xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 02/12/2008 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

02 dezembro 2008

DIREITOS DO CONSUMIDOR BRASILEIRO


Vejam que interessante...
DIREITOS DO CONSUMIDOR BRASILEIRO
Por Leopoldo Martins Filho

1) Serviço 102:- Quando você precisar do serviço 102, que custa R$ 2,05. Lembre-se queagora existe o concorrente que cobra apenas R$ 0,29 por informação: FONE:0300-789-5900. Você sabia disso?

2) Economize nos Correios:- Se você tem por hábito utilizar os Correios, para enviar correspondência,observe que se enviar algo de pessoa física para pessoa física, num envelope leve, ou seja, que contenha duas folhas mais ou menos, para qualquerlugar/Estado, e bem abaixo do local onde coloca o CEP escrever a frase'Carta Social', você pagará somente R$0,01 por ela. Isso está nas Normas afixadas nas agências dos correios, mas é claro que não está escrito em letras graúdas e nem facilmente visível. O preço que se paga pela mesma carta, caso não se escreva 'Carta Social', conforme explicado acima custará em torno de R$0,27 (o grama). Agora imaginem no Brasil inteiro, quantas pessoas desconhecem este fato e pagam valores indevidos por uma carta pessoal diariamente?

3) Telefone Fixo para Celular:- Se você ligar de um telefone fixo da sua casa para um telefone celular, será cobrada sempre uma taxa a mais do que uma ligação normal, ou seja, de celular para celular. Mas se acrescentar um número a mais, durante adiscagem, lhe será cobrada apenas a tarifa local normal. Resumindo: Ao ligarpara um celular sempre repita o ultimo dígito do número.EXEMPLOS: 9XXX - 2522 + 29X7X - 1345 + ATENÇÃO: Observe que o número a ser acrescido deverá ser sempre o último número do telefone celular discado!

4) Lista Telefônica - Informações:- Para informações da lista telefônica, use o nº. 102030 que é gratuito,enquanto que o 102 e 144 são pagos e caros.DIVULGUE!

Por: Leopoldo Martins Filho
.

Restos mortais de bispos cratenses serão exumados neste sábado



Os despojos dos três primeiros bispos da diocese de Crato – Dom Quintino, Dom Francisco e Dom Vicente – que se encontram sepultados em locais dispersos na Catedral de Nossa Senhora da Penha serão exumados no próximo sábado,dia 6 dezembro, às 16:00h.
Em seguida, os restos mortais desses prelados serão sepultados na Capela da Esperança - onde será colocada uma imagem de Cristo Ressuscitado (foto ao lado) - ora em construção na catedral de Crato. Antes da inumação haverá a celebração de uma missa a ser presidida por Dom Fernando Panico, atual bispo diocesano.

Os bispos

Dom Quintino Rodrigues de Oliveira e Silva, cearense de Quixeramobim, foi o primeiro bispo de Crato. Ele governou a diocese por 14 anos (1916-1929) e foi o responsável – dentre outras iniciativas – pela reabertura do Ginásio São José, com o nome de Ginásio Diocesano. Criou a Congregação das Filhas de Santa Teresa de Jesus e o colégio com o mesmo nome. Fundou, em 1921, a primeira instituição de crédito do Sul do Ceará, o Banco do Cariri. Dom Quintino foi, ainda, o pioneiro do ensino superior no interior do Ceará, ao reabrir, em 1922, o Seminário São José, dotando-o dos cursos de filosofia e teologia, nos quais os novos padres recebiam a licenciatura plena.
Dom Francisco de Assis Pires, baiano de Salvador, segundo bispo de Crato, governou a diocese por 37 anos, de 1932-1959. Dom Francisco dotou a diocese de vários empreendimentos, dentre os quais se destacam o Hospital São Francisco, Colégio Diocesano, Patronato Padre Ibiapina (hoje sede da reitoria da Urca), Palácio Episcopal, Liceu Diocesano de Artes e o jornal "A Ação" que circulou até a década 70.
O terceiro bispo, Dom Vicente de Paulo Araújo Matos, cearense de Itapagé, chegou a Crato em 1955, como bispo - auxiliar, permanecendo até 1992, ou seja, por 37 anos. A ele a diocese deve, dentre várias iniciativas, a criação da Fundação Padre Ibiapina, da Faculdade de Filosofia de Crato (embrião da atual Universidade Regional do Cariri), dos Colégios Madre Ana Couto e Pequeno Príncipe, dos sindicatos de trabalhadores rurais nos municípios do Sul do Ceará, da Escola de Líderes Rurais e Organização Diocesana de Escola Profissionais, além da construção do Centro de Expansão que hoje leva o seu nome.

