22 agosto 2008

Alianças


Existe uma regra imutável em política interiorana. Tudo é maquiavelicamente permitido. Só existe um erro grave, terrível, um pecado imperdoável : perder . Todas as demais tramóias, armadilhas, safadezas serão pouco a pouco perdoadas , desde que se tenha em mãos aquele solvente perfeito, aquele apagador infalível de pecados : o poder. Assim é perfeitamente esperado e permitido : matar, esfolar adversários, roubar, corromper, estuprar, saquear, comprar votos e consciências, enfim violar os dez mandamentos, os sete pecados capitais , desde que se saia vitorioso no pleito eleitoral. Sartre dizia que o inferno são os outros, na política o inferno são os outros adversários vitoriosos. O poder traz consigo uma espécie de imunidade, uma anistia tácita para todos os crimes cometidos e a cometer. Nada mais reles e solitário que um candidato derrotado nas urnas.

Em Matozinho não podia ser muito diferente. Os períodos pré, pós e eleitoral eram marcados por golpes baixos, falcatruas,conspirações, puxadas de tapetes de todos os tamanhos e cores. Imaginem neste ano a ansiedade que deve estar acometendo os candidatos quando a Justiça Eleitoral proibiu quase que tudo : bandas em comícios, carros de som a toda altura, camisetas. Como pôr a locomotiva política para andar se o combustível da máquina é justamente uma mistura de dinheiro sujo, quinquilharias e promessas vãs ?

Na eleição passada, Matozinho pegou fogo. O prefeito Sanderval Bandeira, conhecido por “Bandalheira”, buscava a reeleição. Do outro lado Bebé Fonseca lhe saíra na oposição junto com Tõim Araguaia , o vice na chapa oposicionista. Tõim mamara nas tetas do PCB, tinha lá um discurso ainda de antes da queda do muro, mas ultimamente resolvera aderir à candidatura direitista de Bebé. Como Lula , descobriu que é impossível chegar ao paraíso sem molhar as barbas nos lagos do purgatório e inferno. Estava ali , pois, na vice de um candidato do PFL, ou do DEMO, já que o partido resolvera assumir suas verdadeiras raízes. O certo é que a coisa pegou fogo. Bebé coordenava uma rede grande de crediaristas e não lhe faltava dinheiro para campanha e Sanderval abriu os cofres públicos no financiamento da própria candidatura. Já há quinze dias do pleito, a derrama de dinheiro e promessas parecia inimaginável.

Consta que Bibiano, um morador de Cel Serapião Garrido, dirigiu-se ao Comitê de Sanderval Bandeira, solicitando um par de alianças : ia contrair matrimônio no fim de semana. Sanderval o recebeu com um abraço e , em meio a uma centena de promessas daquele mesmo dia, arrolou mais esta. Garantiu a Bibiano que no dia do casório ele passasse no Comitê para pegar as argolas matrimoniais. O noivo confiou na palavra do prefeito, talvez fosse o único da cidade que tivesse esta coragem. No dia, conforme combinado, procurou o Comitê e se desesperou. Nada tinha sido providenciado. O casamento estava marcado para as cinco horas e faltavam apenas trinta minutos. E o pior é que o informaram que Sanderval estava num comício na Rua do Caneco Amassado. Partiu para lá, encontrando uma multidão enorme que havia comparecido menos para ouvir a conversa mole do prefeito e mais para ver a banda de forró que animaria o evento. Com dificuldade, começou a romper a multidão , tentando se aproximar do palco, onde Sanderval já pronunciava seu discurso. Tomou chegada e havendo alguma visibilidade, começou a pular e a gritar , com os braços levantados. Os dois dedos da mão esquerda , o fura-bolo e o cata-piolho, formavam uma roda, lembrando a aliança prometida e o indicador da mão direita entrava e saia pela rodinha, lembrando o dedo que receberia a argola matrimonial. De longe, Sanderval vendo aquela marmota , começou a suar frio, não conseguia entender a simbologia e pensou com os seus santinhos :

--- Meu Deus ! Já prometi tanta coisa que não dá pra controlar. E pra aquele ali, que diabo foi que prometi ? Será que foi o cu ?

O certo é que, terminado o comício, os puxa-sacos o tranqüilizaram:

-- Eram alianças seu prefeito, é que o gesto do homem era feio demais, vôte !

Bibiano teve que adiar o casamento e buscar outros meios para adquirir o indispensável utensílio de amarramento de gente em tronco de altar. Rogou praga pra tudo quanto é lado e o bicho tinha língua tinhosa. Sanderval perdeu a eleição para Bebé, por larga margem de votos, embora o IMAPE - Instituto Matozense de Pesquisas Eleitorais houvesse previsto o contrário.

