10 novembro 2008

Cinemania - Fã-Clube de Jornada nas Estrêlas - STAR TREK no Cariri.

Aonde Ninguém Jamais estêve !


Olá, Pessoal,

Quem nunca assistiu a algum episódio de Star Trek, com o Capitão Kirk, o vulcano Spock e o Doutor McCoy ? Pois bem, eu gostaria de começar um fã-clube aqui na região do cariri para os sempre apaixonados por aquela que eu considero uma das maiores obras-primas do gênio humano, da qual, sou fã incondicional: A Série de TV STAR TREK - Jornada nas Estrelas. Todas as coleções.

Star Trek ( não confundir com Guerra nas estrêlas ), é uma série de TV Criada nos anos 60 por Gene Roddenberry que tem por palco as viagens de uma nave estelar chamada ENTERPRISE, cuja função é de descobrir novos mundos, novas civilizações, audaciosamente aonde nenhum homem esteve antes. A sequência se passa no século XXIII, quando o homem já teria tecnologia suficiente para usando um sistema de propulsão movido a antimatéria e viajando através de dobras na curvatura do espaço-tempo, mover-se por entre pontos distantes no universo.

Star Trek se divide em:

- Série Original:

Gravada nos anos 60, A série original que inclui como personagens principais o destemido Capitão. Kirk, Spock, Dr. Mccoy, tenente Huhura, Scott, Sr. Sulu, Chekov, dentre outros... é o início da exploração de novos mundos e novas civilizações. Toda a série apresenta como meta principal, a eterna busca do homem pelas grandes questões que o afligem desde os primórdios: Quem somos ? De onde viemos ? para onde estamos indo ? Centrado numa era em que o homem teria dominado as irracionalidades, star trek é um marco no pensamento humano.


- The Next Generation - A próxima geração

Nesta série, bem feita, gravada nos anos 80, com novas tecnologias, comandada pelo capitão Picard, auxiliado por seu fiel "number one", a conselheira Dianna troy, um andróide chamado "DATA" que possui uma enorme curiosidade em pesquisar a espécie humana e tentar compreender e sentir as nossas emoções. Uma maravilha para quem tem a sensibilidade de olhar a espécie humana pelo olhar de outras inteligências!


- Deep Space 9

Série diferente, em que os episódios se desenvolvem na estação espacial Deep Space 9, que se situa próximo a uma fenda espacial, onde facilitaria o tráfego de naves. Funciona como um ponto estratégico da federaão de planetas. As aveturas são impressionantes para os que gostam de ficção científica.


- Star Trek Voyager

Uma das melhores séries, A voyager, que leva o nome da nave, busca novas civilizações, mas através de uma fenda espacial, foi empurrada para um quadrante inexplorado da galáxia, milhões de anos-luz da terra. Seu maior alvo é retornar ao nosso mundo. Enquanto isso, exploram mundos exóticos e inimagináveis... uma obra-prima em si, além do mais, com novas tecnologias, os efeitos especiais estão melhores do que nunca! Imperdível...


- Enterprise

A mais nova série de star trek, se passa numa pequena nave uns 100 antes do Cap. Kirk, logo após o ser humano dominar o sistema de propulsão para naves interestelares. Excelente série.




Quem se interessar em participar do nosso fã-clube, por gentileza, entre em contato através do e-mail blogdocrato@hotmail.com.

