04 outubro 2008

Alargamento e prolongamento da Av. Padre Cícero


Os novos ares de desenvolvimento são seletivos e exigem infraestrutura adequada, as novas empresas preferem especialmente a Av. Padre Cícero que têm boas vias de tráfego com os municípios de Crato e Barbalha além de outras partes da cidade via Av. Castelo Branco, no entanto ao Norte, mais precisamente ao atingir a Rua Leão XIII, há um ponto de estrangulamento crítico e todo a trânsito passa de forma caótica por dentro do comércio de Juazeiro do Norte, o problema se amplifica cada vez mais, principalmente durante as romarias. Uma cidade precisa disponibilizar um trânsito rápido, é inconcebível que uma rodovia como a CE-060 (rodovia mais importante do Estado do Ceará, que liga Fortaleza a Jardim) utilize uma rua em mão única como a Rua Padre Cícero dentro de uma cidade polulosa como Juazeiro do Norte, e que o fluxo em sentido oposto seja disperso em várias ruas secundárias de tráfego local.

Pensando nisso e em medidas de impacto sugerimos o alargamento e duplicação da Rua Padre Cícero desde a Rua Leão XIII até a Av. Lindalva Rodrigues Bezerra permitindo uma rápida ligação entre municípios vizinhos e região sul da cidade com a região norte e saída ao norte por Caririaçu via futura Rodovia Padre Cícero. Esta avenida é cara, mas não é impossível, pode ser dividida em etapas: 1- trecho Leão XII-Carlos Gomes, 2- Trecho Carlos Gomes-Alencar peixoto, 3- trecho Alencar Peixoto-Dr Floro, 4-trecho Dr. Floro-Lindalva Rodrigues. A medida que os veículos avançassem nessa via escolheriam a altura da Rua São Pedro que desejassem interceptar como: Rua Leão XII, Carlos Gomes, Sta Luzia, São Francisco, o que diminuiria a trânsito na Rua São Pedro. Parcerias com o estado e união devem ser celebradas, pois a mesma também faz parte da planejada BR-112.

Fonte: Blog JuaNews

Papa insiste na proibição de anticoncepcionais para os católicos



Miguel Mora - Em Roma (Itália)

"Os anticoncepcionais que impedem a procriação desvirtuam o sentido último do casamento" - foi o que lembrou ontem o papa Bento 16 em uma mensagem enviada a um congresso sobre o 40º aniversário da Humanae Vitae, encíclica em que Paulo 6º proibiu o uso da pílula para os católicos. Com pouco sucesso, porque, como assume Bento 16, "o mundo e também muitos fiéis têm dificuldades" para compreender a mensagem da Igreja, "que ilustra e defende a beleza do amor conjugal em sua manifestação natural". Esse amor entre os esposos, explicou o papa, tem um modo próprio de se comunicar: "gerar filhos". E "excluir essa dimensão comunicativa mediante uma ação que tente impedir a procriação significa negar (...) a verdade íntima desse amor".Bento 16 admite, porém, que no "caminho do casal podem ocorrer circunstâncias graves que tornem prudente distanciar os nascimentos de filhos ou mesmo suspendê-los". Assim, salienta o papa, "o conhecimento dos ritmos naturais da fertilidade da mulher se transforma em fato importante para a vida dos cônjuges". Em outras palavras, o único anticoncepcional autorizado pela Igreja é o popularmente conhecido como "folhinha", que o papa define, de maneira muito mais culta, como "métodos de observação". De cada cem mulheres que o utilizam, entre 14 e 24 ficam grávidas."É verdade", reflete Bento 16, "que a solução técnica aparece muitas vezes como a mais fácil também nas grandes questões humanas, mas na realidade esconde a questão de fundo, que tem a ver com o sentido da sexualidade humana e com a paternidade responsável, para que seu exercício possa ser a expressão do amor pessoal". E conclui: "A técnica não pode substituir o amadurecimento da liberdade, quando está em jogo o amor". Para terminar, o papa exorta os sacerdotes a pregar para os casais uma mensagem "que os oriente a entender com o coração o maravilhoso projeto que Deus inscreveu no corpo humano".As palavras do papa são um aperitivo para o 12º Sínodo da Igreja Católica, que começa neste sábado (4) na igreja de São Paulo Extra-Muros em Roma. A assembléia dos bispos, que serve como "banco de cérebros" de caráter consultivo para debater as questões prementes da Igreja, reunirá até o dia 26 em Roma 253 padres sinódicos e uma centena de especialistas e auditores para discutir o tema "A palavra de Deus na vida e a missão da Igreja".A ausência mais destacada será a dos bispos da China continental (virão somente os de Hong Kong e Macau), porque o regime desse país não permitiu sua participação, segundo confirmou ontem o secretário-geral do sínodo, Nikola Eterovi. A representação da Conferência Episcopal Espanhola sofreu uma mudança imprevista. Não irá Fernando Sebastián, arcebispo de Pamplona, sendo substituído por Antonio Cañizares, que foi eleito primeiro suplente pela CEE. A razão dessa ausência é dupla. O Vaticano não gostou que Sebastián, já aposentado, participasse da reunião como emérito, porque isso teria aberto um precedente no sínodo, mesmo tendo sido o bispo mais votado por seus colegas, à frente de Ricardo Blázquez, o segundo, e do próprio presidente, Antonio María Rouco Varela, que ficou em terceiro. A segunda razão é que Sebastián recebeu em maio um encargo do Vaticano que o mantém muito ocupado: ele é o comissário pontifício que deve resolver o espinhoso caso da associação Lumen Dei. A Unión Lumen Dei é uma sociedade privada de fiéis que foi fundada em 1967 em Cuzco (Peru) por Rodrigo Molina, um sacerdote jesuíta espanhol (1920-1982), e pela freira Josefina Serrano (1948-1999). Hoje a Lumen tem 6 mil alunos e 20 centros escolares na América Latina e na Espanha. Sebastián está investigando as supostas irregularidades cometidas na administração de um colégio da Lumen em Hortaleza (Madri), o Santa María de la Asunción. Segundo a associação, Sebastián apoiou a direção que se apossou do colégio ilegalmente e demitiu injustamente e deixou sem casa três freiras da Lumen que lecionavam no colégio. Algumas famílias de alunos denunciaram que o objetivo do Vaticano e da Conferência Episcopal é assumir a administração do patrimônio da Lumen Dei.

Tradução: Luiz Roberto Mendes Gonçalves
Visite o site do El País

Será que todo mundo leu o que foi Postado Ontem e hoje ?

