xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 06/12/2008 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

06 dezembro 2008

JUDICIÁRIO AGREDIDO


Senhores,

Depois do Nassif, agora é o "cobra-criada" Dalmo Dallari que expressa sua opinião sobre o comportamento desrespeitoso e imperial do senhor Gilmar Mendes.
Vale a pena conferir (artigo de hoje).

José Nilton Mariano Saraiva

JUDICIÁRIO AGREDIDO

Dalmo Dallari (professor e jurista)

No desempenho regular de sua competência, apreciando denúncia apresentada pelo Ministério Público e tomando por base elementos probatórios legalmente obtidos e juntados aos autos do processo e, além disso, explicitando minuciosamente os fundamentos jurídicos de sua decisão, o juiz Fausto de Sanctis, da 6ª Vara Federal Criminal de São Paulo, proferiu sentença condenando o réu Daniel Dantas. E pelo noticiário da imprensa não se tem dúvida de que foi assegurada ao acusado a plenitude do direito de defesa. Esse é um fato normal na vida jurídica de um estado democrático de direito e o juiz, que procedeu com absoluta regularidade, deve merecer o máximo respeito. Numa visão mais ampla, a consideração respeitosa da decisão do magistrado faz parte do respeito devido ao Poder Judiciário, que é essencial para a preservação da normalidade democrática. Eventuais manifestações de discordância devem ser toleradas e respeitadas, desde que externadas em linguagem serena e com argumentos pertinentes e lógicos, pois isso também faz parte da ordem democrática.
Um fato inesperado e que deve merecer repúdio veemente é a agressão, já externada, ao referido juiz prolator da decisão, com a ameaça de puni-lo pelo exercício absolutamente regular de sua competência constitucional. Essa violência contra o juiz configura também agressão ao Poder Judiciário, por intolerância incontida, deixando evidente que qualquer juiz ou tribunal que decidir contra as convicções ou a vontade do agressor ficará sujeito a investidas semelhantes. O mais chocante nessa reação agressiva é o fato de que a crítica destemperada e a ameaça partiram, por incrível que pareça, do presidente do Supremo Tribunal Federal, que deveria dar o exemplo do respeito ao Judiciário no seu todo e a cada magistrado em particular, pois a atitude contrária contribuirá para que aqueles que não têm simpatia pelo Judiciário ou não compreendem o seu papel concluam que o sistema judiciário é uma baderna e que o respeito aos juízes e tribunais é uma tolice, uma vez que os próprios membros do sistema agridem-se mutuamente quando sua vontade ou seus interesses não são respeitados.
O caso presente só agrava o julgamento negativo que muitos têm feito do ministro Gilmar Mendes, tanto no tocante à grande flexibilidade de sua ética, quanto relativamente ao seu equilíbrio emocional e à sua falta de autenticidade como jurista. De fato, ele agora já enviou representação ao procurador geral da República para que promova a punição do magistrado, alegando que se sentiu pessoalmente atingido por um trecho da fundamentação da decisão que, na realidade, não faz qualquer referência, direta ou indireta, a ele, mas apenas menciona comunicações de um defensor de Daniel Dantas com um servidor do setor de segurança do Supremo Tribunal Federal. Nesse quadro, é difícil saber qual o verdadeiro motivo da reação indignada do ministro Gilmar Mendes, mas, obviamente, muitas hipóteses estão sendo formuladas e, pelo exagero da reação, a conclusão inevitável é que existe alguma razão que não está nos autos.

Sábado, 06 de Dezembro de 2008 - 02:00

José Nilton Mariano Saraiva
.

Fidelidade



.:.
Merecemos esquecer o calor da vida e seus encantos,
simplesmente por causa do desencontro casual?
Ser de alguém e a este alguém pertencer, sim,
invalida todas as outras buscas, tornando-se um mal?
Não há nenhuma culpa nem culpados... há o real;
há o valor da vida que se nos mostra sempre ativa.

Se os dissabores e os reveses nos consagraram amigos,
mesmo que através de uma casual situação,
esses mesmos reveses nos podem revelar, sem castigos,
os prazeres de uma nova e intensa sedução.

Que as investidas não sejam tidas como agressões;
que as possíveis tentativas apenas sejam ouvidas...
Falando sim ou falando não, escute-me, isso basta!
Afinal, meu desejo é verdadeiro e a retórica é vasta.

