12 julho 2008

Um Sinal de Esperança - Forró Autêntico ainda Sobrevive !

Cineasta suíço mostra documentário sobre forró no Festival de Montreaux

Filme foi feito por Bernand Robert-Charrue durante São João de Campina Grande em 2007.
Em 11 de julho, evento vai fazer uma homenagem ao forró nordestino com artistas do Brasil.
Foto: Divulgação
Divulgação
Aleijadinho de Pombal em cena do documentário (Foto: Divulgação)
Foto: Divulgação
Divulgação
Trio nordestino também faz parte das filmagens de 'Paraíba meu amor' (Foto: Divulgação)
Foto: Divulgação
Divulgação
O músico Pinto do Acordeon (esq.) toca com o francês Richard Galliano (Foto: Divulgação)
Foto: Divulgação
Divulgação
O sanfoneiro Dominguinhos também participou do documentário (Foto: Divulgação)
Foto: Divulgação
Divulgação
A seca em cidades paraibanas também é retratada no filme (Foto: Divulgação)

O Festival de Montreaux vai fazer uma homenagem ao forró, no dia 11 de julho. O evento será realizado entre os dia 4 e 19 de junho, na Suíça, e também vai exibir o documentário "Paraíba meu amor", do cineasta suíço Bernand Robert-Charrue, que rodou parte do filme durante o São João de Campina Grande em 2007.

A programação do festival prevê a exibição do documentário na sala Miles Davis, seguida das apresentações de Chico César, Trio Tamanduá, Flávio José, Pinto do Acordeon e Aleijadinho de Pombal.

O sanfoneiro Dominguinhos, que faz parte do filme, não estará no festival porque tem medo de avião. “Não viajo mais de avião. É uma pena porque a festa vai ser bonita”, disse o músico, lembrando a homenagem que será feita no evento para Luiz Gonzaga.

Robert-Charrue passou esta semana em Campina Grande (PB)para aproveitar as festas juninas e prestigiar o show de Dominguinhos, no domingo (8), no palco principal do Parque do Povo. “Campina Grande tem os melhores músicos de forró pé-de-serra. Sou um apaixonado pelo ritmo”, disse.

O diretor pretende começar uma campanha de promoção do forró no exterior. O documentário tem duração de 80 minutos e traça uma linha paralela entre a representatividade do forró na cultura do nordestino e a vida na seca.

O filme intercala entrevistas e apresentações de Chico César, nascido no Sertão do paraibano, Aleijadinho de Pombal, Trio Tamanduá, Pinto do Acordeon e o grupo Os 3 do Nordeste. “O filme será lançado no cinema suíço e depois na TV européia. Inicialmente, o projeto era apenas para a televisão, mas houve a demanda do cinema. É um efeito raro, pois quando a TV se interessa, o cinema não quer.”

Agradecimento

O lançamento do documentário em solo brasileiro aconteceu em João Pessoa, no dia 10 de março deste ano. Em Campina Grande, a avant-première ocorreu no dia 11. Em Patos, o evento aconteceu no dia 15 de março. As exibições do filme foram feitas apenas como agradecimento aos moradores da região, pois estas cidades serviram de cenário para o filme. Antes disso, o filme foi apresentado na cidade alemã de Karlsruhe, em 25 de janeiro.

Descoberta do ritmo
Bernard-Charrue disse ao G1 que descobriu o forró pé-de-serra quando esteve em Olinda (PE), em 2005. “Fui ao bar Bodega e tinha um trio de forró tocando lá. Nunca tinha ouvido e fiquei muito interessado. Depois, segui para o Rio de Janeiro para comprar CDs, mas não encontrei muita coisa.”

CRATO TURISMO...

Faço saber que estou confeccionando um mine álbum com imagens do Crato, sob o título: “Crato, “quem já te viu, ó não te esqueces mais”. O mine álbum, é composto de 50 fotografias mesclando imagens da cidade com outras colhidas em toda extensão do município.
Funciona como um produto artesanal, uma lembrança muito adequada para dar como presente ou ser adquirido por turistas em visita à cidade.
A cidade parte urbana: Panorâmicas, praças, igrejas, ruas, museus, arquitetura, etc. E... a serra do Araripe, costumes e tradições do nosso povo, o folclore, artesanato, personalidades, comidas típicas, festas, religião, paisagens, etc., etc...

Interessados passar email:
pjamaca@bol.com.br ou, ligar para: 3521.0831

Venda sob encomenda.







