11 agosto 2008

Eraserhead, o bizarro que não se consegue apagar




A recente edição em dvd do primeiro longa-metragem de David Lynch, “Eraserhead” é muito mais que oportuna, enquanto peça fundamental para o entendimento daquilo que parece incompreensível a uma primeira leitura: o universo bizarro de David Lynch, em película e fora dela.

Esse filme tem várias vertentes fundantes. Cheio de traços pessoais, um período cheio de turbulências, um mestre em sua luta contra as teses canônicas, e uma busca por uma estética imantada, que só precisava de práxis, servem para dar ao espectador, elementos que ele possa reconstruir aquilo que o autor tenta desconstruir ao longo de sua carreira cinematográfica.

Essa edição trás um David Lynch consagrado, revelando e velando facetas em um significativo comentário-depoimento sobre o seu primeiro longa, alocado como extra. Tão importante, para os alucinados por ele, quanto o próprio filme. Essa é uma outra peça de arte. Duas em uma embalagem só. Nesse depoimento o autor não faz referência nenhuma à sua experiência particular de ter sido pai precocemente, e que o filho nascera com deformação nos pés. O casal de “Eraserhead” também tem um filho inesperado, um ser mutante. Mas aí são outros quinhentos.

É gratificante ver o tratamento dado pelo autor a esse anexo. Quando David Lynch encerra o depoimento afirmando que nenhum crítico ou qualquer outra pessoa do seu conhecimento fez uma interpretação do filme parecida com o que ele acha, sem revelar o que acha sobre o próprio filme, ali nós temos a reificação do universo cinematográfico desse mestre da escatologia humana. Nada se resolve, apenas o espanto.

David Lynch trabalha com o estranhamento, técnica de composição textual que ele transporta semioticamente para as montagens dos seus enredos. Em seu livro “Olhos de Madeira”, mais precisamente no artigo “Estranhamento, pré-história de um procedimento literário”, o filósofo italiano Carlo Ginzburg, entre outras teses sobre esse recurso, cita o escritor russo Chklovski, que justifica a quebra da linearidade discursiva como uma forma de se aprofundar na realidade, devido ao peso dos hábitos inconscientes, que automatizam tudo, o que é real e o que é irreal.

É isso que David Lynch faz. Quebra o discurso através do estranhamento, das alegorias, da descontinuidade, da fragmentação e da circularidade, para que o espectador seja jogado em uma urgência de compreensão. Assim ele vai desfilando os seus ícones e símbolos de uma decadência contemporânea, dentro e fora do ser, sem respeitar necessariamente as concepções de possível e impossível.

“Eraserhead” é a história fragmentada de Henry, que tem a notícia de que é pai precocemente e que seu filho é um mutante. Logo Henry é rejeitado pela própria namorada e passa a conviver brevemente com os seus infortúnios, dividindo o seu apertado apartamento com alucinações, entidades espirituais e um cotidiano povoado de máquinas e objetos, completamente despovoado de humanismo.

Pode-se afirmar que “Eraserhead”, a partir do título, é a saga do não ser. O cenário é árido, industrial, com traços de urbanidade e uma vaga noção de família, que não consegue coagular o seu intenso desequilíbrio mental, espiritual e existencial. A cena do jantar em que Henry visita a família da namorada é uma verdadeira peça suprema da escatologia humana, da loucura, da ignorância espiritual e da fragmentação da realidade.

David Lynch é um fabricante de universos particulares. Às vezes claustrofóbico, às vezes em pleno devaneio libertino. Mas sobretudo, David Lynch é o poeta da alma humana, em toda a sua pungência de abismos. Todos os elementos metafísicos e metalingüísticos de David Lynch estão lá, em “Eraserhead”: os espelhos; a vacuidade; as entidades espirituais; o palco; a prostituição existencial; a busca pelo amor; o desperdício da vontade; a trilha sonora concreta e experimental; o devaneio; o pesadelo; a solidão humana e a condição inconteste do indivíduo não ter controle algum sobre a existência.

Assista e tenha um excelente espanto.

Marcos Leonel

Notícias da semana no Cariri - Coluna Tarso Araújo - Jornal "O Povo"

CARIRI
Para pensar e pensar...
"É melhor estar morto num país vivo que vivo num país morto"
Glauber Rocha, cineasta. Um dos ícones do cinema novo.

