24 outubro 2008

Oração da Noite: Senhor, dai-me Paciência para aturar o Forró dos Infernos !


O Forró é a Oitava Praga !



Senhor,

Sei que sou um grande pecador, que não mereço as boas coisas que fazes por mim. As infinitas e maravilhosas dádivas com que me presenteia todos os dias. O Dom maravilhoso de viver, de poder ver, de andar, de falar com as pessoas, de poder ajudar meus semelhantes.

Mas, porque Senhor meu Deus, me deste também o desprazer de ter de aturar tantos imbecis nesse mundo ? Tanta gente horrível que existe, que só nos causa mal... Por exemplo, porque me castigas agora mesmo, com esse vizinho e seu SUBWOOFER dos infernos? Porque permitiste que Satanás enviasse para a terra o Subwoofer que fica lá longe e só faz tremer a terra como um trovão, sem trazer música nem informação ? Até quando terei que aguentar passivamente que os outros invadam minha residência nessas horas da noite com essa praga de Forró Eletrônico ridículo, Senhor meu Deus ? Até quando terei de conviver com esses fora-da-lei ?

Oh, Deus de Abraão, de Isaac e de Jacó, Porque não envias um restinho daqueles raios de Sodoma e Gomorra em cima desses Filhos da P... e os leva para as profundas do Inferno? Porque me afliges meu deus, com essa desgraça que nem é música, nem é nada, é apenas merda sonora feita para saciar a sêde dos otários do mundo? Já que és o símbolo da perfeição, ó poderoso, porque permitiste vir ao mundo esses desalmados, que perturbam nosso sono e tira a nossa paz ? Porque não fizeste desses infelizes um aborto ao nascer, ou fizilados no paredão, assim como todos aqueles que insistem no Forró Eletrônico ? Seriam menos imbecis no mundo! Porque nós temos que aguentar esses infelizes às portas de casa sem poder fazer nada contra?

Senhor, eu não tenho metralhadora nem canhão. ( Quisera! ) e não há arma ainda inventada capaz de erradicar as Bestas Humanas que adoram o forró pornográfico, e a estupidez humana. Sei, Senhor, sou impotente contra esses canalhas sozinho por enquanto apenas, por isso, dai-me pelo menos hoje o gosto e o sossego de uma noite de paz. Abençoa as pessoas de bem deste mundo também. Não deixa que sejam perturbados por essas larvas da terra! Senhor, envie-nos todas as pragas do Egito, mas tirai do mundo o forró eletrônico, e isso aqui ainda assim se tornará uma maravilha.

Ó deus que tira o Forró do Mundo,
Tende Piedade de Nós
Ó deus que tira o Forró do Mundo,
Dá-nos a PAZ !

Amém!
Tum Tum Tum Tum Tum Tum Tum Tum...

Glossário:
Subwwoofer - Alto-falante geralmente usado em carros que faz a terra tremer, e de longe só se escuta: Tum Tum Tum Tum...

Autor: Dihelson Mendonça - Numa terra sem Lei, sem Alma e sem Homens de vergonha na Cara para fazer Cumprir as leis.

.

Futebol - Por: Amilton Silva

Brasileirão Série B

A 32ª rodada do Brasileirão Série B, prossegue hoje com tres partidas.No Castelão, em Fortaleza, às 19h,30m o Fortaleza recebe a visita do lanterna da competição praticamente rebaixado o CRB.O tricolor entrará com a obrigação de vencer, ja que, encontra-se na zona de rebaixamento com 35 pg.O juventude joga em casa com o Gama. Completando a rodada, O Vila Nova terá um dificil compromisso contra a equipe da Ponte Preta.

Brasileirão série A:

Flamengo massacra Coritiba com goleada histórica

A equipe do Flamengo goleou o Coritiba ontem (23), no Maracanã, por 5 X 0.Os gols foram marcados por Leonardo Moura de penalte,Obina , Ibson, Maxi e do goleiro Bruno.Com essa goleada o Flamengo passou a 55 pontos ganhos, fica na 4ª posição , entra na zona da libertadores e ainda sonha com o títuo do Brasileirão. Com um gol marcado logo aos 2 minutos do primeiro tempo através do atacante Reinaldo, o Grêmio venceu o Sport no Olímpico, e mantém o sonho do título do Brasileirão 2008.Com o resultado o Grêmio permanece na liderança isolada do campeonato com 59 PG. O São Paulo assumiu a vice liderança do Brasileirão, ao vencer de virada o Vitória BA, debaixo de um forte temporal na noite de ontem no Morumbi.O tricolor paulista soma agora 56 PG , ficando a 3 pontos do Líder Grêmio. O Vitória abriu o placar aos 14 minutos do primeiro tempo com leonardo Silva, ainda no primeiro tempo o Sao Paulo empatou com Hernanes aos 28 minutos, a virada veio aos 8 minutos do segundo tempo com Hugo marcando de cabeça.

Por: Amilton Silva, editor de esportes do Blog do Crato.

