29 abril 2008

Cartas dos Leitores - Leitor reivindica espaço para o Time de Futebol do Crato...

.Olá,

Vcs vão criar algum espaço no blog de vcs q enfatizem o time do crato,com notícias da equipe,como contratações ,elenco de jogadores,fotos,resultados de jogos etc. já q ele não tem site????

Ass.

Saul Santana

Resposta:

Olá, Saul,

Vamos sim, amigo. O Amilton ( AMILTON SOM ) vai ficar encarregado de contribuir para essa parte de esporte, mas precisamos de mais gente pra comentar e acompanhar e até incentivar a torcida do Crato. Se vc quiser colaborar envando matérias sobre o assunto, sobre o Time, sobre o futebol, eu publico e coloco seus créditos na reportagem, porque eu mesmo já estou atarefadíssimo cobrindo outros assuntos.

Fico no aguardo,

Um grande abraço,

Dihelson Mendonça
www.blogdocrato.com

Foto: website da PMC.

SESC promove Segundo Concurso de Contos.


Concurso literário:

2º Concurso de Contos do Sesc

Promover e tornar público o talento literário do Ceará. Com este objetivo, o Sesc lança o 2º Concurso de Contos do Sesc, extensivo a todos os cearenses. As inscrições acontecem de 18 de abril a 30 de junho. Os interessados devem enviar texto inédito de tema livre para concursodecontos@sesc-ce.com.br juntamente com título, nome do autor, foto, endereço completo incluindo CEP, telefone de contato, números de RG e CPF e um mini-currículo. Os dez melhores contos farão parte de uma coletânea que será lançada em setembro.Os contos serão analisados na 1ª quinzena de julho por uma comissão julgadora composta por três especialistas em literatura e dois funcionários do Sesc. A divulgação dos dez contos escolhidos será na 2ª quinzena de julho nas dependências do Sesc Crato, neste site e em jornal da região. Estes contos integrarão uma coletânea publicada pelo Sesc e cada um dos seus autores receberá dez exemplares. O lançamento da coletânea será durante a Feira de Livros promovida pelo Sesc em setembro de 2008.

Confira o regulamento:

Os contos na História

O hábito de ouvir e contar histórias acompanha a humanidade em sua trajetória no espaço e no tempo. Afirma-se que, em todas as épocas, os povos cultivaram seus contos. De “Sherazade”, que compila os contos mais conhecidos da Idade Média, aos contistas contemporâneos, a narrativa curta tem sido vista com muito interesse. A fórmula de narração e compilação de contos até então mantidos no ideário popular adotada nas “Mil e uma noites” foi largamente utilizada por muitos autores posteriormente. Aos poucos, novas modalidades de contos foram surgindo, diferenciando-se de forma inovadora dos contos infantis e populares, de acordo com a época e o estilo de cada autor. Assim surgiram os contos de humor, fantástico, mistério etc.

Serviço:
2º Concurso de Contos Sesc
Inscrições de 18 de abril a 30 de junho
concursodecontos@sesc-ce.com.br
Sesc Crato (Rua André Cartaxo, 443 Centro Crato-CE)
Informações: (88) 3523.4444

Por:
Fernanda Cardeal
Biblioteca SESC Crato

Teatro - O PECADO DE CLARA MENINA - Cacá Araújo


Cia. Cearense de Teatro Brincante - Cia. Teatral Boca de Cena Grupo Cênico Apresentam:

O PECADO DE CLARA MENINA
Comédia de Cacá Araújo

Uma floresta... Um casal em plena safadeza: assim a inocente princesa Clara, do distante Reino de Mont’Alverne, foi flagrada com Dom Carlos de Alencar. Seu pecado desencadeia toda uma onda de sedução, amor, traição, adultério, crueldade, ambição, prepotência e luxúria, envolvendo a família real, a nobreza e o clero. “O pecado da menina / Fez o reino revirar / E o povo todo pecou / Depois de Clara pecar”.

