30 março 2008

Instituto Cultural do Cariri, toma posse o poeta Everardo Norões de Arraes

Em solenidade realizada neste sábado no ICC, o poeta Everardo Norões de Arraes assumiu a cadeira que tinha como patrono o ex Prefeito Alexandre Arraes, numa solenidade em que estiveram presente intelectuais e personalidades da sociedade cratense.
Natural de Crato, Everardo Norões Arraes, foi exilado político e morou na França, Argélia, e Moçambique. Atualmente reside em Recife/Pernambuco. Publicou vários livros de poemas, dentre eles, A Rua do Padre Inglês. Traduziu importantes livros de escritores latinos americanos e antologia poética do Mexicano Carlos Pellicer. Escreveu peça de teatro com Ronaldo Brito, enfim, um homem culto com uma vasta bagagem cultural.

É de sua autoria:

TRISTÃO
As palavras no alforje. E o rosário,
A escorrer das penas e dos dias.
O azul da barba lembra uma paisagem
Onde campeiam cabras. E ramagens
Desata-se em sombras nas janelas.
A morrinha dos bichos. O mormaço,
Trazendo o desespero, em vez de março:
Um luto atravancando as taramelas.
A sela desapeada. E na garupa do cavalo,
A sentença das esporas.
Pendentes dos estribos estão às horas,
Relampejo de facas. E o sono da jurema.
O braço descarnado, O giz dos dentes,
E olho além do corpo do poema.
No chão do meu degredo, sempre chão,
Setes frases do ofício e um bordão.

Foto: Pachelly Jamacaru

VÁRZEA ALEGRE PRESTARÁ HOMENAGEM AO ESTUDANTE RICARDO OLIVEIRA

VÁRZEA ALEGRE PRESTARÁ HOMENAGEM AO ESTUDANTE RICARDO OLIVEIRA, BICAMPEÃO DA OLIMPÍADA DE MATEMÁTICA


O estudante varzealegrense Ricardo Oliveira (que na imagem é cumprimentado pelo presidente Lula) será agraciado com a comenda de "Honra ao Mérito Municipal", concedida pelo prefeito Zé Helder (crédito da imagem: Secretaria de Imprensa da Presidência da República).


(26/03/2008) - Nessa segunda-feira, dia 31 de março de 2008, às 08h e 30min, no auditório Josué Alves Diniz, da Escola Presidente Castelo Branco, Centro, município Várzea Alegre, durante palestra sobre o Programa de Educação Inclusiva desenvolvido nesta cidade, realizada pela Secretaria Municipal de Educação, o estudante Ricardo Oliveira, residente no Sítio Vacaria, distrito Ibicatu, destaque na Olimpíada Brasileira de Matemática, será homenageado pela Prefeitura de Várzea Alegre com a entrega de placa de honra ao mérito. Na ocasião, o município fará a entrega da chave da nova residência do estudante, localizada na sede urbana do município.

Fonte: Blog de Várzea Alegre.
.

Notícias da Semana no Cariri - Coluna Tarso Araújo.



Até que Enfim!

Depois de quase nove meses, um nome categorizado foi nomeado - pela nova administração da Urca - para o cargo de diretor do Museu de Paleontologia, mantido pela instituição em Santana do Cariri. Trata-se do professor Álamo Feitosa Saraiva, doutor em paleontologia e bom conhecedor da área fossilífera. Como a escolha foi técnica, todos acreditam que esta vai dar certo. Espera-se que Álamo mande reinstalar uma lojinha de venda de souvenirs (que existia nas instalações do museu) na administração do professor Alexandre Sales, bastante apreciada pelos turistas.

ANOTE: MONSENHOR ÁGIO
Após comemorar 90 anos de idade, monsenhor Ágio Augusto Moreira - um dos ícones da cultura do Cariri - agora faz planos para os festejos do centenário de nascimento do seu saudoso irmão, padre Davi Moreira, a ocorrer em 19 de janeiro de 2010. Monsenhor Ágio já escreveu um livro (Vida e obra do padre Davi Moreira, publicado em 2004), gravou um CD com oito composições populares de autoria do seu irmão (lançado em fevereiro último). Pretende lançar, ainda, outro CD com as composições clássicas deixadas por padre Davi.

ASSARÉ
A população de Assaré espera que até 5 de maço de 2009 (data do centenário de nascimento de Patativa do Assaré), a casa de taipa onde o poeta viveu - na Serra de Santana - esteja recuperada. A restauração custará pouco dinheiro. Bom lembrar que o atual Secretário da Cultura do Ceará, Auto Filho, nasceu em Assaré. Vale uma sugestão. A Secult poderia fotografar a bem preservada casa de taipa de Mestre Vitalino, no Alto do Moura, em Caruaru. Lá, a humilde morada de Vitalino, transformada em memorial, é cercada por um jardim de cactos. Uma beleza!