NOSSA LÍNGUA
O professor Augusto Rodrigues bem definiu a Língua Portuguesa: "Na realidade, a Língua Portuguesa não é complicada. Ela é simples, humilde. Exige apenas que a olhemos incessantemente com o devido e merecido carinho e, por fim, que a transmitamos com simplicidade, sem complicações, sem os famosos "bizus" impregnados de "decorebas".

CULTURA
Édio Callou, técnico do Sebrae em Crato, entregou nas mãos deste colunista uma coleção de CD´s que está sendo lançada pelo Sebrae, nos estados do Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte. O projeto regional "Esquina Brasil" com a participação de Isac Cândido, Quinteto Agreste, Coco do Iguape, dentre outros nomes da música regional do Nordeste. Música de primeira qualidade.

DR. GESTEIRA
Na última sexta-feira, 8, a cidade do Crato lembrou os 100 anos de nascimento de José Antonio Gesteira, o Dr. Gesteira, considerado por Napoleão Tavares Neves, o primeiro grande cirurgião geral do Cariri. Dr. Gesteira nasceu em Pernambuco, mas profissionalmente fez seu nome no Crato, onde atuou no Hospital São Francisco, e, em seguida, fundou a Casa de Saúde Nossa Senhora da Conceição. Dizem no Crato, que seu enterro, dia 28 de dezembro de 1958, em um dia de domingo, parou literalmente a cidade do Crato. Milhares de pessoas homenagearam Dr. Gesteira, um médico humanitário e amigo dos pobres.

Anote: como você pensa o Cariri?
Eis uma pergunta que acredito, muitos caririenses, cheios de bons propósitos e loucos para a região crescer plenamente, devem estar se fazendo nos últimos dias. Afinal, no dia 5 de outubro deste ano, milhares irão às urnas para decidir os destinos dos municípios em nossa região. Cabe mesmo a pergunta: "como você pensa o Cariri?" Para que na hora em que cada eleitor/cidadão for digitar os números do candidato escolhido, faça isso com cidadania, exercendo um direito, exigindo realizações, obras e projetos e programas sociais. E muito mais: transparência e honestidade, numa região onde dezenas de políticos figuram na chamada lista suja do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). Um horror. Que Deus nos proteja em 5 de outubro, e que o eleitor vote certo.

ENCONTRO
A empresária Ana Anier Salustriano, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Juazeiro do Norte, participou no final de julho, do IX Encontro Latina Americano de Líderes, em São Paulo.

ZÉ SOZINHO
Uma história que só acontece mesmo no Cariri. Quem já ouviu falar em Zé Sozinho? Pois bem, esse senhor de Caririaçu, tem como missão de vida andar por comunidades carentes apresentando filmes. Isso mesmo, filmes. Com um equipamento um pouco antigo, leva a sétima arte para todos os rincões do interior do Ceará. Sua história já virou filme e ele se apresenta no programa do Jô Soares, na TV Rede Globo de Televisão, ainda esta semana.

ALIANÇA
O deputado estadual Sineval Roque e o ex-prefeito Walter Peixoto ocupam o mesmo palanque no Crato. Roque não é mais candidato e aposta todas as fichas em Peixoto, que está com problemas na Justiça. O promotor eleitoral Elder Ximenes pediu a impugnação da candidatura de Peixoto. A Justiça Eleitoral ainda não decidiu qual futuro do candidato de Roque. Disputam a eleição em Crato, além de Walter Peixoto (PMDB), Samuel Araripe (PSDB), Pedro Neto (DEM) e André Barreto (PV).

TRANQUILIDADE
O petista Manoel Santana agora pode dormir tranqüilo. Saiu a decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) acerca da decisão da juíza eleitoral da 119ª Zona Eleitoral que tinha impugnado a candidatura do petista por conta de irregularidades na documentação apresentada pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB). Tudo esclarecido, Santana agora se preocupará apenas na disputa, que será bem acirrada. Disputam ainda a Prefeitura de Juazeiro, Manoel Salviano(PSDB), Carlos Cruz (PP) e Gorete Pereira (PR).

DE OLHO...
Chegou em minhas mãos, enviada pelo sindicalista Augusto Nobre, do Sindicato dos Docentes da Urca, a cartilha "Assédio Moral", produzida pelo Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes). O assédio moral no trabalho, entretanto, não é um fenômeno novo. É tão antigo quanto o trabalho. E acontece todos os dias. Olho nisso, trabalhador.