NADANDO EM ÁGUAS CLARAS - Carlos Eduardo Esmeraldo

Numa noite úmida de fevereiro, sentindo-me inadaptado à cidade grande e seus inúmeros rostos estranhos, vi-me, como que de repente, envolvido por uma onda acolhedora que me lançou no meio de um mar de águas mornas, claras e aconchegantes. Meu corpo flutuava livremente, sem necessidade de me esforçar para me manter na superfície daquela água deliciosa. Ao meu lado, uma multidão de rostos desconhecidos também flutuava. O sentimento de cada um daqueles banhistas parecia fundir-se ao meu, num processo de unificação sobrenatural. Inexplicável descrever com precisão a emoção que sentíamos. Um bem estar invadia nossas almas e, aquele prazer inesquecível, que toda criança experimenta num banho de piscina, era comum a todos os companheiros daquele inacreditável passeio aquático. Um velhinho simpático se aproximou de mim sorrindo. Então comentei com ele:
– Que banho maravilhoso! Sinto-me outro homem. – Ele então me perguntou:
– Você não sabe onde está?
– Não. – Respondi. E enquanto a brisa nos transportava suavemente para a praia, ele me disse:
– Você morreu. Estamos na vida eterna.
– Que bom! – Exclamei com alegria. – Agora vou rever meu pai e minha mãe que estão aqui. – Ao que fui imediatamente contrariado pelo bom velhinho:
– Já faz mais de dez mil anos que estou aqui e ainda não encontrei nenhum conhecido.
– Também pudera. Há dez mil anos, a população do mundo não era nem duzentos mil habitantes. Agora não, eu conheci muito mais gente que já morreu que o senhor. – Disse-lhe eu todo convencido, enquanto sem que nos déssemos conta, estávamos na praia. Era uma estreita faixa de terra espremida entre aquele lago mágico e um alto que nos lembrava o morro do nosso Seminário. Na encosta dessa pequena elevação uma multidão incalculável se espremia olhado para o topo da montanha. De repente vi duas mocinhas conhecidas lá do Crato, que estudavam em João Pessoa e haviam morrido num desabamento da casa em que moravam, numa noite de grande chuva. E disse pro meu amigo:
– Está vendo? Já encontrei duas conhecidas. Aquelas duas moças são lá do Crato. – disse-lhe em tom de vitória. Ele retrucou imediatamente:
– Aquelas duas moças têm dois mil anos que morreram. Elas viveram na época de Cristo. Não podem ser do Crato, porque essa cidade ainda não existia. – Completou o amigo. E acrescentou:
– É hora de Jesus chegar.
Aquele velhinho transpirava bondade por todos os poros e me transmitia uma segurança e bem estar nunca d’antes experimentado. Ajeitei-me nas pontas dos pés para poder melhor visualizar o Mestre, ansiosamente esperado. O meu bom companheiro explicava que todos os dias, àquela mesma hora, o Senhor vinha nos visitar. De repente um forte clarão surgiu por trás de uma nuvem e a multidão toda se agitava. Jesus estava chegando! À medida que Jesus se aproximava do morro, um vento forte balançava nossos cabelos e refrescava o forte calor daquela noite. O clarão aumentava de intensidade fechando nossos olhos automaticamente. Fiz um esforço enorme para abrir meus olhos. Precisava ver Jesus. Naquele exato momento, a luz fluorescente do banheiro fora acesa e o tiquetaque do despertador me lembrava um novo dia de muito trabalho.

Alexandre Sales falará - em São Paulo - sobre o Geopark Araripe


Dentro do 44º Congresso Brasileiro de Geologia, que será realizado na cidade de São Paulo ­ – acontecerá no próximo dia 29 o “Simpósio 23 (SP-23)” com a temática “Monumentos geológicos, e conservação e geoturismo / geoparks”.
Para pronunciar a palestra acima, a coordenação do 44º Congresso Brasileira de Geologia convidou o Prof. da URCA, Alexandre Magno Feitosa Sales, geólogo e doutor em Paleontologia pela USP. Ele abordará também a proposta de criação do Geopark da Serra da Bodoquena e do Pantanal, em Mato Grosso do Sul.
Alexandre Sales, ex-diretor do Museu de Paleontologia da URCA em Santana do Cariri, foi um dos implantadores do Geopark Araripe, juntamente com os professores Gero Hillmer (da Universidade de Hamburgo, Alemanha) e André Herzog, ex-reitor da URCA.

