28 setembro 2008

ZÉ, ESTE OURO SE ENCONTRA NA RAIZ DE TEU OUTRO NOME

Um século mais novo que eu, mas certamente um irmão sanguíneo no sentido literal. Um irmão mais novo que, no meu carinho arrevesado de nordestino, tanta provocação fiz. Era um miudinho bom de mexer. Por tudo ficava zangado (antigamente minha gente), o meu filho mais novo já em fase de muda, também era igual. Melhor situando. Nasci um sanduíche entre duas mulheres uma mais velha e outra mais nova, só oito anos depois é que tive um irmão. Naqueles idos Zé Flávio, Almirzinho, Nivaldo e Joaquim Pinheiro (estes dois moram em Recife) eram meus verdadeiros irmãos. Com cada um deles tive contatos próprios. Zé Flávio, numa certa época era bem constante, pois além da mãe ser sobrinha da minha, os nossos pais eram sócios.

E agora José? Como seremos Vikings na Lagoa do Gravatá? Lutando as lutas mais ferozes que dois artistas hollywoodiano poderiam lutar? Atravessando fiordes descomunais, através de labirintos indecifráveis formados pela vegetação aquática. Nas ações perigosas em que os barcos emborcavam (um cocho imprestável para a finalidade devida, mas um bom flutuante). Conquistando as mulheres mais lindas de Hollywood e beijando-as com tanto fervor que pequenas manchas chupadas ficavam nos antebraços.

Zé e a aquela dieta de Semana Santa no inverno do Gravatá. Dona Maria, Seu Valdemar e o velho Oscar. E Maria? Aquele lindo rosto de índia com a memória da raça branca e artefatos dos negros. As chuvas que se casavam com o solo pedregoso do sertão e nele fertilizava uma variedade sazonal de legumes para os sertões: maxixe, jerimum, milho e feijão verde. O queijo de coalho soando como borracha à mastigação de um baião de dois, quente e acalentador na friagem das chuvas. O clarear da madrugada sobre a cerca do curral, um copo com o fundo coberto de açúcar para em seguida encher-se de leite mugido. Mais um pouco o café, leite quente e cuscuz de milho novo.

A manhã começava com as trilhas em busca do gado no pasto. Em que área pastavam? Subir a trilha do serrote, ladear as locas de pedras, uma semicaverna, cercada de imbés e cactos. A flor da coro-de-frade. A mais exótica flor que conheço. Plumosa, redonda e inchada feito um bolo no forno. Os coxins da cangalha eram preenchidos por tal pluma e todos os sertões assim eram transportados. Mais uma distância na trilha da caatinga e chegávamos à Lagoa da Besta, no alto do serrote, cercada de lajedos, com as margens preenchidas por variada nascença de cactos: xique-xique, rabo-de-raposa, coroa-de-frade, entre outros. A manhã satisfeita, os bezerros achados e sem bicheiras e voltávamos para a casa. Em seguida ao açude.

Raras vezes se tem a oportunidade de tamanha proximidade com os pais. Manoel Vieira, Zé do Vale, entre um visitante ou um morador tomávamos banho como se fôssemos todos iguais. Os adultos brincavam feito crianças em fantasia de trabalho e as crianças trabalhavam feito adultos em fantasia de brincadeira. Desafios de mergulho, de nado, de pular. E as gozações consequentes dos erros e acertos propostos. Quando a manhã terminava o almoço se tornava rara iguaria na cozinha da casa do vaqueiro. Na estação pós prandial, as redes que os adultos mergulhavam no sono e as crianças se aquietavam até se juntar com mais alguém e se aventurar nos arredores.

Brincar sob a copa da cajaraneira ou dos pés de umbu. Seguir até a loca da pedra na encosta do serrote e de lá avistar todo a planura do revelo sertanejo. Imaginamos que nos limites da visão chegávamos a enxergar as vertentes da chapada do Araripe. Foi nesta loca de pedra que o Velho Antonio Dão se escondeu com um rifle carregado para atirar em inimigos do cangaço. Naqueles idos nas locas de pedra a mais curiosa das coisas seria observar a destreza dos cabritos e bodes aos saltos, numa beirada de abismo, com tanta naturalidade que parecia parte móvel daquele granito sertanejo. Lá pelas 16 horas catar no mato gravetos de galhos secos e juntar no terreiro da casa para a fogueira da noite.