CIDADÃO CRATENSE
A Câmara Municipal de Crato deu o título de cidadão cratense ao engenheiro e atual presidente da Saaec, José Procópio da Silveira. Natural de Eirunepé, Amazonas, Procópio da Silveira transferiu-se e passou a residir em Manaus (Capital do Estado do Amazonas) em 1955, onde permaneceu até março de 1976. Posteriormente estabeleceu-se em Fortaleza (Capital do estado do Ceará). Dos seus 58 anos de existência, já reside no Ceará a 32 anos, mais tempo do que em sua terra natal. Chegou ao município do Crato, onde fixou residência, em 28 de dezembro de 2004, para integrar o Governo Municipal da administração do prefeito Samuel Araripe. Quando atuava como jogador de futebol, jogou pelo Olympico e Nacional, de Manaus, Ceará, Fortaleza e Ferroviário, na capital cearense. Formou-se em Engenharia Civil pela Universidade de Fortaleza (Unifor). Tem pós-graduação em Engenharia Urbana, Segurança no Trabalho, Pedagogia na área de Matemática e Gestão Integrada de Recursos Hídricos em Bacias Hidrográficas. É casado com a senhora Walzenira Queiroz e tem dois filhos: Pablo Queiroz da Silveira, que cursa engenharia de telecomunicações na Unifor, e Marcele Queiroz da Silveira, administradora de empresa, com MBA em Gestão de Recursos Humanos pela Universidade Nove de Julho - São Paulo.

HISTÓRIA
Assim o Crato trata seus prédios antigos e históricos? Pois, bem, o que hoje é um prédio destruído já foi um prédio histórico da cidade, bem no coração do centro do Crato, onde funcionava a Cinelândia. Os atuais proprietários compraram o prédio e transformaram o espaço em um estacionamento. Prejudicaram o centro da cidade, que à noite fica isolado, e ainda estão especulando. As autoridades cratenses caladas estavam, e ainda estão.

SELO UNICEF
Professora Sophia da Franca Brito, que coordena a campanha do Selo Unicef Município Aprovado, na cidade do Crato.


BATE-PAPO

MARIA CABORÉ
Um personagem que vale a pena lembrar: Maria Caboré. De acordo com o pesquisador e memorialista Huberto Cabral, Maria Caboré era uma doida que viveu em Crato. Trabalhava por conta própria, limpava a delegacia da cidade e era amiga apenas de mulheres, pois tinha medo de homem.

VIOLÊNCIA
O promotor eleitoral de Salitre, José de Deus Terceiro, em reunião com os representantes das coligações que disputam a prefeitura local, assinou um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) para coibir a violência.

DESFILIAÇÃO
O prefeito de Juazeiro do Norte, Raimundo Macedo, entrou na Justiça para conseguir a desfiliação do PSDB. Se dizendo traído por dirigentes locais e estaduais do partido, Macedo quer ficar sem legenda para embarcar na candidatura do petista Manoel Santana.

APOIO
O senador Tasso Jereissati (PSDB) agenda vinda ao Cariri. Nas suas primeira visita, vai estar ao lado de Manoel Salviano e Samuel Araripe, para reforçar as candidaturas dos dois tucanos no Crajubar. Promete visitar outras cidades do Cariri onde tucanos disputam prefeituras. Por outro lado, o governador está sendo pressionado para subir nos palanques dos partidos que fazem parte de sua base de apoio.


Por: Tarso Araújo.

Asfaltamento na Batateiras

Matéria publicada no Blog do Tarso.

Está sendo realizado no bairro Batateiras, em Crato, o serviço de asfaltamento em algumas das ruas daquela localidade. O trânsito no local vem sendo organizado e coordenado por Agentes do Departamento Municipal de Trânsito (Demutran). Ontem pela manhã, os agentes estiveram no local para fazer a medição para inclusão de novos redutores de velocidade. O trabalho de asfaltamento do Crato se aproxima de dois meses, dentro do projeto Asfalto Novo para a Cidade do Crato, em que mais de 100 ruas recebem novo aspecto visual e possibilita melhores condições de tráfego nas áreas urbanas e revitalização do centro da cidade. Segundo dados da Secretaria de Infra-Estrutura, o projeto de asfaltamento do Crato inclui 220 mil metros quadrados de asfaltamento, o maior desenvolvido na história da cidade. Na área de calçamento, são 50 mil metros quadrados de ruas. A meta é cumprir com a obra de asfaltamento em 90 dias. O Demutran vem realizando o trabalho de sinalização, vertical e horizontal, além da colocação de redutores de velocidade em áreas com mais fluxo de veículos. Para isso, solicita o apoio da população para o respeito às normas de trânsito, com uso da velocidade permitida, principalmente nas ruas que ainda não receberam nova sinalização.