Alguns dias depois da peia eleitoral, Sanderval reuniu seus assessores de Campanha para avaliar o pleito. O que havia finalmente acontecido ? Gastara uma fábula, buscara de todas as maneiras possíveis distribuir com os eleitores favores de todos os tipos e maneira e o resultado havia sido aquele: Nas labaredas do inferno por pelo menos quatro anos! Vários membros do Comitê emitiram sua opinião. Alguns falaram em traição de vereadores, outros acharam que ,com as pesquisas do IMAPE, favoráveis a Sanderval , todos tinham se acomodado. Por último, o prefeito, com voz embargada, fez a síntese da derrota eleitoral:

--- Sinceramente, amigos, eu não sei o que aconteceu... Gastei o que a prefeitura não tinha... Dei tudo o que me pediram, tudo ! Só não dei mesmo o cu !

Parou um pouco, fitou tristemente todos e finalizou :

---- Mas também não consta que tenham pedido, não consta não !


J. FLÁVIO VIEIRA


http://simborapramatozinho.blogspot.com/



ENSAIO FOTOGRÁFICO SOBRE A FEIRA DO CRATO

A feira do Crato ainda que descaracterizada, mas se bem garimpada, rende ao fotógrafo obstinado, imagens interessantes. Por lá fiz este ensaio.

VISITE O BLOG DA FOTOGRAFIA CARIRI: WWW. ZOOMCARIRI.COM









Fotos: Pachelly Jamacaru
"Expressamente proibida a reprodução"!

S O S ARARIPE




Dia do Folclore no Cariri

Dia do Folclore

Manifestações culturais se destacam no Cariri

Clique para Ampliar

O Boi do Reisado, uma das figuras do bumba-meu-boi, que faz parte do folclore brasileiro (Foto: Antônio Vicelmo)

Clique para Ampliar

Os alunos da escola Menino Jesus, todos os anos, lembram o Dia do Folclore com festa (Foto: Antônio Carlos Alves)

Uma programação especial para comemorar o Dia do Folclore foi preparada no Crato e segue até o fim do mês

Crato. Deitado numa rede, o velho agricultor puxa um corrimboque (acendedor de cigarros feito de chifre), acende o cigarro de palha, estica o olhar para o nascente e comenta: “A chuva tá chegando, a acauã cantou em cima de um galho seco”. No terreiro da casa os meninos brincam com osso de boi, enquanto as mulheres pisam milho no pilão para fazerem o pirão de costela do almoço.

O quadro bem sertanejo é, na verdade, uma das mais autênticas descrições do folclore, cujo dia é comemorado hoje. Folclore é a cultura espontânea, vem do berço, transmitida na interação social, por condicionamento inconsciente ou imitação. Folclore é o nosso jeito de ser, de resolver as coisas. É o elo de ligação do indivíduo com sua identidade.

Por isso, no Cariri, todo dia é dia de sabedoria popular, de crenças, superstições, ditados, lendas, ritos, maldições, tabus, rezas, histórias e mitos. Todo dia é dia de artesanato, música, teatro e literatura populares, festas e jogos tradicionais, dança e cantigas de roda.

Basta andar nas ruas ou parar nas calçadas para ouvir histórias mal assombradas, ou poesias de cordel. Se o visitante pender para a zona rural, estas tradições são muito mais fortes. Vai conhecer um povo que canta, dança, reza e maldiz, trava a língua, cura e enterra e faz versos, faz repente, embolada, ligeira, desafio, literatura de cordel. O nordestino reza pra aplacar a seca, dança pra fazer chover.

O Cariri, localizado no centro do Nordeste, épico em crendices e manifestações, em usos e costumes, em histórias que correm de boca em boca, que passam de pai pra filho, pulam fronteiras, mudam de cor, de gesto, de palavra, aumentam um ponto, sobrevivem sempre.

A mais expressiva demonstração desse acervo cultural é a Festa de Santo Antônio de Barbalha que, além do carregamento do pau da bandeira, reúne cerca de 50 grupos folclóricos, entre reisados, penitentes, carpideiras e bandas cabaçais.

A Semana do Folclore do Crato será encerrada, hoje, com a entrega do Troféu Mestre Dedé de Luna a três personalidades que contribuíram para o fortalecimento da cultura popular na região. A solenidade será realizada à tarde, na sede do Instituto Cultural do Cariri, de onde sairá um cortejo de grupos folclóricos para a Praça da Sé.

Apresentações

O evento é organizado pela Fundação Mestre Eloi, que tem como presidente Aristóteles Teles Granjeiro, filho do saudoso folclorista e radialista Eloi Teles de Morais. A Semana do Folclore foi marcada por apresentações grupos de danças, reisados, bandas cabaçais e maneiro pau, nos bairros da cidade. A secretária de cultura do Crato, Daniela Esmeraldo, informou que a programação comemorativa ao Dia Internacional do Folclore prosseguirá até o fim do mês com outras atividades no Alto da Penha.