Peles


O Curtume Aimoré tornara-se um dos mais importantes de todo estado. Fincado na capital espalhara, pouco a pouco, representantes comerciais por todo o interior, com o fito de comprarem peles que, após o processo inicial de salga , eram enviados à matriz para a continuação do beneficiamento dos couros: remolho, depilação, caleiro, desencalagem, acidificação e curtimento. Zenildo Catonho especializara-se neste ramo e, periodicamente, cobria toda a região de Matozinho e adjacências no intuito de classificar couros e comprá-los para o Curtume Aimoré. Sua chegada era esperada com alguma ansiedade na Vila. Primeiro ele trazia consigo a esperança de alguma renda suplementar para a população rural, máxime em época de seca, quando a mortandade de bichos mostrava-se sempre assustadora e couro esticado por tudo quanto é lado, fazia-se quase uma bandeira deste sertãozão de meu Deus. Depois, Catonho se fora tornando uma figura bastante querida na cidade por conta de um outro lado seu: o da boêmia. Trabalhava no seu mister todo o dia, mas a noite dedicava caprichosamente à rua do Caneco Amassado onde examinava cuidadosamente outras peles bem mais cheirosas e macias e, também, perfeitamente negociáveis. Profissionalmente, no entanto, sempre se apresentava extremamente criterioso e classificava os couros com um rigor impressionante. A Aimoré o tinha na mais alta conta e, ao longo dos anos, se foi transformando num funcionário padrão.
Semana passada, Zenildo chegou em Matozinho e montou, como sempre, o escritório numa das dependências da Botica de Janjão Cataplasma. Para lá peregrinaram muitos matutos com couros para serem classificados e vendidos. Zé Capivara , uma das línguas mais afiadas de Matozinho, fazia a limpa de um pequeno roçado no sopé da Serra da Jurumenha quando viu Saturnino Cafimfim todo fiota, passando na estrada com um couro enrolado, embaixo do braço. Não se conteve:
--- Ei Cafifim, pra onde ta se botando , homem de Deus ?
--- To indo pra Matozinho, vender este courinho de um veado que matei mês retrasado... A coisa ta preta, uma seca danada... O couro tá inteirinho e acho que dá primeira...
Tardizinha, Capivara deu com Cafimfim fazendo o caminho de volta... apenas menos entusiasmado do que na ida, com um ar de Sá-Marica-Comeram-meu-milho.
--- E aí, Cafimfim, negociou o couro ?
--- Vendi, vendi, só que o rapa de sola do Zenildo classificou o bicho como terceira, só por causa de uns furinhos de nada de chumbo de soca-soca... Atrás de pobre corre uma onça, não apurei quase nada...
Enquanto Cafimfim desaparecia , cabisbaixo, na curva extrema da estrada, Zé Capivara murmurou entre dentes:
--- Ora, se nem o couro desse povim de Matozinho dá primeira, quanto mais couro de viado...
À noite , Zenildo estava estabelecido no Cabaré de Maria Justa, mais alegre e solto que pinto em monturo. Aquele dia , historicamente, era muito especial: aniversário da mais querida e reverenciada cafetina de Matozinho. Festa para varar a noite e furar as tripas da madrugada. Lá já estava, a postos , a orquestra sinfônica de Matozinho: o pé-de-bode de Geracino pandeiro de Tiê e do zabumba de Tiziu. A casa se encontrava completamente repleta. D. Maria Justa , radiante, envergava um longo cor de jerimum, cheio de penduricalhos por tudo quanto era relevo. A maquiagem, carregadíssima , faria inveja ao Carequinha. As meninas , espalhadas pelo salão, com seus melhores e mais farfalhantes vestidos, sorriam sorrisos menos artificiais do que os do dia-a-dia. A dança rolava solta no salão principal, com a liberalidade e a soltura imprescindíveis ao roça-roça de corpos. Zenildo, um dançarino do melhor jaez, sabia bem a regra geral: todo bom dançarino aprendeu sua arte no cabaré.
No melhor da festa, por volta de uma hora da manhã, todos mais melados que macacão de mecânico, Feitozinha do Correio entra na Boate à procura de Zenildo. Encontra-o descansando em uma mesa, entre uma e outra dança, com Das Virgens acomodada, sensualmente, no seu colo. A entrada de Feitozinha , àquela hora, jogou uma ducha de água fria na fervura do ambiente. Todos pensaram no pior, principalmente quando viram nosso carteiro entregar um telegrama, nas mãos de Catonho, chegado há pouco e lavrado em código Morse. A orquestra parou, os bêbados fizeram um minuto de silêncio , enquanto Zenildo desfolhava o telegrama com ar algo preocupado. Conteve-se ao ler as palavras encaminhadas por sua mulher:

“ Mamãe teve um colapso PT Morreu hoje PT
Abigail”

De repente, nosso curtumista fitou a todos e com um sorriso nos lábios, e concluiu :
--- Não é nada não, pessoal, só cotação de couro de bode ! Toca a festa Geracino !



J. Flávio Vieira



Patrimônio ecológico
Sítio Fundão
será
reestruturado
O patrimônio ecológico Parque Estadual Sítio Fundão,
criado em março deste ano pelo governo estadual,
vai ser reestruturado. A área fica na cidade do Crato,
na Região do Cariri
Rita Célia Faheina
da Redação
O projeto de reestruturação do Parque Estadual Sítio Fundão, patrimônio ecológico que fica no Crato, Região do Cariri, será lançado hoje, às 8 horas, no auditório da Coordenadoria Regional da Saúde (20ª Cres), no bairro São Miguel. A área, de 93.54 hectares desapropriada pelo Governo do Estado em fevereiro deste ano, estava sendo motivo de preocupação dos ambientalistas que denunciavam a ação de caçadores de animais silvestres e de vândalos que roubavam a fiação elétrica dos postes localizados no parque. Edmundo Alencar, filho do antigo proprietário do sítio, Jefferson da Franca Alencar, é um dos denunciantes. Ele se diz preocupado com o abandono da área que é rica em biodiversidade e mata nativa. Possui, inclusive, vegetação remanescente da Mata Atlântica. Segundo Edmundo, já houve no local a ocorrência de queimadas, a retirada ilegal de madeira e a colocação de arapucas para capturar animais nativos. O Sítio Fundão, localizado a três quilômetros da sede do Crato, ainda conserva um carro de boi feito de pau, uma barragem construída no período da escravidão e casa de taipa antiga com dois andares. Segundo o projeto que será apresentado hoje pelo superintendente estadual do Meio Ambiente do Ceará (Semace), Herbert Vasconcelos, o engenho será reestruturado e a casa de taipa vai ser transformada em um centro de visitação. Segundo Herbert, quando o governo estadual comprou a área, foi recebida com 400 metros de cerca danificada. Essa cerca de proteção será reconstruída.
O projeto, que será lançado hoje, inclui também a nova sede do escritório da Semace-Cariri, uma unidade da Companhia de Policiamento do Meio Ambiente (CPMA). Dentro do Sítio Fundão está localizado o geotope Batateiras, um dos nove que compõem o Geopark Araripe. O decreto de desapropriação da área data de 8 de fevereiro passado, mas só foi publicado no Diário Oficial do Estado no dia 11 daquele mês. No dia 14 de março deste ano, o Governo do Estado criou o Parque Estadual do Sítio Fundão, uma área de 93 metros quadrados, 520 hectares em unidade de conservação de proteção integral. (Colaborou Amaury Alencar)
SAIBA MAIS
O Sítio Fundão Faz parte do Geotope Batateiras do Geopark Araripe que é uma outra ação de preservação ambiental do contexto geológico e paleontológico da Bacia Sedimentar do Araripe. Neste âmbito, existem também compromissos públicos de transformação desta ação em um Programa Estadual de Governo e consolidação efetiva do parque, já que o próprio Governo do Estado está à frente da realização da 1ª Conferencia Americana dos Geoparks Unesco, no Crato, em 2009. O Geopark Araripe é uma iniciativa do Governo do Estado do Ceará, representado pela Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Educação Superior, coordenado pela Universidade Regional do Cariri (Urca). Em dezembro de 2005, o Governo do Estado do Ceará apresentou postulação à Divisão de Ciências da Terra da Unesco, que reconheceu em setembro de 2006 o Geopark Araripe como primeiro Geopark das Américas.
O conceito do Geopark Araripe está baseado no estabelecimento de uma rede de Unidades de Conservação da Natureza, que se estendem por uma área de mais de 5.000 km, abrangendo seis municípios diferentes da região. Cada unidade é denominada de Geotope e corresponde a um estrato e tempo geológico definido, permitindo ao visitante uma abrangente compreensão da origem, evolução e estrutura atual da Bacia Sedimentar do Araripe. Os geotopes são nove: Exu (Pontal de Santa Cruz, em Santana do Cariri); Arajara (Parque do Riacho do Meio em Barbalha); Santana (Parque dos Pterossauros em Santana do Cariri); Ipubi (antiga Minas Chaves entre Santana do Cariri e Nova Olinda); Nova Olinda (Mina de pedra cariri em Nova Olinda). Outros geotopes são: Batateiras (rio das Batateiras no Crato); Missão Velha (floresta fóssil); Devoniano (Canyon do rio Salgado) e Granito (Colina do Horto, onde fica a estátua do padre Cícero em Juazeiro do Norte). O Geopark Araripe possui ainda um escritório central na cidade de Crato e o Museu de Paleontologia da Urca, como unidades fundamentais.
(Matéria publicada no jornal O POVO, edição de 24-10-2008)

