10 março 2008

AS PREVISÕES NÃO FALHARAM! - Por George Macário

O Bispo da Greve de Fome é eleito!
DOM CAPPIO - JUDAS DO CRATO EM 2008


De acordo com pesquisas feitas por especialistas em eleições para Judas, a candidatura de Dom Cappio estava predestinada ao sucesso. Eleito com 22,77% da votação, derrotando concorrentes fortes, tal como, O ESTUPRADOR. Até mesmo o próprio anti-cristo BUSH foi ironicamente vencido pelo religioso contrário à transposição do Rio São Francisco.

Por que Dom Cappio foi eleito? A resposta se encontra respaldada no sentimento do cratense, que é um nordestino dos mais autênticos. Embora seja somente um fragmento da Região mais pobre do País, o Crato toma as dores dos que sofrem com o flagelo das SECAS, que atira impiedosamente grande parte dos nossos irmãos no mais degradante estado que o ser humano possa enfrentar na vida, produzido pela miséria, pela fome da estiagem no Sertão.

Pois bem meus amigos, o eleito para Judas 2008, que defende a inviabilidade deste projeto, aliás, o único a ser uma realidade para nosso povo sofrido, se levarmos em conta as inúmeras promessas do passado, ao longo de décadas e décadas, agride a população nordestina sendo radicalmente contra à grande oportunidade de minimizarmos os efeitos de uma situação natural contrária(SECA), que, diga-se de passagem, já foi solucionada, com tecnologia, com a utilização dos mesmos métodos de transposição de águas, noutros países, notadamente, no Oriente Médio, com grandes benefícios para aquelas populações que sofriam com a aridez e a ausência de água, até mesmo para o consumo animal e humano, pois que, hoje, são grandes produtores mundiais de frutas e de flores, como é o caso de Israel.

Visitando o Blog do Crato, nestes últimos dias, tive a grata satisfação de acompanhar a polêmica causada pelo resultado da apuração do JUDAS CRATENSE 2008. Quase certo desta discussão, já havia preparado o espírito e a "pena" no sentido de discorrer sobre o tema, pois já havia me posicionado a favor do "Candidato Cappio". No referido blog, na parte de comentários sobre a discutida matéria, observamos vários amigos, trocando palavras no mais alto nível ideológico, político e religioso, cada um defendendo, com brilhantes argumentos, os seus posicionamentos. Isto é o que podemos "batizar"de Democracia. Sem esquecer, entretanto, da intermediação inteligente do nosso amigo Dihelson Mendonça, que, com elegância contorna sempre muito bem a "coisa" quando ela quer aquecer além da conta, quando não é ele mesmo que põe fogo no facho.

Desde o início, da indicação de Dom Cappio, li atentamente o comentário do amigo Armando Rafael se posicionando contra. Após alguns dias, observei o reforço de Carlos, seu irmão. Pouco tempo após, outro dileto amigo, Cacá Araújo se pronunciou em defesa da "instituição-Judas", com direito a réplica de Armando e tréplica do Cacá... Dihelson do meio do "tiroteio" político, ideológico, cultural, religioso perfurou, com sua língua afiada, o manto de toda hipocrisia de entidades que falam em nome de seus "Deuses"... Ocorre, é que a questão principal em si, perdeu-se pelo caminho...

Humildemente, ao estilo do Cacá Araújo, acho que o resultado foi justo! Estou com a idéia de que a condenação do Dom Cappio não tem nada com a questão de sua "batina", ou por ser um representante da Igreja Católica. Acontece, que, o que o levou ao cadafalso foi a sua insurreição contra os milhões de nordestinos que "fazem greve de fome e de sede", por uma imposição de uma natureza adversa e cruel. Por conta do histórico de humilhações de um povo considerado, por grande parcela da população brasileira, de sub-raça. Por conta de mesquinharia, em não querer aceitar a retirada de um mínimo percentual de água, insignificante para o que é introduzido pelo Rio São Francisco em direção ao Oceano Atlântico. Por conta da incapacidade de aceitar que a revitalização do Rio não é mais importante do que a transformação de um estado de miséria, numa perspectiva de vida com água para matar a sede, inclusive, a sede de Justica do Povo Nordestino, que se fez presente, por uma leitura profana, nas urnas da última eleição JUDAS 2008, no Crato.