Praça da Sé – Ponta da Rua Dom Quintino - por José Esmeraldo Gonçalves

O jornalista cratense José Esmeraldo Gonçalves, ex-redator chefe da extinta revista Manchete e atualmente trabalhando na Editora Abril, ao ler as reminiscências da Rua Dom Quintino, enviou-me o texto abaixo sobre as pessoas e coisas das ruas e praças do Crato de então, mais especificamente da Praça da Sé. Tomo a liberdade de divulgar no Blog do Crato, com a anuência do mesmo. Recentemente foi lançado no Rio de Janeiro o livro “Aconteceu na Manchete – As Histórias que Ninguém Contou.” Este livro foi organizado pelos jornalistas José Esmeraldo Gonçalves e J. A. Barros, contendo textos de vários jornalistas que trabalharam na Revista Manchete e muitos daqueles que foram personagens das colunas sociais daquela revista, como Ivo Pitanguy, entre outros. É a história da revista que chegou às bancas em 26 de abril de 1952, para enfrentar a revista O Cruzeiro, potência do jornalismo da época, com tiragem de 400 mil exemplares. Eis o texto enviado pelo meu primo e amigo José Esmeraldo Gonçalves:
“Olá Carlos:
Não tinha acessado o Blog do Crato, mas fui lá. Muito bom, e como traz recordações, o texto sobre a Rua Dom Quintino. O curioso é que se formam em trechos de ruas da infância universos correspondentes. Veja, já na minha ponta, lá na Praça da Sé, outros personagens eram Assis Landim, um craque na bicicleta, tão habilidoso que os meninos o invejavam e tentavam imitá-lo, pagando caro às vezes em quedas memoráveis, Denise, a filha do Tenente Lavor, que hoje, casada, mora na Grécia, Andréa, uma lourinha linda, vizinhos como Armando, da dona Rosa, irmão de Airles, Norberto Siebra, de dona Altina, no outro lado da praça, José Wilson, Chico Barreto, João Barreto, Cristina, no casarão da Pipia, e por aí vai... Que tempos! E, pelo seu texto, me vi passando no portão tantas vezes cruzado que ligava a casa da vovó e a do tio Zé e revendo as figuras inesquecíveis que você cita.
Vi lá nos comentários a velha história do cachorro... Você tem total razão: nunca existiu. Acredito que tenha origem em uma brincadeira que fazíamos a caminho dos ensaios para o pelotão de espadas do Diocesano na parada do dia 7. Uns e outros batiam com a espada na grade, isso era 5 da manhã, e o cachorro danava-se a latir. Quando apareceu morto, surgiu a suspeita. Na época, dizia-se mesmo que havia uma recompensa a quem apontasse o verdadeiro culpado. Além disso, gosto de cachorros, tive dois aí na época do Crato: um pastor, Perón, e um vira-lata, Rex. Além de outro, Japi, este da minha mãe. E atualmente tenho, por tabela, paixões da Jussara, três gatos, um deles, um preto sortudo, recolhido de uma praça em Niterói, e apropriadamente batizado de Gilberto Gil. Com certeza, aprontei algumas no velho Crato, mas essa não está na minha folha corrida, é uma das "lendas" que o tempo escreve e reproduz.”
Abraços

(José Esmeraldo Gonçalves)

3x4

Clique na foto e leia a poesia.

Grato!

EDUCAÇÃO É PRIORIDADE? SER OU NÃO SER PROFESSOR... EIS A QUESTÃO.

O principal agente formador e transformador da sociedade é o professor. Desnecessário dizer da importância desse profissional para o crescimento de uma nação. Sem uma Educação sólida, que valorize o professor, nunca seremos um país economicamente forte e socialmente justo. No Brasil estamos muito longe de atingir esse patamar. E pelo andar da carruagem muitas luas inda passarão. Vejamos os dados seguintes.
O salário médio do professor brasileiro em início de carreira é o terceiro mais baixo em um total de 38 países desenvolvidos e em desenvolvimento comparados em um estudo da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura). Segundo o estudo, apenas Peru e Indonésia pagam salários menores aos seus professores.
Para chegar a esses valores a Unesco utilizou dados relativos ao ano de 1999. Os valores foram calculados em dólares americanos considerando o PPP (sigla em inglês para poder de paridade de compra). Esse indicador leva em conta o custo de vida em cada país. Por isso, o salário em dólar de um professor, segundo o estudo, não pode simplesmente ser convertido para real com base na cotação oficial.
"A formação dos educadores é praticamente feita por eles mesmos. Quem ganha tem de assumir até três empregos e não pode se dedicar. Há relação direta entre salário do professor e desempenho dos alunos", diz Juçara Dutra Vieira, presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação. Em São Paulo o acúmulo de aulas em escolas públicas chega a 64 aulas semanais.
No caso da relação aluno/professor, o estudo citou também dados de países muito pobres. Em alguns deles, como Congo, Moçambique e Senegal, a relação chega a 70 alunos para cada professor.
Os autores do estudo citam como um problema comum em quase todos os países o aumento da relação aluno/professor em sala de aula. Esse e outros fatores, segundo a Unesco, contribuem para a decadência das condições de trabalho e desestimula a formação de novos professores.
Se continuarmos a tratar o PROFESSOR da mesma maneira como historicamente ele vem sendo tratado em nosso país, a tendência da profissão será se tornar cada vez menos atrativa. HOJE... o que nos motiva a ser professor? Dom, quem sabe? Necessidade? Talvez. Paixão? Sofrida.
Será que esse país um dia valorizará o PROFESSOR como ele merece? EIS A QUESTÃO.

Walkneide Lucena.

Opus Gay - O Retorno



02/12/2008 - 13h37
Militantes e mídia criticam Vaticano por rejeitar descriminalização da homossexualidade
Publicidade