Não tenha medo de ser taxativa e talvez fria...
Você pode me xingar ou, quem sabe, fazer ameaças!
Nada me impedirá de tentar, deixando às traças,
O imenso desejo de tocar, sem pressa, sua pele macia.

Se o trair for algo íntimo, não revelado e introspectivo;
sem nenhum toque, sem nenhuma ação de desejar,
já estamos pecando no inigualável ato de verbalizar.
Repense valores e prossiga ou tente, isso não é instintivo.
E se o fosse, que maldade haveria no ato em si?
O amor não é a dimensão de um doar-se?
Estamos distantes... Ah, se você estivesse aqui!
Não seríamos errantes – estaríamos em Marte!

Fortaleza-CE, 9 de maio de 2007.
21h10

Na foto, Rayanne Vasconcelos Kerenski, irmã da minha amiga Dayanne Vasconcelos Kerenski.

Repercussões sobre as "coincidências"


Economia
Quando o ouro
negro reluz menos
Com a queda do preço do petról eo e
a crisefinanceira, a Petrobras, como
suas similares do mundo, enfrenta novos desafios
__________________
Ronaldo França e Ronaldo Soares
FOGO CRUZADO
Gabrielli (à direita.) e Jereissati trocaram farpas sobre empréstimo
O barril de petróleo cotado abaixo dos 50 dólares no momento em que o mundo passa por uma recessão é, para a indústria petrolífera, como a combinação dos fenômenos climáticos que causam as grandes tempestades. Pode não ser um desastre, mas é melhor se proteger. A receita das empresas cai no momento em que fica mais escasso o crédito internacional para financiar novos projetos. A queda no ritmo da economia mundial faz, a médio prazo, com que o mundo passe a consumir menos petróleo. Enfim, são obstáculos colocados pela crise em um terreno que há bem pouco tempo parecia uma pista de decolagem rumo a um futuro glorioso. A Petrobras, maior empresa brasileira e 25ª no mundo, está no meio dessa tormenta. O valor de suas ações caiu mais de 40% desde o início de outubro até a semana passada. O preço do petróleo despencou 37%, na média mensal. E o dólar saltou de 1,70 real para 2,50 reais, o que é uma fonte de incertezas para uma empresa brasileira. Com todo mundo em pânico, chamou atenção o empréstimo de 2 bilhões de reais tomado às pressas à Caixa Econômica Federal. É normal que uma empresa como a Petrobras se financie com bancos brasileiros ou estrangeiros. Mas, ao explicar a operação, a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, presidente do conselho de administração da companhia, referiu-se a "problemas de liquidez", o que aguçou os sentidos dos analistas do mercado financeiro.
O que houve, segundo o presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, foi uma coincidência da subida repentina do dólar no momento em que a empresa teve de pagar 11 bilhões de reais em impostos como royalties e participações especiais (o valor que se paga pelo excedente de produção de um campo petrolífero). E tudo isso quando o mercado financeiro mundial está em retração. Os analistas não acreditam que uma companhia como a Petrobras, cuja avaliação pelas empresas de risco é até melhor do que a do Brasil, tenha problemas para se financiar, mesmo com o mundo passando por um enorme problema de crédito. Daí o ruído causado pela declaração da ministra e a incerteza a respeito do impacto que a crise terá sobre a empresa. O petróleo na casa dos 45 dólares está abaixo do que se considera o limite para que a operação do pré-sal seja viável, o que não quer dizer que os testes serão paralisados. "Não temos dúvida de que a exploração ali é sustentável até 40 dólares. O que não sabemos é quanto ao valor para a produção. Essa é a dúvida", afirma Gabrielli. Ou seja, com o barril a esse preço, podem-se mapear as reservas já descobertas do pré-sal, mas talvez não seja possível tirar o petróleo de lá. Outra incerteza que ronda a empresa é sobre os mais de 600 projetos em andamento. "O que posso dizer é que os investimentos de 2009 até 2013 serão maiores do que o do planejamento anterior. Só não sabemos que projetos estarão nele e quais vão sair", diz Gabrielli. Isso significa que a Petrobras investirá mais de 112 bilhões de dólares nos próximos cinco anos e que a construção das refinarias pode, sim, ser adiada.
É natural a preocupação com a Petrobras. A empresa é responsável por 86% de todo o investimento feito pelas estatais brasileiras. Sua verba de investimentos equivale a 35% do Programa de Aceleração do Crescimento. A Petrobras é a rainha no tabuleiro em que o governo Lula joga o xadrez da sucessão presidencial. Quando o senador Tasso Jereissati subiu à tribuna do Senado para denunciar a possível irregularidade na concessão do empréstimo da Caixa, mexeu em vespeiro. Gabrielli acusou-o de estar sendo irresponsável. "Se a empresa estivesse mesmo mal de caixa, o que pode acontecer a qualquer companhia do mundo numa situação dessas, teria quebrado", disse.
A reclamação de Gabrielli é compreensível, assim como as desconfianças da oposição. O uso que o governo federal faz da empresa deixa margem a muitas dúvidas sobre o que pode estar acontecendo. No início do governo Lula, os sindicatos tomaram o poder na estatal. "É verdade que as indicações para a diretoria sempre foram políticas, mas neste governo até as gerências são escolhidas dessa forma", afirma um ex-executivo. O resultado foi o inchaço de 38% do quadro de pessoal. A empresa não desmente os números, mas contesta a sua interpretação. Afirma que foi necessário para a expansão da companhia. Seja como for, a dificuldade será enfrentar a nova realidade com o preço despencando, o dólar subindo ao maior valor desde 2005 e o mundo quebrando. Esse pessoal, além de numeroso, terá de ser muito bom.
(Fonte: Veja, edição de 10-12-2008)