Acidente premiado


.:.

– Vida de polícia é dura demais! Se ela prende o povo reclama; se não prende, reclamam também. Se age com firmeza e rigor durante as ações – é uma polícia ultrapassada, intransigente; se atua com cidadania, desrespeitam-na.

– Alto lá, camarada! Que estultícia é essa? A Polícia tem é moral... Você já viu o que acontece quando a Polícia chega num bar? Todo mundo fica em pé! É o policial pedir e o dono desliga o som. Os milicos entram de graça em clubes...

– Alto lá você também! Os milicos nada! Eu sou Bombeiro (militar), e já fui barrado várias vezes na entrada de clubes. Da última vez que isso me aconteceu eu reagi com firmeza. Quando meu amigo procurou por mim, deu de cara com o porteiro do clube agarrado ao portão de acesso e eu o segurando pelas longas barbichas e gritando: ‘– Não vai me deixar entrar, não! Não vai me deixar entrar, não, hein!’. Eu puxava era com força, rapaz! Por pouco não arranco a barba do homem.

– O povo só lembra que Bombeiro é autoridade quando está no sufoco... Nessas horas vocês são os caras!

– Civil folgado você, sabia?

– Também acho. Não sabe nada da vida de caserna e fica tirando onda.

– Calma! Estamos apenas conversando. Não posso falar o que penso? Na realidade vocês são pessoas de sorte. Estão empregados. Trabalham sem se preocupar com o dia de amanhã. Essas coisas que nas empresas privadas não há. Vocês têm Estabilidade.

– Por falar em sorte, vou confidenciar o que tive que fazer numa ocorrência. Envolve a questão da autoridade também.

– Veja lá o que você vai falar, hein! Não se esqueça que tem um paisana aqui.

– Posso ou não posso contar?

– Conte isso de uma vez...

– Então vamos aos fatos:

Eu estava de serviço como socorrista e o condutor da ambulância era o CB Praxedes. Por volta das vinte e duas horas entrou uma ocorrência de atropelamento e fomos ao local com a devida brevidade.

Tratava-se de um casal de namorados, colhidos por um automóvel numa das avenidas do centro da cidade. Em virtude do horário e considerando que o motorista do veículo evadiu sem prestar nenhum socorro às vítimas, encontramos os dois muito agitados e uma multidão de curiosos.

Eles pareciam discutir entre si quando desci da viatura e os abordei, tentando uma aproximação para iniciar o atendimento. De repente, o rapaz solta o verbo:

– Sai fora, otário! Ninguém aqui precisa de nada não, tá ligado?

Tentei acalmar os ânimos, mas o acidentado não estava entrando na minha e prosseguia nas agressões verbais:

– Meu irmão, sai fora! Se você tocar em mim eu processo você, tá ligado!

Como não havia perspectivas de sucesso nas negociações, voltei para a ambulância e informei ao CB Praxedes o que se sucedia. Ele pegou um modelo de declaração que havia na viatura, entregou-mo e disse:

– Leve pra ele assinar e vamos embora. Se não quer ser atendido, paciência.

Dirigi-me ao casal novamente, agora com o papel na mão, e pedi pra ele assinar a recusa ao atendimento:

– Bicho, tu é mané mermo! Quem é tu pra me fazer assinar isso?

Voltei transtornado para a ambulância e confesso que naquele momento me deu uma vontade tremenda de ser policial... Quando retornei para a viatura e o CB Praxedes me viu com a folha em branco, esbravejou:

– Você é um recruta muito do frouxo! Não consegue fazer uma pessoa assinar a droga de um papel! Vá lá e só volte com esse papel assinado, entendeu?

