. Ou as rugas que me vão mapeando o rosto, como troféus de muitas batalhas empreendidas e poucas ganhas. Talvez, até, este ar um pouco distante de quem procura o que não pode encontrar , de quem teme a estrada curta e imprevisível que se abre , morosamente, adiante. A placidez ,apenas aparente, dos desiludidos e desencantados.O certo é que a garotinha de uns cinco anos, interpelou-me enquanto fazia do encosto do bureau da sala de espera, um escorregador. Rostinho redondo, bochechinas salientes e olhos vivíssimos que saltavam da moldura de um cabelinho negro, curto e liso, cortado em pastinha. Fitou-me decidida ao me ver passar, exausto, depois de um longo dia de trabalho. Parou as atividades no playground em que transformara a sala de consultório e me chamou, como se fôssemos velhos e inseparáveis conhecidos:
--- Hei ! Hei ! Vem cá !
Mergulhado em preocupações mil, aquele fiapo de voz tocou meu coração, como se fora “A Primavera” de Vivaldi. A alegria e felicidade puras que brotavam como água cristalina da fonte da inocência. Aproximei-me desarmado como que tocado pela varinha de condão da fada madrinha. Desobedecer a um chamado destes, quem há-de ? Agachei-me um pouco, em reverência e , obedientemente, lhe fiz continência :
--- Olá ! Como você está?
A menininha sorriu-me , angelicalmente e me fez um convite totalmente inusitado:
--- O Senhor não quer ser meu avô, não ?
Hesitei, um tanto, ante um pedido tão carinhoso e estranhamente tão inesperado. Temendo ser pouco convincente, disse com voz titubeante que queria sim, que gostaria muito. A menininha pareceu contente e , por fim, explicou a necessidade da substituição necessária:
--- É que meu avô morreu e eu tou sem avô, ó !?
Já me recobrando da surpresa e buscando entender os ínvios caminhos do coração infantil, fui mais enfático. Conversei mais e disse que a partir daquela hora ela tinha um novo avô. A garotinha parece que havia encontrado uma Barbie perdida. Abraçou-me e voltou ao seu escorregador que , afinal, ninguém é de ferro.
Saí dali encantado com o convite. Afinal, hoje , avô é artigo de luxo. Com os jovens libertos e sem amarras, nascem filhos temporões que terminam por enfeitar a vida já um pouco ressequida de tantos avós. Não bastasse isto, com a doideira da vida moderna, com pais e mães numa corrida desenfreada em busca da sobrevivência,quem convive com os pirralhos ? Os avós ! Aí a convivência mostra-se sempre de mão dupla: eu te dou a segurança, a experiência e vocês me fornecem um pouquinho da preciosa seiva da vida. Nós lhes aplacamos os temores da floresta e vocês nos mostram onde ainda existem frutos deliciosos e sazonados. O avô é o pai domesticado: sem o grito, sem a palmatória, sem a cara emburrada. Tendo a visão privilegiada do rio da vida, ele entende que os acidentes são inevitáveis, que as águas muitas vezes se tornam turvas, que o fluxo vezes se mostra calmo, vezes tormentoso para quaisquer navegantes de primeira viagem. O tempo dá ao avô a prerrogativa da tolerância , com a pena pronta para a Hábeas Corpus , a alvará de soltura, a carta de alforria.
Despedi-me sob o peso da imensa responsabilidade que me acabava de ser conferida. Ser avô independe, geralmente, da nossa vontade e os netos, infelizmente, não têm o sagrado direito da escolha. Pois bem, a minha missão fazia-se bem mais árdua: a partir daquela data, a garotinha me havia eleito Avô Adotivo. Ela, mais que ninguém, demonstrava, claramente, a falta que lhe fazia aquela perda prematura. Sem maiores credenciais devo fazer tudo para não decepcioná-la. Mesmo sem estar perto, sem conhecer seus pais , sem sequer saber onde ela mora ; me acho no dever de fazer tudo ao meu alcance com o intuito de ela entender que a vida é apenas mais um capítulo de um Conto de Fadas. Apesar das bruxas, das maças envenenadas e das madrastas, sempre é possível encontrar um príncipe em cada esquina da existência e fazê-lo calçar o nosso sonho no sapatinho de cristal das nossas esperanças.
Antes de sair ainda ouvi a vozinha doce da minha neta mais nova :
--- Tchau, Vôiinho !