Escrever sem ler, É comer sem Digerir !

S
erá que não estamos mais preocupados em escrever do que em Ler a opinião dos outros ? Tanta coisa importante foi escrita de ontem para hoje e não estou vendo muitos comentários.
Estou vendo novas e novas matérias que descem vertiginosamente, sem ao menos a gente conseguir entender...

Peço a todos do Blog do Crato, que possamos estabilizar essa NAVE em tipo 8 a no máximo 10 mensagens por dia, a fim de que possamos DIGERIR o conteúdo do Blog. Escrever sem ler, é a mesma coisa que Comer sem digerir. Então, vamos refletir um pouco, pensar antes, e escrever somente o essencial, e procurar LER o que os nossos ilustres colegas estão postando também. Não comentar sobre o material por todos postado é até uma forma de desrespeito para com os colegas. Escrevam comentários também. Participem !!

Mal terminou a manhã e temos quase 15 mensagens.
Talvez precisemos refletir sobre nossas postagens e a quantidade delas. Todos nós.

Abraços,

Dihelson Mendonça

Frase do dia!

Contenha a inveja.
Ela é a fonte de muita infelicidade.
Um ótimo final de semana.

5 de outubro - 20 anos da 7ª Constituição republicana


Maílson da Nóbrega

A Constituição de escolhas erradas
"Em vez de uma nova Constituição, bastaria emendar a do regime militar, dela extirpando os poderes de arbítrio"

Durante os trabalhos da Assembléia Constituinte (1987-1988), recebi dois de seus ilustres membros no Ministério da Fazenda. Queriam minha opinião sobre sua proposta de incluir na Constituição uma norma para conceder anistia das dívidas bancárias dos agricultores. Eu lhes disse que julgava a idéia imprópria para um texto constitucional. Custaria muito ao contribuinte e deixaria um péssimo exemplo, que estimularia demandas semelhantes no futuro. De nada adiantou. Dias depois, a direita e a esquerda se uniram para aprovar a medida.
Participei de muitas das negociações da Constituinte. Derrotas e frustrações como essa eram a rotina. Idéias estapafúrdias vingavam, caso do artigo que fixou a taxa de juros real em 12% ao ano. Os representantes do Norte, Nordeste e Centro-Oeste defendiam a elevação substancial das transferências da União para seus estados. Acreditavam que a reforma seria a redenção. Preparei estudo mostrando o erro do raciocínio.
Resumi o estudo em artigo para VEJA (30/9/1987). Os parlamentares não gostaram. Em nota oficial, pediram minha demissão. A justificativa era emocional: "Nordestino, da Paraíba, nascido em terra sofrida, o articulista, esquecido de suas origens, investe contra as populações mais pobres, que estão lutando, apenas, para alcançar a merecida e esperada igualdade nacional de tratamento". Como era previsível, a redenção não aconteceu. Não é assim que se enfrenta a questão das desigualdades regionais.
Uma comissão de constituintes buscou formular uma proposta para transferir responsabilidades aos estados e municípios e assim compensar as perdas de recursos da União. Constatou-se que não havia o que fazer. O grosso dos gastos se concentrava em pessoal, aposentadorias, dívida pública, Forças Armadas e outros. Não dava para transferi-los para outras esferas de governo.
A Constituinte se transformou em abrigo para privilégios e benefícios em favor de estados, municípios, funcionários públicos, aposentados, devedores e quejandos. Poucos faziam conta dos custos. Grupos de pressão conseguiam criar regras de seu exclusivo interesse. Na contramão da história, aumentou-se a intervenção na economia e se criaram novos monopólios estatais. As vozes da sensatez no Congresso eram caladas pelo anticapitalismo e pelas comemorações nas vitórias das idéias do atraso.
Situação oposta ocorreu com os líderes americanos que elaboraram a primeira Constituição escrita da história (1787). Eles se guiaram por princípios, particularmente os relativos à liberdade. Embora tenham cometido o erro de não extinguir a escravidão, produziram uma obra política colossal, de apenas sete artigos. As novas instituições contribuiriam para transformar o país em potência.
Nossos constituintes se inspiraram em modelos exaustos, em vez de mirar o futuro. Basearam-se em visões idílicas de como resolver seculares problemas sociais. Certas regras beiram o ridículo, como as que estabelecem onde o juiz deve morar e os tipos de polícia. A racionalidade econômica foi deixada de lado. Resultado: uma obra velha de mais de 300 artigos, um estado obeso e uma carga tributária excessiva.
As escolhas erradas custam caro até hoje, mas cresceu o apoio a mudanças. Já são 62 emendas constitucionais, embora sua aprovação tenha consumido energias que poderiam ser empregadas de forma mais produtiva. Em seus mais de 220 anos, a Constituição americana recebeu apenas 27 emendas.
Em vez de uma nova Constituição, bastaria emendar a do regime militar, dela extirpando os poderes de arbítrio. Nenhum país bem-sucedido precisou de um texto constitucional como o nosso para garantir a democracia e as conquistas da cidadania. Deve-se lembrar que o Brasil é signatário da Declaração Universal dos Direitos Humanos das Nações Unidas (1948).
É necessário reconhecer que não dava para evitar o desastre de 1988. A maioria professava a ingênua visão de que a democracia e a Constituição nos trariam felicidade sem muito esforço, sob comando do estado. Não havia liderança política disponível para convencer do contrário. Foi um grande erro. Resta-nos acelerar as reformas e minimizar seus efeitos.

Maílson da Nóbrega é economista. Ex-Ministro da Fazenda no governo José Sarney

DATAS COMEMORATIVAS

Caros leitores, hoje comemora-se as seguintes datas:


Dia de São Francisco de Assis
Dia do Barman
Dia da Natureza
Dia do Cão
Dia do Poeta


Sendo assim, vamos pedir a nosso querido São Francisco de Assis que nos ilumine,agindo com muita prudência, bebendo menos, consequentemente evitando acidentes, preservando mais a natureza,o meio ambiente.Defendendo com afinco os cães das "eutanásias",respeitando os animais.Tudo isso declamando lindas poesias.Bom final de semana e uma eleição consciente para todos.

Luiz Claudio Brito de Lima

Eleições 2008: Tire todas as dúvidas sobre voto, justificativa e regras da eleição


Dia da eleição

Quando será a votação do primeiro turno das eleições municipais deste ano?
Será neste domingo, dia 5 de outubro.

