03 julho 2008

Da Árvore Para o Bem e para o Mal



“Acreditaste, porque me viste?

Bem-aventurados os que creram sem terem visto!”

João 20, 24-29

Era um gélido dia em Londres, naquele 01 de Julho de 1858, há exatos cento e cinqüenta anos. Na Piccadilly Circus , uma famosa praça de Londres, existe um palácio conhecido desde o Século XVII, por Burlington House. Desde 1788 , ele sediava a famosa Sociedade Linneana de Londres, nome dado em homenagem ao grande botânico Carl von Linné (1707-1778). A Sociedade tradicionalmente se dedica à taxonomia e publica relevantes estudos dedicados à botânica, zoologia e biologia. Nenhum dos encartolados e sisudos senhores presentes à reunião percebeu a importância daquele momento histórico para a humanidade. Pois ali , pela primeira vez, foi apresentada a Teoria da Evolução assinada por Charles Darwin e Alfred Russell Wallace. A apresentação de uma das mais importantes teorias de toda a história passou perfeitamente desapercebida. Talvez porque nenhum dos dois biólogos pode comparecer ao conclave: Darwin (1809-1882) havia perdido o filho caçula, morto de escarlatina, dois dias antes e Wallace escontrava-se na Nova Guiné, continuando suas pesquisas. Ele nem sabia dos rumos tomados por seu estudo, enviado em fevereiro do mesmo ano para Darwin. Só um ano depois, com a publicação por Darwin do livro “A Origem das Espécies” é que o mundo começou a se dar conta do cataclismo científico desencadeado pelos dois pesquisadores.



Há inúmeros pontos nesta história sesquicentenária que merecem ser lembrados. Darwin chegara à Teoria Evolucionista há mais de 20 anos e a mantivera sob sigilo certamente percebendo o potencial polêmico e bombástico que tinha nas suas mãos. Só quando em fevereiro de 1858 chegou às suas mãos um trabalho enviado por Wallace da Indonésia que contemplava as mesma conclusões é que resolveu publicá-la , temendo perder a procedência do seu descobrimento. Eticamente a apresentou, naquele primeiro de julho, na Sociedade Linneana, em nome seu e no de Wallace. A história, injustamente, terminou por esquecer o nome do grande biólogo Alfred Wallace, nascido no País de Gales em 1823 e que desapareceria deste mundo conturbado em 1913, hoje considerado o pai da Biogeografia.
Darwin percebeu com clareza o tsunami que acabava de desencadear. Certamente se pôs na pele de Galileu, Copérnico , Giordano Bruno que entre os Séculos XV e XVI descobriram que havia explicações mais plausíveis para os segredos do mundo do que aqueles arrancados dos livros ditos sagrados. Darwin e Wallace acabavam de jogar por terra , com a sua Seleção Natural, todo o Gênesis bíblico. Os seres vivos simplesmente não foram criados de uma só vez , em apenas sete dias, conforme o texto sagrado do Cristianismo. A história científica da humanidade é bem mais profana. O mecanismo da Seleção Natural trazia uma enorme cobertura de sofrimento para muitas espécies e o aniquilamento contínuo de outras tantas menos capazes de se adaptar às modificações contínuas do meio ambiente. Os seres vivos atuais não foram criados como tais, mas são o somatório de uma infinidade de transformações que terminaram por ajudar suas características a sobreviverem, em detrimento de outros seres menos capazes. Adão e Eva – por mais absurdo que possa parecer – eram símios que desceram das árvores para o Bem e para o Mal. Os estudos arqueológicos que se seguiram apenas passaram a confirmar o evolucionismo descoberto por Darwin e Wallace.

Estabeleceu-se, com eles, a dicotomia definitiva entre Ciência e Religião. A concepção de mundo nunca mais foi a mesma. Os homens passaram a investigar a natureza por meios próprios, já não temendo a fogueira e a excomunhão. Os religiosos continuam estrebuchando , não se conformam em admitir que os livros sagrados podem cuidar com esmero do espírito, mas que em termo de explicação científica do mundo se comparam a um gibi. Bem- Aventurados os que deram sua vida para provar que para crer é necessário ver e provar cientificamente a veracidade da sua visão.



Por: J. Flávio Vieira


Mostra de Animes OTAKRATO começou hoje, Quarta-Feira, dia 03 de Julho. Serão 3 dias de programação.


Programação

O animê é a maior forma expressão da cultura japonesa no ocidente, sendo uma maneira artística e social de divulgar e promover a cultura popular desse país oriental. Na seleção, encontram-se desenhos dos mais variados assuntos e temas: amor, misticismo, existencialismo, humor, guerra, futurismo, entre muitos outros. De forma lúdica, o animê transmite valores sócio-culturais, além de ser um prazeroso meio de entretenimento.