Eu fui. Em menos de um minuto, com a folha assinada, entro na ambulância e falo que já poderíamos voltar para o quartel. O CB Praxedes, assustado, pergunta:

– Que foi que você fez, recruta?

– Falei pra ele, chefe, que os Bombeiros sorteavam todo final de mês um televisor, uma geladeira e uma bicicleta entre as pessoas acidentadas na cidade... Foi molinho, ele assinou sem ler.

– Recruta desenrolado, gostei!

E voltamos para o quartel.

Dias depois, pra minha surpresa, o dito cujo aparece no grupamento perguntando na guarda quem tinha sido o sorteado do mês. O plantão da hora, sem saber do que se tratava, chamou o fiscal de dia... E o caso foi parar na sala do Major comandante. Ouvi bem quando o Major falou que tudo não passava de um engano. Ao sair da sala, o cidadão comentou com o comandante:

‘– Pode crê, comando! Deve ter sido uma lombra muito doida essa minha, tá ligado!’

E eu, amigos, também estava ligado, tá ligado, e saí de mansinho.

Nijair Araújo Pinto

Crato-CE, 23 de outubro de 2008.
01h15min

Crônica do meu quarto livro ‘Lapso Temporal’.

Meu pensamento do dia:
O sentimento humano é o paradoxo da realidade concreta. Assim, quanto maior o vazio, mais rapidamente uma pseudo-relação tende a preenchê-lo. Isso nos serve como alerta nos momentos de carência, pois nessas horas podem surgir, além de efêmeros fantasmas, novos monstros, ingenuamente identificados como primevo amor ou nova paixão.
(Nijair)

TRIBUTO A BIDIM.

Raimundo Lucas Bidinho, poeta, repentista e improvisador varzealegrense dedicou toda sua vida ao trabalho na defesa das causas sociais. Liderou o movimento sindical rural numa época difícil, enfrentou os grandes latifundiários, foi preso varias vezes e nunca esmoreceu. Na historia assemelhada a proporção Várzea-Alegre e Brasil o BIDIM seria o nosso Lula. Em seu livro, O CEARENSE, conta a historia da desmatação da CE – 55 que liga o município de Várzea-Alegre a Farias Brito, causando muitos prejuízos a quem possuía lavoura a sua margem. Além da baixa indenização, não pagavam com dinheiro, imaginem os senhores, pagavam com arame farpado e muitas vezes era só embromação como no caso do BIDIM. O funcionário encarregado de pagar os prejuízos chamava-se Bastos que motivou BIDIM a metrificar: Veja com atenção, na sua revolta, o que disse o poeta!
Seu Bastos no mês passado
Em nossa ultima conversa
Ainda tive a promessa
Do meu arame farpado
Mas estou desenganado
Será que é promessa só?
Se o Senhor não tiver dó
Eu vou perder o juízo
Por causa do prejuízo
Do meu algodão mocó.

Quando no primeiro mês
Passou a desmatação
Minha roça de feijão
Quase acabou de uma vez
De nove baixou pra três
Do meu suor o produto
Passou cobrindo de luto
A minha casa vazia
Na roça que fiz num dia
Se destruiu num minuto.

Sem a ninguém me queixar
Um jovem funcionário
Forjou um vocabulário
A fim de me consolar
Seu Bidim não vá ficar
Como quem teve e não tem
Perdeu dez recebe cem
Já fiz o requerimento
O nosso departamento
Não prejudica ninguém.

Prejuízo não encare
Eu medir sei o que dar
O governo pagará
Cem mil por cada equitare
Pra receber se prepare
Eu vi a destruição
Com essa indenização
Encaminhada por mim
Hoje o senhor é BIDIM
Amanha será BIDÃO

Eu que em tudo acredito
Pobre só pensa em melhora
Eu disse a minha senhora
O homem falou bonito
Ele dizendo está dito
Vi a roça se acabar
Mas nós vamos melhorar
Já posso comprar fiado
Tomar dinheiro emprestado
Até o homem chegar.

Qual lá homem qual lá nada
Cheguei da roça cansado
Já encontrei um recado
De um dos homens da estrada
Que eu tomasse chegada
A roça do algodão
Jogasse a cerca no chão
Pra levantar outro dia
Naquela tarde alguém ia
Fazer a desmatação.

Sei que estrada e rodagem
Já trás por seus princípios
Promoção aos municípios
Em geral tudo é vantagem
Ao povo da sua margem
Fornece franco transporte
Mas o lavrador sem sorte
Com uma roça no centro
Encontrando um trator dentro
È mesmo que vê a morte.

Casal de macacos causa transtorno na zona rural


Fauna silvestre

Clique para Ampliar

Fêmea do casal de macacos-prego foi entregue ao Ibama do Crato, onde é mantida em viveiro (Foto: Antônio Vicelmo)

Fêmea já foi entregue ao Ibama do Crato, mas o macho ainda permanece no Sítio Luanda, na Serra do Araripe

Crato. Macacos-prego estão tirando o sossego dos moradores do Sítio Luanda, localizado no sopé da Serra do Araripe, a 8km do Crato. Um casal de macacos apareceu na localidade, a cerca de um mês. Entra nas casas e provoca todo tipo de desordem. Além de desarrumar e quebrar os objetos, eles mexem nos itens de uso pessoal das mulheres, como batons e perfume. Comeram até um sabiá que estava na gaiola. Na última quarta-feira, um dos bichos foi apreendido e entregue à sede do Ibama no município.