Qual será o horário de votação?
Das 8h às 17h, conforme o horário local. Quem estiver na fila até esse horário, terá assegurado o ato de votar.

Quem é obrigado a votar?
Homem e mulheres de nacionalidade brasileira, domiciliados em território nacional, alfabetizados, maiores de 18 anos e menores de 70.

A quem o voto é facultativo?
Analfabetos, maiores de 16 e menores de 18 anos, maiores de 70 anos, portadores de deficiência física ou mental que requererem à Justiça Eleitoral autorização para não votar.

Como faço para consultar o local de votação?
O TSE disponibiliza em seu site uma página onde o eleitor pode consultar a zona eleitoral e seção de votação. Caso não lembre o local, clique aqui para consultar. Para fazer a consulta, é necessário informar o número do título eleitoral.

O que levar para o local de votação?
Para votar, título de eleitor ou documento com foto, desde que saiba a seção e a zona de votação. Para justificar, o requerimento e título de eleitor ou documento com foto.

Quem tem preferência na fila da votação?
Segundo o TSE, têm preferência para votar os candidatos, os juízes, seus auxiliares e servidores da Justiça Eleitoral, os promotores eleitorais e os policiais militares em serviço, os eleitores maiores de 60 anos, os enfermos, os portadores de necessidades especiais e as mulheres grávidas e lactantes.

O que é proibido no dia da votação?
Uso de alto-falantes e amplificadores de som; promoção de comício ou carreata; distribuição de propaganda eleitoral em qualquer local; e aglomeração de eleitores.

O eleitor pode ser preso no dia da eleição?
Ninguém pode ser preso cinco dias antes ou 48 horas depois do encerramento da eleição, salvo em flagrante ou em virtude de sentença criminal condenatória por crime inafiançável.

Como votar

Como votar nas eleições deste ano?
Primeiramente, a urna exibirá o painel referente à eleição para vereador. O eleitor deverá teclar os cinco dígitos relativos ao número do candidato. A tela mostrará o nome, a fotografia, o número do candidato, a sigla do partido e o cargo disputado.

Se a identificação do candidato que aparecer na tela estiver correta, o eleitor deve apertar a tecla “confirma”. Se estiver errada, deve apertar a tecla “corrige” e votar novamente, digitando os cinco números do seu candidato a vereador.

Na seqüência, a urna eletrônica vai exibir o espaço para votação para prefeito. O eleitor deve teclar os dois dígitos do número do candidato e apertar a tecla “confirma”. É possível corrigir quantas vezes for necessário.

Clique aqui para simular o seu voto (simulador do TSE). Confira dicas para escolher seu candidato.

Como vota o eleitor deficiente visual?
Segundo o TSE, nas seções onde previamente a Justiça Eleitoral foi informada de que há eleitor com deficiência visual, haverá fone de ouvido para que ele possa ouvir o que está digitando A urna conta com identificação numérica em braile em cada uma das teclas para facilitar a votação. É emitido também um sinal sonoro após a digitação de cada tecla e um longo sinal ao final da votação.

Posso levar celular ou máquina digital para o local de votação?
Você pode levar os objetos, mas para entrar na cabine de votação, será preciso deixa-los em uma bandeja ou guarda-volumes.

É possível votar apenas na legenda?
Sim. Na votação para vereador, o eleitor pode votar apenas na legenda. Para isso, deve teclar os dois dígitos do número do partido. Aparecerá na tela da urna o nome do partido. Se a identificação estiver correta, o eleitor deve apertar a tecla “confirma”.

Segundo o TSE, se um eleitor confirmar um número errado de candidato, desde que os dígitos identificadores do partido (os dois primeiros) estejam corretos, o voto será computado para a legenda partidária.

É possível votar em branco?
Para isso, basta o eleitor pressionar a tecla (Branco) e, em seguida, apertar "confirma".

Em quais casos o voto é nulo?
O voto será nulo se o eleitor digitar um número de candidato ou partido inexistente e apertar a tecla "confirma". Para evitar esse problema, o TSE recomenda que o eleitor leve anotados os números dos seus candidatos.

Para quem vai o voto se eu votar branco ou nulo?
Para ninguém, nem no caso da eleição para prefeito nem para vereador. A definição é feita a partir dos votos válidos, ou seja, sem considerar .

E se a urna falhar?
A urna eletrônica possui uma bateria de 12 horas. Cada zona eleitoral tem urnas reservas. Se a urna não puder ser substituída, os eleitores votarão em cédulas impressas.

Justificativa

Eu posso justificar o voto dentro da própria cidade se mudei para bairro distante?
Não, a justificativa é permitida somente quando o eleitor está fora de seu domicílio eleitoral.

Se por motivo de saúde, acidente ou imprevisto eu não puder votar?
Você tem o prazo até o dia 4 de dezembro para ir ao cartório eleitoral apresentar sua justificativa.

Quantas vezes é possível justificar a ausência na eleição?
Quantas vezes forem necessárias sem prejuízo ao eleitor.

É possível justificar na primeira eleição em que for votar?
Sim.

Como faço para justificar o voto?
No dia da votação, entregar o requerimento de justificativa em qualquer seção eleitoral do país com apresentação de documento de identificação com foto ou título eleitoral. Os requerimentos também estão disponíveis nas seções. É possível ainda justificar até 60 dias após a votação no cartório eleitoral mais próximo do domicílio com documentos que comprovem o motivo da ausência à votação.

Se justificar no 1º turno, precisa justificar no 2º?
Sim, a justificativa deve ser feita a cada turno. Quem tiver três faltas seguidas sem justificativa, tem o título cancelado.

Até quando é possível justificar ausência na votação?
O eleitor que deixar de votar no dia 5 de outubro terá até o dia 4 de dezembro. Nos municípios em que houver segundo turno, o eleitor terá até o dia 26 de dezembro para justificar a ausência na votação do dia 26 de outubro.

Preciso levar o requerimento pronto?
Segundo a Justiça Eleitoral, deve-se deixar para assinar o requerimento na presença do mesário.

O eleitor domiciliado no exterior, com o título regularizado, precisa votar ou justificar a ausência nas eleições municipais?
Não. Ele não vota e nem justifica nas eleições municipais.

Quem está no exterior em viagem ou em situação irregular, ou seja, não tenha alterado o domicílio, precisa justificar?
Sim, estes eleitores entram na condição de faltosos e podem justificar no exterior.