J. Flávio Vieira

O BRASIL DAS DESIGUALDADES SOCIAIS por Magali de Figueiredo Esmeraldo

Pela primeira vez em toda a história do Brasil, temos um governo que olha para os pobres. Talvez porque antes, nunca elegemos um presidente operário que desenvolveu uma grande sensibilidade em relação à pobreza, pois foi pobre e sabe o que é não ter o mínimo para sobreviver. Tem consciência de que o pobre além de passar fome, sofre todo tipo de preconceito, discriminação e injustiça. Nessa sociedade injusta em que vivemos, só uma minoria acumula bens e não se preocupa com a maioria da população, que é pobre. A elite brasileira sempre critica qualquer programa social para melhorar as condições de vida dos pobres. É o caso do “Bolsa Família” que atende a milhões de pessoas que vivem na extrema miséria. Essa elite fica falando que o “Bolsa Família” faz as pessoas ficarem preguiçosas. Isto não ocorre. Como cristã que sou, tento cada vez mais conhecer a Palavra de Deus procurando entender a Bíblia e principalmente os Evangelhos. Por isso, não posso deixar de defender um programa que, pelo menos, tenta amenizar um pouco o sofrimento dessas pessoas excluídas da sociedade. Conheço uma família de agricultores pobres que vive plantando para sobreviver. Eles recebem o “Bolsa Família” e moram num lugar esquecido do mundo, que não tinha estrada, nem energia elétrica e nem escola para os seus filhos. Agora, no governo Lula, o programa “Luz para Todos” iluminou a vida dessas pessoas, os filhos estudam na cidade mais próxima, a prefeitura manda transporte escolar, melhorou as condições das estradas carroçáveis, tudo isso graças ao “Bolsa Família”. Os pais são analfabetos, mas não ficaram preguiçosos como se propaga por aí, continuam trabalhando de sol a sol e, os filhos terão melhores oportunidades, que os seus pais não tiveram.

Por: Magali de Figueiredo Esmeraldo
.

ANO NOVO, VIDA NOVA.....


Todo mundo sempre costuma repetir:
"Ano-novo, vida nova".
Mas até que ponto sabemos realmente medir o peso desta afirmação e a colocamos em prática?
Se no ano que passou,você não conseguiu atingir suas metas,concretizar sonhos,
acumulou mágoase não superou desafios inesperados,agora é a hora de abrir as janelas da mente e do coração para o futuro.
É importante captar mensagens externas e não esquecer de olhar para dentro de si porque o caminho para uma vida nova passa, impreterivelmente, por nosso universo interior.
A mutação de seu momento atual, enfim, depende exclusivamente de você.
Depende do seu trabalho mental, em acreditar e realizar.
Nada, nem ninguém poderá fazer isso por você.
A ajuda pode, sim, vir de fora, mas o impulso deve partir de você.
Independentemente de sua situação atual.
Em primeiro lugar, questione com honestidade:
"Eu realmente quero mudar minha vida?"
Se a sua resposta for afirmativa,
então é hora de mexer-se porque o ano-novo está aí.
Para que isto dê realmente certo, é necessário, antes de tudo, se permitir mudar.
O próximo passo é derrubar aquelas barreiras internas tão prejudiciais, como o preconceito consigo próprio, o medo, a inveja e o rancor.
E, não esqueça, o mundo ao seu redor apenas reflete o que você é.
Feliz Ano Novo!!!

O preconceito contra os Nordestinos e Contra LULA - O Blog parece a Faixa de Gaza.. Arre !!! Arre !!

[ Acima: Lula recebe mais um diploma ]

Lulistas, Vejistas, Monarquistas, Ateus graças a Deus, Nassifistas, aqui é a terra de Marlboro, todo mundo se encontra. Todo dia tem novidades no reino da Dinamarca...alegria....alegria...