O SIGNIFICADO DE OTAKRATO

Otacus referente a fanático por determinado assunto e Krato é Crato mesmo onde vai ser sediado esta mostra.

Em comemoração dos 100 anos da Imigração japonesa no Brasil que em 18 de Junho de 1908 chegando ao Porto de Santos o Kasato Maru, navio que trouxe 165 famílias de japoneses grande parte destes imigrantes era formada por camponeses de regiões pobres do norte e sul do Japão, que vieram trabalhar nas prósperas fazendas de café do oeste do estado de São Paulo. A primeira Mostra de desenhos japoneses na região, o espaço ainda será confirmado, mas tudo indica que seja no anfi-teatro da Estação ou no Teatro Municipal no Calçadão, nos dias 03, 04 e 05 de Julho. Também terá exibição na cidade de Juazeiro do Norte mas sem data prevista.


Local: Auditório do Centro Cultural Do Araripe
Dias: 03, 04 e 05 de Julho de 2008
Horário: a partir das 16hs



PROGRAMAÇÃO

DIA 03/07
1ª SESSÃO – PRINCESA MONONOKE
2ª SESSÃO – SAMURAI CHAMPLOO – DESERT PUNK – GANTZ
3ª SESSÃO – DEAD LIVES

DIA 04/07
1ª SESSÃO – UM VENTO CHAMADO AMNÉSIA
2ª SESSÃO – RANMA1/2 – AFRO SAMURAI – ELFEN LIED
3ª SESSÃO – BLOOD THE LAST VAMPIRE

DIA 05/07
1ª SESSÃO – PAPRIKA
2ª SESSÃO – HELLSING – TRINITY BLOOD – BERSEK
3ª SESSÃO – CONTOS DE TERRAMAR

CONTATO: 3521 7174

INGRESSO: 5,00 + 1Kg de alimento (acesso a todas as sessões do dia)
2,00 + 1Kg de alimento (acesso a uma sessão)
Espaço Limitado

Próxima reunião dos artistas contra a exclusão da Expocrato

A próxima reunião dos artistas será no dia 07, segunda-feira, às 18h30, na Camarada Municipal do Crato.
O movimento iniciado pelo Coletivo Camaradas contra a exclusão dos artistas locais da Expocrato toma dimensão e ganha apoio de nomes importantes da intelectualidade e do mundo artístico.
A Carta Aberta ao Governador veiculada e distribuída em massa pela internet é assinada por nomes como: Abidoral Jamacaru, Auci Ventura, Arice Morais, André Ferreira - Banda Liberdade e Raiz, Luciano Brayner e Amelia Coelho – Zabumbeiros Cariris, Alvaro Holanda, Francisco Di Freitas, Claudio Reis, Ermano Morais, Hamurabi Batista, Alessandra Bandeira, Alexandre Lucas, Carlos Henrique – Banda Missão Miranda, Jean Alex – Banda Sol na Macambira, Paulo Bento, João do Crato, Dihelson Mendonça, Maércio Lopes, Carlos Henrique, Franklin Lacerda – Coletivo Malungo, Shirley França – Carroça de Mamulengos, Luiz Augusto Bitu, Fatinha Gomes, Carlos Rafael Dias, Ricardo Correia, Francisco Saraiva – Banda Herdeiros do Rei, Lamar Tavares, Frederyck Sidon, Ulisses Germano, Alemberg Quindins – Fundação Casa Grande. Além de carta de apoio da AFAC - Associação dos Filhos e Amigos do Crato.
De acordo com os integrantes do movimento, A luta não se resume a conquista de um espaço para os artistas locais, mas a defesa da democratização da música para conjunto da população que é refém da indústria cultural e não tem a opção de conhecer outros estilos musicais e acrescentam que a questão não se trata de arte pela arte, mas do direito das camadas populares terem acesso a pluralidade e diversidade artística, qual não deve ser privilegio das elites, dos artistas e intelectuais.
O Coletivo Camaradas deverá receber ainda essa semana cartas de apoio de diversas entidades ligadas aos movimentos sociais, culturais e juvenis.
Para os integrantes do Coletivo Camaradas não se trata também de estabelecer como critério artistas locais ou bandas, pois grande parte das bandas da industria cultural são do Cariri, no caso bandas de “Forró Eletrônico” ou “forró pasteurizado” que fazem apologia ao machismo, a homofobia, a bestialidade, a violência e as drogas.