Como é possível justificar o voto no exterior?
É possível encaminhar requerimento de justificativa eleitoral pelos Correios ao juiz da zona eleitoral onde o eleitor é inscrito. Pode ainda justificar nas embaixadas e consulado. Os que estão em viagem têm 30 dias após retorno ao Brasil para justificar no cartório eleitoral de sua inscrição, apresentando cópias do passaporte e bilhete de passagem. Consulte endereços das embaixadas e dos consulados.

Título de eleitor

Regularizei meu título este ano. Já posso votar nessas eleições?
Sim, o sistema da Justiça Eleitoral é automático. Ao pagar a multa devida, o eleitor tem seu título regularizado e pode votar normalmente.

Quem tem a situação eleitoral considerada irregular?
O eleitor que não votou nas três últimas votações (cada turno é considerado uma votação), não justificou ausência e nem quitou multa devida após passado o período para justificativa.

O que acontece com quem está com a situação irregular na Justiça Eleitoral?
Não pode se inscrever em concurso ou prova para cargo público e nem ser empossado na função. Os empregados no serviço público não podem receber salário. Não é possível obter empréstimos em bancos mantidos pelo governo, tirar passaporte, carteira de identidade e nem renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial.

Propaganda

O que é considerado propaganda irregular?
- distribuição por comitê ou candidato de camisetas, chaveiros, bonés, canetas, cestas básicas ou quaisquer outros bens ou brindes
- propaganda em postes de iluminação, outdoor, sinalização de tráfego, viadutos, passarelas, pontes, paradas de ônibus, árvores, jardins e imóveis particulares de uso público (ex: cinema e clubes)
- folhetos que não contenham legenda do candidato, o nome do vice-prefeito e os partidos da coligação. Os candidatos a vereador devem citar partido e nome da coligação. O material deve ter o CNPJ ou CPF da gráfica
- Propaganda na internet, mesmo que em sites próprios

Como fazer denúncias de irregularidade na eleição?
Basta procurar o site ou ligar no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de seu estado (clique aqui para acessar a página do TRE de seu estado). É possível também procurar o promotor eleitoral de sua cidade, no Ministério Público. Não é necessário se identificar.

Que tipo de manifestação política é permitida no dia da votação?
Manifestação individual e silenciosa por partido ou candidato por meio de camisa, boné, broche e adesivos em carros particulares.

Adesivo no carro pode ser considerado boca de urna?
Não, se for o carro do eleitor que vai votar e estaciona seu veículo próximo da Zona Eleitoral. Sim, se estiverem estacionados durante grande período de tempo com vários adesivos do mesmo candidato.

Segundo turno

Onde haverá segundo turno?
Somente nas cidades com mais de 200 mil eleitores onde o primeiro colocado não alcançar 50% dos votos válidos mais um.

O que acontece se três candidatos ficarem empatados no 1º turno?
Segundo a Justiça Eleitoral, os três vão para o segundo turno.

Nas cidades em que haverá segundo turno, quando recomeça o horário eleitoral?

Recomeça em 14 de outubro e vai até 24 de outubro.

Quando será a votação do segundo turno?
No dia 26 de outubro, das 8h às 17h.

Se na cidade onde eu estiver não ocorrer segundo turno e no meu domicílio ocorrer, preciso justificar?
Sim, é preciso justificar conforme o seu domicílio eleitoral. Nas cidades onde não ocorrer segundo turno, as zonas eleitorais vão funcionar normalmente para colher as justificativas.

Mesário

O que acontece com quem foi convocado para trabalhar como mesário e não comparecer?
Será instaurado um procedimento contra ele na Justiça Eleitoral e pode ser multado.

Quais as vantagens que obtenho se trabalhar como mesário?
O mesário tem direito a dois dias de folga para cada dia trabalhado na eleição.

Administração pública

Quantas vagas estarão em disputa nas eleições deste ano?
Segundo o TSE, além dos prefeitos e vice-prefeitos dos 5.563 municípios do país, serão eleitos 52.137 vereadores. O número mínimo de cadeiras nas Câmaras Municipais de Vereadores é nove, enquanto o número máximo é 55.

Como é a eleição para vereador?
Para a escolha dos vereadores, é o critério é o da eleição proporcional. Nesse caso, o eleito não é, necessariamente, quem conseguir mais votos. Os partidos elegem a quantidade de candidatos que o quociente partidário indicar, independentemente da votação do candidato.

Como é a eleição para prefeito?
Os prefeitos são eleitos pelo sistema majoritário, ou seja, será eleito o candidato que obtiver maior número de votos. Nos municípios com mais de 200 mil eleitores, haverá segundo turno quando um dos candidatos não alcançar a maioria absoluta (50% mais um) dos votos válidos.


Fonte: G1

BOA NOITE? OU SERÁ BOM DIA? - Por Haroldo Ribeiro



Poderia começar parafraseando um grande poeta, “boa noite, pode entrar eu tive um bom dia”. Mas, prefiro falar, ainda que por escrito, que já não preciso procurar meu sonho; o encontrei, ele é você! Portanto, seja lá onde for, levarei você em forma de recordação, nessa total plenitude do que é belo e até mesmo utópico, em meu coração, e nunca mais deixarei sair de perto. E você, deverá continuar... continuar...superar...continuar...e sempre e sempre melhorando a qualidade de vida e paz interior.

Até que um dia, uma noite qualquer ou, uma madrugada chuvosa, a gente se encontre no meio do nada, seja numa nuvem ou numa poça d’água e possamos entrelaçar nossas mãos, em uma consolidação definitiva e, caminhar entre as outras nuvens felizes, ou, em forma de gota d’água no velho, vago e vasto oceano, fluindo suavemente em todas as marés e por todos os espaços.

Haroldo Ribeiro
04 de Out 2008

Nota:

Dr. Haroldo Ribeiro, embora a grande modéstia não lhe permita divulgar, como as grandes almas sempre o são ( Apenas os arrogantes fazem questão de se auto-propagar neste mundo ), eu o relato aqui com o maior prazer. É um dos maiores cirugiões gerais do Ceará, realizador de mais de 15.000 ( quinze Mil ) cirurgias. Como se não bastasse, ainda é um dos maiores conhecedores de Música Popular Brasileira e Música Instrumental Universal. Também Compositor, atesto pelo talento que me foi concedido pelo criador, que ele é um dos compositores mais talentosos e prolíficos que conheço. Que compõe no nível de um Tom Jobim ou Edu Lobo. Também é poeta e escritor. E além disso tudo, aquilo que de melhor uma pessoa pode ser na terra: um Ser Humano incomparável.

