20 outubro 2008

DIGA NÃO ÀS DROGAS!

Postado por João Ludgero

Tudo começou quando eu tinha 14 anos e um amigo chegou com aquele papo de "experimenta! Depois, quando você quiser, é só para..." e eu fui na dele.

Primeiro ele me ofereceu coisa leve, disse que era de "raiz", "da terra", que não fazia mal, e me deu um inofensivo disco do Chitãozinho e Xororó" e em seguida um do "Leandro e Leonardo". Achei legal, coisa bem brasileira; mas a parada foi ficando mais pesada, o consumo cada vez mais freqüente, comecei a chamar todo mundo de "Amigo" (programa exibido na globo por eles) e acabei comprando pela primeira vez. Lembro que cheguei na loja e pedi: - Me dá um de Zezé de Camargo e Luciano! Era o princípio de tudo!

Logo resolvi experimentar algo diferente e ele me ofereceu um Cd de Axé. Ele dizia que era para relaxar; sabe, coisa leve... "Banda Eva", "Cheiro de Amor", "Netinho", Babado Novo, etc. Com o tempo, meu amigo foi oferecendo coisas piores: "É o Tchan", "Companhia do Pagode", "Ásia de Águia" , AVIÕES e muito mais.

Após o uso contínuo eu já não queria mais saber de coisas leves: eu queria algo mais pesado, mais desafiador, que me fizesse mexer a bunda como eu nunca havia mexido antes! Então meu "amigo" me deu o que eu queria: um Cd do "Harmonia do Samba". Minha bunda passou a ser o centro da minha vida, minha razão de existir. Eu pensava por ela, respirava por ela, vivia por ela!Mas, depois de muito tempo de consumo, a droga perde efeito, e você começa a querer cada vez mais, mais, mais...

Comecei a freqüentar o submundo e correr atrás das paradas. Foi a partir daí que começou a minha decadência. Fui ao show de encontro dos grupos "Karametade" e "Só pra Contrariar", e até comprei a Caras (revista de fofoqueiros e desocupados) que tinha o "Rodriguinho" (fantoche da mídia) na capa.

Quando dei por mim, já estava com o cabelo pintado de loiro... minha mão tinha crescido muito em função do pandeiro... meus polegares já não se mexiam por eu passar o tempo todo fazendo sinais de positivo! Não deu outra: entrei para um grupo de pagode. Enquanto vários outros viciados cantavam uma "música" que não dizia nada, eu e mais 12 infelizes dançávamos alguns passinhos ensaiados, sorriamos e fazíamos sinais combinados. Lembro-me de um dia quando entrei nas Lojas Americanas e pedi "As melhores do Molejão". Foi terrível!!! Eu já não pensava mais!! Meu senso crítico havia sido dissolvido pelas rimas "miseráveis" e letras pouco arrojadas. Meu cérebro estava travado, não pensava mais em nada!

Mas a fase negra ainda estava por vir. Cheguei ao fundo do poço, no limiar da condição humana, quando comecei a escutar "Popozudas", "Bondes", "Tigrões", "Motinhas", "Tapinhas" e "Éguinhas". Comecei a ter delírios, a dizer coisas sem sentido. Quando saia a noite para as festas pedia tapas na cara e fazia gestos obscenos. Fui cercado por outros drogados, usuários das drogas mais estranhas; uns nobres queriam me mostrar o "caminho das pedras", outros extremistas preferem o "caminho dos templos". Minha fraqueza era tanta que estive próximo de sucumbir aos radicais e ser dominado pela droga mais poderosa do mercado: a droga limpa.Hoje estou internado numa clínica. Meus verdadeiros amigos fizeram a única coisa que poderiam ter feito por mim. Meu tratamento está sendo muito duro: doses cavalares de Rock in Rol, MPB e Blues. Mas o meu médico falou que é possível que tenha que recorrer ao Jazz e até mesmo a Mozart e Bach.