Dias 10, 11, 17, 18, 24 e 25 de Maio de 2008 – 20 horas

TEATRO RACHEL DE QUEIROZ
Crato - Ceará

ELENCO
Atores/Personagens
Andecieli Martins – Clara
Cacá Araújo – Rei de Mont’Alverne e Barão do Riacho Fundo
Carla Hemanuella – Baronesa Malaguêta
Charline Moura – Luana Malaguêta
Daniel Rodrigues – Dom Carlos de Alencar
Veylla Lopes – Conde de Santa Fé
Jardas Araújo – Caçador e Frei Caneco
Joênio Alves – Bobo e Carrasco
Jonyzia Fernandes – Solana Malaguêta
Orleyna Moura – Rainha de Mont’Alverne
Paula Amorim – Prima Secundina

TÉCNICA
Texto e Direção Geral – Cacá Araújo
Assistência de Direção – Orleyna Moura e Andecieli Martins
Pandeirista – Manoel Leandro
Cenografia – Artesão França e Cacá Araújo
Figurino – Joênio Alves
Confecção de Figurino – Ariane Morais
Adereços – Edelson Diniz, Everardo Aguiar e Carla Hemanuella
Maquiagem – Felipe Tavares
Sonoplastia – Cacá Araújo
Iluminação – Danilo Brito
Operador de Som – Bruna Giselle
Operador de Luz – Joseany Oliveira
Contra-Regra – Eliane Café
Bilheteria – Marta Bitu
Guarda-Roupa – Luciana Ferreira e Gisélia Rocha
Pesquisa e Elaboração Musical – Erisvaldo Silva
Cartaz – Xilogravura de Carlos Henrique
Fotografia – Gessy Maia
Vídeo – Fernando Garcia
Designer – Felipe Tavares

Produção:
Sociedade de Cultura Artística do Crato e Sociedade Cariri das Artes

Apoio:
Prefeitura Municipal do Crato
Secretaria Municipal da Cultura, Esporte e Juventude

VOCÊ NÃO PODE PERDER!!!
Dias 10, 11, 17, 18, 24 e 25 de Maio de 2008 – 20 horas

TEATRO RACHEL DE QUEIROZ
Rua Dom Quintino, 913 – Crato-CE
Tel.: (88) 3523.2168 - (88) 8801.0897

INTEIRA: R$ 6,00 – MEIA: R$ 3,00
INDICAÇÃO: 14 ANOS

Por: Dihelson Mendonça
.

O jugo da informação

Emerson Monteiro

Dentre os estresses atuais, a sobrecarga da informação que se consome a cada dia estabelece um peso substancial. A insistência dos assuntos cotidianos impõe submissão aos consumidores das notícias a ponto de gerar dependência, o que, quando ausente, ocasiona espécie nova de síndrome de abstinência, em forma de vazio agressivo, notado em todo o corpo social, de proporções incalculáveis.
Há que existir gente sendo presa fácil de autoridades sendo acusadas disso ou daquilo, acidentes de todo gênero, balas perdidas, seqüestros, escândalos a todo gosto, atentados, várias qualidades de desastres ambientais, atos terroristas, protestos, o que alimenta bem mais do que a ordem natural das coisas.
Esse tal homem nutrido nos cochos da mídia torna-se, pois, impotente, fraco, esquálido em face dos dramas apresentados a pratos cheios pelas usinas de comunicação, que quase reclama algum silêncio para refletir e digerir a carga que lhe jogam aos ombros. E ele mesmo, suspirante nos intervalos dos finais de semana, dependente, corre às locadoras e se reabastece de filmes de espécie semelhante à matéria da semana, em produções de terror, violência, sexualidade exacerbada, marcas dolorosas de violência e tragédia persistente, para suprir a suspensão parcial do jornalismo sensacionalista na calma domingueira.
Bicho acirrado na ritmo dos acontecimentos estonteantes de mundo em velocidade catastrófica, sobretudo através da televisão, esse modelo especulativo da civilização de massa, traz consigo as apreensões do medo instintivo do rebanho que compõe, ancas ferradas nas tatuagens modernas das tantas tribos espalhadas nos grotões do globo.
Dons quixotes da produção industrial, esses sanchos panças dos engarrafamentos citadinos andam lentos, ferrenhos compradores dos crediários e das promoções de ponta de estoque. Vibriões da impossibilidade material, transportam nas extremidades dos nervos das contas bancárias o que lhes toca do PIB nacional e repetem com eficiência os “slogans” das lojas de departamento e as vinhetas dos planos de saúde, o que contém normas para chegar a campeões de bilheteria, finalistas de campeonatos e ganhadores de prêmios lotéricos.
Ricos os seres humanos desta hora. Desconhecem aonde vão e nem disso quererem saber, pois depositaram nas mãos dos chefes políticos e economistas de plantão a entrega dos seus sonhos. Dormem em paz, por isso, ainda que devam mergulhar de cabeça no mistério da existência.
“Bem aventurados os pobres de espírito, porque deles é o Reino dos Céus”, dizem judiciosas as Escrituras Sagradas.