Por: Dihelson Mendonça

MATEMATICANDO


MATEMATICANDO Ultimamente estive um pouco afastado do Blog do Crato e não foi apenas pelas "mudanças" proposta pelo Dihelson no que se refere a quantidade de postagens com teor político-partidário que estava circulando neste blog, inclusivo com reclamações suscitadas por alguns membros do blog. Meu tempo está muito curto e também estou tendo problemas com meu computador todas as vezes que tento fazer alguma postagem. Talvez seja esse último motivo o maior responsável pelas minhas ausências. É muito difícil, pelo menos pra mim, escrever alguma coisa que não envolva a política, uma vez que ela está sempre presente em todos os atos do nosso cotidiano. Andei escrevendo outros textos com a temática da medicina, outra grande paixão minha. Agora vou tentar postar alguma coisa do fantástico mundo da MATEMÁTICA, de longe, a minha maior paixão. Pretendo, semanalmente postar aqui no Blog do Crato uma espécie de desafio para quem gosta desse tipo de coisa. Nada muito complicado. Sei que tem muita gente inteligente navegando em nosso blog. Vou logo adiantando que não sou autor de nenhum desses "problemas", apenas os colecionei ao longa da vida. Quero, também, contar com a autorização do Dihelson para o que estou propondo. Acredito que muitos gostarão da idéia, o que tornará o nosso Blog mais acessado ainda. Confiante no sucesso do "projeto" e mesmo sem a anuência do Dihelson, vou mandar o primeiro desafio. Sim, denominarei os textos sempre com a palavra MATEMATICANDO. Vamos lá.
Uma pessoa, nas primeiras horas da manhã, entra numa sapataria e pergunta quanto é um par de um certo modelo de sapato. A vendedora diz que o par custa R$ 60,00. O cliente pega então uma nota de R$ 100,00 e diz que quer levar o par de sapato. A vendedora, que também é a dona da loja, não tendo o troco do cliente vai até uma loja ao lado e pede para trocar os cem reais. Retorna e entrega ao seu cliente o par de sapatos e o troco, ou seja, R$ 40,00. Meia hora após a saída do cliente o dono da loja ao lado entra na sapataria com a mesma nota de cem reais que trocara dizendo ser aquela nota falsa. A dona da sapataria percebe que realmente a nota é fajuta, pede desculpas ao colega, recebe a nota falsa e entrega-lhe cem reais verdadeiros. A pergunta é: A dona da sapataria teve algum prejuízo? E, se teve, foi de quanto? A resposta será dada no MATEMATICANDO da próxima semana. Um abraço a todos. Valdetário.

AS CHICAS - Relato de uma fã.

Depois de um show fantástico, meu post de hoje só poderia ser em homenagem a elas.
Fico feliz e orgulhosa em ver surgir em meio a um mundo de créus e afins, um quarteto musical que realmente sabe o verdadeiro significado das palavras: canção, música, melodia, som, instrumento, voz.
São quatro meninas ainda, mas que cantam com autoridade de gente grande! Meninas que tem música no sangue (salve, salve Gonzaguinha e o velho Lua, pai e avô de Amora e Fernanda), na garganta e no pulsar do coração... Não é a toa que venceram o prêmio TIM Festival (pra quem pode e elas podem).
Isadora Medella, Paula Leal, Fernanda Gonzaga e Amora Pêra. São esses os nomes das quatro meninas, aparentemente frágeis, leves em seus vestidinhos, mas que quando abrem a boca tornam-se poderosas! São dessas que sabem o que querem, que dizem a que vieram, que têm luz própria e, estrelas que são, iluminam o nosso céu anoitecido!
Cantam tudo e cantam muito! "Felicidade" ganha um brilho ainda mais especial quando elas cantam. Paula Leal faz todo mundo ficar arrepiado quando começa a entoar "Espumas ao Vento" e, preciso dizer, mil desculpas Lenine, mas tua "Paciência" ficou muito mais linda na voz delas... se esta já era minha música de cabeceira, agora então...
Sei que estou feliz, realizei um sonho, assisti a um show delas, fiz fotos, peguei autógrafos (tá tudo lá no orkut). Isadora é um doce, a meiguice chegou ali e ficou pra sempre! Paula é a simpatia em pessoa, dessas que você olha pra ela e já se sente amiga de infância, rs! Fernanda é um amor, tão atenciosa, tão carinhosa, dá vontade de levar pra casa. A irmã dela, Amora, nunca ri nas fotos, mas é tão linda, tão linda, que a gente releva esse detalhe. Parece uma menininha e eu fiquei apaixonada pela sandália dela, rsrs!
O que posso ainda mais fazer é parafrasear o Vinicinho e dizer que as CHICAS sejam infinitas enquanto durem, e que durem pra sempre! Sucesso sempre!
Dedinhos cruzados aqui, esperando o dia de ouvir vocês assim de pertinho de novo! Enquanto esse dia não chega, vou me divertindo com o cd e olhando embevecida para os autógrafos (fã é f#$da, né? rsrs). Sim, eu comprei o barulho delas!
Pensamentinho de Cabeceira:
"Eu não sou ateu, nem quero ser
Deus te abençoe, rezo por você
Eu vou tocar a flauta pra me despedir
De longe minha alma vai velar por ti".
(Chicas - de longe minha alma vela por vocês ;* )

NOTA: postado no blog da autora e autorizado pela mesma para a postagem aqui no blogdocrato. (http://sammyraborboleteando.blogspot.com/)

O planeta esquenta e a catástrofe é iminente. Mas (ainda) existe solução.