Queria aproveitar a oportunidade e aconselhar as pessoas a não se entregarem a esse tipo de droga. Os traficantes só pensam em dinheiro. Eles não se preocupam com a sua saúde, por isso tapam sua visão para as coisas boas e te oferecem drogas. Se você não reagir, vai acabar drogado: alienado, inculto, manobrável, consumível, descartável, otário e distante; vai perder as referências e definhar mentalmente. Em vez de encher a cabeça com porcaria, pratique esportes, conheça melhor a realidade em que você esta inserido e, na dúvida, se não puder distinguir o que é droga ou não, faça o seguinte: Não ligue a TV no Domingo à tarde; Não escute nada que venha de Goiânia ou do Interior de São Paulo; Não entre em carros com adesivos "Fui...". Se te oferecerem um Cd, procure saber se o suspeito foi ao programa da Hebe do Faustão ou se apareceu no Sabadão do Gugu; Mulheres gritando histericamente é outro indício; Não compre nenhum Cd que tenha mais de 6 pessoas na capa; Não vá a shows em que os suspeitos façam gestos ensaiados; Não compre nenhum Cd que a capa tenha nuvens ao fundo. Não compre qualquer Cd que tenha vendido mais de 1 milhão de cópias no Brasil; e Não escute nada que o autor não consiga uma concordância verbal mínima. Mas, principalmente, duvide de tudo e de todos. A vida é bela! Eu sei que você consegue! Diga não às drogas!

Luiz Fernando Veríssimo - Adaptado por João Ludgero

OAB vai ao Supremo contra descumprimento de súmula que proíbe o nepotismo

Nepotismo, NÃO !!

BRASÍLIA - O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) aprovou nesta segunda-feira, por unanimidade, proposta do vice-presidente da entidade, Vladimir Rossi Lourenço, de ajuizamento de reclamação ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra "quem tiver descumprido" a súmula vinculante que proibiu o nepotismo nos três poderes da República. A OAB também decidiu defender no Congresso a aprovação urgente da proposta de emenda à Constituição (PEC) n° 334-B, que, segundo Vladimir Rossi, é muito mais abrangente que a súmula do STF no combate ao nepotismo.

- Assim, poderemos resolver de vez por todas essa questão no serviço público, prestigiando os princípios da impessoalidade, da moralidade administrativa e o princípio republicano - pois não se pode perder de vista que 'res publica' é coisa pública, é coisa do povo - afirmou o vice-presidente da ordem.

Fonte: O Globo

Walesvick e sua "Oficina de Malabares"



Walesvick é um jovem garoto iniciante nas artes cênicas mas já podemos dizer que é um ótimo profissional. O trabalho dele na peça 'Pimpão, o Palhaço Trapalhão' com direção de Franciólli Luciano, demonstra a sua grande habilidade manual e seu talento inegável de ator. Seus primeiros contatos com os objetos de malabares aconteceu no ano de 2006 na Mostra SESC, de lá para cá isso foi uma paixão para Walesvick que se aprimorou muito inclusive na confecção dos objetos. Essa oficina vem abrir mais um espaço para as atividades circense e mostrar um grande talento Cratense.

Olhar: Casa das Artes. Praça da Sé - Crato.

Por: Rogério Silva

A sala de aula





Estou sentado na última carteira da coluna da direita. É hora de prova. Os alunos estão temerosos, apreensivos. Afinal, é prova de Matemática: Trigonometria.

Resolvi aplicar uma prova além das previstas no calendário escolar. Agora os observo, enquanto ainda copiam as últimas questões. O levantar e o baixar de cabeças lembra um balet anacrônico, mas interessante. Os movimentos das cabeças copiando, olhando para o quadro, voltando a copiar... O quadro... O caderno – é extasiante. Já parou para observar como é engraçado esse frenetismo discente? Não! Mas você não é professor!? Nunca percebeu isso!?

Estão me procurando.

Os alunos das primeiras carteiras parecem muito mais à vontade: gesticulam, mexem de um lado para o outro – pendulando. Pensam que sumi; os mais próximos não ousam movimentos tão bruscos.

Existirá algo de errado com o teto? Por que alguns olhares estão sempre voltados para o alto? Talvez tentem buscar soluções lúdicas para os seus problemas, e que problemas!

– Professor?

– Eu.

– Na quarta questão, é seno de B?

– É. Ei, olhe pra frente, rapaz! Alguma dúvida? Atenção, turma. Qualquer pergunta dirijam-se a mim. Não quero ouvir conversas difusas e/ou paralelas, entenderam?

