08 maio 2008

Pausa no espetáculo: propagandas de prefeituras invadem as TVs, e inventa-se até revista - Por Tiago Viana.


É Sobral, é Juazeiro, é Maracanaú, é Caucaia, é Iguatu e por ai vai o repertório da amostragem explícita criminosa. Chega a ser até vergonhoso assistir comerciais de prefeituras de cidades que parecem nem existir no mapa cearense. As peças publicitárias das prefeituras interioranas tomam de conta dos intervalos da televisão, na proporção em que se aproximamos do pleito eleitoral de 2008. É um drible muito bem elaborado em cima da lei eleitoral. Falar da cidade ou na desculpa de prestar as contas com a população do município, e assim, disfarçadamente encobrir a promoção pessoal dos gestores-candidatos nas próximas eleições.
É um escândalo televisivo que bate no rosto do povo. Pagar agências de publicidade, pagar produção do comercial, pagar espaço na TV para dar apenas ênfase pessoal, promocional ao prefeito e sua trupe, endeusando sua administração, e não contribuindo em nada para o resto da população, é um escândalo sem fim. Um assalto maquiado dos delinqüentes políticos.
Chega a dar uma dor profunda no coração ser cúmplice deste abuso televisivo. Uma tremenda farra, um descaramento abusivo diante toda a classe dos bestas eleitores, que saem de suas casas no dia da eleição para dedicar seu voto, com a mais pura vontade e afeição, para votar nestes canalhas enganadores da nação.
Caro leitor atento do Blog do Crato não se engane, o objetivo maior que leva uma prefeitura interiorana aparecer na mídia paga é sem dúvida nenhuma fomentar a promoção pessoal daqueles que comandam a cidade. Como é triste ver o quanto se brinca e se ridiculariza com o dinheiro público. Eles tratam as prefeituras como empresas particulares, tratam a cidade como se fossem os donos delas. “Eu fiz isso, fiz aquilo, mando e desmando aqui no meu trono” pensamento mesquinho de político de trigésima quinta categoria.
E se já não bastasse, o prefeito da cidade do Iguatu inovou na sua promoção pessoal. Nos jornais de grande circulação da segunda-feira (05/05) veio junto uma revista de alta qualidade gráfica, intitulada de “Iguatu, trabalhando para crescer/revista de balanço”. Trata-se de uma revista de mais de quarenta páginas, todas coloridas, com papel de boa categoria, que trás os feitos do prefeito daquela cidade (antes e depois) e depoimentos de pessoas influentes da região – tudo em nome do brilho da estrela do Sr. Agenor Gomes de Araújo Neto, prefeito do Iguatu. Além da massiva TV os prefeitos-candidatos de 2008 estão partindo para o ataque em outras mídias, como se vê no caso do Iguatu.
Quanta vergonha faz assistir passivo a este crime bárbaro que é a farra do dinheiro do contribuinte, em prejuízo do povo e enriquecimento de poucos. Tudo isso para delírios das emissoras de TV, das agências de publicidade que lucram do pouco caso dos políticos. Por onde anda a justiça, hein? Vamos reagir! Ache bom ou ruim, é isto!

By Tiago Viana™ .

AS ALIANÇAS DAS OPOSIÇÕES NO CRATO

Confesso que depois que postei minha resposta aos amigos do blog do Crato, continuei lendo as notícias e cheguei ao texto do amigo Luís Caros Salatiel. Agora quero comentar.

Ele escreve: “O que lamento, profundamente, é que no momento histórico que atravessamos, o destino de nossa cidade seja tratado muitas vezes com irresponsabilidade. Renovo aqui a minha estima pela imprensa e pelo jornalismo não comprometido por grupo ou tendências”.

Mais uma vez a velha culpa para a imprensa, e não para os políticos que nas eleições esquecem os discursos e montam alianças simplesmente para chegar no poder. E depois não querem que a imprensa noticie.

O que me incomoda na resposta do amigo Salatiel é que mais uma vez se coloca algo fatídico: “o momento histórico” E a nossa (no caso deve ter sido minha) “irresponsabilidade”. Mais uma vez reafirmo e todos podem comprovar em meu blog (tarsoaraujo.blogspot.com) que a reunião na casa de Walter Peixoto com dirigentes do PT e PV aconteceu daquela forma. Também no texto não há nenhuma “tendência” , apenas conta uma história. Apenas no final emito minha opinião, em poucas linhas.

A verdade é que o PT do Crato hoje está dividido. Um grupo (DS) quer que o partido saia numa ampla coligação formada por PT, PC do B, PV, PMDB e PSB tendo como cabeça de chapa André Barreto. Esse grupo é liderado por Amadeu de Freitas. O outro grupo liderado por Valdetário Brito defende a mesma coligação tendo como cabeça de chapa Sineval Roque (PSB). Nos dois palanques WP vai subir. Essa é a verdade. Se o PV vai sair com apoio do PT ou sozinho, ou vai ficar com essa coligação só os próximos dias e as convenções dirão.

