xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 13/12/2008 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

13 dezembro 2008

CARREFOUR vem para Juazeiro. Aristides acha essa afirmação Bairrista ...



HIPOCRISIA, BAIRRISMO e CARREFOUR...

Olá, Amigos,

Foi postado há alguns dias aqui no Blog do Crato pelo Armando Rafael, que a mega empresa "Carrefour" vem para o Cariri se instalar em terras Juazeirenses, perto do novo Detran ( mais uma coisa que era no Crato e também foi parar em terras juazeirenses ). Quero dizer sem a menor hipocrisia e nem bairrismo ( pois trabalho em todas as cidades da região ), que enquanto as cidades forem distintas, Crato, Juazeiro e Barbalha, cada uma deve lutar com todas as forças para atrair empresas, indústrias, desenvolvimento. Como Cratenses que verdadeiramente AMAM esta terra, seríamos altamente hipócritas em FINGIR que inúmeras coisas que viriam ao Crato hoje se instalam em Juazeiro do Norte, negando a história recente, e seríamos totalmente FALSOS em afirmar também que essa debandada de empresas e serviços não trazem prejuízos ao Crato enquanto cidade independente. Essa é a minha sincera opinião, e creio que a de muitos Cratenses que se sentem desprestigiados não por "ver o vizinho crescer, mas por ver o vizinho crescer em cima de coisas que inicialmente havia sido cogitado o nome do Crato, e de coisas que já eram nossas e foram literalmente "TOMADAS". Empreendimentos, Universidades que já ERAM DAQUI, e que estão se mudando para outras cidades da região. Sou Cratense. Dá Licença, meu Senhor !!!

Já não é o pensamento de um comentarista chamado Aristides ( que devemos respeitar também a sua opinião ), mas devemos colocá-la em Ênfase e mostrar aos outros, para que vejam e leiam com seus próprios olhos a diversidade de pensamentos a respeito do assunto e tirem suas próprias conclusões:

Assim escreveu Aristides para nós do Crato, sobre a vinda do Carrefour para Juazeiro:

"E...por favor, parem de falar que o "Crato perdeu mais essa", em um tom como se necessariamente tudo que viesse a ser investido aqui obrigatoriamente devesse ser direcionado ao Crato. Notem a meneira de botequim provinciano, minhas mais sinceras desculpas, para reclamar da cidade, ein? Justo nas horas que o vizinho "vê a grama crescer"... Cuidado com a síndrome do umbigo magoado agudo. O Carrefuor é forte, sem dúvidas. Mas uma rede de varejo como a Americanas não amarela na frente do francês em terras estranhas."

Como as opiniões sobre o mesmo assunto são bastante constrastantes ( como diz um amigo meu "Maranguape é muito longe", eu apenas trago à baila a coisa toda para apreciação pública. Mostrei a minha opinião e a de muitos Cratenses que pensam como eu, e a de Aristides e outros. Também aproveito a oportunidade para perguntar ao Sr. Aristides, de onde ele é, afinal, se de Crato, de Juazeiro, ou de onde... pois o nome em si, "Aristides" existem muitos, e não se postam comentários no Blog do Crato sem sobrenome. Cada ser humano possui nome, sobrenome e endereço. Anonimato por aqui não é aceito. Anonimato tem cheiro de covardia, e cada um deve assumir publicamente a responsabilidade sobre aquilo que escreve. Assinem seus comentários !

"De inimigos do Crato, estamos fartos ! Precisamos de gente que verdadeiramente AMA esta terra e trabalha por ela !"

Atenciosamente,

Dihelson Mendonça
.

Carta à Filha de “Moreirinha”



Fortaleza, 12 de dezembro de 2008

Embora nunca tenha me interessado muito por este negócio de navegar na Internet, acho que estou entrando nas estatísticas dos que estão se viciando nisso; e a “culpa é do Blog do Crato! Explico: é que, em primeiro lugar, o blog é do Crato e não de qualquer outro lugar onde moramos ou trabalhamos. O blog fala de nossa terra, da terra em que nasci e da qual não deixo um dia sequer de pensar. Em segundo lugar, por que, cada vez mais, os blogueiros têm rememorado a história da nossa cidade e, quanto mais o tempo passa, mais nostálgicos ficamos e mais importância damos ao que vivemos, na terra em que nascemos.