CASTELOS DE AREIA - Por: Mônica Araripe

.Num dia de verão, estava na praia, observando duas crianças brincando na areia. Elas trabalhavam muito, construindo um castelo de areia, com torres, passarelas e passagens internas. Quando estavam quase acabando, veio uma onda e destruiu tudo, reduzindo o castelo à um monte de areia e espuma. Achei que as crianças cairiam no choro, depois de tanto esforço e cuidado, mas tive uma surpresa. Em vez de chorar, correram para a praia, fugindo da água, Sorrindo, de mãos dadas e começaram a construir outro castelo... Compreendi que havia recebido uma importante lição: Gastamos muito tempo de nossas vidas construindo alguma coisa. E mais cedo ou mais tarde, uma onda poderá vir e destruir o que levamos tanto tempo para construir. Mas quando isso acontecer, somente aquele que tem as mãos de alguém para segurar, será capaz de dar uma reviravolta !!!. Tudo é feito de areia;
Só o que permanece é o nosso relacionamento com as outras pessoas.

Autor Desconhecido
( Texto enviado por Mônica Araripe )
.

Crato - Previsão do Tempo para hoje, 06 de Dezembro.

Crato - CE

Sábado, 06/12 nascer e pôr-do-sol: Horário do nascer do Sol 05h13
Horário do pôr do Sol 17h45
icone
manhã
icone
tarde
icone
noite
max 33ºC
min 20ºC
Quantidade e Probabilidade de Chuva 0mm
0%
Direção e Velocidade do Vento ESE
9km/h
Umidade Relativa máxima e mínima 70%
31%
Sol com algumas nuvens. Não chove.

Fonte: Climatempo

PARA ALÉM DO BEM E DO MAL - Por: Jorge Emicles

.

O conteúdo da Carta Política de 1988, especialmente na redação do seu artigo 5º, muito além de representar uma declaração brasileira dos direitos humanos é fruto de uma longa luta histórica dos homens na busca da afirmação de seus direitos fundamentais. O grande marco desta luta sem dúvidas o encontramos na Revolução Francesa de 1789, porém sua formação se deu mediante processo contínuo no qual muitas vidas foram ceifadas e muitas gerações tolhidas do exercício mais básico de seus direitos. A todos eles devemos a moderna posição de respeito indeclinável do ordenamento jurídico brasileiro aos direitos fundamentais, dentre os quais chamamos atenção à primeira geração deles simbolizada pelas diversas formas de liberdade, tanto de ir e vir, mas também de pensar e expressar suas opiniões. Se o francês Rousseu é símbolo desse marco, por certo se contam aos milhares as almas que abdicaram da vida para que possamos nos expressar livremente hoje.