da Reuters, no Vaticano

Grupos defensores dos direitos gays e jornais criticaram, nesta terça-feira, o Vaticano pela decisão de se opor à proposta de resolução da ONU (Organização das Nações Unidas) que insta os governos de todo o mundo a descriminalizar a homossexualidade.
Essa reação aconteceu depois de o observador permanente do Vaticano na ONU, arcebispo Celestino Migliore, anunciou a decisão de se opor à resolução proposta pela França em uma agência de notícias católica francesa.
Migliore disse que a resolução iria "acrescentar novas categorias àquelas protegidas da discriminação" e poderia levar à discriminação contra o casamento tradicional heterossexual. "Se adotadas, elas criariam novas e implacáveis discriminações." "Por exemplo, Estados que não reconhecem uniões do mesmo sexo como "matrimônio' serão punidos e colocados sob pressão", concluiu Migliore.
Repercussão
O editorial do jornal italiano "La Stampa" desta terça-feira disse que a argumentação do Vaticano era "grotesca". Assinalando que a homossexualidade ainda é punível com a morte em alguns países islâmicos, o editorial disse que o Vaticano temia na verdade uma "reação em cadeia em favor de uniões homossexuais reconhecidas em países, como a Itália, onde não há legislação sobre o assunto".
Franco Grillini, fundador e presidente honorário da Arcigay, principal grupo italiano de direitos gays, disse que os argumentos são indício de "idiotice total e loucura". "A resolução francesa, apoiada por todos os 27 países da União Européia, não tem nada a ver com casamento gay. Ela é sobre o fim das prisões e da pena de morte para homossexuais", disse Grillini.
O jornal esquerdista de Roma, "La Repubblica", disse que os argumentos do Vaticano deixam qualquer um "sem palavras". Margherita Boniver, líder do esquerdista Partido Democrático, chamou a posição da Santa Sé de "alarmantemente anacrônica". Grillini, o ativista dos direitos dos gays, disse que temia outra "Santa Aliança" entre o Vaticano e Estados islâmicos nas Nações Unidas para se opor à resolução.
Essa resolução será apresentada pela secretária de Estado da França para os Direitos Humanos, Rama Yade, ainda neste mês. Grupos de direitos humanos argumentam que a homossexualidade ainda é punível pelas leis em mais de 85 países e pode levar à pena de morte em outros, como Afeganistão, Irã, Arábia Saudita, Sudão e Iêmen.
Maioria
O porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, disse que "ninguém quer pena de morte ou prisão para homossexuais", mas defendeu Migliore, acrescentando que o Vaticano estava com a maioria neste assunto. "Não foi sem motivos que menos de 50 Estados-membros das Nações Unidas aderiram à proposta em questão, enquanto mais de 50 países não aderiram. A Santa Sé não está sozinha", disse Lombardi.
Na conferência da ONU sobre a Família, em 2004 no Cairo, o Vaticano uniu-se a países islâmicos e da América Latina para derrotar uma proposta sobre o direito ao aborto.

Folha On Line

"La vie en rose"



Os textos dos meus amigos novos e antigos , alimentam o meu dia a dia de novos sonhos.

Hoje acordei com vontade de reformar o mundo , antes do apocalípse. Deus não gosta de sucatas e velharias , disse-me um dia , um amigo.
Inocente e distraidamente , pensei : Ai , Meu Deus , deixa-me viver as madrugadas , as minhas paixões, o encanto do mergulho nos olhos que me enxergam , e me desnudam.
E o tempo passou ... Mesmo não traçando paralelos , nem estabelecendo correspondências bi-unívocas , eu presencio e sofro as catástrofes do mundo. É uma dor , no meu coração que gosta do conforto do amor , e da poesia.
Dr Valdetário , vamos descobrir uma fórmula matemática , que equacione os problemas da humanidade ? Como pagar os momentos de alegria e entusiasmo , nesses repetidos encontros , por aqui ?
Acho que os ventos da alegria também passam pelo presente , e rumam para um futuro, em conflito constante com os redemoinhos , que arrastam nossos sonhos , e os nossos anos.
A solidariedade nos faz feliz pela metade. A paz é um dom geral. Rezo por ela , e silencio o meu coração quando o fogo nos devora , e as águas nos arrastam.
O lirismo refresca as nossas feridas. São como línguas de gato , na nossa pele.
E o amor , nele contido, pode ser transformador ?
Minha mãe sempre repete :" cá e lá , más fadas há". ..
O jeito é misturar as emoções e buscar dentro da gente , um jeito de aguentar , o calor de dezembro !

Dezembro

Tenho muito gosto
de viver mais um dezembro.
Os mesmos sinos
As mesmas bolas
O mesmo ar de festa
em toda porta.
As ruas escancaram seus mistérios
Os perus morrem
antes da véspera
Congela-se o gosto de ceia.
As árvores se enfeitam
A cidade se aclara de luzes
que piscam ...
Em tons de prata e dourado
morre o dia.
Noites quentes
buscam o retrato da neve
Adultos brincam
de rasgar papel ...
na alegria de uma prenda.
Amigos se ocultam
numa brincadeira gostosa ...
e trocam mensagens , presentes.
Vestidos , sapatos novos ,
esperam o niver
do mais famoso dos homens :
Cristo.

A Praça Siqueira Campos

Os cratenses, de ambos os sexos, que na fulgurante adolescência a freqüentaram, entre meados da década de 60 e fins da década de 70, (e que hoje transitam na faixa etária de 55 a 65 anos), mui que certamente dela guardam ternas e eternas lembranças, tal a sublimação dos momentos inolvidáveis outrora ali vivenciados, principalmente aos sábados e domingos à noite.

Se tivéssemos (como os competentes e privilegiados conterrâneos doutores José Flávio e José do Vale) o dom de transportar e colocar no papel as recordações que nos advém à mente, diríamos que o quadro era mais ou menos o seguinte: enquanto as moçoilas em flor, devidamente “produzidas” com esmero (à época não se usava tal linguajar) giravam, giravam e giravam em seu calçadão, momentaneamente transfigurado em uma ativa, grande, febricitante e concorrida passarela, exalando beleza e frescor inenarráveis, nós, os marmanjos, literalmente abestalhados com tamanha dádiva, nos púnhamos de pé, braços cruzados, às bordas do quadrilátero que a compunha, atuando como expectadores atentos e privilegiados de um seleto concurso de beleza, na expectativa de um correspondente olhar receptivo, mesmo que tímido; e, para que dúvidas não pairem, daquelas paqueras, daqueles olhares furtivos, daquelas então platônicas paixões, a coisa evoluiu para algo mais sério e se formaram casais diversos que, atravessando o tempo, perduram até hoje.

Localizada no centro nervoso e coração da cidade, entre as ruas Senador Pompeu e João Pessoa e desaguadouro da então fervilhante última quadra da rua José de Alencar, onde se localizavam as movimentadas sorveterias Bantim e Cariri com seus sorvetes fabulosos de frutas naturais e, tendo no seu entorno os cinemas Cassino e Moderno, de memoráveis filmes e séries dominicais (quem não lembra de épicos como A Lenda do Zorro, Ben-Hur, Candelabro Italiano, Dr. Jivago, O Motim, Os 10 Mandamentos e outros, já que nessa época a televisão era um sonho distante e a chamada “sétima arte” reinava absoluta) e tendo ainda em uma das suas laterais o apertado mas receptivo Café Líder, a menor das nossas praças, a Praça Siqueira Campos, era uma festa só - e das boas - nos finais de semana.