Há alguns dias atrás, fiquei maravilhado com a descrição feita por uma das colaboradoras do blog de duas das ruas do Crato da minha infância e adolescência. O artigo “Infância na Pedra Lavrada”, de Socorro Moreira me deixou emocionado e feliz por ter nascido e vivido naquele lugar e naquela época. Mas quem era Socorro Moreira, que tão bem descrevia o período de sua infância e que coincidia com minha adolescência? Pelo sobrenome tinha uma desconfiança e somente uma pessoa podia ajudar-me. Telefonei para minha irmã Zenira Cardoso e lhe fiz a seguinte pergunta: irmã me diga, a Socorro Moreira, que escreve no Blog do Crato é filha de “Moreirinha”? Diante da confirmação vieram-me à memória alguns fatos do passado que um cratense, como eu, que moro distante de minha terra querida e inesquecível, tenho, cada vez mais, lembrado.

Veio-me à mente a figura insubstituível daquele que, carinhosamente era chamado, por todos de Moreirinha, tanto quanto da sua esposa dona Valdenora. Na Rua da Pedra Lavrada (a Pedro II de hoje) e Rua das Laranjeiras( José Carvalho), tão bem descritas e rememoradas pela blogueira Socorro, o seu pai foi uma figura muito querida e, no meu caso particular, marcante em minha adolescência.

Eu, garoto brincalhão, filho do padeiro Antônio Cirilo, na salutar falta dos videogames de hoje, tinha como uma das principais diversões jogar pião e carrapeta com amigos da mesma idade, como Zé Muniz, Sanderson, Airton e Geraldo pirão e tantos outros. É aí que entrava a figura amável e perfeccionista de Moreirinha. Demonstrando o perfil característico que, depois, veio a se manifestar em sua famosa e concorrida oficina mecânica, Moreirinha fazia piões e carrapetas que davam gosto de usar! Ao seu cuidado em manufaturar brinquedos para aquele bando de moleques, com perfeição, associava-se a calma, o espírito leve e, sobretudo, o desprendimento com que tratava a todos de forma paternal e carinhosa. Lembro-me, muito bem, de mais de uma vez receber o desejado brinquedo, lhe perguntar quanto custava e ouvir a firme e risonha resposta, que ficou marcada em minha memória, passados mais de cinqüenta anos: “filho de Antônio Cirilo, aqui, não paga nada!”.

Não querendo ser pessimista e esperando estar enganado, posso afirmar que há muito tempo não encontro seres humanos tão especiais como Moreirinha.

Abraço a todos,

Zilberto Cardoso de Oliveira
.

Agora, digam quem é quem, pelo amor de Deus!

Pois é...
Só falar o nome não dá, porque quem não conhece bem as pessoas HOJE, não conseguirá identificar ainda mais naquela época. Por isso tomei a iniciativa de numerar cada uma.
Quem é o nobre cavalheiro que se habilita a dizer quem é quem ??



Editado:

Com o auxílio de Socorro Moreira e João Marni consegui publicar essa "planilha":

Foto nr. 2
1. Jeania Libório
2.Claude
3. -
4.Edna Braga
5.Magali
6.-
7.
8.Dadá Braga
9.Fátima Figueiredo


Preencham as lacunas , please !