Mais um banho de açude. O jantar e a roda em torno da fogueira. Cadeiras comuns e algumas espreguiçadeiras faziam o grande evento da noite. Mas também uma roda em que estivesse Manoel Vieira e Zé do Vale se assemelhava a algo da era de ouro da Grécia, através das ruidosas ruas da Roma Imperial e na confluência entre o Império Bizantino e a Roma dos Papas. Isso tudo misturado com dois sábios que tinham raízes profundas na vida sertaneja, na rudeza cruenta do couro de animal e das pontas das varas no canto da cerca. Os vizinhos de alguns quilômetros se aproximavam, os moradores e a conversa se expandiam no maior teatro que jamais haverá outro igual. A não ser o próprio.

O teatro se dividia em duas partes. Uma plana formando a base, menor que a outra, abobada e envolvente. Nesta base plana, embora na redução da capacidade do olho humano, sentia-se pela linha do horizonte que muito mais distância havia que nossa pouca imaginação. Nesta base ocorria todo o horizonte de eventos da terra e suas manifestações. Inclusive nós. Já na abóbada, vez por outra singrava a luz direcionada dos primeiros momentos dos satélites artificiais, por lá eventos da crosta já fugiam para o teto universal e tão intensamente cheio de planetas e estrelas que o rebaixamento da imaginação desconhece. Literalmente, a não ser por nossa velha confiança na força de gravidade, estávamos a um passo de flutuar no universo real e infinitamente maior que o cotidiano urbano.

Agora Zé, façamos a contabilidade daquelas noites: a exata dimensão do sertão; somada das histórias locais; adicionadas da cultura ocidental; do teatro universal e das telecomunicações com o estrangeiro. Dos demais já falei, resta esta telecomunicação. Um rádio transglobe, com aquelas faixas que giravam com um botão, sintonizando a rádio de Moscou, a Voz da América, a BBC de Londres, alguma estação escandinava com música clássica, Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília. O saldo destas noites vale toda uma vida. Até a vontade de amanhecer e entardecer tantas vezes mais quanto possível.

Pois é Zé Flávio Pinheiro Vieira, não há um minuto que não valha um século de reflexão e um século que não valha uma noite estrelada com aqueles companheiros de então.

Ranking dos 10 países mais honestos do mundo

ou se preferir: Ranking dos 10 países menos corruptos no mundo

(vou mexer outra vez no vespeiro. Mas é bom que venham as contestações. Isso é democracia. Em tempo: a nota foi publicada na imprensa portuguesa neste domingo - Fonte: Organização TI (Transparência Internacional), 2008).

28 09 2008
As notas vão de 0 (corrupção máxima) a 10 (Ausência de corrupção).

Posição País Nota Forma de Governo
1 Dinamarca 9,3 Monarquia
2 Suécia 9,3 Monarquia
3 Nova Zelândia 9,3 Monarquia
4 Cingapura 9,2 República parlamentar
5 Finlândia 9,0 República parlamentar
6 Suíça 9,0 República parlamentar
7 Islândia 8,9 República parlamentar
8 Holanda 8,9 Monarquia
9 Austrália 8,7 Monarquia
10 Canadá 8,7 Monarquia

Quantas monarquias há no mundo? Apenas: 44 - 21% dos países
Quantas repúblicas há no mundo? 164 - 79% dos países
Apesar disso, 60% do Ranking dos 10 menos corruptos são monarquias.
Observe que as demais repúblicas menos corruptas adotam o parlamentarismo como sistema de governo. Esse sistema é originário das monarquias e funciona nelas como complemento natural.
Nenhum país presidencialista está entre os 10 menos corruptos, inclusive os Estados Unidos que se encontra na 18º posição com a nota 7,3. O Brasil está na 80º Posição com a nota 3,5. Ele caiu 8 posições em relação ao ano passado. Lembramos que a nota mínima é zero.
Notas inferiores a 5 indicam grave problema com corrupção
Fonte: Organização TI (Transparência Internacional), 2008.

Carta do Leitor - Em Solidariedade a Dr. José Flávio Vieira e a recente Internação do médico.

Obrigado, Doutor !