Vereadores do Crato ainda não se manifestaram .

Os vereadores do Crato ainda não se posicionaram em relação a questão.
No entanto, o Coletivo já solicitou formalmente duas vezes o posicionamento dos parlamentares municipais sobre o caso.
A próxima reunião dos artistas será no dia 07, segunda-feira, às 18h30, na Camarada Municipal do Crato.

Informações adicionais nos blogs:
WWW.coletivocamaradas.blogspot.com
WWW.blogdocrato.blogspot.com


Postado por alessandra bandeira às 07:41 0 comentários

POLÍTICOS E POLÍTICA NA CIDADE DO PRADO - Por: José do Vale Feitosa.

.

Esta história é uma ficção. Qualquer semelhança com personagens atuais é uma farsa e não uma coincidência.

Na cidade do Prado, vizinha de Cajazeira do Norte e de uma outra com o nome estranho de Marvalha, a eleição do ano 1808 foi bem típica daqueles anos estranhos. Juntando uma situação histórica de transição, tangida pela revolução francesa, pelo bonapartismo guerreiro e conquistador e por uma aristocracia perdulária e atrasada, a política daquele ano ficou desconjuntada.

Pelo lado da disputa política do comando da cidade do Prado as opções eram como a sua linda serra sempre verde: antiga e imutável. Os conservadores dominavam o cenário. Ou eram vetustos homens de algibeira como se dizia na época, com idéias para a cidade absolutamente fora de propósito. A cidade do Prado crescera, até seminário tinha, havia um movimento para criar um ambiente de ensino superior, mas seus professores brigavam uma briga inútil e intestina para saber-se se as idéias de Galileu Galilei, naquela altura de seus 200 anos, deveriam ser postas em ensino. O precolendo candidato ao poder, mais pela idade que pelos seus atos, era tipicamente um americano. Um mestiço de idéias: juntava no mesmo cérebro tanto a gleba feudal, quanto o absolutismo mercantil e algumas coisas, quase que pequenas pepitas naquele imenso cascalho de idéias, da era moderna, capitalista e industrial.

Outro político em disputa, naquele ano de 1808 estava no poder e lutava pela sua permanência, era como um camaleão na natureza daquela transição. O seu pensamento central era a arte de camuflar-se no dia-a-dia, se hoje os pobres ocupavam a praça da matriz da cidade, era um homem preocupado com o ganho da pobreza, no outro quando os menestréis vinham com suas violas famélicas, era cultura e preocupação com os artistas. Na verdade era bem mais jovem que o outro e não precisava expor suas idéias básicas. Não precisava porque igual ao outro era da mesma natureza, que este era filho de antigo chefe local e, em nome desta tradição, governava.

Um mascate, aliado do chefe da Província, entre seus teréns vendidos na feira a preços populares, não era somente um híbrido continental, ou seja, territorial, era um híbrido daqueles tempos. Juntava uma raiva ancestral por não pertencer às famílias da aristocracia regional, com sua modernidade fabril e mercantil e, igual um homem de circo das pernas de pau, se equilibrava em grande risco nas alturas do mais puro conservadorismo provincial. Foi solicitado a sair de seu assento em plena reunião para dar lugar ao vetusto político anteriormente relatado.

As idéias populares, aquelas que seriam representativas do evoluir do século XIX, estavam naquela fase em que as vespas voam desesperadas, enxotadas de sua colméia natural e evoluem desordenadamente em busca de uma nova morada. Juntava um pouco de preocupação com a podridão que tomava conta dos riachos que abasteciam de água as casas das famílias, com o desmatamento da mata que alimentava as nascentes das águas com a avidez por negócios dos novos comerciantes, mais a revolta dos camponeses que morriam de fome entre uma safra e outra do corte de cana.

As idéias organizadas, em simulacros de partidos políticos, na tentativa de formar conjuntos ideológicos, eram muita mais um tamborete de salão nos quais um burocrata se assentava para operacionalizar acordos políticos na periferia do poder central. Enfim num ambiente desse tudo pode e nada pode. Ninguém segue caminho qualquer, tudo muda apenas para permanecer o mesmo.

O maior exemplo era o dos tablóides. Em Prado havia o moderno recurso da prensa de Gutenberg, jornais circulavam e matérias eram postadas tentando capturar a realidade. A situação em Prado era tão precária em termos de "iluminismo" das idéias que aqueles que escreviam e publicavam se achavam os paladinos da liberdade de pensar. Mas era ledo engano. Bastava um vôo rasante para caírem no duro piso do cristalino conservador.

