17 setembro 2008

Melhores processos, melhores gestores


Para se candidatar a um cargo do executivo, como o de prefeito por exemplo, o candidato, ao contrário de um pleiteante a uma vaga de juiz, promotor, professor universitário, médico ou dentista de PSF, não precisa ter título de pós-graduação, muito menos ter nível superior. Pode ainda pleitear o cargo, sem apresentar curriculum vitae, comprovando vínculos empregatícios anteriores, seus trabalhos desenvolvidos e respectivos resultados, munidos de boas “cartas de referência”. Pode participar de uma eleição sem ter inclusive as contas aprovadas, em caso de ter ocupado o cargo anteriormente.

Quando eleito, dispõe de 4 anos e se obriga apenas a prestar contas do dinheiro gasto. Pode parecer suficiente à primeira vista, mas para uma nação que clama por melhores oportunidades para todos, apresentar um projeto de governo, apontando claramente as metas a serem alcançadas fazendo uso do orçamento disponível, deveria ser obrigação. Complementarmente, deveria haver uma consulta anual, bienal ou ao final do mandato, para apontar o grau de satisfação do eleitor ao trabalho prestado pelo empossado, podendo esta inclusive vetar uma, possível, futura investidura deste a um outro cargo público. Sonho distante? Talvez. Mais que isso, caminho para mudar esta realidade que privilegia o candidato que tem mais dinheiro, ou é financiado por outros políticos, ao invés de termos servidores públicos, porque é isso que deveriam ser, aptos a gerir nossos impostos transformados em orçamentos também públicos. Jogue a primeira pedra quem achar que o sistema que está ai, não dá acesso a qualquer candidatura mal intencionada, motivada pela ausência de indicadores de qualidade e eficiência.

O sistema vigente não contribui à criação de um Brasil melhor, de menos desigualdade social, de real vislumbramento de um país soberano em suas decisões, de oportunidades iguais para todos. Nos dias de hoje, até o termo “político” parece ter o tom pejorativo, ligado muito mais a habilidade de formar conchavos em busca do número de votos necessário à eleição, do que à qualidade de coordenar ações, nas diversas esferas, que gerem benefícios a seus eleitores. Bom seria termos muitos pleiteantes qualificados e creditados a gerir a coisa pública. Melhor ainda, ver o dia em que estes cargos fossem, todos, ocupados por candidatos à altura da investidura.

Melhores processos, melhores gestores!


Dimas de Castro e Silva Neto, M.Sc.
Eng. Civil, Prof. do Curso de Engenharia Civil da UFC Cariri

Mostra SESC de Dança

Seu programa para Sexta-Feira: Jair Santos - Violão Clássico no "CASA DAS ARTES" - Praça da Sé.


Sexta, 19 de Setembro - Casa das Artes.
Praça da Sé, 91 - CRATO-CE
Contato: 3521-1590
.

MEMÓRIA E PERSONALIDADE


Ibsen Noronha (*)

Um bom exemplo de recuperação de uma figura eminentíssima se deu na cidade de Crato