Foto nr. 1

1. "Nezinha" , irmã dos professores William , Juracy e Jurandy Batista ,minha colega de classe , casou-se ainda menina. Seus filhos agora são amigos dos meus meninos.
2. Márcia
Filha de Seu Geraldo e Dona Elsa Barreto ...
Fomos colegas anos a fio
Voz suave , pés de bailarina ...
Sobrinha de Tia Lourdinha , Tia Pia , Tia Cira ...
Agora mora em Salvador ,
mas no S.José se criou.
3.Francíria Alencar
A mais velha das irmãs
filha de Chico Alencar e Dona Mária ´...
Lá todo mundo tinha nome começado por "F" .
Francisco César Alencar, Filomena , Fabiano , Flávio Henrique , ...Uma fila sem tamanho !
4. Ione Esmeraldo
Filha de Cármem e Dr.Fábio Esmeraldo.
Era bamba em Português, e como diz o ditado , sempre será Magestade !
5.Socorro Matos
Ainda mora em frente ao Parque ?
6.Branco , na memória.
7.Ismênia Maia
Filha de Seu Ramiro Maia.
De todas nós a mais culta !
8. branco , na memória
9.Rosineide esmeraldo r4amos.
Filha de Marialice Esmeraldo e Jairo Ramos .
Voz privilegiadíssima !
10. Tarcísizinho
Filho de Traciso Tavares. Morava na Miguel Lima Verde. Formou-se em Medicina ,desapareceu do Crato , desconheço o paradeiro.
11.Magali de Figueiredo
Filha de Dr, Aníbal e de Dona Marineida .... Hoje é mulher do Carlos , um dos famosos blogueiros .
12.Edna Brito.
Dizem que mora na Bahia ...
13.Nisete - filha de Seu Pedro praeira.
14.Socorro Moreira - filha de Moreirinha.
15.Divani Cabral - música !
16.Walda farias - Filha de Seu Modesto e Dona Adalgisa
17. branco , na memória.
18.Joaquim Pinheiro.
Meu colega de muitos anos. Amigo querido , hoje em dia.
19.Gracinha Aragão - Filha de Tia Ivone e e do Tio Joãozinho
Prima , amiga e colega por toda avida !
20.Stela Siebra.
Poeta desde menina. Tinha um brilho especial... Mora agora em Olinda.
21.Vera Batista
A menina do parque. Filha de Joaquim Paletó e Erice Lima ( minha prima , quase tia).
Irmã de Geraldo Urano - poeta muito querido !
22.Regina Vilar
Filha de Dona Lourdes e Seu João Vilar.
Não esqueço a Regina , quando escuto Al Di La
23. Hugo Linard
Grande músico! Marido de Filomena filha de Chico Alencar.

Abraços,

Dihelson Mendonça
.

GÊNESIS


"Os compromissos de final de ano se avolumam. Por isso fiquei uns dias sem visitar os blogs da região. Tendo uma oportunidade encontrei uma postagem do Carlos Eduardo Esmeraldo a respeito dos seus mestres. A postagem já estaria muito embaixo no tempo e provavelmente meu comentário se perderia. Além do mais o professor José do Vale Arraes Feitosa além de ter sido meu mestre, foi de todos. Falar dele como filho seria disputar com seus alunos o privilégio que é só deles. Por isso para que todos percebam o quanto me orgulho do velho mestre resolvi postar este texto que foi publicado em livro organizado pela Maria do Carmo Arraes Feitosa, a nossa segunda mãe e primeirona de meus dois pequenos irmãos que tão crescidos estão e ainda os sinto pequenos: Fernando Eduardo e Diana."



*PATER. Paterno, paternal: pai, avô, antepassados, família, tribo. Pátria, Patriota ; linhagem, descendência, raça. Patriarca, compatriota, patrimônio. Padrasto, compadre, patrício. Patrono, patrão, padroeiro, patronato, patrocínio, patrocinado. Padrinho, apadrinhar. impetrar, perpetrar. Padre, padraria, padreco. Patrônimo.



A terra se abre. Um pequeno talho acontecido ao impacto da enxada. Este, originado pelo braço dele. No interior da cova as mudas de acerola são depositadas e em seguida aterradas juntamente com material fertilizador. Outro ponto do terreno é novamente aberto. E mais outros ao longo de um dia com intervalo para almoço e breve cochilo na sexta hora do dia(sesta). Cada muda é de sua autoria, pois efetivamente é a causa dela existir no mundo frutificado. Autor, causador, causa de naquele território as acerolas, assim como as bananas, virem a termo. Cada fundamento que sua vontade organiza é o início de um longo patrimônio de vida. Aquela muda beneficiada pela sua vontade, ato contínuo de regá-las, protegê-las com se fora a primeira pessoa de santíssimo destino.

Bem ali, um pouco atrás, ele passou por Xisto. Á sua frente cuidou de Carlile, arrancou uma erva incômoda que disputava o território com Tonton. Bananeiras, azaroleiras, trilhas, cercas, o mato insistente em sua voz de vento soprado, as lagartixas que correm e param, milhões de formigas, centopéias com seus pés sobre trilhas minúsculas. Como estivesse sobre um estrado em frente da sala de aula, um longo diálogo de origem, de motivos para que a marcha dos passos mundanos aconteça.