Nesta seara, ditas liberdades deverão necessariamente ser compreendidas como os alicerces mais fundamentais da democracia brasileira como um todo e das nossas instituições de uma maneira geral. É dizer que as instituições nacionais, todas por princípio democráticas, existem enquanto mecanismo de formação, aperfeiçoamento e manutenção da democracia mesma, o que equivale a dizer que não representam fim em si mesmo, mas mecanismos necessários à formação do país idealizado pela Constituição Federal. Se assim é, pois então igualmente será preciso reconhecer-se que as autoridades que encarnam as vontades e as ações das instituições nacionais deverão igualmente servir de instrumentos à efetivação dos princípios que forjam a República Federativa do Brasil, dentre os quais destacamos os da cidadania e do pluralismo político, logo da diversidade de opiniões expressamente consagrado, aliás, no art. 5º, IV da predita Constituição.

Por isso os detentores dos poderes temporais, incluindo todas as autoridades vinculadas a todos os Poderes dos entes políticos brasileiros (dentre o que incluímos os magistrados e membros do Ministério Público) precisam exercitar suas atribuições imbuídos dos princípios e espírito democráticos, razão porque, tal qual todas as pessoas humanas e na mesma medida que todas as demais autoridades eletivas, deverão resignar-se às críticas que lhe venham a ser lançadas. A imprensa é não somente o grande fiscal das nossas instituições e autoridades, mas também o órgão responsável por lançar na sociedade as sementes das mais profundas reflexões, as quais são indispensáveis ao amadurecimento da nossa democracia e instituições. Autoridade pública que não aceita críticas é no mínimo antidemocrática e quiçá esteja a demonstrar sua indignidade no exercício das respectivas atribuições, que nesta qualidade deverão ser compreendidas como deveres-poderes e não como mera potesta que as tornaria imunes às críticas da sociedade. Na mesma medida, autoridades que lançam mão do constrangimento de ações judiciais enquanto mecanismo de intimidação das pessoas que contra si lançam críticas, são igualmente antidemocráticas e indignas de suas funções.

Antidemocrática e despótica, portanto, fora a ação de interpelação judicial lançada pela promotora de justiça Alessandra Magna Ribeiro Monteiro contra advogado que criticou sua atuação funcional face a Justiça Eleitoral de Santana do Cariri, inclusive insinuando a prática de crime contra a honra contra quem legalmente goza de imunidade profissional. Afinal de contas, é exatamente contra este naipe de autoridades que o Estatuto da Advocacia (Lei Federal) garante em seu art. 6º, § 2ª a imunidade profissional, a fim de que as liberdades historicamente representadas pela advocacia não sucumbam diante do despreparo e arrogância daqueles detentores dos poderes temporais.

Nossas autoridades em geral e nenhuma delas em especial (repita-se, nem os promotores de justiça) estão acima do bem e do mal, sendo na realidade cidadãos no exercício de poderes, cuja única razão é o cumprimento dos deveres para os quais foram incumbidos. E chega de arrogância, porque neste caso quem findará por pagar o preço será a própria sociedade brasileira...

Jorge Emicles Pinheiro Paes Barreto
Advogado, Professor Universitário e Radialista.

Hora de plantar - Sementes já estão armazenadas no Cariri


Agricultura no Cariri

Clique para Ampliar

Na Conab de Juazeiro do Norte, as sementes já estão estocadas. O início da distribuição entre os produtores depende do anúncio da Funceme (Foto: ANTÔNIO VICELMO)

Tão logo a Funceme anuncie prognóstico de chuvas, a SDA autoriza a distribuição de sementes começando pelo Cariri

Crato. A Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA) está se preparando para colher uma safra recorde no Ceará. Foi isto que afirmou o titular estadual da pasta, Camilo Santana, durante abertura oficial do V Berro do Cariri e III Exposição de Raças Nativas, que está sendo realizada no Parque de Exposições Pedro Felício Cavalcanti. Ao dar a informação, o secretário informou que está investindo forte no programa de distribuição de sementes e mudas, na esperança de que o inverno será bom, uma vez que a base da agricultura do Estado é de sequeiro e depende das chuvas. “Vamos rezar para ter um bom inverno”, conclamou ele.