Querido Dihelson, gostaria se possível de fazer um comentário à respeito do Ilustre José Flávio. Como é sabido, sou natural do Crato, hoje estou com 38 anos, estou em São Paulo desde os 14 anos, porém, posso afirmar sem nenhuma dúvida a importância desse excelente médico e ser humano no dia-a-dia dessa linda cidade. Nunca tive o privilégio de conhece-lo pessoalmente, entretanto mesmo distante geograficamente,ouço relatos de minha Mãe (Maria Neuma Brito de Lima) acerca da conduta desse abnegado médico, não bastasse a orientação,o acompanhamento e a paciência com minha mãe - e familia - Dr.José Flávio acompanhou meu irmão no momento em ele mais necessitava, durante o vicio na bebida alcoolica, meu irmão, á època com pouco mais de 30 anos, era um viciado em alcool, e com a sutileza de um mestre, com suas palavras sábias, em conjunto com a minha mãe, colaboraram para a recuperação do meu querido irmão.Dessa forma José Flávio, saiba da admiração desse Cratense por sua postura humana, dedicada e voltada para o bem estar daqueles que relamente necessitam de apoio, quer seja voltado para a saúde, ou até mesmo de atenção que muitos vezes se cura com uma conversa atenciosa. Muito Obrigado.Oxalá permitisse que tivessemos em São Paulo profissionais da sua envergadura.Por fim, tenho certeza que DEUS nosso Pai prefere sua permanência aqui entre nós, pois, precisamos e muito de seus cuidados.Afirmo com toda conficção que há médicos do corpo e "médicos da alma". Felizes são aqueles que, como você, conseguem reunir as duas profissões.Que DEUS nosso Pai e JESUS nosso mestre estejam sempre ao seu lado.Meus mais sinceros respeitos.

Luiz Claudio Brito de Lima.

Futebol - Atualização - por: Amilton Silva

Finalizada na noite de ontem (27) a 28ª rodada do Brasileiro Série B com os seguintes jogos:

CEARA 3 X 1 ABC
SAO CAETANAO 2 X 2 CORINTHIANS
GAMA 2X 1 MARILIA
AVAI X 4 X 1 BAHIA
AMERICA RN 2 X 0 JUVENTUDE
BRAGANTINO 0 X 0 BARUERI

Pela Série A do Brasileirão 2008, foi iniciada ontem (27) a 27ª rodada, no Maracanã debaixo de muita chuva , o Flamengo venceu de virada o Sport por 2 X 1; no Serra Dourada em Goiânia, o Goiás goleou por 3 x 0 a equipe do Vitória BA, no Mineirão, em Belo Horizonte Atletico MG e Figueirense não passaram de 0 X 0. A rodada terá mais sete jogos hoje (28), com destaque para realizaçao de alguns clássicos regionais:

SANTOS X PORTUGUESA
BOTAFOGO X FLUMINENSE
INTERNACIONAL X GREMIO
SAO PAULO X CRUZEIRO
YPATINGA X VASCO
COITIBA X ATLETICO PR
NAUTICO X PALMEIRAS

Por: Amilton Silva

O Desespero já toma conta de algumas candidaturas em Crato.

PALAVRÕES EM COMÍCIOS ! - ÔPA !!


Apelando para todo tipo de baixarias, como a panfletagem anônima depreciativa e invadindo a vida pessoal de adversários, com falácias sem provas, xingamentos, e até com palavras francamente pornográficas é que alguns estão tentando se eleger no Crato. Ontem circularam outros panfletos desse tipo na cidade, atacando adversários literalmente com golpes baixos.

Já havíamos denunciado aqui esse tipo de prática, e solicitamos às autoridades competentes, que procurem investigar de onde partem esses panfletos, para que os culpados sejam punidos na forma da lei. ( Se é que existe lei para isso ). Para que os residentes que moram fora do Crato também saibam, em certos palanques da cidade, é até impróprio para menores, tamanha a quantidade de palavrões que podem ser ouvidos em certos comícios. Acreditem em mim, os palavrões mais chulos possíveis !! Há de tudo em certos palanques, de palavrões a sessões de histeria, com Choros, Gritos e apelações.

Política deveria ser uma coisa séria, pois nessa fase é que se precisa de propostas concretas e coerentes que certamente mudarão o curso da vida das pessoas da cidade. Exerça sua cidadania. Procure votar consciente. Não venda seu voto. Denuncie a compra de votos e a baixaria nas campanhas.

Os Candidatos que promovem a baixaria não merecem o seu voto!
Voto Não tem preço. Tem consequência!

Dihelson Mendonça
.

EDITORIAL: Quebra-Molas serão retirados dos locais, trazendo de volta perigo para a população do CRATO.

Notícia que Causa Indignação: Não Leia !