Professor. Fundador, pacificador, instituidor, iniciador, criador. Fez-se de si uma porta para a juventude. Na verdade, como naquele sítio Currais, plantou, adubou, regou e os frutos medraram para o largo do continente pátrio. Ao passo das responsabilidades de educador, trouxe consigo o humanismo da escola católica, as línguas históricas, os mitos fundadores do povo. Muito sabia da ascendência das fratrias cearenses. Como poucos, não expressou por escrito, o quanto tinha da formação do território brasileiro como espaço e história. Foi um destino de progenitor em máxima expressão. Como a maravilha do comportamento humano, quem tão cedo perdeu o pai, transformou-se no morubixaba de muitas tribos. E como poucos, teve tão presente o sinal de Deus, a primeira pessoa da santíssima trindade: Pater Nostrum.

Uma grande perda, não chore. Seja forte, pois o mundo tem sua própria vontade, Deus determina, teu papel é marchar. Seja homem! Lembrava-se do momento exato das palavras dos mais velhos. Examinando o plantio de sabiás, a inteireza das cercas, tudo vinha à mente. Ciço virá pegar mais um cesto de acerolas. Nunca teve as mãos do pai a carregá-lo pelos campos ressequidos da Aiuaba. O talento, a inteligência é o móvel que o levará para longe daquela mãe. Ela a balançar o pedal da máquina de costura. Sem pai, atento à caminhada sobre o lombo dos animais, em terras distantes, para dali se formar padre. Do latim pater: evoluído como latim vulgar patre – padre, reduzindo a *pade e finalmente retornando ao pai que não teve.

Um exílio voluntário no silêncio dos campos. Como um rito cujo átrio é o contínuo de plantas cuidadas, a vela é a água que se distribui sobre as raízes e a oração, o diálogo com a simplicidade camponesa, rindo-se da erudição depositada entre eles. De repente seus alunos, passaram para o diálogo interior, seus ouvintes mal sabiam escrever o próprio nome, mas tinham a grandeza da tradição oral tão própria daquela cultura. Poderia, com muita certeza, prosear junto aos aposentados e homens públicos na praça do Crato, mas o sítio era o seu grande discurso. Abandonou o paletó, as camisas foram se tornando simples, o couro do cinturão foi rachando, alpercatas, chapéu, a pele tostada de tanto sol. Não mais era um emprego. Uma carga horária, um conflito de interesses, como um camponês, continuava seu papel de genitor.

Tanto lutou pelo líquido precioso que irrigaria seu plantio. No pico do confisco de Collor de Mello, comprou com sacrifício malabarístico, mais algumas telhas d´água. Tinha por ventura o verde comovente da sua criação. O relevo que promete aventuras e ângulos de real beleza. Tinha o alto de onde se deslumbrava com o vale do Cariri, com o Juazeiro do Norte no horizonte. Nada se igualava ao colosso da chapada do Araripe, ocupando toda a sua visão a poente. E que luzes de intensa variegação? Sejam pontualmente filtradas através das brechas das nuvens ou em rito diurno, oblíquas, ora levantando-se em oriente, ora pendendo-se a ocidente. Ao zênite das doze horas, luz plena, sombras sobre os olhos. O cenário em que certamente o mito da origem se fez permanente entre os homens. O mito do paraíso na terra.

Sŏlitas. Solus. Saudade. Na imersão completa do trabalho. A jornada já no arremesso para completar-se. Quando a tarde já perdeu o sol por trás da chapada do Araripe, um jato impulsiona sua voz nos céus. Inicialmente um canto oculto, por isso mesmo mais misterioso, pois parece vindo diretamente do céu. Um pouco mais, se faz um quanto forte, revelando aos ouvidos as enormes distâncias em que se encontra. Vem do sul em destino ao norte. Os raios fugidios da tarde solene, o anfiteatro formado pela chapada do Araripe e seus olhos buscam a nave tracejando no céu o aerosol que deixa por rastro. Fatalmente, vem-lhe à mente as suas crias soltas em terras distantes. Saudade. Muito sentirá a falta deles. Tão frágeis, sementes saindo do útero de suas mulheres. Logo se projetando com curiosidade de tudo se revelando, pedindo explicações a papai.

E como nunca compreendeu o mito do primeiro patriarca bíblico. Abraão. O sacrifício de Isaac, o filho amado. “ E depois destes acontecimentos, sucedeu que Deus pôs Abraão à prova....” Ou cumpre a ordem Dele e é um pai renegado ou salva seu filho e é um apóstata da sua fé. Mas Abraão é obediente, confronta-se com a prova e decide-se pela ordem de Deus. Faz seu itinerário circular entre Bersabéia e a própria Bersabéia e sobe o monte santo, o monte da visão, o lugar da teofania(manifestação de Deus). Ao final a divindade sabe que ele teme a Deus.