As peripécias dos animais lembram o que aconteceu no ano passado na cidade de Exu, quando dois macacos foram presos pela Polícia e conduzidos ao Ibama do Crato, depois de terem ateado fogo em várias residências daquela cidade no Pernambuco. A Polícia Ambiental esteve no Sítio Luanda tentando capturar os bichos. A aposentada Gislene Alves, que veio de São Paulo para cuidar de sua mãe Angélica Gomes Batista, com 93 anos de idade, informou que não suporta mais as danações causadas pelos macacos. “Não é possível que a gente tenha de abandonar nossas casas para dar lugar aos animais”, disse.

Ao fazer essa observação, Gislene lembra que na região já apareceu até onça. “Mas os macacos causam mais medo”, afirma. Existe a suspeita de que um deles foi baleado porque apareceu com um sangramento.

Proteção

Na casa de dona Maria de Bilonga a conversa é outra. Ela diz que os macacos não fazem mal a ninguém. “Eles são meus filhos. Entram na minha casa, sentam no meu colo e até catam piolho em mim”, diz Maria de Bilonga, advertindo e ameaçando, que se alguém matar os bichinhos “vai pagar com o mesmo preço”.

Mesmo ganhando apenas R$ 62,00 por mês, Maria consegue viver satisfeita ao lado de quatro cachorros e ainda sobra dinheiro para alimentar os macacos. Ela construiu um jirau no terreiro de sua casa, onde coloca alimentos, dentro de uma tampa de geladeira, para alimentar os animais que aparecem. Todos os dias, a partir de 5 horas da manhã, os dois macacos, que passam a noite no mato, visitavam a casa de dona Maria. Só voltavam para a floresta ao meio dia, depois de alimentados e acariciados.

Mas nessa quarta-feira, a dona-de-casa entregou à Sociedade Protetora dos Animais, (SPA) um dos macacos que estavam freqüentando sua casa. Apesar da tristeza, ela disse que o animal está mais seguro no Ibama. “Aqui, ele estava sendo ameaçado pelos meninos e até por homens armados de espingarda”, disse.

Os agentes da SPA deixaram a fêmea dentro de um viveiro, no terreiro de dona Maria, ao lado de uma armadilha, na expectativa de capturar o macho que se encontra nas proximidades, mas não deixa ninguém se aproximar. Os dois macacos serão entregues ao Ibama que, segundo informações dos agentes, deve levá-los para os municípios de Campos Sales ou Fortaleza, a fim de serem soltos em reservas autorizadas.

Antes, ela havia feito uma proposta aos ambientalistas que estiveram lá. “Entrego os macacos em troca de um papagaio”. Na casa de dona Maria, os dois macacos se comportavam como se fosse animais domésticos. Porém, nas outras residências onde se sentem ameaçados pela meninada que atira pedra e grita, reagem com agressividade. Além de dona Maria, os dois macacos contam com outros protetores.

São os quatro guardas da prefeitura que dão plantão na fonte da Batateira para evitar a depredação da área. O guarda Demival Saraiva diz que os macacos estão no seu habitat. “Eles fazem parte da natureza, não merecem essa fúria das pessoas que se sentem importunadas”. Demival destaca o amor que dona Maria tem pelos macacos.

Características

O termo macaco-prego é a designação genérica da antiga espécie de macacos Cebus apella. Alimentam-se de frutos, nozes, sementes, flores, insetos, ovos e pequenos vertebrados. Podem viver em bandos de até 50 indivíduos. São considerados os primatas mais inteligentes das Américas.

FIQUE POR DENTRO

Características do macaco-prego

O macaco-prego é o único primata neotropical que freqüentemente utiliza ferramentas em ambiente natural. As ferramentas mais comuns são pedras utilizadas para quebrar frutos. Também utilizam varetas para capturar larvas de insetos e mel de ocos de árvores, e pedras para cavar o solo em busca de raízes comestíveis. Inteligente e de mãos habilidosas, o macaco-prego é facilmente ensinado. Adapta-se ao cativeiro, mas como é muito ativo, cria problemas. Passa a maior parte do tempo nas árvores, onde dorme e consegue alimento. Só desce para beber água ou atacar plantações na orla da floresta. O bando desloca-se continuamente, pulando de galho em galho. A cauda deste macaco não é preênsil, quando se movimenta, mantém a cauda para cima, enrolada no galho.

ANTÔNIO VICELMO
Repórter


Mais informações:
Instituto Brasileiro de Meio Ambiente Recursos Naturais Renováveis (Ibama)
R. Joaquim Fernandes Teles, 10
(88) 3521.1529 / 3523.1999

Reportagem: Antonio Vicelmo
Fonte: Jornal Diário do Nordeste

Fiéis do Padre Cícero antecipam romaria

Juazeiro do Norte. A Romaria de Finados, a ser iniciada oficialmente no próximo dia 29, com celebração às 19 horas, na Basílica de Nossa Senhora das Dores, passa a ser um atrativo mesmo antes de começar. Romeiros de diversas partes do País já circulam na cidade. Ruas nas proximidades da Basílica, Capela do Socorro e Santuário dos Franciscanos, locais de maior aglomeração durante este período já estão tomadas por vendedores informais. No comércio da cidade já se percebe uma boa movimentação. A previsão é que mais de 600 mil pessoas visitem a cidade no período comemorativo.

A organização das romarias, no sentido de prestar maior assistência à multidão que chega ao município, principalmente entre os dias 29 e 2 de novembro, está sendo planejada de forma conjunta entre representantes da Igreja, entidades de classe e poder público. Este ano, conforme o secretário de Turismo e Romaria de Juazeiro, Felipe Figueiredo, a pretensão é proporcionar maior segurança, principalmente nos bairros, já que a Romaria de Finados — também chamada de Romaria da Esperança — toma um sentido mais amplo. As pousadas no Centro da cidade ficam com lotação esgotada a partir da quarta-feira da próxima semana.