Bem cuidada, arborizada, limpa e aconchegante, repleta de bancos sólidos e convidativos a uma sentada para um bate-papo formal ou até mesmo sem maiores pretensões, durante o dia-a-dia servia como referencia e ponto de encontro de comerciantes, esportistas, políticos e empresários os mais diversos; poder-se-ia afirmar, até, que em muitas oportunidades o destino do Crato ali foi traçado.

Hoje, degradada, abandonada, desfigurada, maltratada e estuprada que foi em sua originalidade, a nossa querida e velha praça Siqueira Campos é um arremedo de tempos idos e só figura nas conversas de quem a vê ou por ela passa em razão de uma invencionice absurda que querem nos impor goela abaixo: é que, em uma reforma que só a deixou em estado pior e mais deplorável do que se encontrava antes, com uma ridícula mini-coluna da hora em sua área central e tendo seu piso revestido de um material de quinta categoria, teriam sido gastos absurdos e inaceitáveis cem mil reais.

A impressão que fica é que “meteram a mão” (com vontade), e a nossa querida Siqueira Campos, definitivamente, não merecia isso.

José Nilton Mariano Saraiva
.

Os cavaleiros do apocalipse já montaram seus cavalos?

Modelos de estudo da psicologia já haviam aplicado equações matemáticas ao comportamento. Além do mais foram traçados roteiros que previam o comportamento de pessoas ou multidões diante de certos “estímulos”. Vieram os testes psicológicos em que os examinadores tentavam controlar e selecionar pessoas mediante alguns padrões observados. A psicologia de massa através da propaganda e do marketing, inclusive subliminar, tentou conduzir pessoas em direção de certos interesses, inclusive de consumo.

No mundo partido das ciências especializadas, estas coisas parecem departamentos isolados. Na verdade a tecnologia de base científica permitiu esta ilusão departamental. Mas não é essa a questão. Por exemplo, o ramo da Economia que mais cresceu nos anos áureos do mercado financeiro foi a econometria, com seus modelos matemático preditivo, com os cenários prováveis. Agora se vê cada vez mais que a economia é uma ciência de psicologia de massa. Uma coisa ganha e perde valor com a velocidade de um feitiço, entre o encanto e o horror ao objeto do desejo.

Agora vejamos o quanto a boataria se torna um instrumento provinciano no sofisticado salão das “pessoas de negócio”. Nesta semana se definiu: a economia americana finalmente se tornou recessiva. Como jamais nos últimos 60 anos. Os cenários dos organismos internacionais para a economia mundial no ano que vem é de uma precisão tão irônica quanto os efeitos de uma explosão. Para o Brasil o crescimento econômico pode ir de 0% a 3%. Por estes cenários a margem de acerto (ou erro) é de R$ 76 bilhões, valor superior ao PIB do estado de Pernambuco ou do Ceará. Em outras palavras os organismos não sabem nada do que ocorrerá, mas já rebaixou a expectativa otimista da economia brasileira. Por isso mesmo um senador da oposição já pegou sua cartela, aquela que lhe interessa no jogo eleitoral: o Brasil não crescerá nada em 2009.

O mesmo se diz do Senador Tasso Jereissati, ilustre líder da aliança entre o litoral do Ceará e a região da cidade de Sobral. O Senador Jereissati pertence a uma das famílias abastadas do nordeste, o pai se tornou uma potência econômica pelos caminhos de Getúlio Vargas. Era um dos líderes do PTB. Amealhou riqueza enquanto exercia a sua “militância” política. O irmão do senador é um dos homens mais sortudos do país, é um típico paulistano de grandes negócios, agora mesmo se beneficia da provável fusão entre duas grandes operadoras de telefonia. Pois bem, o senador andou destruindo o valor das ações da Petrobrás ao espalhar no mercado inteiro a questão do empréstimo da estatal (na verdade uma empresa de capital aberto) junto à caixa econômica. Novidade? Nenhuma! O senador e todo mundo sabia que o primeiro efeito da recessão fora o fim do crédito mundial.

Enquanto isso no subcontinente indiano se arma um dos prováveis problemas de conflito mundial tão comum nestas recessões da economia capitalista. Um grupo de 25 jovens do Paquistão matou quase duzentas pessoas em Bombaim e quase põe abaixo dois ícones hoteleiros do capitalismo indiano (no feito igual ao das torres gêmeas). Agora a Índia cobra atitude do Paquistão, tendo a Cachemira como pólvora, mísseis e bomba atômica, algo de muito explosivo pode começar já.

Vigário do Opus Dei vem ao Cariri


O Vigário da Delegação da Prelazia do Opus Dei no Rio de Janeiro, Monsenhor Pedro Barreto Celestino, estará no Cariri neste final de semana. Ele vem participar das comemorações do centenário de nascimento de seu pai, o empresário Antônio Corrêa Celestino. No próximo domingo, dia 7, Monsenhor Pedro celebrará, na Igreja-Matriz de Santo Antônio, em Barbalha, missa gratulatória em sufrágio da alma do seu genitor. À noite, no Memorial Padre Cícero, em Juazeiro do Norte, haverá a solenidade de lançamento do livro “Antônio Corrêa Celestino”, coletânea de depoimentos sobre a vida do empresário caririense, organizado pelo escrito Renato Casimiro.
Quem é
Monsenhor Pedro Barreto Celestino – o primeiro brasileiro a ser ordenado padre no Opus Dei – nasceu em Juazeiro do Norte, filho de Antônio Corrêa Celestino e Luscélia Barreto Celestino. É Doutor em Ciências da Educação e em Direito Canônico pela Universidade de Navarra, Espanha. Ordenado em 1971 trabalhou na Pastoral Universitária, em São Paulo, até 1990, quando foi transferido para o Rio de Janeiro.
É autor do livro “Os Anjos”, já em terceira edição, que foca esses seres espirituais, patrimônio teológico-cultural da Igreja Católica.