Sabe, já que todo mundo tá metendo seu tempero na briga, eu também resolvi dizer também umas palavrinhas sobre o que eu penso e vejo, espero não magoar ninguém, nem se sintam magoados por isso. Vou chamar o Presidente Lula para comandar nossa seção de Humor, garanto que ele se tivesse tempo, viria. É um cara comum, sem frescuras, pode comer em prato de ágata com colher de pau, baião de dois com toucinho torrado, e ovo na gordura, e cuscuz com feijão verde. Já tem muito sociólogo aí que torce o nariz para os nordestinos. Fico muito feliz de termos um presidente Nordestino que fez o Brasil dar bem mais certo do que o descarrilamento que estávamos no final do governo FHC. Nos fóruns da internet, paulistas, o que não falta é gente preconceituosa malhando o Lula e os Nordestinos.

Eis a frases:

"Nordestino é sub-raça, deve morrer tudo de paulada!"

"...é o que dá botar um cabeça-chata nordestino pra ser Presidente"

"Lula, volta pro nordeste comer tua paçoca, cabeção de melancia!"

...
...

Basta visitar alguns fóruns de São Paulo.
Isso é até certo ponto admissível, porque os sulistas foram destronados, eles querem a volta da política do Café com Leite...O que é inadmissível são os baba-ovo, traidores do Povo Nordestino se aliarem aos sulistas no cântico de ira contra o primeiro presidente Brasileiro e um dos melhores que o Brasil já têve, e é nordestino...

Cadê aquela Guilhotina para os traidores ?

Abraços,

Dihelson Mendonça
.

DERCY GONÇALVES E O LULA DA SILVA

Dercy Gonçalves era uma atriz popular que fazia da esculhambação fator de seu sucesso. Lula da Silva é o presidente da República que buscando o sucesso esculhamba para ser popular. O que os faz semelhantes? O uso de palavrões, pois não sei se Dercy era alcoólatra. O que os faz diferentes? Dercy, a debochada, não estava investida da autoridade do mais alto cargo da República. Lula da Silva está.Pode ser que tenha se tornado politicamente correto usar palavrões. Que seja interpretado como preconceito criticar o presidente por ele esbanjar palavras de baixo calão que passam pelos tradicionais p...m, p...rra e mais recentemente o sifu. Lembre-se ainda do ponto G que o presidente brasileiro agraciou o companheiro Bush ou outros gracejos e gracinhas, ditos no auge do entusiasmo que ocorre nos palanques de onde ele só desce para viajar ao exterior. Os adornos lingüísticos com os quais Lula da Silva entremeia suas falas por sinal muito aplaudidas, talvez possam ser explicados por conta de sua origem sindical e petista. Como ele nunca sabe de nada, certamente ainda não percebeu que deve ser comportar como presidente da República e não como líder de metalúrgicos. Nesse caso, falta alguém do cerimonial ou de sua intimidade palaciana que ouse lhe dizer que não fica bem um presidente tão sem educação, tão sem compostura, tão grosseiro. Enfim, que ele não é Dercy Gonçalves nem animador de auditório e que porta de fábrica é realidade diferente de Palácio do Planalto.

Mas se algum corajoso advertir Lula da Silva sobre a impropriedade de seu comportamento, sobre a necessidade de controlar seus rompantes, provavelmente etílicos, sobre os limites entre o humor e boçalidade, poderá em troca receber um ou mais palavrões com argumentações mais ou menos assim: sou um sucesso, sou a cara do povo e como o povo fala palavrão, o que me identifica com meu eleitorado, vou continuar e ninguém tem nada com isso.

Mas será que o povo brasileiro fala tanto palavrão? Depende do lugar, como um estádio de futebol, na hora em que o juiz rouba para o time adversário. Em algum momento da intimidade familiar ou de amigos. Diante de certos transtornos do cotidiano como exclamação de contrariedade. Mas não é comum nas conversas diárias soltar o verbo diarréico. Também dele não costumam fazer uso, profissionais em geral ao se dirigir aos seus clientes ou pacientes, autoridades em cerimônias públicas. Com exceção, é claro, do governador do Paraná, Roberto Requião, que prima pela linguagem desabrida e pelo estilo truculento.