Sineval Roque defende a mesma aliança com ele na cabeça de chapa. Walter Peixoto, sinceramente, acredito que ele não será candidato por conta dos processos por improbidade administrativa. Isso, entretanto, quem vai decidir é a Justiça.

Sobre o texto PT e PV querem apoio de Walter Peixoto

Caros Amigos do blog do Crato, particularmente não gostaria de entrar em polêmica com qualquer dirigente do partido político, até porque nas eleições estaremos cumprindo objetivos distintos. Eu estarei noticiando as eleições da forma como elas acontecerem. Um dirigente de partido estará envolvido na eleição pedindo voto. São posições diferentes.

Com relação ao meu texto PT e PV QUEREM APOIO DE WALTIN gostaria apenas de dizer que não cometi nenhuma irresponsabilidade ou não há nesse texto, nenhuma mentira. Os dirigentes do PT e PV foram mesmo para o encontro pedir o apoio de Walter Peixoto para a candidatura de André. Particularmente não acho isso errado, é certo, numa eleição quanto mais ampla a coligação mais chance terá de vitória. Se isso é coerente, problema dos partidos políticos. Outra coisa: em meu texto não há nenhuma referência ao fato de Amadeu de Freitas ter destratado Walter Peixoto, nem toquei nesse assunto. O que escrevi é que achei estranho o Amadeu de Freitas ter ido, pela postura que conheço dele, desde 2000 quando era vereador.

Gostaria também de dizer ao amigo Salatiel que postei essa informação no meu blog (tarsoaraujo.blogspot.com) e não recebi nenhum comentário dele, senão teria publicado na íntegra. E não concordo com o amigo (a quem tenho muito respeito, principalmente pela sua contribuição á nossa cultura) que a imprensa, e se no caso a crítica tiver sido para mim, tratei o caso com a maior seriedade e tratarei todas as informações com seriedade.

O Jornal do Cariri, meu blog, na minha coluna O Povo sempre terei o cuidado de informar aquilo que está acontecendo.

Com relação à presença da imprensa, acho difícil um encontro desse a imprensa ser convidada, já que era uma reunião para tratar de assuntos internos, e não acredito que algum dos lados tenha ventilado essa possibilidade. Até porque há momentos em que os partidos devem mesmo conversar em particular,isso também acho normal.

Pautei meu texto nas informações recebidas por pessoas que estavam no encontro, que confirmaram minha informações. Ademias, independente de eu ter colocado isso no meu blog toda a cidade já sabia dessa reunião.

Peço ao amigo Salatiel que continue acreditando na imprensa, estamos trabalhando com seriedade.

Em defesa da liberdade de imprensa

O presidente do Senado, Garibaldi Alves, descreveu a importância da imprensa brasileira nos dias atuais. Mais do que informar, cabe à imprensa dividir com o Poder Legislativo a tarefa de investigar e denunciar a corrupção dos órgãos do Estado e trazer ao cenário político brasileiro as grandes pautas que a opinião pública deseja ver implementadas na atividade do Parlamento.

A experiência do jornalismo regional, que vem sendo desenvolvida corajosamente por este periódico, desde sua retomada em 2008, é ainda mais importante, considerando-se o contexto histórico brasileiro. A perda de referências econômicas genuinamente nordestinas é um fenômeno perceptível nos últimos vinte anos. Grandes empresas, grupos de varejo, redes de supermercados regionais e outros empreendimentos foram absorvidos por multinacionais ou conglomerados do Sudeste. Perdemos muito de nossa identidade econômica e, com isso, ocorreu o enfraquecimento dos órgãos de imprensa.

O Jornal do Cariri nada contra essa maré. Nosso compromisso com a independência e com a identidade regional permanece firme. O maior patrimônio de um jornal é sua credibilidade.

O maior desafio hoje a esse projeto está na ameaça à liberdade de imprensa. O desrespeito ao dever de informar o público tem-se consubstanciado no uso do Poder Judiciário como meio de intimidação de jornalistas. Os processos avolumam-se contra os profissionais da imprensa. A intenção de calar, silenciar e constranger tornou-se moeda de troca dos políticos corruptos e dos corruptores.

A coragem dos perseguidos é um exemplo para a sociedade civil do Cariri. E um apelo eloqüente à união contra o arbítrio dos poderosos e dos corruptos incomodados, que agora desejam transformar o Poder Judiciário em campo de batalha das liberdades constitucionais.

O Jornal do Cariri não silenciará e não se intimidará. Nesta edição, abrimos espaço para os corajosos colegas da imprensa caririense que se encontram na alça de mira dos incomodados pela divulgação livre e isenta da verdade. Os jornalistas e radialistas perseguidos no Cariri terão as portas abertas neste periódico. O que nos une é o desejo de bem informar e de trazer aos caririenses a força libertadora da verdade.
Texto publicado na edição de 06 de maio de 2008 do Jornal do Cariri, que está circulando esta semana nas bandas de revistas e gazateiros da Região.