Mais uma vez o móvel lá fora, interpõe a sua vontade ao que achava ser a realização de sua natureza. Uma grande família, como um clã, toda a sucessão contemporânea em presença um dos outros. Dos avós aos netos e bisnetos. Dos pais aos filhos. Dos tios aos primos. A saudade era o sintoma da ausência, esta era uma vontade divina. Suplantava suas forças, seus desejos, seus projetos. Olhando o avião na sua marcha indiferente ao que se passava ao rés do chão, o professor, simbolicamente, oferecia em holocausto do entardecer, os filhos e alunos que dera ao mundo.

E mais uma vez, no seu tom de voz otimista, voltava ao diálogo com os outros. Ao diálogo que era afinal o renascimento do pai que perdera quando criança. Ao se fazer pai, mestre, ao compreender Abraão, José do Vale Arraes Feitosa pregava o culto fundador.

MATEMATICANDO.COM Dr VALDETÁRIO.


O Vendedor de Mangas.

Rublogueto é aquele rapaz que vendia pizzas, viciou-se no Blog do Crato, perdeu o emprego, endividou-se e tentou arrumar a vida com a “mágica” dos R$ 10,00 que apareciam após alguns balacubacos com o dinheiro dos amigos. Pois bem, ele continua amarradão no nosso blog, só que agora ele é um vendedor de frutas; mas continua se metendo em enroscadas . Na semana passada aconteceu um caso muito interessante com o nosso internauta-vendedor. Ele recebeu de Zé do Brejo 30 mangas que seriam vendidas três por um real, portanto, deveria vender as mangas do Zé do Brejo por R$ 10,00. No mesmo dia recebeu de Pedro Sabido trinta mangas com as mesmas características das do Zé, só que deveriam ser vendidas duas por um real, assim, o Pedro receberia R$ 15,00 por suas frutas. O Rublogueto teria então que apurar R$ 25,00 com a venda das sessenta mangas. Ao chegar à feira ele desconfiou que se começasse vendendo as mangas mais baratas teria dificuldades para vender as outras trinta por um preço maior; mas se começasse vendendo as mangas mais caras corria o risco de não vendê-las todas e assim não teria nem como oferecer as mangas do Zé. Ficou matutando até que teve uma brilhante idéia: “se de um balaio eu posso vender 3 mangas por um real e do outro eu posso vender duas por um real, eu vou juntar todas as mangas e vendê-las cinco mangas por dois reais”. E assim procedeu. Só que quando o Rublogueto, após vender todas as mangas, ao contar o apurado percebeu que faltava um real, pois se vendeu 60 mangas, sendo cinco por dois reais, só deu pra apurar R$ 24,00. Mas, inicialmente, deveria receber R$ 25,00. Como pode isso ter acontecido? Será que desta vez a Matemática errou mesmo?! Façam sua apostas. Um grande abraço a todos. Valdetário.

Obrigado, José Milton Arraes !!

Gente,

Gostaria de mandar um grande abraço para um grande amigo José Milton Arraes, que hoje mora em Fortaleza, e que há poucos minutos deixou uma maravilhosa mensagem aqui na secretária eletrônica do Blog do Crato, cumprimentando pelo trabalho realizado. Na manutenção, nos textos, na poesia, e até se perguntando como eu arrumava tempo para manter o blog, a Rádio Chapada do Araripe, Fotos, etc...

Grande José Milton, você não imagina como é acordar e ouvir um reconhecimento pelo que se faz, principalmente no tocante ao tempo, que realmente eu estava dizendo outro dia à minha namorada, que nunca um ano como 2008, em que eu mal tivesse tido tempo de dormir. Eu hoje em dia vivo numa eterna vigília, dormindo e acordando bruscamente, na iminência de liberar comentários das pessoas, postar coisas que me enviam, não esquecer de nada, ilustrar os artigos, fazer correções, verificar a Rádio toda hora, gravar programas, gravar vinhetas, sair para fazer fotos, procurar reportagens, e quando ter tempo, escrever alguma coisa, e sobretudo, não deixar minha música de lado, pois tenho que praticar meu piano. mas Deus é muito bom para comigo e tem me dado forças para continuar esse trabalho no Blog do Crato. Mas a coisa cresceu tanto e precisa crescer mais, que em breve precisaremos de funcionários para manter tudo isso. Estou ficando estressado demais. Há 2 anos o Blog do Crato está no ar, sendo vigiado dia e noite. Mesmo com a maior boa vontade, é impossível a um ser hmano manter tudo sozinho e funcionando sem erros para sempre.