Naturalmente, alguns membros do governo Lula da Silva são seguidores do chefe. É o caso de Marco Aurélio Garcia, celebrizado por gestos obscenos. E de madame Favre ou Suplicy com seu imortal relaxa e goza. Como a primeira-dama parece ter sido agraciada com o silêncio obsequioso, não se sabe se também segue o estilo Dercy Gonçalves, mas se pode imaginar o que é ouvido nas reuniões do PT, quando cadeiradas são desferidas democraticamente No mais, os ministros de Lula da Silva têm caído às pencas por corrupção, mas não costumam falar palavrões, pelo menos em público. Alguns até podem ter pensado em algum sifu, como José Dirceu ou Palocci, mas, se pensaram, engoliram em seco.
Em todo caso, digamos que a imensa popularidade de Lula da Silva transforme seu linguajar chulo em moda. Você diria a uma pessoa: bom dia. E ela responderia: vá à m.... E assim por diante. Tudo muito natural. Tudo politicamente correto. E coitado daquele que se queixasse de quem o insultou.. O preconceituoso seria preso por crime hediondo e inafiançável. Aliás, na era Lula da Silva o correto, o certo, o elegante é quebrar escolas e bater nos professores. Invadir propriedades produtivas e destruir o patrimônio alheio. Exacerbar a violência, inclusive nas torcidas de futebol. E chic mesmo hoje em dia é ser assaltado. Morrer à espera de atendimento do SUS, de dengue ou de bala perdida, de preferência gritando um palavrão no derradeiro momento, seguido do brado viva Lula, esse grande inaugurador de um Brasil feito de mentira, de propaganda enganosa, medíocre e vulgar. Consola saber que ainda existem, brasileiros dignos. A tragédia que se abateu sobre Santa Catarina mostrou comoventes exemplos de solidariedade e de coragem da população, dos bombeiros, dos militares, de todo o país que se mobilizou para ajudar as vítimas. E se a dor dos catarinenses que perderam parentes, casas, pertences, permanece insepulta, o Estado já se levanta, reorganiza o caos, retoma o trabalho e a produção.

Enquanto isso Lula da Silva, cujo governo não agiu preventivamente em Santa Catarina para impedir a catástrofe, prossegue apenas discursando, gracejando, proferindo impropérios para o gáudio da platéia de bajuladores. Perto dele Dercy Gonçalves é santa.

Maria Lucia Victor Barbosa é socióloga.
mlucia@sercomtel.com.br


Aeroporto de Juazeiro - Fluxo de passageiros supera ano anterior

Aeroporto Regional do Cariri

Clique para Ampliar

Cada vôo no Aeroporto Orlando Bezerra sai com mais de 100 passageiros. É evidente constatar a falta de espaço adequado no terminal de embarque (Foto: ELIZÂNGELA SANTOS)

Aeroporto de Juazeiro do Norte ainda aguarda rescisão de convênio com Governo do Estado para promover melhorias

Juazeiro do Norte. Mesmo sem boas condições para recepcionar passageiros e pista ainda a ser homologada e reforçada para receber aeronaves de grande porte, o Aeroporto Orlando Bezerra de Menezes, neste município, prevê fechar o ano com movimentação recorde de 170 mil passageiros. O número surpreende os próprios operadores da Infraero, que previam seis mil passageiros a menos. A perspectiva para 2009 é fechar com 200 mil. O ano de 2008 supera o anterior em cerca de 17 mil passageiros a mais. A previsão para início do novo terminal, com projeto previamente avaliado em R$ 22 milhões, é somente para 2010.

Mesmo com os números positivos em termos de movimentação, o Aeroporto de Juazeiro contabiliza conquistas, com a doação de parte da área territorial pelo Governo do Estado, para que sejam feitas as obras do terminal, hoje com espaço insuficiente para a movimentação no local. A cada vôo, com cerca de mais de 100 passageiros, é possível notar a falta de espaço adequado.