Por: Tarso Araújo
.

Crônica: Assim como me deu - Por: Nijair Araújo Pinto

.

– Ai, meus Deus! Derramei o leite, droga!

Quermezé era um alquimista moderno e homem cheio de boas intenções. Entregador de leite em domicílio de uma das grandes fazendas da região do Cariri, tinha por sonho conhecer as praias da capital. Queria desfrutar do mesmo sol que o escaldava todos os dias na fazenda, mas de outra forma, enxertado de lindas mulheres passeando pela orla, desfilando corpos atraentes em minúsculos biquínis. Salário minguado. Família pobre. Muitos irmãos... O tempo passa e o sonho recalcitra, tinhoso, no íntimo de Quermezé.

– Como juntar o maldito dinheiro pra viajar, meu Deus! – esbravejada, limpando o chão onde o leite se esparramara após a queda do vasilhame. – Preciso mesmo é completar a disgrama desse leite antes que o patrão desconfie.

Ao encher o contêiner, completando com água o leite derramado, Quermezé tem um estalo. ‘E se completar o leite todos os dias com água, aumentando a quantidade, hein?’ – pensa em voz alta. ‘E se o patrão descobre e me põe no olho da rua? Isso não é certo... Ai que tentação da peste! Mulheres no balde pra olhar. Meio mundo de biquínis pequenininhos pra olhar. Sei não, moço, mas vou arriscar esse troço. Está decidido. É isso mesmo, está é mais que decidido’. E o plano se inicia naquele exato momento, por força maior.

– Vamos, Zé!
– Estou indo patrãozinho.
– Eita que demora da gota!
– É que a manhosa estava era braba hoje. Esses bichos quando se danam nem leite deixa a gente tirar. Ah trabalheira!
– É mesmo... Pior que você tem razão, Zé!

Tudo certinho. Entregas efetuadas. Agora era esperar alguma reclamação. No dia seguinte, Quermezé fez o placebo da experiência e não burlou as amostras de leite que foram entregues sem a água adicional. Nada, nenhuma cara feia das clientes. Ao anoitecer, entre pensamentos e o céu límpido de estrelas a iluminar as tenebrosas divagações, Quermezé vislumbra uma ampliação de suas possibilidades.

– Zé?
– Já estou é aqui, patrãozinho! Vamos que o dia hoje amanheceu lindo e cheio d’água!
– E choveu esta noite? Não lembro de nada de chuva não, Zé!
– Nada não, patrãozinho. É que tenho dificuldade com as palavras.
– Eita Zé doido!

Eram entregues 100 litros todas as manhãs. Com a aplicação da alquimia do Quermezé, ele transformava esses litros iniciais em 130, guardando uma poupança de trinta por cento. ‘Água bendita que me realizará o sonho. Água bendita que tanto gosto de beber. Água bendita que deixa o leite mais ‘molinho’ que as patroazinhas gostam tanto e elogiam. Ah água bendita, salgada, onde minhas princesas se banham... Mar imenso de tantos peixes. Mar imenso de tantas princesas. Ah água de Deus! Ah Zé de Deus... E se o patrãozinho descobre, homem? Ah tentação que não passa... Preciso de mais um tiquinho pra comprar a passagem e poder me sustentar lá por dias, sem me afobar...’ Quermezé junta o trocado e avisa que vai viajar.

– Pra onde, Zé?
– ‘Furtaleza’... Vou ver o mar!
– Homem, isso de praia é perigoso. Tá pensando que é igual açude? Água não tem cabelo não, Zé!
– Eu sei, patrãozinho. Os cabelos que quero ver na praia são outros que não os meus. Ai que vontade de poder mesmo pegar nos cabelos delas pra saber se realmente existem...
– Mas você num vai ver as muié, Zé!? Que tonteira é essa de pegar pra saber se existem!

Quermezé arruma as malas e viaja para a capital. Durante a viagem sequer espreita as paisagens. Por ele, dormiria e acordaria na capital, de preferência, à beira mar. Dez horas depois chegam à rodoviária. Sem dormir, aproveitando que chegaram às seis horas da manhã, Quermezé vai direto para a Praia do Futuro, no primeiro táxi que encontra. Chega e contempla a beleza imponente da imensidão azul. Sente a areia da praia a amaciar-lhe os pés. Anda vagarosa e emocionadamente pela orla e decide entrar no mar.