– Já pode entregar?

– Só a partir das dez e meia.

– Não fiz nenhuma questão, professor. Não sai nada.

– Tente mais um pouco. Enquanto isso, aguarde o momento de entregar.

Penso nos “tipos” exóticos e peculiares da sala, de todas as salas. Encontramos o palhaço, o sonso, o feio, o gordinho, o “cdf”. Todos se confundem agora. O silêncio os nivela, eliminando as nuanças... Ah! Esqueci do tímido, perdão.

O palhaço da sala está tão tristonho. Será que não consegue brincar na hora do verdadeiro show? Talvez não seja este o seu tablado, o seu palco iluminado. Luzes, agora, apenas as do teto que ele insiste observar.

O sonso olha para os lados. Foi a atenção dele que chamei quando pedi para que olhassem para frente.

O feio e o gordinho estão ladeados. Olhando-os, assim, tento compensar os excessos de ambos. São excelentes pessoas: este é engraçadíssimo (e não palhaço); aquele, lacônico e esquivo (e não sonso).

Ah, o tímido. Está ao meu lado, bem à minha esquerda. Não o vi ainda escrever nada. Será que minha presença tão próxima o incomoda, impedindo-o de escrever?

Vou dar uma rápida passada em torno da sala, talvez o liberte do sofrimento. Paro exatamente à direita do “cdf”, um pouco atrás. Vou observá-lo. Está alheio a tudo. Desde que recebeu a prova não pára de escrever: risca, rabisca, refaz cálculos, demonstra teoremas. Está desenvolvendo a expressão genérica para o cálculo do ângulo entre os ponteiros de um relógio. Não se contentou com a minha demonstração, quer fazê-la na prova, deixá-la gravada do seu modo.

– Já pode entregar, mestre?

Mestre? É incrível como o professor passa a ter importância na hora da prova! Esse aluno nunca me havia chamado assim. Passa a aula inteira dormindo! Agora sou o mestre! Mestre?

– Sim.

Muitos deles se erguem e partem em minha direção aos atropelos, como uma manada sem direção.

– Calma! Calma! Um de cada vez.

– Que prova horrível!

– Não estudei nada.

– Vou tirar zero.

– Silêncio! A prova ainda não acabou.

– Gostou da prova? – perguntam ironicamente ao “cdf”.

– Claro. Estava uma água! Demorei um pouco porque demonstrei tudo! Esse professor só passa prova fácil!

Faltam dez minutos... Faltam dois minutos... Falta um minuto...

– Atenção, turma! Acabou o tempo!

Após o fim do tempo de prova, recebo as provas dos últimos alunos. O palhaço me entrega a prova em branco, parece que não decorou o texto. O sonso, um tanto sério, entregou-me a sua também. O feio e o gordinho entregaram-me as provas num pacote só; eram duas boas pessoas, mas as provas estavam aparentemente péssimas.

– A prova acabou, digo, por fim, ao tímido. Ele se levanta, dirige-se até onde estou e, cabisbaixo, entrega-me a prova em branco.

Do meu livro ‘Crônicas e mais um conto’.

Nijair Araújo Pinto

Meu pensamento do dia:
O infinito é a dimensão da nossa própria alma.
(Nijair)

CARIRI - Pássaros são devolvidos ao IBAMA

Clique para Ampliar

Pássaros devolvidos voluntariamente por criador estão no viveiro do Ibama, onde passarão por adaptação até serem encaminhados para criatórios autorizados (Foto: ANTÔNIO VICELMO)

Clique para Ampliar

Crime ambiental destruiu vegetação nativa na Área de Proteção Ambiental (APA) do Araripe (Foto: ANTÔNIO VICELMO)

Criador foi tentar regularizar a manutenção de pássaros mas decidiu devolver as aves ao Ibama, sob lágrimas

Crato. O homem simples do sertão que bota fogo no mato para renovação da pastagem é o mesmo que, espontaneamente, devolve à natureza os seus pássaros de estimação. Os dois acontecimentos contraditórios foram registrados, no fim de semana, na região do Cariri.