Dihelson Mendonça
.

Tá bom, mainha


.:.
– Bombeiros, bom dia!

– O Coronel Quermezé está?

– Não, senhora, ele deu uma saidinha. Quer deixar algum recado ou contato que aviso quando ele retornar...

– Como não está? Falei com ele agora mesmo e ele me falou que estava no trabalho!

– Desculpe, senhora, mas ele...

– Você sabe com quem está falando, rapaz? Eu sou a esposa dele, sou a mulher do coronel!

(Gritos)

– E a senhora sabe com quem está falando?

– Não!

– Graças a Deus! – e o telefonista de plantão põe o telefone no gancho.

Essa foi uma das primeiras ligações atendidas pelo CB Régulus no serviço de sexta-feira, véspera de um feriado prolongado.

– Rapaz, esse serviço está prometendo. De cara já fui xingado pela esposa do comandante. Cheguei atrasado pra rendição e levei um cagaço do Major...

– Quer pagar o serviço? Tiro pra você. Cinqüentinha!

– Na hora! Aproveite e atenda logo essa ligação. Deve ser a mulher do homem novamente.

– Corpo de Bombeiros Militar, bom dia! – cumprimenta o novo atendente.

– Ei, como se apaga uma vela? – diz a voz do outro lado da linha.

– ...

Minutos depois, o CB Régulus, vestindo uma roupa civil que certamente ficaria muito bem para um vendedor de picolé, aparece na sala de rádio:

– Ei, se minha esposa ligar você diz que estou fora em ocorrência, ok! Vou dar uma saidinha pra tomar todas!

– Pode ir, coligado, que aqui eu desenrolo é tudo! Fique frio e tome sua gelada sem alvoroço.

...

– Corpo de Bombeiros Militar, bom dia!

– Socorro! Tem um incêndio aqui!

– Calma, senhora. Fique tranqüila que facilita tudo. Onde fica o incêndio? Algum ponto de referência?

– É aqui na Rua S, casa 69... No meu quarto e quem está pegando fogo sou eu!

– Senhora, isso aqui é coisa séria... – a ligação é interrompida antes que o bombeiro preste os devidos esclarecimentos sobre a importância de se evitar trotes.

18h. A tropa se desloca para o arriamento do Pavilhão Nacional – é prática na vida militar hastear-se a Bandeira Nacional às 8h e derreá-la às 18h.

O CB Régulus, ignorando o momento solene, passa pela tropa e se dirige para o rancho, buscando sua etapa de alimentação:

– Ponha minha comida aí, rancheiro!

– O senhor não está arranchado, seu cabo!

– Estou de serviço, rapaz! Pode colocar logo minha etapa.

– Que porra é essa, Régulus!

– Quero comer, capitão!

– Se você pagou o serviço, seu monstro, vá comer em casa! E você não viu o arriamento da Bandeira, não?

– Vi não, senhor. Tudo bem, capitão, vou comer em casa mesmo.

...

– Você não estava de serviço, homem?

– Troquei o serviço e vim comer em casa.

– E esse bafo de cachaça? Você não toma jeito mesmo.

– Não me enche, tá! Estou com fome e quero comer!

– Está com fome e vai continuar com fome porque não tem comida, não!

– Então vá fazer logo. Ou quer entrar na porrada? – esbraveja o CB Régulus, retirando um dos chinelos dos pés.

A esposa, sem titubear, toma-lhe as sandálias, desferindo vários golpes que singram o espaço emitindo estrondoso barulho no lombo do faminto bombeiro. Com os gritos, o filho do casal aparece na sala. Ao ver o pai sendo revisitado com as harmoniosas incursões da sandália, intervém:

– Tá bom, mainha!

– Esse cabra está pensando o que da vida? Sai pra trabalhar e volta moído de pinga e ainda vem querer me bater!

– Vá dormir, painho, vá!

E o CB Régulus foi se deitar, dolorido e com as costelas batendo umas nas outras de tanta fome, uma fome ‘disgramada’.

No dia seguinte, depois de pagar os cinqüentinha do serviço:

– CB Régulus!

– Pois não, coronel!

– Foi você quem atendeu uma ligação da minha esposa ontem?

– Esposa, senhor?

– Entre na minha sala, por favor!

Minutos depois:

– Que serviço da peste! Bronca do coronel, bronca do Major, do Capitão... Perdi o dinheiro no porre que tomei. Não comi no quartel e em casa, além de também não matar a peste da fome, ainda apanhei!

– Apanhou, cabo? – exclama o recruta de serviço, o telefonista do dia.

– Apanhei, sim! Tirei o chinelo pra bater na mulher, mas ela me tomou e desceu o sarrafo em mim...

– É por isso que não uso armas, cabo. Se isso fosse comigo...

– Arma! Eu dou é graças a Deus eu ter tirado o chinelo. Se eu tivesse armado e puxado uma arma pra ela, sei não!

Nijair Araújo Pinto

Crato-CE, 04 de outubro de 2008.
02h50min

Major do Corpo de Bombeiros
Especialista em Matemática
Adesguiano
Escritor
Compositor
Estudante de Enga Civil – UFC
Acadêmico de Direito – URCA

Pensamento meu: O aprendizado tem um quê de anarquista; nele, não há regras exigíveis, mas uma vontade, por vezes inconsciente, de mudança.


.:.

Vultos do Crato - Chapeado 90


Nota: para exemplificar o tipo de personalidade que eu penso quando desejo homenagear na lista dos Cratenses ilustres, vou ao extremo, nem só de grandes políticos e homens letrados vive uma cidade. Quero aqui republicar um texto do Zé Flávio do início do Blog, em 2006, em que ele homenageia o famoso e Cratense até a alma, o Chapeado "noventa":

Dedicado ao famoso Chapeado "90" do Crato...