‘Que delícia! Que felicidade! Que sonho bom realizado...’

Quermezé está fora de si, emocionado. As ondas se sucedem e ele adentra ao mar, descuidadamente, molhando os pés... Os joelhos... De repente, uma forte onda se aproxima.

‘Ai, meu Deus!’ – Quermezé tenta correr, mas é atingido. Com a violência das ondas que se sucedem, num interminável vaivém, ele é batizado pelo mar que o engole e, amigavelmente o expulsa, depois de uma série de ondas que o deixou à beira do desespero. Recuperado do susto, ele lembra de procurar o dinheiro fruto das economias. Ele vasculha os bolsos da frente da calça, erguida até a altura dos joelhos antes de ele sentir a textura da água salgada pelo contato físico. Rastreia cada um dos dois bolsos detrás e nada. Olha para o mar, o imenso mar que povoara seus sonhos, e vê as cédulas boiando. Boiando. Boiando. Tem ímpetos de nadar e buscar o dinheiro, mas as recordações do desespero recente limitam-lhe as ações. Ele senta, olha a linha do horizonte, e sentencia:

– Ah mar imenso de tantos sonhos e de tanta água. Ah água que me realizou o sonho de estar aqui diante do mar. Mesma água que agora me leva, aos pedaços, o sonho... Ah água maldita! Ah sonho maldito! Ah mulheres lindas que não quero mais ver...

Quermezé se levanta, corre para o orelhão mais próximo, e faz uma ligação:

– Patrãozinho, a água levou meu sonho embora... Mas tem nada não, água pra frente. Eu voltarei outra vez!
– Está doido, Zé!

Ouve-se apenas o barulho do telefone desligado.


Por: Nijair Araújo Pinto
Foto Ilustrativa do site: www.fotosdachapada.com - Morro do Chapéu
.

Futebol - Atualização - Amilton Silva

Prossegue neste domingo(10), com tres jogos, a quarta rodada do campeonato cearense da 2ª divisão 2008. O Crato que perdeu para o Trairiense jogando no Mirandão na última quarta feira, vai a Fortaleza enfrentar o Tiradentes.No Junco em Sobral, o Guarany tentará sua primeira vitória no hexagonal contra o Trairiense. Finalizando a rodada o Maranguape enfrentara o Maracanâ.A Classificação do cearense após as tres primeiras rodadas ficou assiim:

2º Fase - Grupo: Único
Pos Clube PG JG Vit Emp Der GP GC SG Apr. %
6 3 2 0 1 5 3 2 66.67
6 3 1 1 1 1 3 -2 44.44
5 3 1 2 0 1 0 1 55.56
5 3 1 1 1 2 2 0 44.44
4 3 1 1 1 4 2 2 44.44
4 3 0 1 2 2 5 -3 11.11


Notícias da URCA - 11 de Agosto de 2008

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ
SECRETARIA DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO SUPERIOR – SECITECE
FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI – URCA

AULAS NOS CURSOS DE ARTES VISUAIS
E TEATRO DA URCA INICIAM HOJE


Iniciadas, na manhã desta segunda-feira, 11, em Barbalha, as aulas do
Departamento de Artes, da Universidade Regional do Cariri (URCA). Entram em
funcionamento os cursos de Artes Visuais e Teatro na sede do prédio histórico
do Casarão Hotel, em Barbalha. O calendário letivo do curso inicia com atraso,
por conta da carência do quadro docente e das condições de infra-estrutura,
que foram providenciadas, após reivindicações de alunos, professores e da
administração da própria Universidade. Na última sexta-feira foi realizada
reunião com o corpo discente, professores e o Pró-Reitor de Graduação,
professor João Luis do Nascimento Mota e representante do Departamento de
Ensino de Graduação (DEG), no intuito de apresentar a estrutura de
funcionamento da instituição. Segundo o chefe de Departamento de Artes,
professor Frederyck Sidou, o objetivo é ajustar às aulas ao calendário
acadêmico, que será adequado a partir do segundo semestre com os outros cursos
da Universidade.


PROJETO GEOPARK ARARIPE SERÁ
APRESENTADO EM REUNIÃO DO CONDEMA


Será realizada, nesta terça-feira, no Auditório da Secretaria Municipal de
Saúde, no Centro Administrativo da Prefeitura, a oitava reunião do Conselho de
Defesa do Meio Ambiente, a partir das 8h30. Na ocasião, será feira
apresentação do Projeto Geopark Araripe, por Francisco Idalécio de Freitas,
gerente do Geopark, além de informes do Conselho.