Ondas de calor inéditas. Furacões avassaladores. Secas intermináveis onde antes havia água em abundância. Enchentes devastadoras. Extinção de milhares de espécies de animais e plantas. Incêndios florestais. Derretimento dos pólos. E toda a sorte de desastres naturais que fogem ao controle humano.

Há décadas, pesquisadores alertavam que o planeta sentiria no futuro o impacto do descuido do homem com o ambiente. Na virada do milênio, os avisos já não eram mais necessários – as catástrofes causadas pelo aquecimento global se tornaram realidades presentes em todos os continentes do mundo. O desafios passaram a ser dois: se adaptar à iminência de novos e mais dramáticos desastres naturais; e buscar soluções para amenizar o impacto do fenômeno.

Em tempos de aquecimento planetário, uma nova entidade internacional tomou as páginas de jornais e revistas de toda a Terra – o Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática (IPCC), criado pela ONU para buscar consenso internacional sobre o assunto. Seus aguardados relatórios ganharam destaque por trazer as principais causas do problema, e apontar para possíveis caminhos que podem reverter alguns pontos do quadro.

Em 2007, o painel escreveu e divulgou três textos. No primeiro, de fevereiro, o IPCC responsabilizou a atividade humana pelo aquecimento global – algo que sempre se soube, mas nunca tinha sido confirmado por uma organização deste porte. Advertiu também que, mantido o crescimento atual dos níveis de poluição da atmosfera, a temperatura média do planeta subirá 4 graus até o fim do século. O relatório seguinte, apresentado em abril, tratou do potencial catastrófico do fenômeno e concluiu que ele poderá provocar extinções em massa, elevação dos oceanos e devastação em áreas costeiras.

A surpresa veio no terceiro documento da ONU, divulgado em maio. Em linhas gerais, ele diz o seguinte: se o homem causou o problema, pode também resolvê-lo. E por um preço relativamente modesto – pouco mais de 0,12% do produto interno bruto mundial por ano até 2030. Embora contestado por ambientalistas e ONGs verdes, o número merece atenção.

O 0,12% do PIB mundial seria gasto tanto pelos governos, para financiar o desenvolvimento de tecnologias limpas, como pelos consumidores, que precisariam mudar alguns de seus hábitos. O objetivo final? Reduzir as emissões de gases do efeito estufa, que impede a dissipação do calor e esquenta a atmosfera.

O aquecimento global não será contido apenas com a publicação dos relatórios do IPCC. Nem com sua conclusão de que não sai tão caro reduzir as emissões de gases. Apesar de serem bons pontos de partida para balizar as ações, os documentos não têm o poder de obrigar uma ou outra nação a tomar providências. Para a obtenção de resultados significativos, o esforço de redução da poluição precisa ser global. O fracasso do Tratado de Kioto, ao qual os Estados Unidos, os maiores emissores de CO2 do mundo, não aderiram, ilustra os problemas colocados diante das tentativas de conter o aquecimento global.

Fonte: Revista Veja

10/11/08 - Boletim 10ª Mostra SESC Cariri de Cultura

Pelas ruas do Crato

Mascarados, palhaços, cangaceiros, reisados, bailarinas e o que mais a imaginação puder criar. Um cortejo de fantasia e arte invadirá hoje à tarde as ruas da cidade do Crato convidando a população a se juntar para a festa de celebração de 10 anos da Mostra. O tradicional Cortejo Teatral sai do Sesc Crato às 15h em direção à Praça da Sé, com irreverência, música e criatividade. Prepare a sua fantasia e venha cortejar a alegria. Em Juazeiro, o cortejo acontece amanhã, terça-feira, com saída da Praça da Prefeitura e chegada no Sesc.

* Repeteco de Saudade

Com casa cheia ontem, o espetáculo Saudade em Terras D'água do grupo Dos à Deux (França) vai repetir a sua apresentação hoje à noite às 20h no Teatro Municipal do Crato. A pedido do público, o repeteco da peça entra no lugar de Dos à Deux, que deu nome ao grupo. Saudade em Terras D'água conta, através de gestos e coreografia, uma história de um exílio forçado de uma família, provocado pelo mar que seca. Seu cenário é uma casa de palafita que vai sendo desmontada no palco. Imperdível.