O secretário acrescentou que as sementes já estão armazenadas nos depósitos da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) em Juazeiro do Norte. De acordo com o gerente da unidade, Raimundo Cândido de Sousa, estão estocadas 795 mil quilos de milho híbrido; 20 mil quilos de feijão; 50,1 mil quilos de arroz; 9,9 mil quilos de mamona; e 750 quilos de girassol. Na última quinta-feira foi feita a entrega simbólica de semente de mamona, destinado à produção industrial brasileira de biodiesel.

Com a distribuição de sementes, segundo o secretário, o Estado objetiva diminuir a vulnerabilidade social, combatendo a fome e a desnutrição das famílias rurais, possibilitando a segurança e a soberania alimentar; garantir o acesso às sementes, segundo o calendário agrícolas; fortalecer a agricultura familiar e o setor produtivo rural; e fortalecer os Bancos Comunitários de Sementes, mediante a parceria com as organizações dos agricultores e movimentos sociais.

"Estamos nos preparando para colher uma safra recorde no Estado do Ceará"
Camilo Santana
Secretário de Desenvolvimento Agrário

Camilo garantiu que na próxima semana vai se reunir novamente com os técnicos da Funceme. A partir do momento em que for anunciado o início do inverno, as sementes serão entregues aos agricultores. “Paralelamente, será lançada uma linha de programas com a finalidade de fortalecer ainda mais o setor agrícola no Estado”, garantiu o secretário.

A SDA vai instalar um radar no município de Quixeramobim, que cobrirá todo o Estado, com a finalidade de fornecer informações em tempo real sobre precipitações e umidade do solo, o que vai permitir um planejamento mais eficiente. O investimento, segundo Camilo, é de R$ 18 milhões.

Camilo Santana destacou o V Berro Cariri, aberto na última quinta-feira, como um importante instrumento de consolidação do setor agropecuária na área de ovinos e caprinos. É uma oportunidade também para a troca de informações, uma vez que, durante o evento, serão realizados debates e palestras. Uma das alternativas para agregação de valores, segundo o secretário, é um melhor aproveitamento do leite de cabra e do próprio couro dos animais. Ele destacou que na área de negócios e ênfase se dará na integração das cadeias produtivas, integrando ao setor da ovinocaprinocultura, a apicultura e mandiocultura.

Mais informações:
V Berro do Cariri e III Exposição de Raças Nativas, no Parque de Exposições Pedro Felício, Crato; Centro de Atendimento ao Cliente da Ematerce, (88) 3523.2131

Jornalista: Antonio Vicelmo
Fonte: Jornal: Diário do Nordeste
.

Correinha no Diário do Nordeste de Hoje


CORREINHA

Um mestre sem diploma se despede

Clique para Ampliar

Mestre Correinha: artista aclamado como mestre da cultura popular, mesmo sem reconhecimento oficial

Enquanto o Cariri vive uma semana de celebração a grandes nomes da cultura tradicional popular, sediando o IV Encontro Mestres do Mundo, o município do Crato se despediu de um de seus grandes artistas. Francisco Correia Lima, o Correinha, recebeu quinta-feira as últimas homenagens

Ironia do destino? Francisco Correia de Lima, o Correinha, artista de várias linguagens atuante no município do Crato, se despediu nesta semana, marcada pela realização de um evento voltado para o reconhecimento a mestres da cultura popular tradicional. Ao final da tarde de quinta-feira, o adeus ao cordelista, compositor e artesão contou com um cortejo particular dos Irmãos Aniceto, na igreja do Cemitério de Nossa Senhora da Piedade, lotada por familiares, amigos e admiradores. Entre estes, figuras como Mestre Cirilo, do maneiro-pau, e mestre Zulene Galdino, do Pastoril, participantes do IV Encontro Mestres do Mundo, que tem encerramento hoje no Cariri.

Nascido em Farias Brito, em 14 de fevereiro de 1940, mas amante inveterado do Crato, município ao qual costumava fazer referências em suas canções, Correinha, 68 anos, faleceu às 16h de quarta-feira, no Hospital São Francisco, onde lutava contra um câncer de próstata. Para muitos na cidade, sua morte representa a perda de um artista aclamado como mestre da cultura popular – mesmo sem reconhecimento oficial de tal condição.