Fotos: Pachelly Jamacaru
"Direitos reservados"
Lei: 6.910

Website O DEMOCRATO está fora do ar !



Lamentamos informar que o site co-irmão "O Democrato",

www.odemocrato.blogspot.com

notadamente um veículo de utilidade pública, que tem publicado matérias muito importantes para toda a comunidade Cratense, está fora do ar nesse momento. A decisão foi do seu administrador, George Macário, que decidiu fazê-lo após receber notificação da Justiça eleitoral acerca de 2 artigos nele publicados, que deveriam ser retirados do ar, dentre outras alegações. George, que é candidato a vereador na cidade, tomou essa decisão sem data determinada para a volta do website ao ar.

O Blog do Crato espera que o DEMOCRATO volte em breve ao ar, já que sempre presta inúmeros serviços à comunidade. Cala-se um grande veículo de divulgação do Bem, do Útil e da Verdade. Conforme explanamos em outro tópico aqui no Blog do Crato, neste período eleitoral, a legislação não é muito clara no que concerne à internet, o que dá margem a muitas interpretações, como foi o caso também de 2 entrevistas veiculadas aqui no Blog do Crato, e que foram na época, consideradas "como se fosse" propaganda eleitoral extemporânea.

Seria muito bom se a justiça Eleitoral definisse ou revisse os conceitos de propaganda eleitoral na internet. Pois da forma em que está, a opinião é unânime, desde o Jornal Folha de São paulo, Revista VEJA, dentre inúmeros, de que há todo um estado de MÊDO e INSEGURANÇA provocado pela confusão que existe no meio. Pela legislação atual, cada candidato só pode fazer propaganda eleitoral em um site com terminação .can fornecido pelo próprio governo. Acho isso um verdadeiro absurdo, porque nenhum eleitor vai até o site do candidato. Seria a mesma coisa que em meios físicos, o candidato só fazer propaganda eleitoral dentro da sua própria casa, e quem quisesse conhecer o candidato, teria que ir visitá-lo em sua casa. Um absurdo!

Há um movimento na câmara dos deputados para que seja feita uma revisão nas leis que regem a propaganda eleitoral na Internet. Vivemos numa democracia, não num estado TOTALITÁRIO. É exatamente nesta época que o povo precisa exercer plenamente a democracia, e conhecer MUITO BEM os candidatos antes de votar, até para não votar errado nas eleições, e a internet bem que poderia ser um meio para conversas, discussões com os candidatos para conhecer as suas plataformas políticas.

Em tempo: Volta, O Democrato!
.

Trem do Cariri é atração da EXPOCRATO 2008



Previsto para operar no início de 2009, o veículo ficará aberto à visita pública
Os participantes da 57ª edição da Expocrato poderão conhecer de perto uma das duas composições da linha de trem Crato-Juazeiro do Norte, na região do Cariri, que está sendo reativada pelo Governo do Estado, através do Metrofor. Construídos pela Bom Sinal, cuja fábrica fica na vizinha cidade de Barbalha, os dois trens deverão operar no início de 2009. Atualmente em fase de testes pelo Metrofor, o trem foi transportado até o Parque de Exposições do Crato, onde ficará aberto à visitação pública no stand da empresa durante toda a semana do evento.
Totalmente fabricado com material nacional, o trem da Bom Sinal é um modelo de VLT (Veículo Leve Sobre Trilhos), especialmente projetado para o transporte de passageiros. Faróis, iluminação interna, assentos e ar-condicionado estarão energizados e em pleno funcionamento para que os visitantes da feira possam conhecer o veículo, que possui dois vagões ligados por um sistema de gangway (passagem sanfonada que liga um carro ao outro) e permite o deslocamento dos passageiros de forma rápida e segura.
O trem atingirá uma velocidade máxima de 60 km/por hora e terá capacidade total para 330 passageiros, sendo 100 pessoas sentadas e 230 em pé. São veículos à diesel, com sistema automotriz (partida no próprio motor), tração hidráulica e duas cabines de comando (uma em cada extremidade).
No stand da Bom Sinal, representantes da empresa também mostrarão sua linha de produtos, fabricada S.M.C (Sheet Mound Componding), um plástico especial utilizado na fabricação de cadeiras para espaços esportivos, mobiliário escolar e hospitalar, placas de sinalização e também no projeto do trem do Cariri.
A abertura da 57º Exposição Centro Nordestina de Animais e Derivados (Expocrato), acontecerá no próximo domingo, às 16h, com a presença do Governador em exercício, Francisco Pinheiro, e o secretário do desenvolvimento agrário, Camilo Santana.