CANINDÉ

Crianças festejam com desfile de trajes típicos

Canindé. A Escola Menino Jesus, em Canindé, mantendo uma tradição de 18 anos realiza, hoje, às 19 horas, na Praça da Igreja das Dores, “Uma Festa de Tirar o Chapéu” para comemorar o Dia do Folclore. “Todos os povos possuem suas tradições, crendices e superstições, que são transmitidas por meio de lendas, contos, narrativas, provérbios e canções. Esses veículos de expressão popular são transmitidos de uma geração para outra e passam a pertencer a um determinado povo de tal modo que desconhecemos os seus autores”, afirma o diretor da Escola Romeu Rocha.

Segundo ele, o folclore do Brasil é riquíssimo. “Toda essa variedade cultural contribuiu diretamente para manifestações de um povo versátil, alegre e guerreiro, enfim, dessa brava gente brasileira”, explica Romeu Rocha.

Na festa do folclore já foram homenageadas 68 pessoas com medalhas “Amantes da cultura”. Este ano, a escola irá homenagear com troféus nove grupos folclóricos das cidades de Canindé, Itatira, Boa Viagem e Paramoti.

Dentro da programação, será escolhida uma criança com melhor caracterização de trajes típicos, obedecendo aos seguintes critérios: desfile, indumentárias e caracterização. As regiões Norte, Nordeste, Sul, Centro-Oeste e Sudeste se farão representadas pelos seus personagens caracterizados.

Personagens

Participarão do desfile rendeira do Ceará; Lampião, o Rei do Cangaço; baiana; eterno e inesquecível Luiz Gonzaga, o Rei do Baião; vaqueiro, símbolo vivo do sertão; e o gaúcho, figura que expressa a vida nos pampas. Os jurados avaliarão também a criança que melhor recontar a história de Iracema em forma de versos e prosa. Os critérios: segurança, desenvoltura e entonação.

Mais informações:
Secretária de Cultura do Município
Centro Cultura do Araripe
(88) 3523.2365
Fundação do Folclore Mestre Eloi
(88) 9271.3603

Fonte: Jornal Diário do Nordeste

É pra rir ou pra Chorar! - Governo Cid Gomes não paga artistas no Cariri

Governo Cid Gomes não paga artistas no Cariri

Os artistas do Cariri que tocaram e cantaram no Palco Alternativo da Universidade Regional do Cariri - URCA, durante o período da Expocrato, ainda não receberam os seus cachês. O descaso parece fazer parte da política do Governo do Estado com a produção musical cearense. Depois de ser denunciado pela Revista Veja por financiar grandes bandas de forró de pessoas ligadas ao seu esquema político e pelas diversas criticas que recebeu no período da Expocrato por parte artistas e intelectuais por ter excluído os grupos musicais do Cariri, o governador Cid Gomes parece que achou pouco e ainda não efetuo a liberação de recursos para pagamento dos artistas.

O valor dos cachês pagos no Palco Alternativo é de R$ 500,00. Importância financeira irrisória comparada aos valores pagos às atrações do palco principal.

De acordo com um músico que não quis ser identificado "não tem previsão de pagamento". Ele acrescenta que a informação que recebeu da URCA é que o cachê será pago pela Secretária de Cultura do Estado. A intenção de alguns músicos é protestar na vinda do Governo Itinerante ao Cariri. "Nós trabalhamos e exigimos respeito", finaliza o músico.

Texto enviado por "Pauta Cariri".

Parabéns!!! dia do Floclore


Entende-se por folclore o conjunto de crenças, lendas, festas, superstições, artes e costumes de um povo. Tal conjunto normalmente é passado de geração a geração por meio dos ensinamentos e da participação real dos festejos e dos costumes. De origem inglesa, o folclore é uma palavra originada pela junção das palavras folk, que significa povo; e lore, que significa sabedoria popular. Formou-se então a palavra folclore que quer dizer sabedoria do povo. O folclore assume grande importância na história de todos os povos, pois por meio desse conjunto pode-se conhecer a antiga cultura dos mesmos e a formação da cultura presente nos dias de hoje. Dentre as características que possui é possível identificar os fatos folclóricos a partir do anonimato, já que todos os componentes folclóricos são de autoria desconhecida; da aceitação coletiva, já que cada pessoa absorve a essência folclórica e a repassa aos outros a partir de seu entendimento próprio; e da transmissão oral, já que antigamente não havia meios de comunicação como na atualidade. Para manter vivo o folclore típico de cada região existem datas específicas para a realização dos festejos e artes.

Por Gabriela CabralEquipe Brasil Escola

Mitos e lendas do Brasil, mitologia, contos e lendas populares, lendas e mitos da cultura popular brasileira, festividades, festas populares, saci-pererê, ...