Ontem recebemos carta de um senhor chamado Hermano, que se identificou apenas por Hermano, sem Sobrenome. Carta praticamente anônima e a bem da verdade, cheia de erros ortográficos ( grifados por nós logo abaixo ), e que diz o seguinte:

Sr. Dihelson,

A Comissão de Direitos Humanos da OAB/Subseção de Crato, a quem impõe o dever de zelar e defender os direitos da pessoa humana garantidos na declração Universal dos Direitos Humanos e Constituição Fereal vigente, através do ofício nº 022/08, datado de 23.09.08, solicitou do Diretor do DEMUTRAN/Crato, JUSTIFICATIVA a respeito da colocação de redutores de velocidade em cima das calçadas, fato constatado nas ruas Dr. Irineu Pinheiro e Carolino Sucupira, uma atitrude de total desrespeito as pessoas portadoras de deficiência motora que utilizam cadeiras de rodas, deficientes visuais, idosos e demais pessoas, e se não bastasse contrariando o que estabelece a Lei Federal nº 9.503/97 e Resolução nº 039/98, que estabelece padrões e criterios para colocação de ondulaçoes trasnversais e sonorizadores nas vias públicas. Se tais reduitores foram colocados a pretesxto de impedir o tráfego de cilcistas e mototaxistas, para o porte da cidade do Crato, não é a maneira correta de educá-los, pois fere o direito de dezenas de pessoas portadoreas de necessidades especiais que utilizam as calçadas como única via de locomoção, omque contraria o art. 74 da citada Lei, quando afirma ser a educação no trãnsito um direito de todos e deverprioritário para os componentes do Sistema Nacional de Trânsito. No Esatdo democratico de Direito, o cumprimento das leis devem ser cumpridas, para a garantia da ordem e bem-está de todos. Portanto, no entedimento mantido na tarde dessa sexta-feira dia 26 na sede da OAB/Crato como Diretor do DEMUTRAN/Crato e membros da Comissão de Direitos Humanos, ficou determinado a imdiata retirada dos redutores colocados nas vias públicas citadas, não só por contrariar a legislação pertinente, em derespeito as pessoas portadoras de deficiêncdia,e acima de tudo por não está altura do porte da cidade Crato, detentora do título de cidade berço da cultura.

Nota do Blog do Crato:

Meu Prezado Hermano,

Em primeiro lugar, gostaria de saber com quem Hermano nós estamos tratando e porque não consta o nome completo da pessoa que envia. Discutir isso é um assunto sério e não podemos tolerar o anonimato. Porventura tratar-se-á de algum trote ? se não, porque ninguém assina o texto?

Bem, agora vamos ao cerne da questão:

Eu pude entender que se pretende com isso, a retirada total dos quebra-molas da rua e não apenas das calçadas. Vamos lá... evidentemente, lei não se discute, cumpre-se. Está certo! Só que num estado em que são criadas leis injustas e a interpretação delas causa injustiça e trará pânico à população, é sempre bom que se discuta caso a caso com seriedade. No exemplo supra-citado pelo Sr, a retirada dos quebra-molas das vias está de conformidade com uma lei. Só que em dadas circunstâncias, que se cumpridas, coloca em risco a vida da população. E aí ? A retirada dos quebra-molas pode até ser legal do ponto de vista jurídico, mas na minha modesta opinião e de muita gente que irá sofrer, é imoral, porque facilitará que os bêbados de fim-de-semana possam descer a ladeira impunemente e causar grandes danos à população. Os senhores se responsabilizarão por essa vossa decisão perante a população do Crato, com acidentes e mortes, certamente!

Pergunto-lhe:
Na referida reunião, o que foi decidido também como solução para os moradores do local que irão sofrer com a retirada dos quebra-molas? Ah, não pensaram nisso...
Quantas VIDAS HUMANAS os Senhores irão ter que carregar nas costas pelos inúmeros acidentes provocados por essa retirada do local com essa decisão de ontem? Já pensaram nisso também? ou só pensaram em cumprir o papel burocrático? Será que antes de se pensar em retirar esses quebra-molas de uma via de alta velocidade, não se deveria levar em conta outros inúmeros aspectos do problema, os malefícios, do que simplesmente "tentar cumprir uma lei" ?

