10 novembro 2008

PARA QUE SERVE ISSO? Carlos Eduardo Esmeraldo

Esta é a pergunta mais difícil que os alunos fazem a todo professor de matemática. E a resposta a ser dada é praticamente impossível. Qualquer professor de matemática, entre os quais eu me incluo, sentirá dificuldades em satisfazer a curiosidade de seus alunos sobre as finalidades da matemática. Uma resposta que não satisfaz é a de que, mais tarde, quando o aluno estiver cursando uma faculdade ou na pós-graduação vai utilizar todo aquele conhecimento obtido, este ou aquele teorema. Muitos alunos poderão argumentar que pretendem estudar medicina, letras ou direito e, que, portanto, não irão precisar aplicar aquele monte de equações e fórmulas que lhes são apresentadas como importantes. Da mesma forma, dizer que a matemática é necessária para realizar as medidas das diversas grandezas existentes à nossa volta, não será a resposta esperada pelo aluno. Nem todos estão preocupados com isso. Afirmar que a matemática desenvolve habilidades de cálculo e ajuda a abrir a mente, torna-se aparentemente irrelevante num mundo em que nossos jovens estão familiarizados com os microcomputadores e outros aparelhos eletrônicos. Conforme nos ensina o Professor Geraldo Ávila, membro da Sociedade Brasileira de Matemática - SBM: "existe consistência na afirmação de que a matemática ajuda a expandir o raciocínio, pois ela muito tem contribuído para o desenvolvimento de outras ciências e o progresso da humanidade." E ele nos acrescenta ainda: "O pensamento matemático vai muito além do raciocínio lógico. A intuição é a faculdade mental que nos permite obter o conhecimento de maneira direta, sem intervenção do raciocínio." Todo o conhecimento matemático teve início com o uso da intuição, essa extraordinária capacidade que tem o cérebro humano de desvendar possibilidades e, graças a ela, se chegou às grandes descobertas científicas. A matemática está por trás dos avanços tecnológicos recentemente postos à nossa disposição, tais como a eletricidade, os telefones celulares, calculadoras eletrônicas, microcomputadores, televisão digital e os modernos aparelhos para diagnosticar doenças à disposição da medicina, que têm possibilitado tantas curas e ajudado a prolongar a duração da nossa vida. A matemática está presente em todas as áreas do conhecimento humano: na pintura, na arquitetura, na música, como suporte da Física, Química e Astronomia. Na Administração de Empresas ela ajuda a controlar a gestão de estoque com redução de custos, otimizando receitas e conseqüentemente o lucro. A matemática e principalmente a geometria desenvolve importante papel na expansão do raciocínio lógico, fornecendo-nos deste modo, o desenvolvimento da nossa percepção visual e a possibilidade de melhor entendermos a realidade que nos cerca.
Ainda segundo o professor Geraldo Ávila, "a maior dificuldade em se perceber os reais objetivos do ensino da matemática, encontra-se no fato de que qualquer pessoa poderá se tornar um artista, escritor, advogado, ou médico, prescindindo dos conhecimentos matemáticos." Mas fica claro que nenhum deles poderá ser um profissional completo sem um conhecimento mínimo da matemática, da psicologia, da sociologia, de relações humanas, assim como um bom engenheiro ou matemático não poderá prescindir dos conhecimentos mínimos de história, administração, de psicologia, de sociologia, de relações humanas, de direito, de biologia, e tantos outros. Sempre que me deparo com uma pergunta desse tipo, procuro satisfazer as necessidades dos alunos com os argumentos aqui relacionados. Não sei se com isso tenho atendido às suas expectativas, mas é uma tentativa.

3 comentários:

  1. Meu caro Carlos Esmeraldo.

    Parabens pelo texto.
    Ninguem poderar ser bem sucedido sem que tenha noção de economia e ninguem terá noção de economista sem que entenda de matematica. Na minha terra, Vargea-Alegre, numa transferencia de cargo, mandaram buscar um bom matematico no Crato de nome Francisco Salgado para fazer a transisão. Na hora de fechar o caixa o Salgado se embananou todo com as rubricas usadas pelo prefeito e as contas não batiam. O Salgado estava para desistir quando o prefeito Raimundo Mundoca interveio: Nois Faz assim:

    Despesa com pessoal..............X
    Despesas com obras...............Y
    Agua, Luz, telefone..............Z
    Dinheiro desviado................T

    Aí, foi só somar. Bateu até os centavos.

    ResponderExcluir
  2. Prezado Carlos Eduardo, parabéns por seus textos e pelo fato de ser PROFESSOR DE MATEMÁTICA além de Engenheiro. Sou médico, mas desde minha primeira infância sempre fui louco pela ciência-mãe, a Matemática. Sem ELA o mundo não teria nenhuma razão para existir. Abraços. Valdetário.

    ResponderExcluir
  3. Prezados Amigos Morais e Valdetário
    Agradeço a colaboração de vocês. Atualmente o médico não pode prescindir do estudo da matemática, pois esta ciência, que usa a linguagem da lógica para desenvolvimento do seu raciocínio, está cada vez mais presente nos consultórios médicos e odontológicos através dos aparelhos postos à disposição desses profissionais. Sou professor desde 1976, quando instalaram a ex-Faculdade de Engenharia de Operação de Juazeiro do Norte e, na época havia poucos engenheiros na região. Fiquei fascinado pelo ensino, verdadeira vocação. Hoje aposentado como engenheiro, dedico-me inteiramente ao ensino da matemática na UECE, tendo percebido que, pela atualização e ampliação dos meus ainda poucos conhecimentos em matemática, obtive muitas vantagens na minha vida profissional. Agora tem uma coisa que devemos equilibrar: o raciocínio lógico se rege pela não contradição. E as nossas relações sociais são repletas de contradições. Daí ter surgido a dialética, outra forma de raciocínio, aplicada às ciências sociais. Quando o sujeito não sabe equilibrar isso, ou pira de vez ou faz como o contador de “Vargea-Alegre”.

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.