SERVIÇO:

Mostra Internacional
Saudades em Terras D'água
20h - Teatro Municipal
Ingressos: R$ 8,00 e R$ 4,00 (meia)

* Fé e Raiz no Banquete

O músico paulistano Fefê Gurman traz para o palco do Banquete Dionisíaco os sucessos do seu terceiro disco, "Fé faz Falta". A noite começa animada com o grupo Dr. Raiz, de Juazeiro do Norte. Fefê traz para a Mostra do Cariri a variedade rítmica e poética de sua música e apresenta além do repertório dos discos, algumas de suas composições que já foram gravadas e interpretadas por grandes nomes da MPB como Lenine e Daniela Mercury. Dr.Raiz vem desde 1998 desenvolvendo um trabalho de identidade, através da vivência com os grupos locais de cultura popular tradicional. Construindo, assim, sua autenticidade a partir da leitura e releitura de seu regionalismo. Inspirada por essas manifestações somadas a diverso gêneros musicais, o Dr. Raiz leva ao palco a magia dos reisados, o ritmo das bandas cabaçais e uma forte e empolgante dose do que há de melhor em nossa música, como forró pé-de-serra, o maracatu, o coco, a embolada, a cantoria.

SERVIÇO:

Banquete Dionisíaco
23h - Crato Tênis Clube
- Dr. Raiz, com Dr. Raiz - Cariri/CE
- Fé Faz Falta, com Fefê Gurman - São Paulo/SP
- Farra no Cariri, com discotecagem de Lucas Santtana

Ingressos: R$ 2,00 (preço único).

* Cordel Feminino no SESC Juazeiro

A pesquisadora Fanka Santos lança hoje à tarde na Casa de Taipa montada no Sesc Juazeiro o seu livro "Romaria dos Versos - Mulheres Cearenses Autoras de Cordel". O livro é uma publicação do projeto SESCordel que nos últimos dez anos vem se empenhando numa política cultural voltada para a valorização e difusão da literatura de cordel e xilogravuras. Fanka aborda em seu livro, a produção poética de autoria feminina no Ceará. Essa pesquisa é de grande importância pois foi o SESC a primeira instituição a possibilitar a publicação de uma série de folhetos de autoria feminina no interior do estado. Esses versos compreendem uma nova produção poética que obriga a repensar atitudes no campo da historiografia do cordel que de certa maneira ocultou a presença das mulheres. Em geral se rotulou esse campo com o discurso de que a mulher não fazia versos de folhetos.

SERVIÇO:

Conversa de Autores (Núcleo Literário)
10/11 - segunda-feira
17h - SESC Juazeiro
- Lançamento "Romaria dos Versos - Mulheres Cearenses Autoras de Cordel", de Fanka Santos.

Programação completa da Mostra por dia disponível no http://mostracariri.wordpress.com
.

TRÊS ESPÍRITOS DO BRASIL PÓS-MODERNO

.
Fortaleza, a capital do Ceará, se torna cada vez mais uma fortaleza. Para resguardar a elite brasileira. Isso com uma certa mágoa da classe média média que já tem razoável expressão na cidade, inclusive nas colunas sociais e, certamente, do "Zé Povinho" que forma a imensa maioria da cidade. A fortaleza dita é simbólica: dois imensos e exuberantes casamentos. As filhas ou filhos de algum ban ban ban do Ceará casa-se com outro ban ban ban de algum lugar e se faz um casamento de Contos de Fadas. Então, na província, pobre e miserável, baixa toda a república para as delícias de comelanças, bebidanças e mostranças. É pura Versailles de Luiz XV: os vestidos esfuziantes, casacos black tie, smoking e com termos franceses e ingleses a papagaiada e o estado de pavoneamento passeiam num troca a troca de rodas para se mostrar. É tudo tão ridículo e não anacrônico que a cidade se diverte como num circo: lendo "as colunas sociais", as notas, as gafes, os acordos, até no sul maravilha, pelas páginas do Globo vendo o Zé Serra borboleteando a pleno vapor. E foram casamentos dos poderes: o primeiro do judiciário e agora o do legislativo com uma inveja de executivo. Não é mole não, de vez em quando me abate uma vergonha danada de ser brasileiro, mas afinal computo à espécie humana, mas isso é aí é pura vergonha de ser cearense.