A disputa pelo poder era acompanhada por "juízes de fora", fiscais locais e por oficiais de justiça. Como o grande absolutismo ditatorial era a tônica reinol, nos espíritos secundários destes pequenos funcionários inventou-se a ditadura formiguinha. Passaram a ameaçar a tudo e a todos com regras de disputa de propósitos ameaçadores. Mas ameaça com propósito, pois a ameaça no máximo pode ser uma espécie de transitivo indireto, pois sempre tem a quem ameaça e com que finalidade. A tática é sempre ter clareza de quem ameaçar, mas criando uma cortina de fumaça para esconder a real finalidade. A cortina de fumaça é o mesmo de toda ditadura: a legalidade. Mas que legalidade? A legalidade do conservadorismo e a ilegitimidade com a complexa realidade.

O clima criado pelos "ditadores-formiguinha", os ditadores de província em conjunção com os parceiros locais, foi de tal ordem que um destacado jornalista começou a perder o sono. Imaginando o efeito de tal e qual matéria poderia provocar no espírito daquelas formiguinhas vorazes. Antes que os tipógrafos estivessem na prensa, o referido jornalista, editor do Tablóide do Prado, desmanchava os tipos que poderiam imprimir a sua sentença de prisão ou a multa pecuniária.


Por: José do Vale Feitosa
.
CANÇÃO DO CARIRI


Já me manifestei em oportunidade recente e novamente afirmo meu apoio à gloriosa luta em defesa da democratização e moralização da programação cultural da Exposição do Crato, especificamente no tocante à parte privatizada.Não resta dúvida que o ato de privatizar é legal, do ponto de vista jurídico. Mas configura-se imoral quando fere a identidade cultural do Cariri e do Nordeste e desce ao último degrau da indecência, com uma programação que agride a qualquer senso de qualidade e faz apologia a todo tipo de discriminação e violência.

Proponho que, dentre outras ações, seja composta uma canção de protesto a ser cantada a mil vozes na abertura da ExpoCrato. Grandes artistas internacionais fizeram contra a fome. Grandes artistas nacionais contra a seca d'água. E nós poderemos fazer em defesa da nossa cultura, plural e vigorosa. Panfletos seriam distribuídos com a letra, a música seria divulgada nas rádios, em carros, carrinhos e motos de som. Um grande ensaio aberto poderia ser feito na Praça da Sé, um ou dois dias antes da grande apresentação.

Outra sugestão é que se crie um canal permanente de discussão e elaboração de políticas/ações culturais que envolvam eventos e programas de fomento, difusão e cooperação. Nesses encontros poderia ser criada a já proposta associação de artistas, a qual poderia se insurgir em breve contra toda espécie de agressão à cultura, à arte, ao artista, ao povo.Um forte abraço!

Cacá Araújo
Folclorista, Ator, Professor e Dramaturgo

Só no Crato mesmo - Só em Paris mesmo.......


Perguntei "Antonio, ( Dos Irmãos Anicetos ), o que viu de bonito em Paris, ele respondeu, "olhe seu bolinha foi esse monte de ferro pá riba é uma coisa danada de bonita, e vai ate o ceu."

Do website Jackson Bantim ( Bola ).

URCA suspende atividades de alguns setores em virtude do vestibular 2008.2


Em virtude da realização do Processo Seletivo 2008.2 da Universidade Regional do Cariri (URCA), no período de 02 a 04 de julho de 2008, o reitor da instituição, professor Plácido Cidade Nuvens, assinou portaria, suspendendo as atividades letivas e administrativas no período de 30 de junho a 04 de julho de 2008 para professores, alunos, servidores técnico-administrativos e usuários da URCA, nos campi Pimenta, São Miguel e Crajubar. As atividades letivas e administrativas voltarão à normalidade no dia 07 de julho de 2008.

Vale ressaltar que setores da universidade no campus do Pimenta, onde estão a Biblioteca Central, as Pró-Reitorias do Ensino de Graduação, Pós-Graduação e Pesquisa, Planejamento, Extensão, Assuntos Estudantis e setores vinculados terão expedientes normais internos, nos dias 30 de junho e primeiro de julho, e expediente somente a partir das 14 horas, nos dias 02,03 e a 04 de julho.

O expediente será normal para os setores no pátio da Reitoria e no Campus do Pimenta II (Laboratórios). Os servidores técnico-administrativos, que estiverem prestando serviços à Comissão Executiva do vestibular – CEV estarão dispensados das atividades administrativas, no turno da manhã, no período de 02, 03 e 04 de julho de 2008.

Fonte: Blog do Tarso.
Foto: Jackson Bantim

Cantor Waldick Soriano encontra-se em estado Grave !