Os romeiros antecipam as reservas, mas em alguns locais a hospedagem fica na ordem de chegada, como é o caso da pousada de Maria José de Sousa. Ela afirma que o último fim de semana surpreendeu o número de romeiros, mas todos os dias tem recebido clientes. Este é o primeiro ano que administra o empreendimento. Na próxima semana, a proprietária admite não ter medo de ver o local com toda a lotação esgotada. São 120 pessoas no que os romeiros chamam de rancho.

O vendedor informal Renato de Araújo Teixeira, desde o mês de setembro, período em que ocorreu a Romaria da Mãe das Dores, padroeira de Juazeiro, está instalado com sua barraca ao lado da Basílica. Os fins de semana tem sido melhores para venda, mas a participação dos romeiros tem sido boa. “Tenho conseguido vender todos os dias e os romeiros não param de chegar. Sempre tem gente na cidade fazendo romaria”, afirma o ambulante.

A questão da segurança, por conta de assaltos já registrados até dentro das igrejas, tem sido uma das grandes preocupações. Durante a reunião da Operação Romeiro, uma das questões mais debatidas esteve relacionada à segurança. Estiveram presentes representes das Polícias. Será reforçado o policiamento, de acordo com Felipe Figueiredo, principalmente nos locais onde a romaria estará centralizada. No bairro Franciscanos há uma grande movimentação de fiéis. Será um dos locais que terá maior número de policiais. No Socorro e no Horto também.

A administração da Brasília pediu, por meio de ofício à Secretaria de Segurança Pública do Estado, que analise a possibilidade de enviar um contingente de Policiais Civis entre eles um delegado, para reforçar o evento religioso. O padre Paulo Lemos informa, na solicitação, a deficiência por parte da Policia Judiciária, levando sérios prejuízos à investigação e resolução de ocorrências, tendo como vítimas os romeiros. Ele pede uma unidade móvel plantonista para servir os visitantes durante o período.

O atendimento na área da saúde também receberá um reforço com a inclusão de postos de saúde e mais profissionais voltados para o atendimento. Serão instaladas unidades nos três locais mais movimentados, durante o dia inteiro até às 22 horas. Nesta fase do ano, de maior temperatura, é comum os hospitais receberem maior número de pessoas, pela falta de adaptação ao clima quente da cidade caririense.

Show do Chapéu

No bairro Franciscanos, uma programação especial e toda uma organização para receber os romeiros está sendo feita. Missas diárias serão celebradas. A tradição é que cada pessoa que chegue em seus carros façam voltas em torno da estátua de São Francisco. Tem também o Passeio das Almas, uma grande passarela em torno do Santuário, acima dos arcos e colunas da grande edificação. Na Capela do Socorro, onde estão sepultados os restos mortais do Padre Cícero, este ano será comemorado o centenário. A programação inclui missas durante todo o período.

O momento de festejo dos romeiros acontece principalmente à noite, com o Show do Chapéu, em frente à Igreja Matriz, onde ocorrem shows musicais. No Dia do Romeiro, 1º de novembro, será realizado um show com a cantora Joana, na Praça do Romeiro, em frente à Basílica. O evento terá o apoio do Governo do Estado, Coelce e TV Diário.

Origem da devoção
Santuário Franciscano é referência

Juazeiro do Norte. Historicamente não se tem notícia oficial de como começou a primeira Romaria de Finados. O grande número de fiéis normalmente vinha a Juazeiro do Norte durante as missões de Frei Damião, que coincidentemente aconteciam nesta época do ano. E é no Santuário dos Franciscanos onde a Romaria de Finados passou a ser um referencial durante este período comemorativo.

Se na Romaria de Nossa Senhora das Dores é comum a visitação de romeiros de Alagoas, nessa de novembro a presença maior é de fiéis do Estado do Pernambuco. Também há uma característica maior no transporte, tradicionalmente feito pelos caminhões paus-de-arara, um meio de locomoção que parece não ter outra alternativa para muitos sertanejos.

Flores, chapéus, imagens e ex-votos são depositados sobre a lápide, no túmulo do Padre Cícero, durante a programação de missas, novenas e demais celebrações. Alguns aproveitam para fazer suas ofertas à Igreja, enquanto assistentes vão reunindo o material depositado para não haver acúmulo. Esse cuidado durante esses dias torna-se ainda maior.

Não há uma programação específica durante este período. A grande preocupação das autoridades, Igreja Católica e Prefeitura Municipal de Juazeiro é oferecer um acolhida aos visitantes, no sentido de proporcionar segurança, nos momentos de fé e oração. O motivo especial da maioria é vir acender velas no túmulo de Padre Cícero e em favor das almas dos entes queridos.

A questão da infra-estrutura ainda é o grande problema na parte de organização das romarias em Juazeiro. O secretário de Turismo e Romaria de Juazeiro, Felipe Figueiredo, ressalta a necessidade de conclusão de obras como o Centro de Apoio aos Romeiros, para melhor acomodar os vendedores informais, que comercializam uma variedade de artigos, desde imagens de santos, a terços, fotos, chaveiros.

Novidade

Neste ano, a grande novidade é a venda da estátua de Padre Cícero em resina, que possui um chip com a música do Bendito das Candeias. A pequena imagem “canta” as palavras “Valei-me meu Padrinho Cícero e a Mãe de Deus das candeias”. A idéia de produzir estátuas musicadas, com um dos mais conhecidos benditos cantados pelos romeiros de todo o Nordeste, tem seus primeiros lotes comercializados já nesta Romaria de Finados.