Agradeço bastante o seu reconhecimento e elogio.
há momentos em que deles nos valemos para continuarmos firmes!

Um grande abraço,
Apareça por aqui,

Dihelson Mendonça

RUI BARBOSA - A FACE OCULTA (VI)

“A concessão do poder de emissão a alguns bancos – ainda no final do Império – conferiu a seus proprietários, além de riqueza, enorme poder político. Mostrava claramente como Rui Barbosa tornou-se crítico exacerbado da política monetária anterior e, depois que assumiu o Ministério, desmontou a anterior e montou uma nova, BENEFICIANDO GRUPOS ALIADOS E SE ASSOCIANDO A ELES”.
Vide livro "Os Cabeças de Planilha", de Luis Nassif
(amanhã temos mais)

Relíquias de Santa Margarida Maria Alacoque já estão em Fortaleza


Santa Margarida
Relíquias de santa são reverenciadas
Em peregrinação pelo Ceará desde o dia 1º deste mês, a urna vem sendo reverenciada em diversas paróquias em Fortaleza e no interior do Estado, dentro do projeto Consagra Brasil.

Em meio a orações e demonstrações de fé, as relíquias de Santa Margarida Maria Alacoque foram recebidas ontem à tarde na capela do Carmelo Santa Terezinha, no bairro do Castelão. Na chegada, a urna foi conduzida ao altar, e logo teve início uma adoração, contando com a participação de moradores das proximidades, freiras carmelitas e visitantes do Carmelo. O espaço ficou aberto à visitação pública até o início da noite. No local, o relicário permanece até a manhã de hoje, quando será celebrada missa às 6h30min. Já por volta das 8 horas, será levado para a igreja Senhor do Bonfim, no Monte Castelo.

Em peregrinação pelo Ceará desde o dia 1º deste mês, a urna vem sendo reverenciada em diversas paróquias em Fortaleza e no interior do Estado, dentro do projeto Consagra Brasil. A iniciativa é da TV Século 21, com sede em Campinas, São Paulo, que tem como responsável o padre Eduardo Dougharty. As visitas do relicário aos estados nordestinos começaram em julho. O Ceará é o sétimo estado a recebê-las. Para a madre superiora do Carmelo, irmã Maria Bernadete, receber as relíquias de Santa Margarida Alacoque tornou o dia especial para todas as religiosas do local.

Ela afirmou se tratar de um presente carinhoso de Deus, “que a trouxe no dia 12 de dezembro, dia consagrado à Nossa Senhora de Guadalupe”, santa que é mãe das Américas. Conhecida como apóstola do Sagrado Coração de Jesus, foi a Santa Margarida Maria Alacoque que Deus revelou suas 12 promessas. Para Ailton Vasconcelos, estudante de Teologia que fez a abertura da adoração, a urna contendo as relíquias é “um tesouro que Deus coloca em nosso meio para mostrar o seu amor por todos”. De acordo com ele, é meta do projeto Consagra Brasil levar o relicário a todos os estados e ao maior número possível de famílias. “Santa Margarida nos mostra que o caminho é Cristo”, disse ele.
(FONTE: "O Povo", edição de 13-12-2008)