O cantor Waldick Soriano vem lutando contra um câncer na próstata desde 2006, mas seus médicos avisaram aos parentes que a doença se espalhou e é irreversível.
PUBLICIDADE

O intérprete de "Eu não sou cachorro não" está em casa, mas segundo o assessor de imprensa de Waldick, a família vai interná-lo. "Ele vai ser internado, mas a família não quer que diga o local e nem falar sobre o assunto", disse o assessor do cantor.

Em 2007, Waldick lançou um CD e um DVD ao vivo, dirigido por Patrícia Pillar. A atriz também filmou um documentário sobre o intérprete, "Waldick Soriano - Sempre no Seu Coração", que conta a história de Waldick Soriano desde os tempos em que era garimpeiro até a sua consagração como um dos ícones da música popular brasileira.

Fonte: Yahoo Notícias.

Nota do Blog do Crato:

Grande Waldick Soriano, o primeiro cantor brega do Brasil a ser realmente apedrejado por muitos, por assumir-se como ele realmente era. Possuidor de uma obra vasta e irregular, onde de quando em vêz apresentava algumas músicas realmente inspiradas e não banais, além de trabalhar com músicos de primeira linha, Waldick foi o primeiro da série. Após isso, vieram zilhões de Waldicks, cada um pior do que o outro, até chegarmos no fundo do poço da pieguice e da simploriedade da música popular. Mas o original Waldick ainda permanecerá por muito tempo como um marco, uma transição na história da música Brasileira, porque havia sinceridade na sua música e na sua pessoa.

Dihelson Mendonça
.

Pássaro Soldadinho-do-Araripe protege fontes perenes

.

Serra do Araripe

O macho da espécie Soldadinho-do-Araripe é branco e tem penacho vermelho na cabeça. A ponta da cauda e as rêmiges (usadas para vôo) são brancas e pretas

Baseados na sobrevivência do Soldadinho, órgãos pedem Unidade de Proteção Integral

Crato. O Soldadinho-do-Araripe, ave ameaçada de extinção que se tornou símbolo da campanha contra a degradação dos pés de serra do Cariri, está sendo utilizado como arma de defesa e proteção das fontes perenes da Serra do Araripe. Com base na necessidade de sobrevivência do Soldadinho-do-Araripe, representantes de órgãos ligados ao meio ambiente enviaram ofício à direção do Instituto Chico Mendes, solicitando a criação de uma Unidade de Proteção Integral na encosta da área serrana, com o objetivo de proteger as fontes perenes que se constituem no habitat natural do pássaro.

O documento é assinado por diretores e gerentes da Área de Proteção do Araripe, Secretaria do Meio Ambiente do Crato, Companhia de Gerenciamento dos Recursos Hídricos, Floresta Nacional do Araripe e Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos (Aqusis), que elaborou um Plano de Conservação do Soldadinho do Araripe.

Segundo o documento, a Unidade de Proteção tem como objetivo fortalecer o apoio a APA-Araripe, que vem sendo degrada nos seus recursos hídricos e bióticos essenciais para a manutenção da qualidade de vida direta de mais de um milhão de habitantes. Para o chefe da Unidade da APA-Araripe, Jackson Antero, “o Soldadinho-do-Araripe será a nossa grande arma em defesa das nascentes e da vida nos pés de serra do Cariri”.

As riquezas e as diversidades naturais e culturais fazem do Cariri um oásis no coração do Nordeste. Frutos da água que se esconde nos reservatórios subterrâneos da Chapada do Araripe até escorrer por suas encostas em forma de nascentes rasgam profundos vales pintados em diversos tons de verde. Desde as matas serranas até o tapete fértil da agricultura nas planícies, trazem vida e prosperidade a seus habitantes. Toda essa riqueza, segundo Jackson, está ameaçada pela ação depredadora do homem.

Ele justifica que a encosta da serra possui uma importância ecológica relevante para a região. Daí a necessidade de ser preservada “para que o desenvolvimento humano possa se dar em sua plenitude e de forma sustentável”. A Chapada do Araripe é uma área especial, incluindo a vegetação que recobre o seu topo e suas encostas. O Plano de Conservação ressalta que em toda a encosta da Chapada do Araripe há 348 nascentes que somam cerca de 5 mil metros cúbicos por hora de vazão. A reprodução do Soldadinho do Araripe está na dependência da preservação desse manancial. “A conservação dos cursos de água implica a perpetuação da espécie, o que está ligado à sustentabilidade ambiental”, adverte o Plano.