Fonte: AVOL - Antonio Viana Online
.

Futebol - Por Amilton Silva

Iniciou-se nesta sexta-feira (11) com quatro jogos, a 11ª rodada da Série B do Brasileirão 2008:

Ponte Preta 3 X 0 Barueri
Vila Nova 1 X 1 Bahia
Marília 2 X 1 São Caetano
CRB 2 X 1 Brasiliense

A rodada será completada neste sábado (12) com seis jogos:

16:00 Paraná X Juventude
16:00 Santo X Corinthians
16:00 Gama X Bragantino
16:00 Criciúma X Avaí
16:00 Ceará X Fortaleza
20:30 ABC X América

O Brasileirão série A 2008 começa hoje com dois jogos:

18:20 Fluminense X Vitória
18:20 Goiás X Coritiba

do domingo(13) sera finalizada com mais dez jogos:

16:00 São Paulo X Palmeiras
16:00 Atlético PR X Internacional
16:00 Santos X Botafogo
16:00 Cruzeiro X Atlético MG
16:00 Ipatinga X Figueirense
18:10 Grêmio X Portuguesa
18:10 Flamengo X Vasco
18:10 Náutico X Sport

As rodadas da série A e B serão marcadas por diversos clássicos locais.
O Campeonato Cearense da 2ª divisão, na sua reta final, terá uma rodada com quatro jogos: hoje dia(12), às 16:00 Maranguape X Tiradentes, amanha dia 13 teremos mais tres jogos:

15:30 Maracanã X Trairiense
16:00 Barbalha X Guarany
16:00 Itapajé X Crato

Com os últimos resultados negativos da equipe do Barbalha, o treinador luiz Carlos Mendes foi demitido, a raposa barbalhense tá lutando pra permanecer na segundona, já que não ha possibilidade da equipe chegar a o hexagonal decisivo. A torcida caririense gostaria que, tanto a equipe de Barbalha, como a do Crato conseguissem participar da elite do futebol Cearense.Ja que ta difícil para o Barbalha, vamos concentrar toda a torcida no Azulão da Princesa do Cariri )

Por: Amilton Silva - Editor de Esportes do Blog do Crato.

As Mulheres Bonequeiras do Crato - Por Antonio Vicelmo

Estímulo para sociabilização

Bonecas de pano são terapia

Clique para Ampliar

As mulheres bonequeiras do Crato, como são conhecidas, fabricam bonecas de pano embaixo de uma árvore. As peças são levadas para São Paulo. Lá, funcionam como instrumentos lúdicos de educação (Foto: Antônio Vicelmo)

Clique para Ampliar

Milena Priscila da Silva, de 10 anos, já aprendeu a fazer bonecas com sua tia, Gertrudes Leite

A brincadeira de criança ganha novo sentido em trabalho de sociabilização no Crato, São Paulo e Equador

Crato. As bonecas de pano que alimentaram os sonhos e fantasias das crianças do passado estão de volta como instrumento lúdico de educação. Reunidas debaixo de um pé de manga, as chamadas “mulheres bonequeiras do Crato” tecem, com agulha e linha, emoções, sentimentos, saudosismo. No reencontro com o passado, estas mulheres descobrem o futuro e preenchem o vazio do cotidiano da vida.

As bonecas, fabricadas no Crato e levadas para São Paulo, abrem caminhos para que cada um descubra ou redescubra quais são seus reais valores, desvinculados de modismos ou padrões estéticos e sociais atuais. As bonecas são utilizadas como equipamento didático de uma geração dominada pelos brinquedos eletrônicos.

Já está havendo até intercâmbio entre as bonecas do Crato e as fabricadas em Quito, capital do Equador. A arte e a brincadeira são universais, mas as características são próprias. As bonecas equatorianas, por exemplo, vestem-se diferentes e mantêm os braços presos.

“Você pode descobrir mais sobre uma pessoa em uma hora de brincadeira do que em um ano de conversa”. Inspirada neste pensamento de Platão, a psicodramatista Elisete Leite Garcia, natural do Crato, desenvolve um conjunto de dinâmicas sensoriais e corporais, com fundamentação na espontaneidade do ato de brincar, associada às técnicas do Psicodrama e Sociodrama para vivenciar e redimensionar a temática do universo do indivíduo em suas inquietações sob os aspectos pessoais, sociais, educacionais, culturais e de saúde.