Por: JFLAVIO

Toda cidade cultiva cuidadosamente uma mitologia própria e muito peculiar. Durante a história de qualquer povo se vão juntando seres muitas vezes irreais, criados pelo inconsciente coletivo e alguns outros que certamente circularam por este mundo mas necessitaram ser maquiados com tintas surreais para alcançarem o status de mitos.Todas vilas, por menores que sejam, têm seus alicerces psicológicos calcados por seus Hércules, Ferrabraz , Dionísio, Pedro Malasartes, Prometeu e João Grilo. Esta mitologia projeta em todas as raças ares de grandeza , valentia, irreverência e nobreza. Quanto mais desenvolvida uma civilização , percebe-se, facilmente, mais complexos e poderosos são seus mitos e deuses.A mitologia fornece uma justificativa forte e irretorquível sobre as origens nem sempre publicáveis de um grande país e, também, acaba por justificar atos sociais e políticos , estabelecendo limites morais e éticos. Embrenhar-se em estudos mitológicos acaba sendo uma viagem clarividente em busca dos abismos da alma de uma nação.
Basta reparar bem para perceber que a doce irreverência cratense tem raízes fincadas num sem número de personagens míticos.Na sua maioria provieram das camadas mais baixas da população , mas apresentaram biografias tão interessantes que acabaram por serem alçados ao Olimpo. Sobrevivem aos políticos, aos afortunados e aos intelectuais que vêem invariavelmente seus nomes esmaecerem no máximo em três gerações. Imortalizam-se os mitos.Em cada esquina, em cada praça, eles são eternamente citados antes de se iniciar qualquer estória. Seus nomes são invocados numa espécie de oração profana, como se citassem referências científicas e bibliográficas que embasassem as narrativas e fofocas.O Crato tem um sem número deles : Capela, Antonio Cornim, Canena, Chico Soares, Melito, Josino, Ramiro para citar apenas alguns. Mantêm-se hoje próximo a Zeus mas bem vivos na mente e coração de todos os seus conterrâneos.Digo conterrâneos ,embora muitos sequer tenham nascidos aqui , mas terminaram sendo batizados pelas águas mornas do Rio Grangeiro.
Hoje vou lembrar de uma dessas personalidades. Um dos nossos maiores filósofos de rua. Chamava-se Joaquim Alves Correia e nasceu em 13/02/1913 em Assaré. Chegou em Crato ainda rapazinho e passou a morar no Seminário , nas proximidades da Igreja de São José. Casou por três vezes e povoou sua terra adotiva com 19 cratenses. Com este nome de Quinco certamente ninguém o reconheceria. Nosso mito imantou-se no espírito da cidade com o esdrúxulo nome de “NOVENTA” , justamente o número que carregava no boné de chapeado : a profissão que abraçou durante toda a vida.Figura atarracada e sanguínea mostrava-se muito delicado e paciente.Sua fineza de trato, no entanto, escondia um temperamento forte que soltava os cachorros com a mesma facilidade com que cultivava a educação. Falava com voz de barítono e de forma pausada e explicada como se mastigasse cada sílaba. Tinha fraseado fácil e destilava uma filosofia própria e bem humorada, juntando platéia rapidamente.Distinguia-se dos outros chapeados por uma característica inimaginável. Gostava de ler e aproveitava todas as revistas velhas que conseguia para manter-se atualizado. Esta peculiaridade lhe proporcionava galões próprios e não gostava de se misturar com os outros colegas que mal encetavam uma conversa mais séria. “Noventa” tinha uma carrocinha muito bem cuidada que usava na cidade para fazer pequenos carretos. À frente escrevera em letras bonitas, os seus rudes princípios de solidariedade : “ Uma mão lava a outra” . Os estudantes da cidade , cientes da resposta pronta e direta , perguntavam-no :
--- E as duas mãos, Noventa ?
A arremate não tardava :
--- Lava o rabo da mãe , meu filho !
Numa destes dias de sol de trincar azulejo, nosso chapeado empurrava sua carrocinha com uma cara emburrada, bem diferente daquela habitual que transportava. Um engraçadinho da cidade, interrogou-lhe sobre o que estava acontecendo. “Noventa” explicou que a cabeça rachava de enxaqueca. E tudo tendia para piora por conta do calor. O senhor então lhe lançou uma chacota :
--- Pois eu, Noventa, quando tou assim, é só ir para casa e fazer sexo com minha mulher que a dor passa num minuto.
O chapeado não perdoou :
--- É ... eu podia até passar na casa do senhor, mas não sei se sua mulherzinha tá lá agora....
“Noventa” tinha uma explicação plausível para tudo nesta vida. Sua concepção de saúde :
--- Quando vou ao banheiro sei logo se tou doente ou não. Tolete de gente sem morrinha quando cai na água da bacia da privada faz : “Tibummmmm” !
Gostava de pregar para platéia como se dirigisse a apóstolos. As pessoas não desviavam os olhos dele enquanto pregava. Extremamente diplomático, tratava todos os médicos delicadamente, antevia que mais cedo ou mais tarde iria precisar de consultas e internamentos. Satirizava-os assim com uma ironia fina e bem dosada :
--- Ô Bicho fino é doutor ! Doutor é bicho fino demais, meu senhor ! Você vai passando na rua com a patroa , se um cabrinha qualquer ao menos esticar os olhos pra ela , num brinque não : é tapa, é faca , é tiro ! Aí você leva a mulher pro doutor paga a consulta, ele mete os dedo nos “urinaro” dela, futuca pra cá, cutuca pra lá e a gente ainda agradece: Obrigado, doutor ! Ô Bicho fino é doutor, meu amigo ! Arrepare só : se a gente se mete em confusão ,larga a faca num sem vergonha qualquer, lá vem polícia, lá vem delegado, juiz. A gente é preso e pra sair é um trabalho danado. Já doutor mata, o povo enterra , num vem polícia, ninguém pergunta nem o que foi...Vixe que bicho fino é doutor !
“Noventa” subiu para o Olimpo em 18/02/1994. Seu espírito no entanto sobrevive em todos os bares, praças e ruas do Crato. Sua carrocinha já não cruza a cidade, mas a simples lembrança do nosso filósofo ambulante nos remete a uma época dourada da nossa vila. Se a mão do Crato deu-lhe guarida, a mão de Noventa povoou de mágicas e magias nossa mitologia, como ele previra : uma mão acabou lavando a outra !

Crato, 02/04/2003

Por: Dr. josé Flávio Vieira

Futebol - Atualização - por: Amilton Silva

A 29ª rodada do Brasileirão Série B teve início na terça feira dia 29 de setembro com tres jogos: Brasiliense 3 X 1 Bragantino,Vila Nova 0 X 2 Paraná e Barueri 1 X 2 São Caetano, prosseguiu nesta sexta 03 de outubro com mais tres jogos: ABC 5 X 1 Bahia,Ponte Preta 1 X 0 CRB, Santo André 2 X 0 Gama, será finalizada hoje (04) com quatro jogos: Marília X Corinthians, Juventude X Avaí, Criciúma X Ceará e Fortaleza X América RN.