SUA ESTUPIDEZ

POR: A. MORAIS

Aos colaboradores, leitores e amigos do Blog do Crato. Há alguns dias fizemos a postagem do poema, hoje oferecemos a musica especialmente aos que manifestaram seu afeto e carinho pela letra na postagem anterior.

video

O Doce Natal - Campanha da Primeira-Dama, Mônica Araripe.

O Natal é época de festa, encontros, celebrações, presentes, sorrisos, felicidade. Infelizmente muitos irmãos Cratenses ainda não têm a maravilhosa permissão de participar desse momento mágico. Há quatro anos iniciamos um desafio encantador: levar um pouquinho de tudo isso ao maior número de pessoas de nossa querida terra.

O Doce Natal nasceu de um sonho e hoje é uma realidade, construida por várias mãos e muitos corações; Assim, venho até você fazer um convite: participe conosco, esteja ao nosso lado ajudando a cada vez mais levar amor e solidariedade principalmente àqueles menos favorecido!

Essa é uma campanha de todos nós e que há quatro anos tem mudado muito o natal de tantos.......Você pode fazer parte dessa história.

4 ANOS DE SUCESSO, 4 ANOS DE ESPERANÇA, 4 MOTIVOS PARA PARTICIPAR: AMOR, SOLIDARIEDADE, DOAÇÂO E FELICIDADE.

Foto postada por: Dihelson Mendonça
.

Academia lança novos cordéis no Cariri


Cultura Popular

Clique para Ampliar

Solenidade de lançamento dos novos cordéis foi realizada sob o clarão da Lua, em um ambiente propício para um recital de poesias (Foto: ANTÔNIO VICELMO)

Pela primeira vez, foi lido um cordel em forma de entrevista. Entidade chega a quase 600 títulos publicados

Crato. A Academia dos Cordelistas do Crato lançou mais nove cordéis, perfazendo um total de quase 600 títulos e um milhão de folhetos nos seus 19 anos de existência. A solenidade foi realizada ao ar livre, no pátio da Academia, sob a claridade da lua. “Um ambiente próprio para um recital de poesias”, disse o presidente da instituição, Luciano Carneiro, acrescentando que o principal objetivo é manter uma das mais ricas tradições da cultura popular. A literatura de cordel, segundo Luciano, atravessa os séculos sem ser destruída pela avalanche de modernidade que tende a invadir o sertão.

O primeiro cordel lançado teve como mote “A Nossa Mãe Dona Evinha é Luz no Nosso Viver”, de autoria de Wiliana Brito. No mesmo estilo, foi lido o cordel “Antônio Higino é Amigo dos Cordelistas do Crato”, também da mesma autora. Pela primeira vez, foi lido um cordel em forma de entrevista. A poetisa Francisca Cardoso de Oliveira, conhecida como “Mana”, entrevistou o jornalista, radialista e correspondente do Diário do Nordeste na Região do Cariri, Antônio Vicelmo, que respondeu às perguntas por meio de versos.

Os outros cordéis seguiram a linha tradicional. Edésio Batista fez um relato do tempo em que a missa era celebrada em latim. Josenir Lacerda falou sobre o “pulo do santo, uma história, bem humorada, sobre São Longuinho”. O professor Eugênio Dantas descreveu as histórias engraçadas de Edésio da Gentil, enquanto Aldemá de Morais falou sobre o projeto “Nova Vida”. No fim do encontro, a poetisa Mana leu um cordel sobre as riquezas da Serra do Araripe, um dos principais acidentes geográficos da região do Cariri.

Produção à antiga
O cordel é feito em antigas máquinas impressoras. A chapa para impressão do cordel é feita à mão, letra por letra, um trabalho artesanal que dura cerca de uma hora para confecção de uma página. Em seguida, a chapa é levada para a impressora, também manual, para imprimir. A manutenção desse sistema antigo faz parte da filosofia do trabalho, diz o agrônomo Wiliam Brito, integrante da Academia e autor de cordéis voltados para a defesa do meio ambiente que tiveram repercussão em todo o Brasil. A outra etapa é a confecção da xilogravura para a capa do cordel.

Em crônica lida na Rádio Educadora do Cariri, o médico e historiador Napoleão Tavares Neves lembrou que o cordel veio da Europa. No século XVIII, já era comum entre os portugueses a expressão “literatura de cego”, por causa da lei promulgada por Dom João V, no ano de 1789, permitindo à Irmandade dos Homens Cegos de Lisboa negociar com esse tipo de publicação. O denominação cordel vem do hábito de expor os folhetos em cordões para a venda.

Centro irradiador
Napoleão destaca que o cordel nordestino gritou independência assumindo características próprias. O Cariri tornou-se o centro irradiador dessa cultura, através da Lira Nordestina e da Academia dos Cordelistas do Crato.

O poeta popular, segundo Napoleão, é o representante do povo, o repórter dos acontecimentos da vida no Nordeste do Brasil. Não há limite na escolha dos temas para a criação de um folheto. Pode narrar desde os feitos de Lampião até as “presepadas” de heróis como João Grilo ou Cancão de Fogo, uma história de amor ou acontecimentos importantes de interesse público. “O Pavão Misterioso” e “Chegada de Lampião no Inferno” são os cordéis mais vendidos entre os produzidos na região.

Centro irradiador
Segundo Ariano Suassuna, um estudioso do assunto, a literatura popular em versos do Nordeste brasileiro pode ser classificada nos seguintes ciclos: o heróico, o maravilhoso, o religioso ou moral, o satírico e o histórico. Atualmente, a literatura de cordel enfrenta dificuldades e não tem um bom mercado no Brasil, como acontecia na década de 1950, quando foram impressos e vendidos dois milhões de folhetos sobre a morte de Getúlio Vargas, num total de 60 títulos.