Segundo o superintendente regional da Infraero, Edson Fernandes, um dos entreves para dar continuidade ao projeto com maior rapidez é a formalização do fim do convênio entre o Governo do Estado, na época feito com o governador Lúcio Alcântara, para investimentos na parte de infra-estrutura, e a própria Infraero. O superintende explica que dificuldades até para renovar a pintura do Aeroporto se apresentam por conta desse convênio firmado que responsabiliza o Estado por obras no local.

Por conta dos constantes problemas relacionados aos entreves burocráticos, Edson Fernandes diz que Juazeiro poderá perder os R$ 10 milhões previstos na emenda orçamentária de parlamentares cearenses para investimento na pista, que atualmente tem restrições para vôos com aeronaves de grande porte. Ele afirma que os deputados José Guimarães e José Pimentel (ambos do PT), na época relator do orçamento, estão empenhados na continuidade da emenda, mas não é algo garantido. “O governo precisa rescindir o contrato para nos dar espaço de investir”, diz Edson Fernandes.

O Diário do Nordeste vem acompanhando a situação do Aeroporto, que este ano chegou a perder quatro dos seis vôos diários. Novamente, em setembro deste ano, passou a contar com quatro vôos diários, após o retorno das operações da Oceanair. Com isso, a região está com vôos diários para as principais praças do País, como Brasília, São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, além da Capital do Estado.

Após esse primeiro momento, várias reivindicações passaram a ser feitas por meio do Ministério Público, no sentido de providenciar mais vôos para atender ao crescimento da demanda de passageiros.

Várias audiências foram realizadas em Juazeiro do Norte e Fortaleza para adequar as condições do Aeroporto Orlando Bezerra às exigências burocráticas e técnicas e, com isso, conseguir que novos vôos passassem a operar no Cariri. Uma das preocupações até o momento para serem iniciadas melhorias no Aeroporto, tanto na pista quanto na ampliação do terminal de passageiros, é adequação em cartório do documento de doação pelo Estado da área territorial do Aeroporto à Infraero.

“Temos que regularizar para que a Infraero venha assumir definitivamente o Aeroporto”, diz o superintendente. O ajustamento legal se torna necessário, para que a Infraero possa começar os investimentos.

Os recursos para a construção do terminal do Aeroporto será pleiteado pela Infraero por meio do Plano de Aceleração do Desenvolvimento (PAC). De acordo com Edson Fernandes, o projeto básico para o terminal está praticamente pronto. Em janeiro, será dado um dimensionamento por meio do setor de Engenharia da Infraero, incluindo procedimentos como licenças ambientais entre outros. Já está tudo pronto para licitar o projeto básico. Na seqüência, será licitado o planejamento executivo.

O superintendente destaca urgência nas novas mudanças para o terminal, há alguns anos já propostas para serem feitas. O único aeroporto do Interior do Estado não tem sequer homologada a pista ampliada há cerca de quatro anos. Ele disse que a própria Infraero deverá ter uma maneira para resolver a antiga situação.

ELIZÂNGELA SANTOS
Repórter


FIQUE POR DENTRO

Oferta de vôos tem horários variados
Os vôos mantidos pelas empresas que operam no Aeroporto Orlando Bezerra de Menezes, em Juazeiro do Norte, são os seguintes: Gol – 01h40 (desembarque, vindo de Fortaleza) 4h35 (embarque - Fortaleza); 15H30 (desembarque de Brasília /Recife) – saindo às 16 horas (Juazeiro – Recife – Brasília). Pela OceAnair, São Paulo (Sai às 9h45), Brasília (Saída às 11h40), Juazeiro do Norte (13h55 chegada e saída às 14h25) e Fortaleza (chegada às 15h25); Fortaleza (Sai 14h55) – Juazeiro (Chegada às 16h05 e Saída às 16h35) – Brasília (Chegada às 18h35), com conexões por São Paulo – Rio de Janeiro e Belo Horizonte

Mais informações:
Aeroporto Orlando Bezerra de Menezes
Av. Virgílio Távora, 4000, Juazeiro do Norte (CE)
(88) 3572.0700 / 3572. 2118


Reportagem: Elizângela Santos
Fonte: Jornal Diário do Nordeste
.

Edições Anteriores:

Setembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30