Características

Habitante das matas úmidas localizadas perto das nascentes dos rios, o Soldadinho-do-Araripe (Antilophia bokermanni) é uma espécie peculiar dos pés de serra do Crato, Barbalha e Missão Velha que está ameaçada de extinção devido a crescentes pressões de uso e ocupação sobre as encostas vegetadas da porção cearense da Chapada do Araripe — zona considerada, pelo Plano, como importante para a conservação de aves.

“Esse pássaro, com população estimada entre 50 e 250 indivíduos espalhados em 60km, tem alimentação constituída por frutos e, por isso, é um importante lançador de sementes”, diz o documento, acrescentando que “preservar a área pode trazer resultados positivos para a conservação de ecossistemas ameaçados, como nascentes e matas ciliares”. O macho é branco e tem penacho vermelho na cabeça. As fêmeas têm cor verde-musgo. Ambos têm 15cm do bico à cauda.

Mais informações:
Instituto Chico Mendes
(88) 3521.5138

Fonte: Jornal Diário do Nordeste
.

I FAUNA CARIRI: Programação de Hoje, dia 03 de Julho

Programação FAUNA Cariri de Hoje, dia 03 de Julho de 2008

Clique para Ampliar



Exibições às 19h no SESC Crato
ENTRADA LIVRE

Catadores de Pequi
Documentário 20min 2007 Ceará
Direção: Nívea Uchôa e Laerto Xenofonte
Em Jardim, na Floresta Nacional do Araripe – Sítio Cacimbas, catadores de pequi, acampam todos os anos de três a seis meses para juntos fazerem a colheita do pequi. O filme mostra como eles moram, colhem e falam dos valores que o pequi tem para sobrevivência, seu valor medicinal e sua potência.

História de Morar e Demolições
Documentário 54min 2007 São Paulo
Direção: André Costa
Quatro famílias paulistanas estão de mudança. Suas casas foram vendidas para um incorporador imobiliário e serão demolidas. Para fixar as historias guardadas sob esses tetos, os moradores resolvem registrar os objetos, cômodos e recantos preferidos, iniciando videografias domesticas ou contratando uma pequena empresa de vídeo.

Água
Experimental 3min54seg 2007 Bahia
Direção: Lígia Aguiar
É o título da videoarte que aborda principalmente, o desperdício indiscriminado da água por parte da população. Escovar os dentes, lavar pratos, tomar banho e lavar louças, são ações desta natureza que podem fazer toda a diferença. Em poucos minutos o vídeo busca estimular a reflexão e os sentidos, através de imagens expressivas, para obtenção de uso racional de água.

Lembranças da Liberdade
Ficção 1min 30seg 2006 Bahia
Direção: Rafael Jardim
O desabafo de um prisioneiro. A tristeza de uma prisão. As lembranças de uma vida.

A Velha e o Mar
Documentário 13min 2005 Ceará
Direção: Petrus Cariry
Dona Alzira é uma senhora que mora em uma velha ponte marítima abandonada, ela vive sozinha em seu casebre preste a cair, sobrevivendo de sua própria pesca. Dona Alzira revela histórias do passado e do presente.

Coração Raiz
Documentário 9min47seg 2008 Ceará
Direção: Aurora Miranda Leão
No paraíso ecológico da região do Caparão (divisa Espírito Santo-Minas), duas moradoras de Patrimônio da Penha – uma criança e uma idosa), falam com simplicidade e alegria do cuidado com a natureza e do gosto pelo folguedo popular do "boi". O documentário enfatiza a importância da preservação do meio ambiente e os benefícios gerados pela vida saudável.

Vida Maria
Animação 8min 34seg 2006 Ceará
Direção: Márcio Ramos
Maria José, uma menina de 5 anos de idade, é levada a largar os estudos para trabalhar. Enquanto trabalha ela cresce, casa, tem filhos, envelhece.

É tudo mentira (it"s all lie)
Documentário 10min 30seg 2007 Bahia
Direção: João Paulo Saraiva e Jacó Galdino
Documentário que retrata a realidade da cadeia produtiva do camarão em cativeiro, mostrando os impactos sócio-ambientais sobre as comunidades tradicionais. Curta metragem produzido pela comunidade de Caravelas, cidade do interior da Bahia que luta contra a instalação de um mega projeto de Carcinicultura, empreendimento que coloca em risco o mais importante ecossistema do atlântico sul, Abrolhos e sua biodiversidade majestosa e particular a qualquer local do planeta. Filme que proporciona a reflexão sobre o desenvolvimento sustentável das comunidades do mar.