Fique Por Dentro

Saiba mais sobre o piloto do Regional

Segundo Luís da Câmara Cascudo, no livro ´Vaqueiros e Cantadores´, os folhetos foram introduzidos no Brasil pelo cantador Silvino Pirauá de Lima e depois pela dupla Leandro Gomes de Barros e Francisco das Chagas Batista. No início da publicação da literatura de cordel no País, muitos autores de folhetos eram também cantadores que improvisavam versos, viajando pelas fazendas, vilarejos e cidades pequenas do sertão. Os cordelistas foram os precursores do rádio e do jornal. Com a criação de imprensas particulares em casas e barracas de poetas, mudou o sistema de divulgação do material popular. O autor do folheto podia ficar num mesmo lugar a maior parte do tempo, porque suas obras eram vendidas por folheteiros ou revendedores empregados por ele.

Mais informações:
Academia dos Cordelistas do Crato
Praça Filemon Teles, em frente ao Parque de Exposições
(88) 3523.3947 / 3523.4442

Reportagem: Antonio Vicelmo
Fonte: Jornal Diário do Nordeste

Quixadá - Garoto diz ter sido atacado por seres extraterrestres

Nota: Embora a cidade de Quixadá esteja na zona norte do estado,gostaria de publicar essa matéria do DN aqui, a fim de que os caririenses pudessem discutir também esses fenômenos que periodicamente acontecem naquela região.

Clique para Ampliar

Janiel tem uma cicatriz abaixo do braço. Segundo conta, o ferimento foi resultante de golpes de canivete feitos por homens com orelhas grandes e unhas de galinha (Foto: WILSON GOMES)

Clique para Ampliar

Clique para Ampliar

Nelson Ribeiro avô do garoto Janiel, mostra o local onde o OVNI teria pousado, na noite do dia 2 de novembro, na localidade de Córrego do Salgado, em Itarema

Clique para Ampliar

Caso relatado por garotos de Itarema ilustra mais um capítulo da polêmica novela sobre seres extraterrestres

Itarema. A notícia da aparição de objetos voadores não identificados no céu deste município de região litorânea está chamando a atenção até mesmo de especialistas em Ufologia. As aparições ocorrem há mais de um mês. As testemunhas oculares do último fato, registrado no dia 2 de novembro, por volta das 19 horas, seriam três garotos que moram na localidade Córrego do Salgado, distante aproximadamente 25km da sede deste município. Um deles, com idade de 6 anos, chegou em casa com um ferimento abaixo do braço, na axila direita. O garoto de nome Janiel contou para a avó o que tinha acontecido. “Um homem de orelhas grande e unhas de galinha foi quem me atacou e me cortou com um canivete”.

A história contada pelo menino foi confirmada pelo irmão, Gilmário, e o primo, José Felipe. “É verdade o que ele disse, eram dois homens que desceram de um disco, pegaram ele e cortaram o corpo dele, eu vi tudo de cima daquele cajueiro”, disse o primo, acrescentando que não teve como se aproximar mais por que um vento forte o impedia.

O local onde teria aparecido o Objeto Voador Não identificado (OVNI) é uma zona rural completamente desabitada. Nas imediações existem apenas três casas onde moram filhos, genros e netos do agricultor Nelson Ribeiro, 70 anos, que disse que não estava em casa na hora do acontecido, mas foi informado do fato.

“Eu na hora não quis acreditar na história, mas como o meu neto estava cortado e não saia sangue nem nada, né? eu até pensei que ele teria se cortado no arame, mas como, se não sangrava. Daí meu outro netinho mais novo do que ele disse que viu quando dois homens lhe pegaram e um deles tirou um objeto da boca e passou a furar Janiel”, relatou o avô dos garotos.

Relato de casos
Este seria o primeiro caso, com testemunha ocular na região. Mas na cidade há sempre uma pessoa disposta a contar um “causo” de OVNI. O motorista Humberto Sousa Lima, disse para o Diário do Nordeste, que no fim de semana, retornava de Itapipoca, e quando chegou próximo a Itarema, viu um objeto voador de luz forte vindo na sua direção. “Eu achei aquilo estranho. Era uma noite de sábado, o objeto apareceu no céu e em segundos desapareceu. Procurei em todas as direções mais não vi mais nada”, disse Lima.

Raimundo Ribeiro, 33 anos, pai do garoto supostamente atacado por extraterrestres, diz acreditar na história do filho. “Meu filho não estuda, nem vê televisão, como é que ele sabe que aquilo que ele viu descendo céu era uma disco voador. Na noite em que aconteceu passei a madrugada acordado olhando para ele. Estou com muito medo. Até agora não houve mudança no comportamento dele”, afirma o pai.

Sobre o fato, o radialista Benedito de Paula entrevistou várias pessoas. Disse que se interessou pela história do garoto, uma vez que na região é muito comum ouvir relatos dessa natureza. “Aqui acolá a gente escuta pessoas falarem que viram disco voador, que foram seguidos por esses OVNIs. E o caso do menino do Córrego do Salgado é diferente, porque ele foi ferido”, avalia o radialista.

No hospital da cidade, onde o garoto foi atendido e feito a sutura do corte, ninguém quis falar sobre o caso, nem revelar o nome do médico que fez a cirurgia. Na cicatriz no corpo de Janiel, dá pára se contar marcas de nove pontos, resultantes da cirurgia feita.

Centro de Ufologia
O Centro Sobralense de Pesquisa Ufológica (CSPU) está discutindo os últimos casos ocorridos na região. Desde outubro, membros do CSPU estão realizando encontro para discutir as realidades e as fraudes na Ufologia. Os pesquisadores de Sobral afirmam que, após a ocorrência de abalos sísmicos na região, os relatos de aparições de objetos não identificados aumentaram.