O filósofo francês Henry Bergson afirmava que uma pessoa que perde sua memória perde a sua personalidade. Palavras profundas que merecem uma breve reflexão.
De fato a memória é um dos nossos preciosos atributos personalíssimos. A dinâmica de nossas vidas depende, e muito, das experiências acumuladas ao longo de dias penosos ou alegres, fecundos ou estéreis.
Transpondo a afirmação de Bergson para uma perspectiva mais ampla, a perspectiva de um Povo, podemos afirmar simetricamente: um Povo que perde a sua memória perde a sua personalidade. Sob este ponto de vista recordar os momentos cimeiros das Nações é prestar grande serviço com o objetivo de consolidar um Povo com personalidade forte e cioso da grandeza do País.
O ano do Senhor de 2008 é um ano especialmente rico para o nosso Brasil. O maior orador sacro da língua portuguesa, o Padre Antônio Vieira, nasceu há exatos 400 anos. O Mestre da língua portuguesa, fundador da Academia Brasileira de Letras, Machado de Assis, deixou esta vida há um século. E são passados 200 anos desde que a Família Real Portuguesa transplantou a sede do Reino para este imenso Portugal chamado Brasil.
De fato, todas estas efemérides merecem lembrança, celebração e, mesmo, devoção. A História de um País se forma com grandes homens, que ousam ir além do quotidiano e marcar gerações com os seus “Christãos atrevimentos” – na marcante expressão de Camões!
Sobre a vinda da Família Real muito se tem escrito e falado. É bom sinal. A personalidade de Dom João VI, tão caricaturada e vilipendiada por uma historiografia amesquinhada e malsã, foi absolutamente revista e surgiu o estadista calmo e pacato, mas com visão profunda das realidades e capaz de decisões arriscadas e arrojadas.
Mas também as mulheres da Família Real vão sendo mais conhecidas e sua dignidade admirada... Um bom exemplo de recuperação de uma figura eminentíssima se deu na cidade de Crato. Há alguns anos, monarquistas do Cariri propuseram a vereadores um projeto que batizasse uma nova rua da cidade com o nome de Imperatriz Leopoldina. Os vereadores atenderam com presteza ao pedido. Contudo, deu-se o espanto quando a matéria foi colocada em votação! Alguns vereadores alegaram desconhecer tal Imperatriz e também seu importantíssimo papel na Independência do Brasil. O presidente da Câmara Municipal usou de sensatez.
Promoveu uma palestra sobre a nossa primeira Imperatriz. O projeto foi aprovado por 20 votos e uma única abstenção, de um vereador do PT. Sem dúvida o conhecimento da vida de Dona Leopoldina fortaleceu a personalidade dos edis de Crato e produziu um belo nome para a bela cidade do Cariri.
Infelizmente, noticiou-se a alteração posterior do nome, o que não tornam inválidas as observações aqui feitas sobre o valor do resgate histórico.

(*) Ibsen Noronha é Mestre em Direito pela Universidade de Coimbra, Portugal. É Professor de História do Direito em Brasília.
(Artigo publicado no “Jornal do Cariri”, edição de 16 a 22 de setembro de 2008)

SELEÇÃO PÚBLICA 2008 DO SEBRAE-CE

O SERVIÇO DE APOIO ÁS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO ESTADO DO CEARÁ – SEBRAE/CE, torna público que estarão abertas no período de 16.09.2008 a 26.09.2008 as inscrições para a SELEÇÃO PÚBLICA 2008 DO SEBRAE/CE, que prevê a seleção de candidatos para provimento de 13 (treze) vagas, sob regime de contratação celetista – CLT, para o espaço ocupacional de ANALISTA TÉCNICO NÍVEL I – 1 para fazer face às necessidades dos projetos do SEBRAE/CE, no interior do estado do Ceará, mediante condições estabelecidas no EDITAL e em seus anexos, divulgado no endereço http://acep.org.br/seleçãoSEBRAE2008 a partir de 08.09.2008.

O valor da inscrição será R$ 80,00 (oitenta reais) e poderá ser efetuada pela INTERNET.

Cláudia Coelho Ramalho Teixeira
Unidade de Gestão de Pessoas

SEBRAE/CE

O Vaticao aceita evolução, mas não se desculpa de Darwin


Philip Pullella
Da Cidade do Vaticano



O Vaticano disse nesta terça-feira que a teoria da evolução é compatível com a Bíblia, mas não planeja um pedido de desculpas póstumo a Charles Darwin pela fria recepção dada a ele há 150 anos.



O arcebispo Gianfranco Ravasi, o ministro da Cultura do Vaticano, deu a declaração durante o anúncio de uma conferência de cientistas, teólogos e filósofos que acontecerá em Roma em março de 2009, marcando os 150 anos da publicação da obra "A Origem das Espécies" de Darwin. Igrejas cristãs são há muito tempo hostis a Darwin, pois sua teoria conflitava com a acepção bíblica da criação.