Ontem chegando ao bairro de Bonsucesso para deixar meu filho para fazer um exame, vi a sofreguidão com a qual os guardadores de automóveis disputavam o espaço público. Entre os carros, ameaçados de acidentes graves e morte, buscavam algum trocado para vencer o dia. Todo aquela crítica ao loteamento do espaço crítica se calou no drama do ser humano tendo que tanto se expor por apenas algumas refeições a mais. Como a vida é este contínuo permanente com o mundo, não pode parar de respirar nem cinco minutos, não se pode deixar de beber água e nem de comer. E como a água e a comida só com dinheiro que não existe, fiquei em longo diálogo com meus botões. Neste estado geral da economia e das regras sociais a principal conclusão é: o equilíbrio da natureza é no mundo mineral. A vida é uma aberração, depende de tanta interação, tanto movimento que a paz do mundo é o fim da vida.

Semanas passadas falei de três pontos cardeais do centro do Rio de Janeiro. Quatro personagens da história da cidade. Pois bem, na semana que passou houve uma novidade. O rapaz que tocava a plenos pulmões pôs uma anúncio de vende-se em sua caixa de som. No trânsito pela sua vizinhança, pensei: é o fim deste ponto cardeal. Na volta, sua voz se calara, mas o ponto em que se encontrava virara uma espécie de domicílio. A caixa de som tocava um MP3 em altos decibéis e uma senhora negra dançava uma dança desritmada, mas tão evocativa com se dialogasse com uma divindade, urbana, louca, barulhenta e sujeita a engarrafamento de trânsito. O rapaz, o músico, estava deitado, com óculos escuros, os pés apoiados sobre a caixa de som, em mais legítimo ritmo de meditação.

Por: josé do Vale Feitosa

O.B.S - A garota ilustrativa é por nossa conta...
Fonte: http://www.lendo.org

Comunidade sofre com falta d'água no Crato


Na zona rural do Crato, os moradores deixam até de dormir para tentar conseguir água, durante a madrugada. Os reservatórios da comunidade de Poço Dantas secaram e as famílias, numa agonia silenciosa, esperam por ajuda.

O sacrifício é o mesmo para as 45 famílias que moram na comunidade, que fica a 25 km de Crato. O problema da falta de água é antigo e se agrava sempre que começa o período de estiagem, um cacimbão secou no mês de setembro, assim como outros poços. O único que ainda tem água é particular, a vazão é pequena e não é suficiente para abastecer os 350 moradores da comunidade.

De acordo com o Serviço de Água e Esgoto do Crato, o problema está no gasto excessivo de água pelos moradores com a irrigação das plantações. Eles afirmam que existe um projeto de expansão da rede de abastecimento para incluir seis distritos. Entre eles, o de Poço Dantas. Os recursos devem ser do Programa de Aceleração do Crescimento e a data de início das obras vai ficar para janeiro ou fevereiro.

Fonte: Portal Verdes Mares.