Segundo o radialista Jacinto Pereira, que é presidente do CSPU, a intenção das plenárias é reunir pessoas interessadas na temática e atrair aquelas que tiveram alguma experiência. “Tem gente que tem vergonha de contar. Queremos desmistificar o assunto. A Ufologia tem ganho mais material de pesquisa com a divulgação de informações oficiais em vários países. Por outro lado, a fraude ainda é recorrente”, avalia Pereira, que acrescenta que, “há casos de alguns enganos, como fenômenos naturais que são confundidos com OVNIs. Por exemplo, o planeta Vênus, popularmente chamado de Estrela Dalva. Em determinado período do ano, o tamanho e a luminosidade de Vênus fica mais evidente e, por se destacar no céu, pode ser interpretada como um Objeto Voador Não Identificado”. Outro ponto destacado por Jacinto Pereira é com relação à descrição do ser extraterrestre. Para ele, tem que se comparar o que foi visto com outros casos.

Ele conta haver relatos de extraterrestres que retiraram glândulas de animais, encontrados mortos com marcas diferentes. No caso do garoto de Itarema, o pesquisador acredita haver possibilidade de retirada de alguma glândula, uma vez que o ferimento foi feito numa parte do corpo onde há esse órgão.

WILSON GOMES
Colaborador


Interesse

"Temos interesse no caso. Se possível, vamos fazer um exame médico mais completo do garoto"
Jacinto Pereira
Presidente do CSPU

"Os meninos disseram que um bicho teria pego Janiel e cortado ele todinho. Eram de um disco"
Maria Alessandra dos Santos
Avó do garoto atacado por ET

"A história é de impressionar qualquer pessoa. Em Itarema, há muitos relatos sobre OVNI"
Benedito de Paula
Radialista de Itarema

Mais informações:
Centro Sobralense de Pesquisa Ufológica
Avenida Dom José, 1361, sala 5
Centro, Sobral (CE)
(88) 3613.1571

Sertão Central

Ufólogo estranha relato de agressividade

Quixadá. Estudioso do assunto há 25 anos, o técnico em eletrônica Robisson Gomes de Alencar, vê com estranheza a nocividade de extraterrestres ao cortarem uma criança no município de Itarema, na região do Baixo Acaraú. O especialista avalia a hipótese dos visitantes intergalácticos terem se sentido ameaçados, reagindo então de forma violenta. Ele defende a regressão hipnótica do garoto como uma opção para esclarecimento do misterioso episódio. Acrescenta que sua equipe é capaz de realizar o processo de controle mental.

Robisson ressalta que estudos científicos apontam para a existência de várias espécies de ETs no mundo galáctico. Diz que, embora possuam estrutura tecnológica para cruzar o universo e até controle telepático, podem existir civilizações menos avançadas, que além de utilizarem os humanos como cobaias ainda sejam agressivos. Mas esse foi o primeiro caso do qual soube da abordagem de um alienígena a uma criança. Do seu conhecimento, até então somente os adultos têm sido abduzidos.

Pelas estimativas do coordenador do Centro Ufológico de Quixadá, aproximadamente 30% da população local já foi raptada por seres de outros planetas. Pelo menos 50 aparições de objetos voadores não identificados (OVNIs) foram registras este ano no Sertão Central, a maioria em Quixadá. Em apenas 1% delas há relatos de contato dos alienígenas com seres humanos. Segundo ele, até o mês passado foram notificados mais de 200 casos no Ceará. “Conseguimos esses dados por meio de outros amigos interessados no assunto”, explica.

O piloto aeronáutico Weliston Rodrigues de Paiva, também estudioso do assunto, acredita que todos os ETs agem com o mesmo propósito, realizar experiências com os habitantes do nosso planeta. Alguns são do bem e outros do mal. Ele destaca a importante contribuição da imprensa brasileira. Somente por meio dela é possível saber sobre parte dos casos que ocorrem no Brasil.

ALEX PIMENTEL
Colaborador

Mais informações:
Centro Ufológico de Quixadá
Pesquisador Robisson Gomes de Alencar
(88) 3414.3386
bobpecas@hotmail.com

Fonte: Jornal Diário do Nordeste

Diálogo Literário – (Duplix)


Foto-montagem (photoshop) : Claude Bloc

O diálogo é sempre o melhor caminho. Só desta forma, as questões vão à mesa, os pensamentos se tocam, os sentimentos são todos aclarados. Este é, então, um convite e um desafio às pessoas que postam seus textos aqui: dialogar com textos. Entremear idéias. O importante é manter o texto-base, respeitando o estilo, o ritmo e o fio do pensamento do autor. Respeitar e adicionar e nunca se sobrepor.

Está lançado o convite!

******************************

Texto literário em que o EU poético se troca pelo TU poético provocando um diálogo entre pensamentos e idéias. O texto-base é de José do Vale Pinheiro Feitosa (na cor preta) e a réplica de Claude Bloc ( em azul).

E eu?
Da fala beiradeira,
tosca na origem,
coruscante expressão.
Mesmo que no filme fosse o artista,que ainda mais falante,
jamais disse: C´est ma vie.

Da janela eu pensava:
C’est ma vie, c’est ta vie
C’est la vie de tout le monde
Como num carrossel que gira
Em torno do pensamento.

Do alto em que o baile ecoava-se,
na acústica do céu estrelado do Crato.
Muito além da França,
sendo franco,
até do horizonte,
lá meu sonho nasce: C´est ma vie.

A serra posta em silêncio
Quedava-se enternecida
Cúmplice, guardava os ecos
Da vida de seus passantes
Esperando o sol nascer
C’est la vie! C’est la vie!
Na varanda da minha casa,
Os sons chegavam na noite
Trazendo acordes da França
E vida ia passando...

Embaixo do telhado,
salão de luzes esmaecidas,
repercussão dos sons universais,
cantante,
sussurrante,
ao teu ouvido dizer,
não sou francês: C´est ma vie.