FESTA DA MISERICÓRDIA
Os fiéis caririenses - seguindo o novo costume dos católicos de todo o mundo - promovem hoje, dia 30, segundo domingo da Pascoa, a Festa da Divina Misericórdia. Trata-se de comemoração recente - criada em 2000, pelo Papa João Paulo II - cumprindo um pedido que teria sido feito por Jesus Cristo à santa polonesa Faustina Kovalska, em 24 de setembro de 1936. Haverá solenidades na Catedral de Crato, Santuário Diocesano em Juazeiro do Norte e na Paróquia de Assaré, dentre outras.

MAESTRO AZUL
Pouca gente sabe: a música do hino da Padroeira dos cratenses - Nossa Senhora da Penha - é de autoria do Maestro Azul, há anos falecido. Na década 80 do século passado, o então Cura da Catedral, monsenhor João Bosco Esmeraldo, conheceu uma bonita letra de um hino dedicado à "Mãe da Penha". Ele procurou o Maestro Azul e pediu para musicá-la. O resultado é o belíssimo hino que todos os católicos de Crato cantam hoje. Em boa hora, a Secretaria de Cultura do município denominou de Maestro Azul a escola de música recentemente criada. Merecida homenagem ao maestro que dirigiu, por longos anos, a centenária Banda de Música de Crato.

SANTANA DO CARIRI
Muito se deve ao padre Cristiano Coelho, vigário da cidade entre 1938 e 1976. Agora, o novo pároco, padre Adalmiram Vasconcelos, para alegria dos santanenses, quer recuperar várias obras de arte, existentes na à igreja-matriz de Senhora Santana, por iniciativa do padre Cristiano. A primeira, deveria ser a reintrodução do altar de madeira do Senhor Cristo, substituído, anos atrás, por outro de marmorite, feio e destoante do conjunto do templo.

NEGÓCIOS
Uma feira agropecuária de grande porte, a Expocrato alavanca todo o mercado local e regional. Em oito dias de realização da feira, a arrecadação é superior a todas as outras datas comemorativas do calendário nacional, juntas. Contudo, a feira é considerada uma excelente oportunidade para divulgação do comércio, agricultura, indústria e pecuária regional. Outras empresas cearenses percebem no evento a chance de gerar novos negócios, como a especializada em táxi aéreo Easy Air. Patrocinadora da Expocrato 2008, a Easy Air é uma jovem empresa cearense.

SERRA
O governador de São Paulo, José Serra, estará - na primeira quinzena de abril - em Juazeiro do Norte. Virá acompanhado da alta cúpula do tucanato, incluindo os senadores Artur Virgílio, Tasso Jereissati, dentre outros. Além de participar de Seminário do PSDB, Serra irá conhecer a colina do Horto e a capela do Socorro, aonde o Padre Cícero foi enterrado. José Serra tenta vender sua imagem de bom administrador numa região brasileira aonde o presidente Lula tem a maior aceitação no Brasil.


BATE-PAPO

HOSPITALIDADE
Juazeiro do Norte tem dessas coisas: a empresa Cajuína São Geraldo abre suas instalações, ao longo dos anos, para receber centenas de ônibus conduzindo romeiros em visita ao Cariri. Ali eles provam os refrigerantes produzidos na empresa e ganham livretos (de autoria do escritor Daniel Walker), além de folders e cartões postais do Padre Cícero. Quem não sai encantado com uma hospitalidade dessas?

SUCESSO
Esgotada a primeira edição do livro Zé Major, meu avô, reminiscências do juiz de direito barbalhense (aposentado), Alberto Callou Torres. A obra resgata a memória de José Pereira Pinto Callou (avô de Alberto) e o modus-vivendi da antiga aristocracia rural do Cariri.

CONHECENDO O CARIRI
As reservas fossilíferas da Bacia Sedimentar do Araripe registram mais de um terço de todos os registros de pterossauros descritos no mundo. São mais de 20 ordens diferentes de insetos e única notação da interação inseto-planta. Há similares destas mesmas espécies na África, indício de quando os continentes americano e africano formavam um só continente, com o nome de Gondwanna.

TOME NOTA
Ambientalistas estão sugerindo que a arborização das margens das estradas do Cariri-Oeste seja feita com a árvore Ziziphus joazeiro (nome científico do Juazeiro), considerada um dos símbolos da resistência nordestina, pois se mantém verde por todo o ano.

Fonte: Jornal O POVO
pelo membro do Blog do Crato Tarso Araújo.