O trabalho tem como principal recurso da dinâmica um conjunto de bonecas artesanais feitas no Crato que são utilizadas como “objeto intermediário”, um material lúdico que, segundo Elisete, facilita a relação interpessoal ou do indivíduo consigo mesmo, para favorecer a comunicação com seu mundo externo e interno estimulado por meio dos sentidos e da imaginação.

Esta estratégia é aplicada em São Paulo desde 2002 com a participação de mais de 1.600 pessoas em grupos e comunidades culturais diversas, grupos de mulheres, secretárias, idosos, gestantes, pessoas com necessidades especiais, universitários, enfermeiros, psicólogos, atendentes e adolescentes, instituições educacionais e empresariais e hospitais.

Recentemente, as bonecas do Crato foram levadas para a cadeia pública, a fim de realizar um trabalho junto às mulheres presidiárias.

Elisete, que se encontra no Crato fazendo novos pedidos de bonecas para uma apresentação em Quito, diz que “as bonecas trazem a simplicidade da estética popular e simbolizam uma imagem e identidade relacionada à vivência de cada participante”. As bonecas, segundo Elisete, podem ser modificadas em todos os sentidos – desde a estrutura dos membros, das vestimentas e dos cabelos.

Transformação

Por meio dos exercícios propostos no grupo, as brincadeiras com as bonecas representam movimentos, emoções e relações inter-pessoais, tornando-se um instrumento de recodificação de pensamentos e recordações, completando assim um jogo de transformação, contextualização e de perspectivas.

Dentro dessa concepção, o “Tatadrama”, protagonizado pelas bonecas, foi levado para alguns atletas da corrida de São Silvestre. “Estes atletas foram preparados fisicamente para a competição, mas precisam de uma preparação psicológica”, contou ela. O “tatadrama”, segundo Elisete, destina-se a quem está procurando desenvolvimento pessoal e auto-conhecimento e que se dispõe a trabalhar aspectos da personalidade. De acordo com as propostas a quem se destina, sua estrutura e duração foram dimensionadas de 3 a 40 horas. Inclusive podendo abranger profissionais da área terapêutica da saúde, social, educacional e comportamental, utilizando-o como instrumento estratégico para a área de Recursos Humanos.

Idéia

A idéia nasceu há seis anos quando a psicodramatista Elisete Leite Garcia, residente em São Paulo, recordou os seus brinquedos de criança no Crato, sua terra natal. Lembrou que as bonecas fizeram parte do seu mundo infantil e descobriu que, por meio delas, poderia reconstruir o mundo adulto da auto-estima, valorização da sexualidade, papéis sociais, sonhos, conflitos, bloqueios e saúde, entre outros.

Comunicou-se com uma amiga de infância a procura de alguma artesã que fabricasse as bonecas. Com o tempo, foi criado um grupo de mulheres bonequeiras que se reuniam debaixo de uma mangueira, na Avenida Perimetral. A princípio, a mangueira servia da sede porque não tinha outra opção. Hoje, é uma necessidade social. “A mangueira é mais solidária, romântica e inspira a criatividade”, diz uma das artesãs, Gertrudes Leite.

Enquete
O que o trabalho de bonequeira representa?

Maeli de Souza Feitosa
Artesã
'Depois que eu comecei a fazer bonecas de pano, até a dor de cabeça passou. Foi muito bom começar este trabalho'.

Maria do Socorro Silva
Artesã
'Estou realizando um sonho de criança. Quando eu era pequena, meu pai não deixava eu brincar de boneca'.

Marilac Oliveira
Artesã
'Fabricar bonecas é voltar aos tempos de criança e resgatar um brinquedo que foi substituído pelos eletrônicos.'

Gertrudes Leite
Artesã
'A mangueira é mais solidária e romântica. Além disso, trabalhar embaixo desta árvore inspira a criatividade.'

CONVIVÊNCIA SOLIDÁRIA

Mulheres se descobrem como artesãs

Crato. A terapia começa debaixo da mangueira, no terreiro da casa de uma das bonequeiras, na Avenida Perimetral, neste município do Cariri. Ali, todos os dias, as artesãs se reúnem. O primeiro valor social despertado pelo projeto é o senso de participação desenvolvido nestas artesãs nordestinas, que aprendem a importância, o significado e o objetivo de seu trabalho numa convivência solidária. Quando o trabalho foi iniciado, no ano de 2002, havia apenas uma bonequeira. Hoje, há mais de 40 mulheres que resgataram sua potencialidade inata de artesãs.