Por estas e outras razões, com o mais absoluto respeito às opiniões, como nordestino e somente pensando no "milagre" que água do "Velho Chico", que é o Rio da Integração Nacional, derramada sobre o solo do Sertão, pode obrar... Independentemente, se é pelas mãos de empresários ou pelas mãos de outros interesses... Isto é o que menos importa no momento! Tendo a água, a VIDA, por perto já fica muito mais fácil de, democraticamente, se lutar por ela, de adquiri-la por direito, por ser um elemento fundamental para uma vida digna. Nosso Povo merece! Dom Cappio e todos os seus seguidores que continuem a greve até o seu resultado mais radical.

Dom Cappio, nosso enforcamento é só de
bricadeira! Não vá levar a sério esta idéia tá?

Um abraço a todos os nordestinos,
principalmente, os que concordam com a Transposição do São Francisco e com o "projeto de Dom Cappio"...

George Macário - Editor Matéria publicada no DEMOCRATO odemocrato.blogspot.com

.

O Oriente Médio é aqui? - As Farc em comparação ao clima no Oriente Médio



O Oriente Médio é aqui?

Pedi ao Luis Eduardo Matta, autor dos thrillers políticos Conexão Beirute-Teerã, Ira Implacável e 120 horas, todos ambientados no Oriente Médio, que fizesse uma comparação entre a situação lá e aqui - envolvendo Colômbia, Equador e Venezuela - tomando como possível ponto comum a tensão entre ilegalidade e legitimidade que pode se resumir na seguinte questão: "um país que abriga terroristas de um país vizinho pode apelar para o princípio da inviolabilidade territorial quando o vizinho ataca bases terroristas em seu território?" A seguir, a resposta do Luis:

"O Hamas é uma organização extremista que não quer acordo algum com Israel. A militância armada palestina, após o acordo de 1993, perdeu o sentido, pois Israel tem-se mostrado, desde então, extremamente aberto a negociações. O que vem atrapalhando a criação de um estado palestino e atiçando os ânimos naquele pedaço do Oriente Médio é justamente essa militância extremista. Os palestinos estão divididos. Se o Hamas, sem qualquer objetivo justificável, lança morteirtos contra a opoulação civil de Israel, o governo de Israel tem de revidar. Isso é uma guerra aberta, embora não oficializada.

Aqui na América do Sul, ainda não chegamos a esse nível de beligerância; é justamente essa declaração de guerra que a diplomacia da região está tentando evitar. Há evidências de que os governos da região alinhados a Hugo Chavez mantêm estreitos laços com as Farc, a ponto de permitir que membros do grupo transitem entre as fronteiras. Particularmente, acredito muito nisso. Inclusive porque se houvesse uma cooperação de fato do Equador com a guerra colombiana contra o narcoterrorismo, Raul Reyes não estaria refugiado em solo equatoriano e Quito teria se empenhado em saber o que se passava em seu território.

De todo modo, apesar de eu abominar as Farc, acho que o governo colombiano cometeu dois atos graves ao: 1) matar o guerrilheiro, em vez de detê-lo e levá-lo aos tribunais. 2) transpor a fronteira equatoriana para realizar a operação. Se aceitarmos isso, estaremos agredindo o direito internacional e abrindo um precedente perigoso nas relações internacionais. Não se pode agredir a soberania de um outro país dessa forma. A Colombia pode alegar legítima defesa e acusar o Equador de abrigar terroristas, mas ainda assim terá ferido o direito internacional. O Equador tem todo o direito de reclamar.