Hoje no DN - Segurança do Castanhão em xeque

TREMORES NO CASTANHÃO


Clique para Ampliar

Volume atingiu o máximo em 2004, quando as comportas foram abertas. Neste ano, uma foi aberta para manutenção, mas há expectativa de nova abertura devido à chuva (Foto: Fábio Lima)

Clique para Ampliar

Tremores, profecia, chuvas fortes e volume de água aumentado reforçam as preocupações em torno da barragem

“Sismo sentido por pessoas dentro de casas. Ruídos semelhantes à passagem de caminhão pesado. Duração pode ser estimada”. Os aspectos caracterizam o nível III de intensidade de um tremor, conforme a escala Mercalli. A situação poderia se aplicar a Sobral, onde, neste ano, foram registrados 630 abalos, sendo quatro com magnitude acima de três pontos na escala Richter.

Mas a classificação de intensidade refere-se a tremores contabilizados no Açude Padre Cícero, mais conhecido como Castanhão, no ano passado. As ocorrências provocaram outras características: água borbulhando e estrondos são as que mais assustam a população do Vale do Jaguaribe, que soma três milhões de habitantes. Em uma situação extrema — descartada pelo poder público, minimizada por especialistas, mas real para quem mora no entorno do açude —, os sismos poderiam danificar a barragem e até fazê-la romper.

Embora a possibilidade, oficialmente, seja distante, ganha cada vez mais força no imaginário popular. Quem conhece a história da rocha encontrada durante as escavações para construção da barragem vai além. O que está escrito na pedra — “obra do Fim dos Tempos” — deixaria claro que a barragem seria responsável por uma tragédia na região, mesmo que, hoje, o açude contribua com o abastecimento de pelo menos dez cidades cearenses, incluindo Fortaleza.

Quando a chuva começou a se intensificar, em março, o alívio pela garantia de água se misturou ao medo. As precipitações coincidem com a previsão da Fundação Cearense de Meteorologia (Funceme), que anunciou, no início do ano, chuvas normais ou até 30% acima da média histórica. Nessa semana, a chuva fez a cota do açude atingir mais de 60% da capacidade total, e a Companhia de Gerenciamento de Recursos Hídricos (Cogerh) considera a possibilidade de abrir as comportas do açude, o que não acontece, com esse fim, desde o ano de 2004.

Imprecisão

De acordo com o supervisor de Operação e Manutenção da Barragem do Castanhão, Getúlio Peixoto Maia, o ideal é que as barragens tenham dados geológicos antes, na construção e durante seu funcionamento. “Com acompanhamento tecnológico, são avaliadas todas as fases do projeto para garantir a segurança, no caso de ocorrerem abalos sísmicos na sua estrutura”, entende, acrescentando que essa rotina diz respeito ao Castanhão.

Mas uma das preocupações refere-se ao fato de o açude ficar perpendicular à zona de sismos, segundo o geólogo Afonso Rodrigues de Almeida, da Universidade Federal do Ceará (UFC). “Com um peso maior em cima da região propensa aos movimentos e a reativação das placas tectônicas, fatalmente os abalos acontecerão”.

Os rios são controlados pelo cisalhamento (deformação) de certas regiões. Como os grandes açudes são construídos considerando-se o curso natural do manancial, a água corre ao longo da linha de falhas. Por conta disso, os estudos seguem na direção de adequar as construções às características geológicas da área, a fim de que a interferência seja controlada. “Dependendo do volume de água, pode-se induzir um sismo de até cinco graus”, alerta.

De acordo com o geofísico David Lopes de Castro, também da UFC, quando a água do açude penetra no solo com um volume maior, exerce também uma pressão mais intensa sobre o solo. Isso, umas vezes mais outras menos, influi sobre a estabilidade das placas tectônicas. Por isso, após a construção de grandes barragens nessas zonas, os sismos aparecem.

É o que tem acontecido no Castanhão, localizado a 243 quilômetros de Fortaleza, no Município de Alto Santo, no Vale do Jaguaribe. O açude começou a represar o Rio Jaguaribe em 2003, quando foi inaugurado, em 23 de dezembro, após oito anos de obra, realizada com R$ 300 milhões de recursos federais.

Nas cidades próximas ao açude, em especial em Alto Santo, Nova Jaguaribara e São João do Jaguaribe, os moradores temem algo semelhante ao que aconteceu na cheia de 1960. O Orós, que estava sendo construído e não suportou o volume de água vindo do Rio Jaguaribe, arrombou. Plantações e até edificações sofreram danos. Embora o problema não esteja relacionado à ocorrência de Sismos Induzidos por Reservatório (SIR), a população que testemunhou o incidente associa a ocorrência ao Castanhão.

“Aquilo que aconteceu em 1960 ninguém esquece. Mas é bom nem pensar nisso. Dizem que o Castanhão agüenta os tremores, mas quem garante?”, especula o morador do distrito de Peixe Gordo (Tabuleiro do Norte), às margens do Rio Jaguaribe, Raimundo Rocimar Ribeiro. “Ninguém está desejando que quebre, mas se a terra tremer mais forte, se cair uma chuva como em Aracati (de 200 milímetros, de 12 para 13 de março), talvez prejudique a barragem”, teme.

Fonte: Jornal Diário do Nordeste.
.