Assessoria de Comunicação
Universidade Regional do Cariri - URCA
(88) 3102-1212 ramal 2617
www.urca.br
Crato, 11 de agosto de 2008.

TRÉPLICA - Dr. valdetário Brito

"Porque Lula não vem ao Crato"

Recentemente foi publicado neste Blog um direito de resposta sobre o texto "Porque Lula não vem ao Crato". Para melhor esclarecer os argumentos do replicado e reparar a verdade dos fatos, sinto-me na obrigação de fazer os seguintes comentários:

1 – Não tratei ninguém por "ditador terrorista" como foi insinuado. Usei somente o termo "ditadozinho" a palavra "terrorista" foi acrescentada pelo replicado com a clara intenção de pousar de vítima e "sair melhor na foto".

2 – Também não me utilizei da expressão "lambe botas" como ele fez parecer. Embora seja inegável que o mesmo sempre tenha se aproveitado da política para conseguir seus empregos. Sempre teve na militância política uma forma de ganhar o seu pão, seja no Sindicato, em gabinete de algum deputado, na Câmara Municipal e agora no serviço público, com o agravante de nunca ter feito qualquer concurso. Sempre orbitou em torno da política e nunca teve a Carteira de Trabalho assinada.

3 – Peço que atentem para o verbo utilizado por ele quando diz; "...militante do PT do Crato que tem (grifo meu) um cargo no INCRA". É comum aos ditadores a idéia de "posse", "ser dono", "ter". Lembre-se, meu caro, que você apenas "ocupa", temporariamente, um cargo naquele órgão.

4 – O Lula não veio ao Crato em 2004 quando fui candidato a prefeito, pelos seguintes motivos:

A – Naquele momento o presidente já sabia que tentaria reeleição e não tinha interesse em criar problemas com sua base de sustentação política e optou por não subir em palanques.

B - Fui candidato pela DS corrente que dentro do Partido faz oposição à corrente política do Presidente Lula e que, portanto, não tinha, como ainda não tem, prestígio político para influenciar na agenda do Presidente

C – Naquela eleição, o deputado que dizia apoiar a minha candidatura era o João Alfredo, líder maior da DS no Ceará à época, e que vivia às turras com o PT nacional, não tendo, assim, a menor possibilidade de patrocinar a vinda do Presidente. Tanto é verdade o que afirmo que o João, coerentemente, acabou por sair do PT.

5 – Você sabe mais do que todos do PT o quanto o seu grupo político massacrou a minoria para se manter hegemônico dentro do Partido e ainda tem coragem de dizer que foi dada igualdade de condições para defesa das teses? Desde o PED que você e seu grupo saíram alardeando mentiras sobre a minha pessoa e sobre a minha conduta profissional. Aliás, o processo de desgaste do meu nome você começou, covardemente, desde o momento que me distanciei da DS. Quem foi que saiu dizendo que eu e o companheiro Régis havia "pelegado" só porque trocamos de corrente dentro do PT, o que é corriqueiro acontecer? Quem foi que saiu mentindo para os filiados do Partido dizendo que a nossa corrente queria apoiar a candidatura do deputado Sineval Roque e não a candidatura própria em 2008? Quem foi que criminosa e irresponsavelmente inventou a estória que havia um processo na justiça por erro médico contra a minha pessoa? Quem foi pro rádio fazer propaganda de outro candidato quando naquele momento o meu nome já havia sido escolhido candidato? Quem foi que reconheceu ter errado e veio, com a cara mais lisa do mundo, me pedir desculpas? Lembre que eu não o perdoei. Quem foi que fez reuniões clandestinas do PT para tirar a mais infeliz das táticas políticas dos últimos tempos – fazer visita, pedir apoio e destratar em sua residência adversário político histórico nosso? E quem foi que depois dessa "lambança" toda ainda teve a coragem de negar o feito? Quem foi que nos negou acesso prévio ao regimento do encontro e à lista dos filiados aptos a votar? Quem foi que inscreveu filiados mesmo após o encerramento das apresentações das teses? Quem foi que só nos entregou 20 (vinte) convites para os filiados ao encontro do PT enquanto ficou com mais de 200 (duzentos) para sua corrente? Quem foi que...são tantas as perguntas! Espero que sejam respondidas, sem mentiras. O texto já está muito longo. Depois darei continuidade.

Valdetário Brito.

e-mail valdetariobs@ig.com.br

Crato CE, 10.08.2008
.