Por outro lado, é igualmente verdade que os governos da Venezuela e do Equador, ao apoiarem e abrigarem as Farc em nome de uma revolução tresloucada com um falso verniz de esquerda, também, de certo modo, se envolveram no conflito e agrediram a soberania colombiana. Pois se um país não quer tomar parte de uma guerra num país vizinho, deve, em primeiro lugar, fechar e vigiar permanentemente as suas fronteiras. E sabemos que não foi o que aconteceu, já que Raul Reyes estava calmamente refugiado no Equador, sem ter, em nenhum momento, sido importunado pela polícia daquele país."

Por: Antonio Caetano - website Café Impresso. - colaborador do Blog do Crato.
Foto: http://www.latinamericanstudies.org

.

Hoje no DN - Cardápio do Interior está repleto de iguarias

SEMANA SANTA

Clique para Ampliar

A Semana Santa, além de reza e penitência, é o encontro de familiares. Já é tradição reunir os filhos em torno de um farto almoço que tem um cardápio variado (Foto: Antônio Vicelmo)

Feijão verde, milho, peixe e macaxeira. Estas são algumas das opções que serão consumidas durante a Semana Santa

Crato. O jejum da Semana Santa está garantido. Feijão e milho verdes, pequi, macaxeira, quiabo e, também, peixe de água doce não vão faltar na mesa dos sertanejos que ainda cultuam preceitos e crendices de seus antepassados. Os católicos jejuam durante a quaresma. Eles rememoram, assim, os 40 dias que Jesus jejuou no deserto. Até algum tempo atrás, apenas pão e água eram permitidos.

Hoje, a Igreja Católica, segundo o padre Edmilson Neves, vigário da Catedral, pede jejum e abstinência de carne apenas na Sexta-Feira Santa e na Quarta-Feira de Cinzas. O vigário orienta que o jejum pode ser substituído pela caridade. “Dividir o almoço com os pobres é uma forma de jejum”, recomenda ele.

A Semana Santa não é somente reza e penitência. É também a festa dos encontros familiares. Já é tradição reunir os filhos em torno de um farto almoço que tem como cardápio principal o peixe, acompanhado dos legumes do inverno. É a oportunidade de saborear um velho bacalhau.

Preço desanima

O bacalhau é a principal pedida. Mas o preço desanima muitas pessoas. Nos mercados do Cariri, o quilo de bacalhau comum está sendo vendido a R$ 17,00. O que muita dona-de-casa faz é manter o cardápio com algumas adaptações regionais. Basta aproveitar a riqueza dos açudes e da produção do inverno.

Para quem quer investir em uma opção diferente pode abusar da imaginação e da criatividade. A tradição já indica que o prato escolhido para essa refeição é um belo peixe. Para fugir do usual bacalhau ou do simples peixe grelhado, uma dica é a peixada de beira de açude. A receita (veja Saiba Mais) é da cozinheira Erivânia Sabino.

SAIBA MAIS - Receita de Peixada

Uma boa dica para o cardápio é fazer uma peixada. Esta pode ser feita com tucunaré, traíra, tilápia ou curimatã.

Ingredientes
1 kg de peixe, cortado em postas; 2 cebola picada; 2 dentes alho amassados; sal a gosto; 4 colheres (sopa) de cheiro verde; 6 colheres (sopa) de azeite; 3 tomates picados; pimenta de cheiro a gosto; 1 ½ litro de água quente; 1 colher (sopa) de colorau; caldo de 2 limões.

Modo de Preparo
Tempere as postas com o caldo de limão, o sal e o colorau e reserve. Refogue no azeite, o alho, a cebola, e os tomates, junte a água quente, e acrescente as postas do peixe. Deixe cozinhar por 20 min. Após o cozimento, adicione o cheiro verde, a pimenta e quatro ovos cozidos. Sirva com pirão de peixe, preparado com a cabeça do peixe escolhido.

Acompanhamentos
O prato pode ser acompanhado com maxixe, quiabo, macaxeira, feijão verde e arroz.

Antônio Vicelmo
Repórter


Fonte: Jornal Diário do Nordeste - www.diariodonordeste.com.br
.