Talvez por não ter tido seu nome incluído nas listas anuais de mestres reconhecidos pelo Governo do Estado desde 2004, mestre Correinha tenha sido sepultado em meio a homenagens comoventes de moradores do município, mas, como ressaltaram amigos e familiares, sem o devido destaque por parte do Poder Público. Situação destacada durante a missa de corpo presente, enriquecida pelo acordeom de Hugo Linard, com quem Correinha gravou, há menos de um mês, 15 canções que agora constituem o último registro de sua obra.

´Já o chamávamos de nosso mestre da cultura. Há décadas você construiu esse reconhecimento´, disse, emocionada durante a missa, a cantora Leninha Linard, que se dedicou à interpretação de composições de Correinha e participou de apresentações ao lado do artista. ´Porém, não chegou a receber em vida o título de mestre da cultura cratense, de uma autoridade, numa festa. Mas recebe hoje o título de mestre, outorgado e assinado com lágrimas de saudade´, acrescentou.

´Belezas do Crato´ - canção mais popular de Correinha, conhecida pela gente que gosta de exaltar as virtudes de sua cidade-natal – foi lembrada na missa, na voz de João Dino, cantor da região. Os Irmãos Aniceto também prestaram tributo ao artista, fazendo sua dança ao redor do caixão, no contraste entre a alegria do som dos pífanos e o lamento pela partida do artista.

Reverência dos mestres

´A gente considerava ele como mestre igual à gente. Era mesmo que ser um dos nossos irmãos´, atestava seu Raimundo Aniceto. ´Ele fazia muita coisa linda, muita poesia. E fazia na hora. Era igualmente a gente mesmo, tinha o dote. Parece que nós nascemos tudo na mesma veia, viu?´.

Mestre Cirilo, do maneiro-pau, também compareceu à cerimônia. ´Ele era cordelista, compositor, fazia teatro, era tocador e fazedor de pife... Era tudo! Pra mim, é mestre da mesma forma. E era muito querido pelo povo do Crato´, atestou. ´Correinha era artista demais. Durante muito tempo fez os grupos de dança no Sesi, fez a Caninha Verde... Era querido por todo mundo aqui´, acrescentou mestra Zulene. Uma despedida com as cores da cultura popular.

Encerramento

O IV Encontro Mestres do Mundo tem encerramento hoje, com as Rodas de Mestres de 9h às 12h, no Crato Tênis Clube e o fechamento do III Seminário Nacional de Culturas Populares no Memorial Padre Cícero, em Juazeiro do Norte, de 14h30 às 17h. Na praça do Memorial acontecem a partir das 18h30 o lançamento do catálogo Encontro Mestres do Mundo, pela Secult-CE e pelo Ministério da Cultura, e apresentações de artistas que participaram do evento.

Registros em discos e cordéis

O pianista e arranjador Ibbertson Nobre produziu em seu estúdio no Crato o último registro da voz e das composições de Correinha. ´Foi há umas três semanas. Ele gravou 15 músicas, em uma sessão muito rápida, de pouco mais de uma hora. Veio pro estúdio com uma sonda, mas cantou suas músicas, com o acordeom de Hugo Linard´, recorda o músico. ´São músicas muito simples e bonitas, de uma beleza natural, falando das coisas do Crato e do sertão. Foi gravado de uma forma simples, mas o importante é que a voz está registrada e o disco pode ser completado com instrumentos´.

Segundo Hugo Linard, as canções registradas nesse último trabalho de Correinha em estúdio são, na maioria, inéditas. ´Ele gravou também ´Belezas do Crato´, mas as outras não tinham registro´, diz, citando canções como ´Coisas do meu sertão´, ´Exaltação a Barbalha´, ´Crato de Açúcar´ e ´Meu Cariri´ e ´Balanceio´. ´Fazia tempo que a gente tava cutucando ele, dizendo que ele tinha que gravar de novo. Ele fez dois compactos e outros discos, no tempo do vinil, além de vários cordéis´.

Linard chama atenção para aspectos peculiares da trajetória de Correinha. ´Ele mantinha um bar aqui no Crato e ainda trabalhava como agente carcerário. Era tão querido que os presos pediram à família para deixar um pouco o corpo dele lá na cadeia, para eles homenagearem´, ressalta.

DALWTON MOURA
Enviado ao Cariri

O repórter viajou a convite da Secult-CE

Fonte: Jornal Diário do Nordeste

.


Edições Anteriores:

Maio ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31