PARA QUE SERVE ISSO? Carlos Eduardo Esmeraldo

Esta é a pergunta mais difícil que os alunos fazem a todo professor de matemática. E a resposta a ser dada é praticamente impossível. Qualquer professor de matemática, entre os quais eu me incluo, sentirá dificuldades em satisfazer a curiosidade de seus alunos sobre as finalidades da matemática. Uma resposta que não satisfaz é a de que, mais tarde, quando o aluno estiver cursando uma faculdade ou na pós-graduação vai utilizar todo aquele conhecimento obtido, este ou aquele teorema. Muitos alunos poderão argumentar que pretendem estudar medicina, letras ou direito e, que, portanto, não irão precisar aplicar aquele monte de equações e fórmulas que lhes são apresentadas como importantes. Da mesma forma, dizer que a matemática é necessária para realizar as medidas das diversas grandezas existentes à nossa volta, não será a resposta esperada pelo aluno. Nem todos estão preocupados com isso. Afirmar que a matemática desenvolve habilidades de cálculo e ajuda a abrir a mente, torna-se aparentemente irrelevante num mundo em que nossos jovens estão familiarizados com os microcomputadores e outros aparelhos eletrônicos. Conforme nos ensina o Professor Geraldo Ávila, membro da Sociedade Brasileira de Matemática - SBM: "existe consistência na afirmação de que a matemática ajuda a expandir o raciocínio, pois ela muito tem contribuído para o desenvolvimento de outras ciências e o progresso da humanidade." E ele nos acrescenta ainda: "O pensamento matemático vai muito além do raciocínio lógico. A intuição é a faculdade mental que nos permite obter o conhecimento de maneira direta, sem intervenção do raciocínio." Todo o conhecimento matemático teve início com o uso da intuição, essa extraordinária capacidade que tem o cérebro humano de desvendar possibilidades e, graças a ela, se chegou às grandes descobertas científicas. A matemática está por trás dos avanços tecnológicos recentemente postos à nossa disposição, tais como a eletricidade, os telefones celulares, calculadoras eletrônicas, microcomputadores, televisão digital e os modernos aparelhos para diagnosticar doenças à disposição da medicina, que têm possibilitado tantas curas e ajudado a prolongar a duração da nossa vida. A matemática está presente em todas as áreas do conhecimento humano: na pintura, na arquitetura, na música, como suporte da Física, Química e Astronomia. Na Administração de Empresas ela ajuda a controlar a gestão de estoque com redução de custos, otimizando receitas e conseqüentemente o lucro. A matemática e principalmente a geometria desenvolve importante papel na expansão do raciocínio lógico, fornecendo-nos deste modo, o desenvolvimento da nossa percepção visual e a possibilidade de melhor entendermos a realidade que nos cerca.
Ainda segundo o professor Geraldo Ávila, "a maior dificuldade em se perceber os reais objetivos do ensino da matemática, encontra-se no fato de que qualquer pessoa poderá se tornar um artista, escritor, advogado, ou médico, prescindindo dos conhecimentos matemáticos." Mas fica claro que nenhum deles poderá ser um profissional completo sem um conhecimento mínimo da matemática, da psicologia, da sociologia, de relações humanas, assim como um bom engenheiro ou matemático não poderá prescindir dos conhecimentos mínimos de história, administração, de psicologia, de sociologia, de relações humanas, de direito, de biologia, e tantos outros. Sempre que me deparo com uma pergunta desse tipo, procuro satisfazer as necessidades dos alunos com os argumentos aqui relacionados. Não sei se com isso tenho atendido às suas expectativas, mas é uma tentativa.

Carioca cria máquina de multiplicar Células-Tronco

Quando se trata de tentar curar doenças graves, não basta simplesmente obter uma linhagem de células-tronco embrionárias humanas --feito anunciado por pesquisadores brasileiros no mês passado. Como no futuro, em uma terapia, um paciente terá de receber 1 milhão de células por quilo de peso, criar uma maravilhosa máquina de multiplicação desse material celular nobre é mais do que fundamental. Às margens da baía da Guanabara, pesquisadores da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) resolveram aceitar o desafio. E os resultados obtidos até agora permitem afirmar que não será por falta de células-tronco embrionárias humanas que as terapias --ou pelo menos os primeiros testes pré-clínicos-- vão naufragar. Bilhões delas poderão ser obtidas pelo método brasileiro.

Para entrar na sala do biorreator fluminense, que fica na Coppe (Coordenação dos Programas de Pós-Graduação em Engenharia) da UFRJ, todo o cuidado é pouco. O repórter teve de usar touca, luvas e máscara, além de vestir um avental e cobrir os sempre sujos sapatos. O perigo que existe não é para as pessoas. Dentro da "sala limpa", como os cientistas chamam aquele espaço, mais purificado do que uma sala cirúrgica, o risco é de o material que está lá ser contaminado pelo que vem de fora.

Grosso modo, um biorreator é uma enorme placa de cultura onde um material biológico qualquer é produzido em grande escala. No caso das células-tronco, no biorreator elas recebem tudo de que precisam para se multiplicar: nutrientes, estímulos químicos e um substrato --um meio ao qual aderir. O biorreator carioca é um gigantesco tubo de ensaio, que mais parece um balde, com capacidade para receber cinco litros de células-tronco embrionárias. Acoplado a ele está um computador, que permite que todos os ajustes ao equipamento sejam feitos à distância, sem que nenhum cientista precise pôr suas mãozinhas contaminadas sobre as frágeis células.