EM CRATO RELÍQUIAS CHEGARÃO DIA 26
A diocese de Crato recepcionará, no próximo dia 26 de dezembro, as relíquias de Santa Margarida Maria Alacoque, ora percorrendo as dioceses brasileiras em peregrinação. Essas relíquias – um ossário que contém vários fragmentos de ossos e uma parte do tecido cerebral, que se conserva incorrupto, por mais de 300 anos – serão recepcionadas inicialmente na Catedral de Nossa Senhora da Penha.
A peregrinação que vem percorrendo diversos países partiu da França, onde Jesus apareceu à Santa, no século XVII. Conforme Dom Fernando Panico, bispo de Crato, “O objetivo da peregrinação das relíquias da santa é despertar no povo essa devoção e preparar o Brasil para ser consagrado ao Coração de Jesus”. No Cariri, segundo Dom Fernando, essa devoção já está bem arraigada e faz parte da cultura católica nos 32 municípios que formam a diocese de Crato, todos possuidores da associação de fiéis do Apostolado da Oração.
Para o Cura da Sé Catedral, Padre Edmilson Neves, “As peregrinações contribuem para fazer conhecer a mensagem do Coração de Jesus no mundo, que é uma mensagem de paz, amor e reconciliação, além de reavivar a fé dos cristãos no profundo Amor do Divino Coração pela humanidade”.

Quem foi a Santa
Santa Margaria Maria Alacoque era francesa, nasceu em 1647 e acreditava que sua missão era dar impulso à devoção ao Sagrado Coração. Ela morreu no dia 17 de outubro de 1690, aos 43 anos de idade. Foi beatificada no dia 18 de setembro de 1864 e canonizada no dia 13 de maio de 1920.

Festa de aniversário para o Rei do Baião

Clique para Ampliar

Capa do Disco do Rei do Baião, Luiz Gonzaga, que fez história na música regional (Foto: HONÓRIO BARBOSA (REPPRODUÇÃO))

O Dia Nacional do Forró é também data municipal em Cedro, pelo aniversário de Luiz Gonzaga, o Rei do Baião

Cedro. Hoje, esta cidade, localizada na região Centro-Sul, distante 420km de Fortaleza, vai homenagear o cantor e compositor Luiz Gonzaga. A programação do V Viva Gonzagão inclui cavalgada de vaqueiros, celebração de missa, apresentação de sanfoneiros e forró na Praça da Matriz. O evento assinala os 96 anos de nascimento do inesquecível “Rei do Baião”.

A programação tem por base uma lei municipal que instituiu o dia 13 de dezembro como o Dia Municipal do Forró — a data também é comemorada nacionalmente. As festividades são uma iniciativa da Câmara Municipal e da Prefeitura, por meio da Secretaria de Educação e Cultura, sob a coordenação de Francisco Luiz Lira de Souza, mais conhecido por Luiz do Padre. “O nosso objetivo é manter viva a tradição do ritmo forró pé de serra e as músicas do Gonzagão que inspiraram outros artistas”, frisou.

As homenagens a Luiz Gonzaga começam a partir das 16 horas com a Cavalgada de Vaqueiros pelas principais ruas da cidade. Em seguida, às 17 horas, será celebrada missa em Ação de Graças, na Igreja Matriz, pelo padre Anastácio Ferreira, em homenagem póstuma a Luiz Gonzaga, aos vaqueiros e também ao músico Azulão, falecido recentemente na cidade de Iguatu.

A partir das 19 horas está previsto o início do Forró do Gonzagão, na Praça da Matriz, com a presença do sanfoneiro Marcos Medeiros e dos grupos musicais, “Forrozão pra lá de bom” e “Zabumbando”, além da participação especial de Lula Aboiador.

Os organizadores do evento estimam um público de mais de dois mil moradores e pessoas de outras cidades, admiradoras da obra musical de Gonzagão. “Vamos lotar a praça num clima de muita festa e animação para homenagear Luiz Gonzaga”, disse Luiz do Padre. Instituída em 2005, a festa vem crescendo a cada ano e já virou tradição na região.

O projeto de lei que estabelece 13 de dezembro como o Dia Municipal do Forró foi idealizado pelo vereador Gildásio Oliveira Pinheiro. “A minha idéia foi oficializar a data para que fosse incluída no calendário oficial do município e, a cada ano, ser realizado um evento em homenagem a Luiz Gonzaga”, explicou. “Gonzagão representa a cultura musical nordestina”, considera.

Os pais de Luiz Gonzaga, Januário e Santana, batizaram o filho, com o nome de Luiz, em homenagem à Santa Luzia, celebrada hoje, e colocaram o sobrenome de Nascimento, por ser o mês de dezembro, quando os cristãos celebram o nascimento do Menino Jesus.