JUAZEIRO

OFICINA

"Cinema Popular"
Dias 03,04 e 05 de Julho
Com Felipe Caixeta /RJ
Horários:9h30min às 12h / 14h às 17h
Local: SESC Juazeiro
GRATUITA

Dia 03

Exibições às 19h no SESC Juazeiro
ENTRADA LIVRE

Humano Mar
Documentário 52min 2006 Rio de Janeiro
Direção:Juliana Loureiro
Filme etnográfico sobre as diferentes artes de pesca praticadas no litoral do estado do Rio de Janeiro. O filme apresenta entrevistas com os pescadores e imagens de suas atividades produtivas, assim como o cotidiano do mar. O elemento inovador desse novo documentário é a participação dos pescadores como cinegrafistas. Após treinamentos nas oficinas ministradas pelos profissionais da equipe, os pescadores se habilitaram para nos revelar sob suas próprias óticas o q eu acontece em alto mar.

Júnior
Documentário 12min 2005 Rio de Janeiro
Direção: Josef Christian Steinhauser e Priscila Botto
Fevereiro de 2005, uma pequena e simpática montanha de nome "Junior" é conquistada no norte do Espírito Santo. Impressionados com a beleza do lugar e com o grande potencial para o turismo de aventura e ecoturismo os escaladores do filme denunciam a ação devastadora das mineradoras de granito e a utilização irresponsável dos recursos naturais da área.

O Espírito d'o Pão
Experimental 12min 2007 Ceará
Direção: Marcley de Aquino
Em fins do século XIX, o movimento artístico-literário Padaria Espiritual fomentou o ambiente cultural da cidade de Fortaleza. Ao apresentar de forma pouco usual fragmentos do jornal O Pão, periódico editado pelos sócios da Padaria, o curta metragem O Espírito d'O Pão atualiza o pensamento desse movimento, criando verdadeiros poemas visuais.

Lembra-te do dia de sábado
Documentário 13min16seg 2007 Rio de Janeiro
Direção: Ana Carolina Berto, Diego Crespo, Eric Meireles, Hugo Meireles, Quívia Moreira, Saullo de Oliveira. Imensidão azul rompendo portas, invadindo canções, levando infâncias e memórias com a fome de um moinho. Areia, escombros, olhos, beleza.

O Homem que não podia responder por sua própria existência
Documentário 10min 2006 Espírito Santo
Direção: Gui Castor
Uma alusão a condição atual dos ameríndios.

Malabares
Documentário 10min 2007 Rio de Janeiro
Direção: Maithê Lorena, Secy Jannuzzi
No picadeiro de asfalto, viver ou sobreviver? O documentário investiga o comportamento, o conhecimento, a cultura, os pensamentos e os pontos de vista de um grupo de 5 jovens malabaristas que, embora oriundos de paises e classes sociais distintas, conseguem formar uma sociedade única, com seus próprios anseios, sonhos, objetivos e costumes, e nos permite entender suas atitudes e modo de ser, bem como sua luta na busca de um futuro mais promissor. Possibilita a reflexão, o alerta, o debate e, porque não, a formulação de propostas para algumas questões sociais, até hoje sem resposta.

Identidades em Trânsito
Documentário 19min 2007 Ceará
Direção: Daniele Ellery e Márcio Câmara
Trata das experiências de vida de duas gerações de estudantes de Guiné-Bissau e Cabo Verde formados em diversas universidades brasileiras. O filme aborda as expectativas e a adaptação no Brasil, o retorno desses estudantes aos seus paises de origem, considerando a re-inserção na família, na sociedade, no trabalho, revelando uma imagem do Brasil aos olhos da África.


Enviado por: Tânia Peixoto
.

Crato - Foto da Noite e Previsão do Tempo


Acima: Anoitecer em Crato. Fotografado da Avenida Perimetral Leste ontem, dia 02 de Julho de 2008.


Fonte: site Climatempo.

Foto: Dihelson Mendonça

.