Mais cedo nesta semana, um importante membro da Igreja anglicana, Malcom Brown, disse que a instituição devia desculpas a Darwin pela maneira como suas idéias foram recebidas na Inglaterra.

O papa Pio 12 descreveu a evolução como uma abordagem válida do desenvolvimento humano em 1950 e o papa João Paulo segundo reiterou o fato em 1996. Mas Ravasi disse que o Vaticano não tinha a intenção de se desculpar por sua visão negativa anterior.

"Talvez devêssemos abandonar a idéia de emitir pedidos de desculpas como se a história fosse um tribunal que está eternamente em sessão", disse, acrescentando que as teorias de Darwin "nunca foram condenadas pela Igreja Católica e nem seu livro havia sido banido".

O criacionismo é a crença de que Deus teria criado o mundo em seis dias, como é descrito na Bíblia, no Gênesis. Para a Igreja Católica, o livro faz uma alegoria para a maneira como Deus criou o mundo.

Alguns outros cristãos, na maioria protestantes nos Estados Unidos, lêem o Gênesis literalmente e protestam contra o fato de a evolução ser ensinada em aulas de biologia em colégios públicos.

Sarah Palin, a candidata à Vice-Presidência pelo Partido Republicano, disse em 2006 que apoiava que o criacionismo e a teoria da evolução fossem ensinados nas escolas, mas afirmou subseqüentemente que o criacionismo não deveria necessariamente ser parte do curso.

Justiça é acionada para indenizar parentes do massacre do Caldeirão

TV Diário - 16/09/2008 - 14:08
Justiça é acionada para indenizar parentes do massacre do Caldeirão

O diretor da organização SOS Direitos Humanos entrou com uma ação, na Justiça, contra o Governo Federal para indenizar parentes das vítimas da chacina do Caldeirão, um massacre histórico que aconteceu no Cariri cearense em 1936.

De acordo com historiadores, uma comunidade inteira, formada por mil pessoas, foi exterminada.

Fonte: TV Diário.

O CALDEIRÃO AINDA FERVE, MAS O TEMPERO SERÁ DADO PELO POVO !

A imagem que em ocorre ao ler o texto Valas Coletivas e Massacre no Caldeirão, é de uma pessoa dando um grito de alarme num lugar onde outras estivessem meditando. E se aquele grito violentando o silêncio transmitisse uma verdade, maior ainda seria o espanto.
Assim era o Caldeirão, de repente, do Nordeste, do Cariri e do Crato, varando a cerca de arame farpado de desalento ecoa para todo o Brasil uma mensagem telúrica, de que outro mundo é possível. Parece incrível que em meio ao monturo de decepções que é a vida política do Brasil, e não diferente a do Crato, alguém como o Beato Zé Lourenço mesmo que “morto” possa falar com tanto realismo, objetividade e conhecimento aquilo que o povo queria e quer escutar.
Nada de revoluções importadas. Tudo bem caririense e cratense. Uma Geopolítica estruturada e alicerçada no valor do povo cratense, em síntese, a pregação revolucionária de Zé Lourenço; pregação com ferro e fogo, onde os culpados pelo massacre e pelo atraso do Crato, principalmente as elites dirigentes, serão apontadas e impiedosamente ferradas pela Lei e pela Urna.

João Ludgero

Geógrafo e Especialista em Geopolítica e Direito Ambiental

Fotógrafo paraibano expõe no espaço cultural Coletivo Malungo em Crato

O Coletivo Malungo apresenta nesta sexta-feira 19 a exposição Visagem com 20 fotografias do paraibano Augusto Pessoa. Nesta exposição o artista coloca frente a frente diversas regiões do Brasil e do mundo e oferece a oportunidade de um diálogo em torno de suas culturas. Desta forma, as fotografias podem conversar entre seus interesses comuns e trocar idéias, como é o propósito do projeto. O jogo de imagens coloca o espectador como protagonista do espetáculo de cores, onde a pessoa tranforma-se no próprio cenário visto.