Prezado Hermano sem Sobrenome, Adolf Hitler também fez leis para seu povo!
Fez uma lei que mandava para a câmara de gás 10 milhões de Judeus.
Era dura, mas era a lei vigente. Leis podem e DEVEM ser questionadas pelo seu povo, pois para o povo é que são feitas, e estes é que estarão sujeitos a cumpri-las.

Aguardo sua resposta no sentido do que se deve fazer d´agora em diante com a retirada dos quebra-molas para impedir os acidentes que os Senhores com suas cartilhas, trarão seguramente a esses locais e que a imprensa local fará questão de documentar caso a caso quando o primeiro acontecer. Além do mais, os moradores do local afirmaram que "rarissimamente" viram algum deficiente passando em cadeira-de-rodas pelo local.

Seria até bom que se pudesse saber dos nomes das pessoas que encabeçaram tal movimento de retirada dos quebra-molas dos referidos locais aqui na cidade do Crato, e que nós POVO tomássemos nota, para uma melhor reportagem posterior e a quem teremos de culpar quando os acidentes e mortes começarem a acontecer nos locais retirados. Sr. Hermano,

UM ERRO NÃO CONSERTA O OUTRO.
As soluções passam por outros meios.

Atenciosamente,

Dihelson Mendonça
.

Comer bem, sem exageros, e viver melhor


ALIMENTOS SAUDÁVEIS

Clique para Ampliar

Alimentação saudável, sem frituras e doces de forma exagerada, deve ser opção desde os primeiros anos de vida, aconselham especialistas (Foto: Thiago Gaspar)

Diminuir os índices de obesidade e anemias é um dos principais desafios do Brasil neste século

Com dois filhos para criar, uma vida corrida na empresa em que trabalha e “bico” de vendedora autônoma, a contabilista Julieta Maria (nome fictício por não querer se identificar) está sem saída, não tem controle na alimentação dos meninos. Resultado: Ricardo, de sete anos, pesa 45kg, quando o ideal seria 35kg. O mesmo caminho seguiu Pedro Augusto, de 13 anos, atualmente bem acima do peso. O cotidiano dos dois se resume a ir à escola na parte da manhã e passar o resto do dia em frente ao computador ou à TV, comendo tudo que não devem: fritura, refrigerantes e doces. Ela não foge à regra. Confessa que “adora” comer sanduíche ou “matar a fome” com comida gordurosa e bastante condimentada.

O mau hábito alimentar dela e de seus filhos exemplifica bem a preocupação de especialistas da área nutricional. O País irá marcar o Dia Mundial de Alimentação, no próximo dia 16 de outubro, com um índice alarmante: 15% das crianças atualmente têm obesidade. Os dados são da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso). Nos adultos, o índice diminui: o problema atinge 9% dos homens e 13% das mulheres brasileiras. O Ceará acompanha o índice nacional. A má alimentação e o sedentarismo são apontados como sendo os vilões da questão. A pesquisa também aponta as anemias como “um problema em ascensão”, embora o Brasil esteja superando a questão da fome. O estudo avalia que a alimentação saudável não se limita ao problema da fome, mas tem relação com vários outros aspectos nutricionais e de saúde.

Segundo a nutricionista e professora da Universidade de Fortaleza (Unifor), Christiane Pineda Zanella, o País enfrenta hoje um grande paradoxo: de um lado continuam as carências nutricionais de muitas pessoas; de outro lado, o número crescente de indivíduos com doenças crônico não transmissíveis, frutos de práticas alimentares equivocadas.

Ela lembra que, em levantamento feito pelo Ministério da Saúde, o número de óbitos em 1993 causados por doenças crônico não transmissíveis — obesidade, diabetes, doenças cérebro vascular, doenças cardiovasculares, neoplasias — foi de 447.329. “Isso poderia ter sido potencialmente evitado se a população tivesse uma alimentação balanceada e saudável”. Para a especialista, uma alimentação adequada não é concebida para todos os indivíduos de maneira uniforme e única.

Deve respeitar atributos individuais e coletivos específicos; agrega significações culturais, comportamentais e afetivas que não podem ser desprezadas. Contudo, deve respeitar alguns princípios básicos para orientar as diversas práticas alimentares, a promoção da saúde e a prevenção de doenças. O cardápio deve fornecer carboidratos, proteínas, vitaminas, minerais, fibras e água, que são insubstituíveis ao bom funcionamento do organismo. “Nenhum alimento isolado é suficiente”, afirma.

Lêda Gonçalves
Repórter

Fonte: Jornal Diário do Nordeste
.