Pela Série A, a 28ª rodada foi iniciada na quarta (01)com o Fluminense empatando em 1 X 1 Goiás, prosseguiu na quinta (02) com dois jogos : Cruzeiro 1 X 0 Sport e Vitória 3 X 1 Portuguesa.Em virtude da eleição que será realizada neste domingo dia 05, todos os jogos do Brasileirão serão realizados neste sábado(04).

GREMIO X BOTAFOGO
IPATINGA X SAO PAULO
PALMEIRAS X ATLETICO MG
NAUTICO X FLAMENGO
SANTOS X ATLETICO PR
CORITIBA X INTERNACIONAL
VASCO X FIGUEIRENSE

Por: Amilton Silva

Cia. Taba de Pirulito Informa: Hoje, 04 de Outubro, Sábado, 08:00

Dia da Alegria Casulo Kids, dia 04 de outubro a partir das 8:00h da manhã. Em frente ao Banco do Brasil. Show com a Taba de Pirulito, brincadeiras, desfile, brindes, sorvetes. Traga o seu pequeno e venha participar desta animação!

Mensagem:

Agradeço muito ao Dihelson Mendonça por sempre está apoiando os artistas da terra. A Cia. Taba de Pirulito sempre que precisa conta com o apoio do Blog pra as divulgações. É um espaço que faltava para termos vez. Falta só agendar uma matéria pra gente contar um pouco da nossa história para o Blog, ou se preferir mandarei por e-mail um realese. E conto com você num dos nossos shows. Por sinal você aparece numa das imagens de nossa apresentação no Doce Natal da Prefeitura,2007.

Atenciosamente; Renê Rodrigues(Integrante da Cia. Taba de Pirulito)

Resposta:
É sempre um prazer divulgar o que é bom, Renê!
Um grande abraço,

Dihelson Mendonça

Eleições 2008 - Veja o que pode e o que não pode no dia da eleição



Tire suas dúvidas sobre o que será ou não permitido durante o domingo (Dia 5). E conheça o que pode ser considerado desrespeito à lei.

NÃO PODE


- Uso de alto-falantes e amplificadores de som;
- Realização de comícios e carreatas;
- Arregimentação de eleitor ou propaganda de boca-de-urna;
- Divulgação de qualquer espécie de propaganda de partidos políticos ou de seus candidatos, mediante publicações, cartazes, camisetas, bonés, broches ou dísticos em vestuário.
- Distribuir "santinhos" na hora de votar.
- Nos trabalhos de votação, o vestuário dos fiscais partidários só pode conter o nome e a sigla do partido político ou coligação a que sirvam.
- O desrespeito à lei pode acarretar pena de detenção de 6 meses a 1 ano (substituível por prestação de serviços à comunidade pelo mesmo período) e multa que varia de R$ 5.320,50 a R$ 15.961,50. O cidadão que tiver conhecimento de qualquer infração penal deve informar ao juiz da zona eleitoral onde ela se verificou.
- A venda a varejo e o consumo de bebidas alcoólicas, em lugares públicos.
- Levar animais para a zonas eleitorais no dia da votação.
- Levar celular ligado: telefones celulares, equipamento de radiocomunicação ou outro equipamento que possa comprometer o sigilo do voto devem ser mantidos desligados no local de votação.
- Votar fora do horário: não será permitido que o eleitor vote após as 17h. A exceção é se o eleitor estiver, neste horário, na fila e receber uma senha do presidente da mesa que garanta a votação. Portanto, não se aconselha deixar para votar na última hora.
- Fazer boca-de-urna: é vetada a distribuição de material impresso com nomes de candidatos e partidos no domingo da eleição, além de ser proibida qualquer manifestação coletiva de apoio a candidaturas, como passeatas.

PODE


- O eleitor pode expressar sua preferência por candidato, partido político ou coligação através do uso de camisetas, bonés, broches ou dísticos e adesivos em carros particulares, desde que seja manifestação individual e silenciosa, para não caracterizar boca-de-urna.
- Votar sem título de eleitor, desde que portando documento oficial com foto que comprove sua identidade.
- Usar uma "cola" para votar. A Justiça Eleitoral até recomenda que o eleitor leve uma "cola" feita por ele mesmo ou utilize material distribuído pelos partidos e pelos candidatos para diminuir o tempo e facilitar a votação.
- Os fiscais partidários poderão identificar-se somente com o nome do partido e da coligação. Qualquer ato de propaganda partidária ou eleitoral, seja em recinto aberto ou fechado, independe de licença da polícia.
- Carregar bolsas, garrafas de água, revistas e aparelhos de som pequenos, desde que o volume seja baixo.
- O uso de instrumentos que auxiliem o eleitor analfabeto a votar, mas a Justiça Eleitoral não é obrigada a fornecê-los.
- Recorrer à ajuda de outra pessoa: para votar, o eleitor portador de necessidades especiais poderá contar com o auxílio de pessoa de sua confiança, ainda que não o tenha requerido antecipadamente ao juiz eleitoral.
- Justificar o voto mais de uma vez: não há limite do número de vezes que o eleitor justifica sua ausência na votação quando estiver fora de seu domicílio eleitoral. O problema ocorre se ele não vota e não justifica.

Fonte: Jornal "O Povo".

REGRA: Só teremos 1 tópico de Pensamentos do Dia por Dia...

Só 1 Tópico - "O Pensamento do Dia" por dia...

Olá, gente,

Uma excelente idéia do João Paulo, preocupado com o desempenho do nosso Blog, que nos últimos dias teve recorde de postagem: É tanta postagem dos novos membros, que às vezes, o Blog perde o sentido, porque simplesmente NÃO DÁ PRA LER NADA... tudo desce rápido demais...Então, além de pedir para cada um maneirar mais nas postagens por enquanto, vamos resolver uma questão importante: O PENSAMENTO DO DIA.

Para evitar que todos postem "Pensamentos do Dia" de forma desordenada, só vai haver um tópico de Pensamentos do Dia fazendo rodízio entre 3 pessoas que têm afeição a postar esse tipo de coisa: A Mônica Araripe, o Nijair Pinto e Eu. Todos os outros podem postar tambem, desde que enviados diretamente para mim, para publicação. Mesmo esses 3 "postadores" farão parte de um rodízio durante a semana, para evitar repetições:

Pensamentos do Dia - Escritores: ( Um exemplo )

Domingo: Mônica Araripe
Segunda: Nijair Pinto
Terça: Dihelson Mendonça
Quarta: Mônica Araripe
Quinta: Nijair Pinto
Sexta: Dihelson Mendonça
Sábado: ( Todos ou Nenhum ).