Num exemplo de amor à natureza e consciência ambiental, o motorista Robério Galdino da Silva, conhecido por “Foguinho”, surpreendeu os funcionários do Ibama do Crato e do Instituto Chico Mendes com uma atitude ecologicamente correta. Ele entregou aos funcionários dos dois órgãos ligados ao meio ambiente 13 pássaros que eram criados em gaiolas e viveiro em sua casa, na comunidade de Novo Lameiro, zona rural do Crato.

Quando soube que a criação de aves em cativeiro era proibida, Foguinho procurou o Ibama para tentar regularizar o criatório de seus pássaros de estimação: um Sabiá, dois Sofreus, dois Curiós, um Azulão, uma Viana, um Cancão, um Abre-e-Fecha, uma Graúna e três Campinas. Ao tomar conhecimento das regras para manter as aves em casa desistiu e, mesmo chorando, entregou os 13 pássaros aos órgãos ambientais que vão repassá-los para as reservas naturais autorizadas.

Foguinho ainda tentou ficar com o Cancão que, quando foi levado pela Polícia Florestal, ficou agitado. No entanto, se rendeu à argumentação do chefe da Unidade de Preservação da APA-Araripe, Jackson Antero, de que era melhor se desfazer das aves do que mantê-las aprisionadas.

“Estes pássaros eram a vida de Foguinho”, diz a mãe dele, Lúcia Frazão, acrescentando que o filho amanhecia o dia, antes de ir para o trabalho, cuidando das aves. O viveiro e as gaiolas vazias criaram um drama de “cortar coração” entre os familiares de Foguinho, principalmente entre as crianças, segundo afirma dona Lúcia, lembrando que, apesar da tristeza, foi melhor assim. “Meu filho é uma pessoa honesta que não gosta de nada ilegal”, diz, resignada, a mãe.

Crime ambiental

Manter aves da fauna brasileira em cativeiro sem a autorização do órgão ambiental é considerado crime punível conforme a Lei de Crimes Ambientais. Em hipótese nenhuma os pássaros poderão ser soltos na natureza sem que o Ibama seja informado. A soltura de animais silvestres em locais inadequados também é considerada uma infração.

De acordo com a lei, as aves têm que ser cadastradas. Cada criador terá ainda que atualizar a relação de aves de que dispõe, bem como se adequar às novas regras definidas em Instrução Normativa já publicada no Diário Oficial da União. Entre as regras estão a identificação de cada espécie de pássaro canoro com uma anilha metálica específica, fechada e com diâmetros definidos na nova regulamentação ambiental.

Incêndio na APA

A poucos metros da casa de Foguinho, um crime ecológico mobilizou o Corpo de Bombeiros que teve de apagar um incêndio na Área de Proteção Ambiental do Araripe. No mesmo horário, outro fogo foi registrado na margem da estrada do Granjeiro. Uma área de dois hectares foi queimada para o plantio.

Nesta época do ano, são freqüentes as queimadas com o objetivo de preparar o solo para a agricultura. O agricultor usa o fogo para esperar a chuva. Trata-se de uma alternativa geralmente eficiente, rápida e de custo relativamente baixo quando comparada a outras técnicas que podem ser utilizadas para o mesmo fim.

As queimadas são autorizadas pelo Ibama sob critérios técnicos, como os aceiros, por exemplo, que impedem a propagação do fogo além dos limites estabelecidos. Ao receber a autorização para a queimada, o proprietário da área é instruído sobre a melhor maneira de executar o trabalho.

O Ibama também distribui material educativo sobre as queimadas em regiões onde essa prática é usual.

No momento , estão sendo realizadas palestras orientando os agricultores sobre as queimadas controladas. Em situações especiais, o Ibama pode proibir as queimadas, o que não impede que elas ocorram de forma ilegal, provocando incêndios florestais.