Mas o pulo do gato científico, como revela o engenheiro químico Paulo André Nóbrega Marinho, é praticamente invisível. Por causa de milhares microesferas de açúcar, o biorreator consegue produzir o dobro de células-tronco embrionárias pelo mesmo preço que o método convencional (que usa pequenos tubinhos de nove centímetros quadrados de área cada um). Cifras exatas ainda são muito difíceis de estimar. Essas bolinhas, no tubo gigante, fazem aumentar a área disponível para a adesão das células. "Não fomos nós que criamos essas microesferas. Mas essa adaptação para as células-tronco embrionárias humanas só é feita aqui", afirma a química Aline Marie Fernandes. A dupla de jovens doutorandos é orientada, respectivamente, por Leda Castilho (Coppe) e Stevens Rehen (Departamento de Anatomia).

"Com esses polímeros de açúcar, que são meio amassados, na verdade, existe mais espaço para as células aderirem ao substrato e crescerem", diz Marinho. Nas contas dele, o ganho total de área é expressivo. Em um grama de bolinhas --cada uma tem 0,2 milímetro de espessura-- há uma superfície de 0,3 metro quadrado. "O que significa que em todo o biorreator, que comporta 15 gramas de microesferas, existe uma área tridimensional para ser conquistada pelas colônias celulares de 4,5 metros quadrados", diz Marinho.

EDUARDO GERAQUE enviado especial da Folha de S.Paulo ao Rio
Fonte: Universo On-Line.

Mais uma edição do "Leituras Negras" nesta Terça-Feira no Crato


Projeto Leituras Negras discute influência africana na cultura Brasileira nesta terça-feira, dia 11 de novembro, no Salão de Atos URCA e na Praça dos Quatro Bancos – Seminário. A influência do povo africano na cultura brasileira, a partir da música, da dança e da religiosidade será a temática do Projeto Leituras Negras que realizará no dia 11, uma extensa programação. As atividades serão realizadas no Salão de Atos da URCA no período da manhã e tarde e pela noite na Praça dos Quatro Bancos no Bairro Seminário (Crato) terá apresentação do grupo de dança afro Afoxé Oba Orun. O bairro Seminário foi escolhido para apresentação por reunir diversos terreiros da religião de Matriz Africana. O evento é aberto ao público e tem o como foco contribuir para a formação dos militantes negros e dos professores do Ensino Básico, tendo em vista a Lei 11. 645, que inclui no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena".

O evento contará com palestra do sobre " A religiosidade de matriz africana", tendo como palestrante Leno Farias – Ogan Alabê Axé Olóioba, diretor da União Nacional pela Igualdade Racial – Unegro e mestre do batuque do maracatu Vozes da África e a palestra A influência africana na musicalidade brasileira, palestrante Jean Alex – músico, integrante do maracatu Sol na Macambira, graduando em Pedagogia e pesquisador da musicalidade africana. Os alunos e professores da Escola Profissionalizante Virgilio Távora (Instituição de Ensino de Tempo Integral - Crato) fará um relato da experiência do projeto que vem sendo desenvolvido na Escola sobre a
questão racial. Já o Afoxé Oba Orun, é um grupo que além de se reunir para fazer a
dança profana dos orixás, eles fazem um estudo sobre as religiões de matriz africana, Umbanda e Candomblé especificamente. O projeto Leituras Negras é desenvolvido pelo Instituto Ecológico e
Cultural Martins Filho –IEC, vinculado a Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Regional do Cariri – URCA em conjunto com o movimento Negro, como é o caso da União Pela Igualdade Racial – Unegro, Grupo de Valorização Negra do Cariri – Grunec e a 18ª. Crede.

Programação:

Dia: 11 de novembro ( terça-feira)

Manhã
Relato de experiência da Escola de Ensino Profissionalizante Gov. Virgilio Távora
Palestra: A religiosidade de matriz africana
Palestrante: Leno Farias – Ogan Alabê Axé Olóioba, diretor de União
Nacional pela Igualdade Racial – Unegro e mestre do batuque do
Maracatu Vozes da África
Local: Salão de Atos – URCA

Tarde
Palestra: A influência africana na musicalidade brasileira
Palestrante: Jean Alex – músico, integrante do maracatu Sol na Macambira, graduando em Pedagogia e pesquisador da musicalidade africana.