Como falei, nada impede dos outros enviarem para meu e-mail a qualquer instante diretamente "O seu pensamento do Dia" para que eu possa incluir ao pensamento do dia da outra pessoa, mas o direito da postagem inicial será da pessoa "da vez", ou seja, ela terá o seu direito de criar o tópico. Se até 16:00 o autor da vez nao houver criado o tópico, de duas uma: ou naquele dia não haverá Pensamento do Dia, ou outra pessoa poderá ENVIAR PARA MEU E-MAIL o Pensamento do Dia para que eu poste como sendo da autoria da pessoa que enviou, para evitar de um usuário violar o espaço que seria do outro. Vejo essa como uma possível solução para resolvermos esse problema de Frase 1 Frase 2 Frase 3... quem tiver muitas Frases, basta juntar Tudo numa Frase Só - Pensamento do Dia.

Como sempre, estou aberto à sugestões que venham a melhorar todas as idéias. E precisamos definir o calendário de quem irá escrever durnte a semana. Aguardo comentários.

Abraços,

Dihelson Mendonça

Memória sertaneja será resgatada em museu


Cariri

Clique para Ampliar

José Galvão da Silva mostra uma arataca, uma espécie de armadilha utilizada pelo avô nas caçadas de onças que atacavam outros animais na região (Foto: Antônio Vicelmo)

Objetos antigos utilizados pelos sertanejos formarão o acervo de um museu que será instalado em Juazeiro do Norte

Juazeiro do Norte. Arataca, corona, besta, bodoque, forjo, estribo, palavras e objetos que foram apagadas pela poeira do tempo vão ser resgatadas no chamado “Museu do Sertão” que está sendo instalado em Juazeiro do Norte. A idéia é do tocador de “pé-de-bode” (hamônica de oito baixos), José Galvão de Oliveira, um regionalista neto de um caçador de onça. Galvão diz que seu avô utilizava uma arataca, espécie de armadilha para capturar as onças que comiam outros animais nas matas da região de Caririaçu, sua terra natal.

Pouca gente se lembra da carne “silada”, isto é, torrada e conservada dentro de uma lata vazia de querosene hermeticamente fechada. “Era assim que nossos antepassados conservavam a carne numa época em que nem se pensava em geladeira”, diz Galvão, acrescentando que as novas gerações precisam saber desse tipo de alimento, memórias de um passado que os livros não trazem.

A corona, por exemplo, era uma espécie de manta de couro que os viajantes colocavam em cima da sela para transportar pequenos objetos. A besta e o bodoque eram armas artesanais de origem indígena que antecederam a “baladeira”. Ninguém fala mais na manjarra, (prensa) petisqueira, (porta-comida). Estes e outros objetos, que caíram de uso, fazem parte do acervo de Galvão.

Para instalação do Museu, o regionalista conta com mais de 100 peças raras, entre as quais um caititu de bulandeira, cilindro de madeira com serrilhas metálicas que serve para ralar a mandioca nas antigas casas de farinha. Outra lembrança marcante dos tropeiros (condutores de tropas de burros) são os maracás que enfeitavam a burra da frente. A mercadoria era pesada com balança de seixo.

Outro costume que também será resgatado pelo museu é o trupé, uma dança que era utilizada nas casas novas com o objetivo de “arrochar” e alisar o terreno, daí o nome de casa de chão batido. O trupé substituía, segundo Galvão, o cimento e a cerâmica de hoje. As mulheres não usam mais “timão”, um vestido comprido, sem cintura, feito com pano de saco.

Estas tradições serão resgatadas assim como aconteceu com tantas outras. Primeiro a tradição oral, depois os registros de cordel, os violeiros, cantadores, artistas mambembes, o circo, o povo e a praça. Segundo destaca o regionalista, os primeiros registros de estudiosos interessados no resgate dessas manifestações promoveram o reconhecimento e aprimoramento do caráter do Nordeste brasileiro.

Ele pretende instalar o museu na Avenida Carlos Cruz, em Juazeiro do Norte, em um terreno de sua propriedade. A idéia é construir um parque temático. Para isso, ele comprou uma casa de taipa velha no município de Caririaçu, onde, segundo afirma, Padre Cícero, descansava e celebrava missa.

Galvão pretende utilizar a estrutura da casa, caibros, ripas, portais, portas, janelas, tramelas e batentes, para a construção de uma réplica, ao lado do Museu do Sertão. Padre Cícero, segundo Galvão, é o símbolo mais forte do povo nordestino. É o santo popular do Nordeste.

Ele pretende inaugurar o museu em dezembro, durante o Encontro Nacional de Mestres da Cultura que acontecerá em Juazeiro do Norte. Já pediu apoio à Secretaria de Cultura do Estado. Recebeu um ofício dizendo que faltou a documentação necessária para concretizar o apoio. Diante da negativa do poder público, ele decidiu tocar a idéia por conta própria. O sonho de Galvão não termina por aí. Ele pretende instalar também uma escola de música. Além de exímio tocador de pé-de-bode, Galvão conserta e afina sanfona e harmônica. Galvão lembra o velho Januário, pai de Luiz Gonzaga, que foi também tocador e “consertador” de fole. Ele mostra, com orgulho, 14 marcas de pé-de-bode. “Ninguém tem esta coleção”, afirma.

Galvão lembra que o velho Januário, pai de Luiz Gonzaga, foi também tocador e consertador de harmônica. Foi, portanto a primeira e mais importante escola de Gonzagão, um tocador reverenciado pelo povo e conhecedor profundo de suas raízes e tradição musical, foi à fonte onde Gonzaga começou a saciar a sede da curiosidade e da busca do saber dos predestinados à vida artística.

“Nós queremos que o Museu seja a fonte de irradiação da cultura popular. Danças, músicas, histórias, objetos, roupas, utensílios, comidas, remédios, crenças e valores que desapareceram serão resgatado. Este patrimônio cultural, herança de outros tempos, se junta ao presente, para construir o futuro”, diz Galvão.

Antônio Vicelmo
Repórter

Mais informações:
Francisco Galvão de Oliveira
Rua Formosa, 368, bairro Pio XII, Juazeiro do Norte, (88) 9633.0595
O Museu será na Av. Carlos Cruz

Reportagem: Antonio Vicelmo
Fonte: Jornal Diário do Nordeste.