ANTÔNIO VICELMO
Repórter


Mais informações:
Instituto Chico Mendes
Praça Joaquim Fernandes Teles
Bairro Pimenta
Crato (CE)
(88) 3521.5138

Reportagem: Antonio Vicelmo
Fonte: Jornal: Diário do Nordeste

Futebol - Por: Amilton Silva

A 30ª rodada do Brasileirão 2008, foi finalizada neste domingo (19) com os seguintes jogos:

VITORIA 2 X 2 FLUMINENSE
PALMEIRAS 2 X 2 SAO PAULO
CORITIBA 1 X 1 GOIAS
ATLETICO MG 0 X 2 CRUZEIRO
SPORT 2 X 2 NAUTICO
PORTUGUESA 2 X 0 GREMIO
VASCO 0 X 1 FLAMENGO




O DESEMPENHO ELEITORAL DO PT - UM BREVE BALANÇO

Por: Amadeu de Freitas

Os regimes políticos democráticos nas sociedades capitalistas vão sempre produzir resultados eleitorais ora com avanços à esquerda ora com recuos à direita, em decorrência da própria natureza da sociedade capitalista. A conquista de governos por partidos populares ou de esquerda e por partidos conservadores ou de direita vai depender da correlação de forças entre esses grupos e de outros fatores locais. Como vivemos um momento na sociedade brasileira em que ganha espaço a idéia de promoção da justiça social com o Governo Lula, podemos dizer que os resultados eleitorais obtidos pela esquerda em 2008 são fruto de uma conjuntura política favorável.

Em todo o país, o PT e outros partidos de esquerda aumentaram o número de prefeituras que governarão a partir de 2009. A evolução entre 2004 e 2008 é a seguinte: o PT cresceu 33%, o PV 38%, o PSB 76% e o PCdoB 300%. Enquanto isso, o PSDB teve uma redução de 10% e o DEM de 37% do número de prefeitos. Também o número de vereadores dos partidos de esquerda aumentou em relação à legislatura que termina este ano. No Estado do Ceará, além da reeleição da prefeitura de Fortaleza, o PT reelegeu e conquistou um total de 15 prefeituras, sendo o partido que governará o maior número de cearenses.

A novidade nas eleições de 2008 para o PT do Ceará está no resultado obtido na Região do Cariri com a eleição de Santana, em Juazeiro do Norte e a de Zé Leite, em Barbalha. Conseguindo realizar boas administrações nesses dois municípios importantes do Sul do Estado, o PT e seus aliados se credenciarão para alargar a presença institucional na Região do Cariri a partir de 2013. No Município do Crato, a inviabilidade da unificação dos partidos aliados ao Governo do Estado em uma única candidatura facilitou a reeleição do candidato do PSDB. Por se tratar de incompatibilidade com práticas políticas e modelos administrativos de lideranças desses partidos isso não significa que essa base não possa, no futuro, construir um projeto conjunto para disputas vindouras. Esse fato verificado no Crato e em outros municípios é comum em governos com base aliada ampla.

Em que pese a polêmica gerada com a decisão do Partido dos Trabalhadores do Crato de formalizar aliança para apoiar o candidato do PV, André Barreto, hoje podemos avaliar que foi uma decisão acertada. Primeiro porque o PT participou de uma campanha de forma protagonista indicando o candidato a vice-prefeito, compondo a coordenação de campanha e contribuindo para a elaboração do programa de governo com as propostas que sempre defendemos quando lançamos candidatura própria. Segundo porque o PT estabeleceu uma relação política com grupos sociais que permite ampliar o espectro político do seu arco de alianças eleitorais e com os movimentos sociais. Terceiro porque realizamos uma campanha em que os nossos candidatos tiveram comportamento ético, sem compra de voto e debatendo propostas para o desenvolvimento do município. E por último, a avaliação é positiva porque o PT elegeu uma vereadora, Mara Guedes, com boa votação (1.030 votos) para uma candidatura de esquerda.

A coligação entre PV, PT, PCdoB, PMN e PTdoB lançou 21 candidatos a vereador e obteve 6.099 votos entre nominais e de legenda. Com seis candidatos ou 28% das vagas, o Partido dos Trabalhadores obteve 2.623 votos ou 43% dos votos nominais e de legenda da coligação. É um resultado que demonstra a importância do PT.

O retorno do PT à Câmara Municipal do Crato com a eleição de Mara, seguramente contribuirá para qualificar o debate político em torno dos problemas do município e será uma voz importante na defesa do projeto político e social que nossa aliança representou nas eleições e que precisa manter-se vivo como alternativa ao projeto elitista que foi reeleito.

Amadeu de Freitas é dirigente municipal do PT do Crato