Em ação sem tiros, Colômbia resgata refém Ingrid Betancourt


Militares da Colômbia disfarçados de trabalhadores humanitários resgataram nesta quarta-feira a política franco-colombiana Ingrid Betancourt, três americanos e 11 militares mantidos reféns pelas Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia). Betancourt, 46, a refém mais importante das Farc, foi seqüestrada em 2002, quando fazia campanha eleitoral como candidata à Presidência. Sua dupla nacionalidade ajudou a trazer a atenção da comunidade internacional para o caso dos reféns colombianos. Estima-se que cerca de 3.000 pessoas estejam sob o poder de grupos insurgentes no país. "A operação foi absolutamente impecável", disse Betancourt. "Creio que é um sinal de paz para a Colômbia." A franco-colombiana, os três americanos, três políticos e dezenas de militares e policiais colombianos integravam o grupo de cerca de 40 reféns que a guerrilha propunha trocar por 500 rebeldes presos, após a criação de uma zona desmilitarizada no país. Logo após ser resgatada, ela agradeceu o Exército em declaração à Rádio Caracol e, minutos depois, chegou a Bogotá, onde se encontrou com sua mãe, Yolanda Pulecio. O ministro da Defesa Juan Manuel Santos declarou que todos os ex-reféns estão em um estado de saúde razoavelmente bom, apesar das péssimas condições em que viveram no cativeiro, por vezes acorrentados pelo pescoço. O resgate ocorreu na floresta do departamento de Guaviare, segundo o ministro. Militares colombianos fingiram ser membros de uma organização fictícia que supostamente iria levar os reféns de helicóptero a outro local, para se encontrarem com o líder rebelde Alfonso Cano. "Os helicópteros, que na realidade eram do Exército pegaram os reféns em Guaviare e os levaram à liberdade", afirmou Santos. Dois guerrilheiros foram capturados na operação.

"Essa foi uma ação sem precedentes", declarou o ministro, em coletiva na sede do Ministério da Defesa, em Bogotá. "Isso entrará na história por sua audácia e efetividade." Os três americanos libertados trabalhavam para a empresa Northrop Grumman e foram capturados quando o pequeno avião em que estavam caiu no meio da floresta. A serviço do Departamento de Defesa dos EUA, eles participavam de uma operação de erradicação de campos de cultivo de coca no país. Os três seguiram aos EUA ainda nesta quarta, segundo o governo colombiano.

Comunidade internacional

Em paris, o presidente da França, Nicolas Sarkozy, declarou que seu ministro das Relações Exteriores, Bernard Kouchner, o filho e a filha de Betancourt iam partir na noite desta quarta-feira rumo à Colômbia.

"Hoje, um pesadelo de mais de seis anos acabou", declarou o francês. O gabinete do presidente havia dito anteriormente que Sarkozy teve uma longa conversa com Uribe. A França vinha pressionando pela libertação de Betancourt, dada sua dupla nacionalidade. A última prova de vida de Betancourt foi sua imagem em um vídeo da guerrilha divulgado no fim do ano passado, onde aparecia abatida e doente. A imagem do vídeo e boatos de que ela estaria com uma série de doenças desencadearam uma pressão da comunidade internacional e do governo francês pela libertação de Betancourt. "Estou cheia de felicidade", disse Astrid Betancourt, irmã da ex-refém, à rádio colombiana. "Esse foram longos anos de espera." Por telefone, o presidente dos EUA falou com seu homólogo colombiano, Álvaro Uribe, e o parabenizou, dizendo que Uribe é "um líder forte". O colombiano agradeceu a Bush por seu apoio e confiança no governo da Colômbia, segundo Gordon Johndroe, porta-voz do Conselho Nacional de Segurança da Casa Branca. Em comunicado, a secretária de Estado dos EUA, Condoleezza Rice, também parabenizou Uribe e exortou as Farc a libertarem todos os outros reféns. Rice afirmou ainda que os EUA consideram o grupo responsável pela saúde e bem-estar daqueles em cativeiro.

Mais reféns

As Farc, antes uma força de 17 mil homens capaz de atacar cidades e realizar diversos seqüestros, foi confinada a áreas remotas e agora têm cerca de 9.000 homens. A guerrilha também perdeu três membros da sua cúpula, composta por sete pessoas, entre eles o líder máximo e fundador do grupo, Manuel Marulanda Tirofijo, e Raul Reyes, morto em operação do Exército em território equatoriano. Considerado como um grupo terrorista pela União Européia e pelos EUA, as Farc usam a cocaína colombiana para financiar suas atividades. A advogada Clara Rojas, assessora de Betancourt, foi tomada refém na mesma ocasião. Rojas foi libertada em 10 de janeiro deste ano, junto à ex-congressista Consuelo González de Perdomo, graças a gestões humanitárias lideradas pelo presidente venezuelano, Hugo Chávez, e pela senadora opositora colombiana Piedad Córdoba. Rojas tem um filho de três anos, fruto de uma relação com um guerrilheiro quando estava em cativeiro. No último dia 27 de fevereiro, as Farc libertaram os ex-legisladores Luis Eladio Pérez, Jorge Eduardo Géchem, Gloria Polanco de Lozada e Orlando Beltrán. Estima-se que na Colômbia há hoje pouco mais de 3.000 seqüestrados, sendo que alguns estão em cativeiro há mais de dez anos.


Fonte: Jornal Folha de São Paulo
.