Abraçada com a mangueira, que fez parte de sua infância, Elisete garante que está colhendo os primeiros frutos do seu trabalho. De acordo com ela, “um deles é a união dessas mulheres sertanejas que se transformaram em artesãs”, diz.

Hipertensa, com freqüentes dores de cabeça, a artesã, Maeli de Souza Feitosa, garante que, quando se junta às outras companheiras de trabalho, esquece-se da doença. “Até a dor de cabeça passa”, afirma.

Maria do Socorro Silva diz que está realizando um sonho de criança. Seu pai não a deixava brincar de boneca. Agora, ela está fazendo as bonecas que ela nunca teve. “Para mim, isso é uma brincadeira de criança”, conta ela.

Para outra artesã, Marilac Oliveira Fidelis, confeccionar bonecas é voltar à infância e resgatar um brinquedo que foi substituído pelos equipamentos eletrônicos.

As artesãs passaram a produzir novamente as bonecas de pano que foram passadas de mães para filhas. É o caso de Milena Priscila da Silva que, com apenas 10 anos, aprendeu com a tia, Gertrudes Leite, a confeccionar bonecas de pano.

Cidadania

As bonecas de pano do município do Crato tornam-se, assim, parte integrante da construção de um processo de conscientização para a cidadania, para uma economia solidária, além de representarem uma “cultura viva”, capaz de mobilizar forças e articular movimentos iniciais de um processo de inclusão social.

Além do aspecto socioemocional, o trabalho complementa a renda familiar dessas mulheres. Cada uma das bonecas custa em torno de R$ 2.

Antônio Vicelmo
Repórter


A Opinião do especialista

“Dupla Esperança”

A utilização dessas bonecas do Crato, confeccionadas pelas singelas mãos dessas mulheres, transformou-se em objeto intermediário de uma pesquisa científica de Psicodrama e Sociodrama originando o “Tatadrama”, proporcionando a possibilidade do nascimento da identidade “Bonequeiras no Pé de Manga”, bem como, a própria identidade da boneca de pano que passou a se chamar “Dupla Esperança”, denominada pelas bonequeiras a partir dos fenômenos que ocorreram dentro deste grupo de mulheres, conforme recebiam informações da utilização dessas bonecas nas aplicabilidades do “Tatadrama” realizados em São Paulo, Brasil e no exterior.

A continuidade do projeto representa ampliar horizontes para essas comunidades, cujo conjunto de atividades envolve conceitos de educação, sociabilização e aproximação com o grupo, criando assim, condições de desenvolvimento e difusão sociocultural, que hoje se encontra diariamente todas as tardes a sombra do frondoso pé de manga produzindo com criatividade e imaginação muitos personagens, às vezes, até estereotipados de seus sonhos, desejos e projeções.

ELISETE LEITE GARCIA *
*Psicodramatista didata, supervisora socioeducacional da Associação Brasileira de Psicodrama e Sociodrama (ABPS) - Febrap/São Paulo/SP/Brasil

regional@diariodonordeste.com.br

Mais informações:
Bonequeiras do Crato
Av. Perimetral, 235c, bairro São Miguel
(88) 9911.6617
(88) 8809.6838

Reportagem: Antonio Vicelmo.
Fonte: Jornal Diário do Nordeste
.

Fortaleza Contra o Glaucoma - Por Anderson Lima

GLAUCOMA MOTIVA AÇÃO INÉDITA

Nos dias 18 e 19, o Ginásio Aécio de Borba será palco do primeiro Fortaleza Contra o Glaucoma, iniciativa cuja proposta é realizar exames de detecção da doença na população e, ao mesmo tempo, conscientizá-la sobre a importância de se prevenir do glaucoma, mal que age silenciosamente e causa danos irreversíveis à visão. A previsão é que sejam atendidas mais de duas mil pessoas com 40 anos ou mais nos dois dias de ação. A iniciativa é promovida pela Sociedade de Oftalmologia do Ceará com o apoio da Sociedade Brasileira do Glaucoma e dos serviços de residência médica do Hospital Geral de Fortaleza (HGF), Hospital Universitário Walter Cantídio, Oftalmoclínica (Clínica Dr. José Nilson, Funcep), Hospital de Olhos Leiria de Andrade (Hola) e Sociedade de Assistência aos Cegos (SAC).

Atenciosamente,

Anderson Lima
Brava Comunicação & Marketing
+ 55 81 3269.0005
+ 55 81 9944.9858

www.bravacomunicacao.com