Sobre a exposição
Visagem...

...pode ser uma criança na ponta dos pés brechando o espetáculo por um buraco na lona alaranjada do circo na zona rural de Cabaceiras, Cariri paraibano. Pode ser uma senhora de olhar sério com seu chapéu decorado com flores colhidas no natural jardim crescido aos pés das ruínas Incas na fortaleza sagrada de Saqsayuman, em Cuzco, Peru. Visagem é Zabé da Loca, em sua casa de pedra, tocando sua flauta de taboca. É o Lajedo de Pai Mateus, cor de fogo ao final da tarde. Visagem é cheiro de Quilombo, roda gigante, algodão doce, rapadura, Padre Cícero, Lampião, Antônio Conselheiro, Che Guevara, feira, serra e cachoeira…

...tudo isso é Visagem, mas nem só isso o é!

Visagem é também uma alma, vista num beco escuro, entre o açougue e a bodega de seu toinho. É vulto balançando entre o mandacaru, colocando caboclo pra casa antes da hora. Visagem é imaginário, imaginação e criatividade. É Carrossel dinamarquês, janela inglesa, moleque em cima de perna de pau ou mesmo uma certa dona zefinha, com seus quadros sagrados na feira de Caruaru.

Visagem é, afinal, o ver além da paisagem, onde o protagonista não é o lugar, mas antes a imagem.



Sobre o artista

O fotógrafo

Augusto Pessoa, paraibano de nascimento e carirense por opção, começou a fotografar em 1994, quando entrou para a faculdade de Jornalismo. Em 1997 entrou para a equipe de fotojornalistas do Correio da Paraíba, jornal onde trabalhou na redação até 1999. Nesse mesmo ano, pediu demissão, jogou a câmera dentro de uma mochila e rumou para a Bolívia em busca de novos rumos. Essa viagem, na companhia do Jornalista Jorge Barbosa, deu início a um grande projeto fotográfico de documentação do legado deixado pela civilização Inca. Em 2000 foi morar na região do Cariri cearense, onde desde então desenvolve um trabalho autoral de documentação da cultura popular, da natureza e da religiosidade da Chapada do Araripe. É fotógrafo free-lance das Revistas National Geographic, Caminhos da Terra, Horizonte Geografico, Vida Simples, Na Poltrona, Nordeste, entre outras. Foi Correspondente do Jornal O Povo e é Editor da Revista Turismo, publicação mensal encartada no Jornal A União, de João Pessoa. Vencedor de vários prêmios, entre eles o Prêmio Abril de Jornalismo 2008 e o Prêmio AETC de Jornalismo 2004, 2006 e 2007, atualmente Pessoa se prepara para a quarta viagem aos Andes, quando irá produzir um documentário em vídeo e uma exposição sobre o Império Inca.



Serviço

Malungo significa companheiro, parceiro e camarada, ou seja, é uma pessoa que participa das mesmas atividades, destinos ou amizades de outra. É com essa vibração que aporta no Cariri o espaço cultural Coletivo Malungo que conta com duas produtoras (ArtePlural e Jaraguáfilmes), Curso de Español, Espaço para Oficinas, Galeria de Arte e Eventos Culturais. Essas atividades promovem a valorização da cultura de maneira ampla, pois proporcionam o acesso da população caririense a produtos culturais e artísticos desenvolvidos por músicos, atores, artístas plásticos, poetas e fotografos do Cariri.

Este espaço começou a funcionar este ano, em fevereiro, e desde sua fundação realiza trabalhos voltados a formação e construção de atitudes artísticas desenvolvendo projetos e ampliando horizontes artísticos do Cariri, além de oferecer o espaço para a divulgação e propagação de artistas da região.

Assessoria de Comunicação

Coletivo Malungo – Crato/CE