Pelo salão deslizavam
Pares, ritmos, sintonia
A timidez, o fascínio
Os dias dos sonhos primeiros
Rodopiava a vida
E os suspiros verdadeiros:
C’est bien la vie qui passe!
Moi aussi, c’est ma vie...

O ritmo ligeiro
de cavalaria napoleônica,
os terrenos rodopiando.
Eu cantava,
e na tua pupila brilhava
a dúvida da ousadia farsante: C´est ma vie

A euforia brincava
Com as emoções do momento
A música vibrava intrépida,
E os sonhos rodopiavam
Em surdina pelo espaço
C’est la vie, c’est bien ma vie...
E na janela do tempo
Eu refletia em silêncio:
Toi, si Dieu ne t'avait modelé
Il m'aurait fallu te créer

De morno sopro ao teu ouvido,
meu coração se esfumaçava,
Hugo tocando Adamo.
Luzes pontuais
como pirilampos na noite escura,
acendiam em teu ouvido: C´est ma vie.

Sutilmente deslizavam
Pela face afogueada
Lágrimas límpidas de emoção
E a vontade cristalina:
Vontade de estar ali
Vontade de não fugir
C’est à toi que je dis:
C’est ma vie, c’est ta vie!

Entre outros casais esquecidos,
como numa noite,
as árvores de uma floresta,
caules rodando,
teu perfume bailando
grades de uma prisão
aberta ao infinito: C´est ma vie

A música ressurgia lenta
Lá do mais fundo da noite
E entre suspiros dizias
Num francês terno e suave:
Tu offres à mon cœur chaque jour
Tous les visages de l'amour

Rápido!Qual pensamento ligeiro,
menos que a letra “a”
ou o numeral 1.
De Chanson en Chanson,
estava tua orelha cada vez mais
ao sabor dos meus lábios.
Minhas narinas
lançavam o fogo dos dragões
sobre teu corpo ao meu peito,
cor em brasa,
e para aplacar tamanha ebulição,
suspirava: C´est ma vie. C´est pas l´enfer.

Nas sendas do meu caminho
Perdida em pensamentos
Ecoavam as palavras
Dentro da madrugada
Eu caminhava sem rumo
E teu calor me abordava
Abrasada eu dizia:
Je le sais bien, c’est ma vie !

E girava o mundo
como nós,
ola descomunal
paixões transcontinentais.
Dali jamais sairia,
mas te levaria a uma ilha deserta,
C´est ma vie. C´est pas l ´paradis.
Notre histoire a commencé .

Tua alma se agitava
Teus anseios te assolavam
Falavas como na música
Que o Aznavour entoava:
Moi, je suis le feu qui grandit ou qui meure
Je suis le vent qui rugit ou qui pleure
Je suis la force ou la faiblesse

Lá fora o universo era universal,
a cana, canavial,
o jovem, amoral.
Mas que importa é o visgo
da cintura em meus braços
e eu até dizer: C´est ma vie.

A serra agora era o mundo
Que cercava tua ousadia
Que ungia tuas vontades
C’est la vie qui nous parle.
E Aznavour continuava:
Moi, je pourrais défier le ciel et l'enfer
Je pourrais dompter la terre et la mer
Et réinventer la jeunesse

Mas como queria ter dito,
mesmo hoje,dizer.
C´est ma vie.

As palavras nas canções
São como nosso discurso
As lindas jóias que ficam
Bem guardadas na memória
Somos hoje, fomos ontem
Mensageiros de emoções
C’est la vie, bem pensamos:
Un mot de toi je suis poussière ou je suis Dieu

Qual Alain Delon,
e Dalida em paroles, paroles:
C'est étrange,je n'sais pás ce qui m'arrive ce soir,
je te regarde comme pour la première fois.
E antes que a orquestra parasse,ainda dizer:

Toi, sois mon espoir, sois mon destin
J'ai si peur de mes lendemains
Montre à mon âme sans secours
Tous les visages de l'amour

Mon Amour

MATEMATICANDO.COM Dr VALDETÁRIO.

OS DEZ REAIS.

Rublogueto é um rapaz inteligente e honesto. Trabalhava como entregador de pizzas e tem um vasto ciclo de amizade. Quando o Rublogueto descobriu o Blog do Crato ficou tão ligado que não conseguiu mais trabalhar. Passava dia e noite lendo as belíssimas matérias que desfilam em nosso Blog. Sem rendas, começou a pedir emprestado dinheiro ao seu maior amigo, o Eurico. Certo dia o Rublogueto fez umas contas e percebeu que já estava devendo R$ 450,00 ao amigo. Sem ter rendimentos ele começou a procurar um meio legal de ganhar alguns trocados para saldar sua dívida. Rublogueto gostava muito de Matemática e foi usando esta belíssima ciência que ele encontrou uma solução para os seus problemas. Veja que plano bem bolado! Primeiro ele pediu emprestado ao Pedro R$ 250,00 e também ao Cirilo mais R$ 250,00. Com esses R$ 500,00 que ele conseguiu emprestados ele pagou os R$ 450,00 pro Eurico e ficou com R$ 50,00. Desses R$ 50,00 ele pagou R$ 10,00 para o Pedro e também R$ 10,00 para o Cirilo. Ficando, assim, com R$ 30,00 no bolso. Agora vamos fazer um balanço nas finanças do Rublogueto, Ele deve R$ 240,00 para Pedro e R$ 240,00 para o Cirilo, ou seja, R$ 480,00. Só que ele guarda R$ 30,00 no bolso. Portanto 480,00 + 30,00 = 510,00. Vejam, o Rublogueto lucrou R$ 10,00 já que só devia R$ 500,00. Repetindo esse esquema várias vezes ele passou a ganhar muito mais que o entregador de pizzas que fora um dia. Como explicar esse fenômeno? Mandem suas respostas. Abraços a todos. Valdetário.

Edições Anteriores:

Abril ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30