Noite
Apresentação Afoxé Oba Orun
Local: Praça dos Quatro Bancos
Bairro: Seminário Crato

Serviço:
Projeto Leituras Negras
Instituto Ecológico e Cultural Martins Filho – IEC/Proex/URCA
(88) 3102-1212 ramal 2424
.

CRATO - Núcleo de Audiovisual finaliza documentário

.

Os alunos do Audiovisual, do Projeto Verde Vida, encerram as gravações do 6º documentário. Margarida Parteira, título do filme, teve suas gravações finalizadas esta semana. O curta metragem apresenta a história de Margarida Brito, que durante 56 anos, de sua vida, se dedica a fazer parto na comunidade de Ponta da Serra e sítios vizinhos. O documentário tem o propósito de mostrar o verdadeiro sentido desta profissão a partir de fatos relatados pela parteira e os depoentes. “Margarida leva consigo este oficio visando apenas ajudar o próximo”, afirma a diretora e roteirista do vídeo, Karina Valdevino.


O primeiro documentário produzido foi A Última Badalada, dirigido por Paloma Lopes e Allyson Leite. O curta conta a história de vida de Maria Ferreira da Silva conhecida pela comunidade de Ponta da Serra como Dona Maricô, que há mais de 25 anos anuncia, através do sino da igreja Matriz da Ponta da Serra, o falecimento de alguém e festas do padroeiro da comunidade. O segundo curta metragem, gravado, Farinhada na Malhada dirigido por Girlândia Vieira, narra a história da Farinhada, atividade que acontece anualmente, em agosto, no Sítio Malhada localizado em Ponta da Serra, na Casa de Farinha da Associação Comunitária. O documentário evidencia o crescimento da produção de farinha da região do Cariri, além de destacar esta atividade econômica como sendo um elemento agregado dos membros da comunidade local.

Os dois primeiros documentários participaram no mês de setembro, do projeto Curta Muito com duas exibições, a primeira em praça pública, para toda a comunidade de Ponta da Serra e a outra em Crato no espaço Cultural Coletivo Malungo. O Curta Muito é uma parceria do Coletivo Malungo com o Centro Cultural Banco do Nordeste –CCBNB que duas vezes ao mês exibe vídeos em espaços públicos.

O terceiro documentário, Na Sombra da Catingueira, narra os fatos históricos relativos ao sítio Catingueira, em Ponta da Serra. A importância deste curta está no documento produzido sobre a história da Catingueira relatando o desenvolvimento sociocultural, destacando-se a comunidade local, inclusive favorecendo ao ensino e ao trabalho do Projeto Verde Vida. Segundo a diretora do vídeo, Marineide Alves, Resgatar a história do lugar e contribui para o registro da memória da formação escolar sobre o patrimônio cultural e social da Catingueira é a verdadeira intenção deste documentário.

O último documentário finalizado, Estórias de Trancoso dirigido por Anyelle Brito tem como objetivo resgatar as histórias e lendas locais da cultura de Ponta da Serra, com o intuito de criar um elo entre o “ontem” e o “hoje”. Este curta relata as histórias dos habitantes da comunidade, por entre meados dos anos sessenta. Nesta época não havia energia elétrica no distrito e os moradores costumavam se reunir a noite em lugares específicos para contar histórias ao redor de uma fogueira.



Fonte: Ong Verde Vida
.

Singela Homenagem a Altemar Dutra

.

No dia 9 de novembro de 1983, falecia em Nova Iorque aos 43 anos , um dos maiores cantores da música romântica brasileira, Altemar Dutra de Oliveira. Nasceu no dia 6 de outubro de 1940,em Aimorés MG, foi e é um dos maiores vendedores de discos no Brasil. Fez sucesso não só no Brasil como em toda a América Latina.No seu currículo , deixou imensos sucessos ainda hoje interpretados em serestas e emissores de rádios pelo Brasil. Sentimental Demais, Brigas, Que Queres tú de Mim, O Troco e uma infinidades de músicas ainda hoje executadas nas emissoras do país. Seus maiores sucessos foram de autoria dos compositores Evaldo Gouveia (Cearense), e Jair Amorim. Altemar Dutra deixou na região do Cariri , uma grande legião de fãs.

Por: Amilton Silva