O farmacêutico e bioquímico, Joan Marques, é um pesquisador da obra e da vida de Luiz Gonzaga. Em casa, num baú, guarda um acervo dos antigos discos de vinil. São 40, todos autografados por Gonzagão. Faltam apenas dois para ter a coletânea completa. Reúne também CDs, com composições regravadas, fotos, recortes de jornais e de revistas com reportagens sobre o artista, meia dúzia de livros, além de fitas com entrevistas feitas na cidade de Exu, em Pernambuco, e em Cedro, quando da visita do “Rei do Baião”.

Indagado sobre o que representa a obra musical de Luiz Gonzaga, Joan Marques foi taxativo: “Ele expressou com altivez e dignidade o sofrimento e a alegria do povo nordestino. Decantou os animais, as aves, as árvores, falou do amor, da alegria e do jeito de ser de nossa gente, da nossa cultura”. Para Marques, o povo nordestino deve “como gratidão, sempre lembrar da obra imortal do Rei Luiz Gonzaga”.

O radialista José Maria, da cidade de Lavras da Mangabeira, onde apresenta o programa “Canto Jovem de Luiz Gonzaga”, na Rádio Vale do Salgado, vai participar da programação. Ele disse que as composições de Gonzagão feitas em parceria com outros poetas não morrem porque são autênticas.

HONÓRIO BARBOSA
Repórter


MEMÓRIA

96 anos de idade completaria o cantor e compositor Luiz Gonzaga hoje se ainda estivesse vivo. Porém sua música permanece ativa na memória da cultura regional, com destaque para o baião

Mais informações:
Rádio Montevideo
(88) 3564.1075

Fonte: Jornal Diário do Nordeste
.

Um encontro com Magali e Carlos Eduardo

Ontem foi minha vez de ir ao encontro de Magali e Carlos Eduardo - em Fortaleza. Descobri que eles moram a dois quarteirões do meu apartamento, há algum tempo, mas não sabíamos dessa coincidência, ou seja, éramos quase vizinhos e não imaginávamos. Nas proximidades mora também Gisélia, irmã de José do Vale.

Como já foi citado aqui, a acolhida deles é maravilhosa. A simplicidade e alegria do casal deixa, quem os visita, à vontade e em paz com a vida. Havia duas comemorações ao mesmo tempo: bodas e aniversário de Magali. Não fui informada desse "pequeno" detalhe e quem acabou ganhando o melhor presente fui eu: o retorno à convivência com Magali, amiga primeira em meu calendário de vida.

Foram também ao almoço, os manos (de Magali): Zé Ricardo e Luiz Alberto... E haja conversa! Para mim foi um momento inesquecível !

Como era de se esperar, dos alfarrábios de Magali, subtraí duas fotos... Mais um baú revirado! Ofereço-lhes para sua apreciação:


Nesta foto aparece Socorro Moreira, Magali e outros personagens de Crato.
Quem se habilita a encontrar?
**
Esta foto aconteceu no espaço externo da Rádio Educadora, no casamento de Salete Líborio.
Onde está Claude e Magali? Quem são as demais jovens?

**
Por Claude Bloc

FALANDO DE MPB estréia hoje, sábado, 17:00 na Rádio Chapada do Araripe.

.[ Acima: Zé Nilton - foto: Arquivo Pachelly Jamacaru ]

Olá, Amigos,

Hoje, sábado dia 13 de dezembro, temos o prazer de anunciar o novo programa musical da Rádio Chapada do Araripe: FALANDO DE MPB, com Zé Nilton Figueredo. Este programa, que é sucesso de audiência aqui no Cariri, já é produzido pela Rádio Araripe do Crato há muitos anos. Hoje, com a abrangência e as facilidades da internet, esperamos levar o programa FALANDO DE MPB para o mundo inteiro.

Falando de MPB é um programa muito bem produzido, onde em cada um, é abordado um grande compositor da Música Popular Brasileira, contendo biografias, curiosidades, entrevistas, e claro, muita música. Um excelente trabalho de pesquisa do Prof. Zé Nilton, que merece ser ouvido e reouvido. Pensando nisso, é que a Rádio Chapada do Araripe transmitirá de hoje em diante, sempre aos Sábados às 17:00 e com reprise nas quartas-feiras no mesmo horário: 17:00. Ouça, comente, participe!

FALANDO DE MPB - Com Zé Nilton.
Rádio Chapada do Araripe - A Rádio do Cariri.
Ouça através dos Blogs do Cariri, ou pela página oficial:

www.chapadadoararipe.com

.

Edições Anteriores:

Abril ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30