Trata-se de uma invenção chinesa, do empresário Jony Wang. O comerciante de imagens, Raimundo Mailson de Sousa, também administrador do Cemitério do Socorro, é um dos pioneiros na venda da novidade religiosa.

Há cerca de cinco meses, Jony Wang esteve em Juazeiro para tentar negociar com a Igreja Católica o selo do símbolo da Basílica para ser usado nas imagens em resina. O padre Paulo Lemos recepcionou o chinês, mas afirmou que mesmo o estrangeiro oferecendo um percentual em troca, a idéia não pode ser aceita.

Enquete
O Sr.(a) é devoto (a) há muitos anos?

Euclides Edson Borba
54 ANOS
Caminhoneiro
'Há 25 anos venho a Juazeiro neste período do ano, pagando uma promessa e trazendo as pessoas da minha terra.'

Francisca Maria Barbosa
26 ANOS
Estudante
'Tenho muita crença no Padre Cícero. Por lá onde moro as pessoas têm ele como um santo. Quero vir mais vezes.'

Marcelo Batista Eulálio
30 ANOS
Administrador
'Desde pequeno tinha vontade de vir à romaria. Agora tive a oportunidade de vir do Piauí pagar uma promessa.'

ELIZÂNGELA SANTOS
Repórter

Mais informações:
Secretaria da Igreja Matriz
(88) 3511.2202
Secretaria de Turismo e Romaria/ Memorial Padre Cícero
(88) 3511. 4040

Fonte: Diário do Nordeste

PENSE NUMA PRAÇA CARA !!! - A Praça de 90.000 Reais de Ely Aguiar !

.


Sobre a reforma da Praça Siqueira Campos

Em razão do alto valor alegado que foi gasto na reforma da Praça Siqueira Campos ( cerca de 96.000 reais ), eu entrei em contato com algumas pessoas, e soube que aquela reforma é de responsabilidade do Deputado ELY AGUIAR. Foi feita uma licitação com várias empresas do ramo. Resta-nos entrar em contato com o Deputado ELY AGUIAR e tentar pegar com a construtora o orçamento daquela obra incrível. Tão incrível que eu mal noto diferença entre o Antes e o Depois. Você nota ? Seria interessante a prestação de contas de cada parafuso gasto ali, para que o povo do Crato soubesse por questão de honestidade, aonde foi gasto cada centavo desses 96.000 reais. Algo parece estar muito errado nesses contas, ou não ?

Sinceramente falando:

O que eu notei na reforma da praça:

- A troca do Piso, por um piso de pedra lisa, que é pior, inclusive derrapante
- Colocaram alguns refletores pequenos para clarear as árvores
- Pintaram os canteiros com uma tinta verde

- Construíram uma Coluna da Hora pequena e TOTALMENTE desnecessária, competindo com o busto de Siqueira Campos.
- Podaram as árvores.
- Envernizaram os bancos

Total.................................. R$ 96.000,00

Coméquié ??

PENSE NUMA PRAÇA CARA, MACHO VÉIO !!!

Gostaríamos que o nosso querido e sempre cordial Ely Aguiar viesse a público falar sobre como se deu esse gasto astronômico na praça e que ninguém no Crato consegue ver. Ely, é bom você aparecer logo, macho véio, porque tá todo mundo lá na praça Siqueira Campos olhando em grupos de 5 ou 6, de braços cruzados e perguntando: Quanto foi gasto aqui ? 96.000 ? Isso aqui não gastou nem 20 mil !!

.

Entrevista com Samuel Araripe foi adiada para a Próxima Semana !

Envie suas Perguntas ao prefeito Samuel Araripe !

Olá, Pessoal,

Em virtude de um desencontro nas nossas agendas, ( Minha e dele ), não pudemos realizar a entrevista marcada para hoje do prefeito Samuel Araripe para o Blog do Crato. Na verdade, Samuel esteve aqui no estúdio ontem, mas eu não pude fazer, e hoje eu estava preparado e ele tinha outro compromisso, de modo que a gente resolveu adiar para o início da próxima semana, pois também quero reunir mais perguntas de todos vocês pra sair de uma tiragem só. Já temos perguntas bastante interessantes colhidas junto aos nossos leitores, e mais ainda há de vir.

Continuem enviando sua pergunta, seu questionamento!

Abraços,

Dihelson Mendonça
.

OFERTA de EMPREGO - Auxiliar de Serviços Gerais portador de deficiência

OFERTA de EMPREGO - Auxiliar de Serviços Gerais portador de deficiência

O SESC Juazeiro abriu vaga para o cargo de Auxiliar de Serviços Gerais (portador de deficiência). Os interessados deverão entregar Currículo com foto 3X4 e carta de homologação junto ao INSS ou CEREST.

Na Secretaria SESC Juazeiro.
Rua da Matriz, 227, Centro , CEP: 63010-040.
Telefone (88) 3512.3355.
Atendimento aos interessados durante o horário comercial:
As inscrições vão até o dia 28 de Outubro de 2008 (terça-feira).

SESC JUAZEIRO ABRE PROCESSO SELETIVO PARA ESTAGIÁRIOS
PEDAGOGIA

Requisitos:
· Estar cursando os quatro últimos semestres.
Interessados trazer currículo com foto, histórico e comprovante de matrículas atualizados para Secretaria SESC Juazeiro até dia 28/10/08.

+ informações:
Secretaria SESC Juazeiro
Rua da Matriz, 227.
Centro, Juazeiro do Norte - CE.

Fonte: SESC
.