31 outubro 2008

Conversas com Ely Aguiar sobre a Reforma da Praça Siqueira Campos...

.

DIHELSON MENDONÇA:

Prezado Ely,

Muita coisa tem acontecido. Eu o esperei lá pelo Blog do Crato para dar alguma explicação ou mesmo uma entrevista sobre os acontecimentos. Na cidade não se comenta outra coisa: Como é que se gasta 90.000 naquela reforma de praça com pedra que custa 4 reais o metro quadrado ? Sei que você é a favor da verdade. Gostaria de ter em mãos para publicação, a planilha de custos daquela reforma, e se não tiver, aonde posso conseguir uma. Tá todo mundo querendo saber. Acho que vc deve alguma explicação ao povo que o elegeu. Veja la, amigo, Pense numa praça Cara...

Abraços,

Dihelson Mendonça

ELY AGUIAR:

Meu camarada, o jornal Diário do Nordeste de hoje, sexta-feira, tem uma grande matéria sobre a praça, se puder dê uma olhada. Sobre preços de matarial e outros custos é tudo com o governo do Estado. Secretaria de Infra-estrutura, Dr, Cartaxo, que foi Presidente do PT no Ceará. Os preços estão lá. Esse negócio de pedra por 4 reais só pode ser piada. Posso fazer um levantamento e te passar mais informações. Não vá na onda das ' FORÇAS DO ATRASO ", VOCÊ É UM RAPAZ INTELIGENTE. NÃO CAIA NESSA. ABRAÇO.


DIHELSON MENDONÇA:

Prezado ELY AGUIAR,

Eu fui o primeiro a publicar no Blog do Crato a matéria de hoje do DN, ainda de madrugada. É uma pena que vc não esteja acompanhando as discussões lá no Blog. Posso indicar depois todas as postagens sobre o assunto. Não é só uma questão de achismos. Há opiniões de pessoas importantes da comunidade toda. Andei conversando com pessoas especializadas da área de construções também. Mas publicarei a sua mensagem lá também, até como uma resposta aos questionamentos para o povo do Crato. Agradeço pela sua informação e indicação de que as contas com a reforma estariam com o Governo do Estado. Iremos atrás delas. Vc sabe que não me deixo ir por A ou por B. Queremos apenas a verdade. Estamos sempre abertos aos questionamentos e seus pronunciamentos. Principalmente quando o assunto é o bem-estar da nossa cidade.

ELY AGUIAR:

Lamentei sua ausencia na entrega da Praça. Lá poderiámos conversar sobre o assunto. Você me criticou, sem conhecimento de causa e não foi lá. Isso não é correto. Sou um cara transparente. Gosto do Crato. Vou fazer muito mais. Já conseguimos o desvio da Batateiras. Liberamos 300 mil para a reforma do Mercado ( só que essa obra não anda ),e eu vou acionar o governo do Estado para cobrar da Prefeitura. A construção do monumento a N.S. Fátima já começou. Recursos do Ministério do Turismo e liberados pela Caixa. Vamos fazer o Portal de Entrada do Crato. Pode anotar. Você sabe qual é o problema ? É que eu sou de origem humilde, porém honesto, meu crescimento politico incomoda a muita gente. Sebe qual é a diferença ? Eu e o Samuel vamos fazer muito mais...e contamos com você.

DIHELSON MENDONÇA:

Ely,

Eu procuro ser justo com as pessoas. Sim, fiz críticas, ao meu ver construtivas, pois eu creio que a CIDADANIA é também exercida pela população em cobrar das pessoas que elas elegeram, explicações sobre as coisas. Na verdade, os políticos são funcionários que nós colocamos no poder para resolver os problemas da população.

A população não quer nada mais dos políticos do que eles mesmos se propuseram a fazer, quando se lançaram a ser intermediadores do povo. Por isso, veja a cobrança como parte da DEMOCRACIA. E não se irrite por isso!

Falando de modo mais pessoal, também lamento pela minha ausência lá no dia da inauguração, pois eu queria entrevistá-lo, mas por razões de saúde não pude estar presente. Lamentei muito isso. Mas haverá outras oportunidades. Estarei publicando suas mensagens e essas conversas que estamos tendo lá. Temos 25.000 pessoas por mês lendo o que se escreve no Blog do Crato.

Abraços,

Dihelson Mendonça

ELY AGUIAR:

Meu camarada eu tenho é que agradecer. O assunto ganhou uma dimensão grande e isso foi bom para mim. Pois quem não sabia, ficou sabendo que a praça foi reformada. Acho que deixei muita gente "maluquinha ", ksksksksksksksksk. Não fizeram e eu fiz com a ajuda do Cid e do Samuel. Vamos fazer muito mais. Valeu cara, valeu mesmo...Neste momento, que acabo de chegar do Del Passeo, estou ouvindo o Jon Lord e o Roger Glover...os caras do Deep Purple...Valeu.

...

...

Vem mais por aí...


Enfim: O Maior Evento Cultural do Cariri !


Todos os anos a Mostra movimenta a região do cariri cearense não apenas na área das artes mas também na economia. A julgar pelo número de atrações e artistas envolvidos, o público que desembarca nas cidades-pólo deve dobrar o faturamento turístico da região. Negócios como hotéis e pousadas, restaurantes e lanchonetes e artesanato local são os mais beneficiados além, é claro, do transporte como ônibus, táxis e moto-táxis.
Curioso para saber os números? Pois lá vai:

7 dias de evento

atrações de 11 estados

5 países envolvidos

52 peças teatrais

22 atrações musicais

22 oficinas

Lançamentos de livros

Reisados e bandas cabaçais

Cordelistas

Rito de Passagem

São mais de 1.500 artistas envolvidos diretamente.


Na programação musical desse ano, estão confirmados nomes como Paulinho Boca de cantor, Cordel do Fogo Encantado, Cidadão Instigado e Totonho e os Cabras. No núcleo internacional de artes cênicas, espetáculos da Espanha, França, Argentina e Portugal com destaque para a Cia. Dos à Deux (Brasil Q França) que trará dois espetáculos de seu repertório ao Cariri. No palco da Conexão Brasil, espetáculos como “Pois é Vizinha” de Deborah Finocchiaro (RS), “Cachorro!” da Cia. Teatro Independente (SP), “O Sapato do Meu Tio” (BA), Negro de Estimação de Kleber Lourenço (PE) e Henfil Já de Cambutadefedapada (PR).
Destaque para a estréia nacional do espetáculo “A Chegada de Lampião no Inferno” da Cia. PeQuod de Animação (RJ). Com trilha sonora de André Abujamra, a montagem faz uma leitura sobre a maldade utilizando-se de elementos da cultura do Nordeste do Brasil. A montagem nasce a partir da roteirização dos inúmeros cordéis que tratam da chegada do famoso cangaceiro às profundezas da terra. Com humor e picardia típicos desta literatura, o espetáculo se estrutura num encadeamento dramático que vai desde o final da vida de Lampião, sua derrocada até as peripécias fantasiosas ocorridas no inferno.
Participe e Comente !
Programação:

Comentários NUNCA são Apagados !

Olá, amigos,

Há umas dúzias de comentários anteriores, eu li alguém reclamando que um comentário havia sido apagado. Quero dizer que de 1 ano pra cá, nenhum comentário foi apagado no Blog do Crato, a não ser pelo próprio autor que esse poder de apagar. Da minha parte como moderador do Blog, todos os comentários publicados não mais são apagados. Aqui, o que passa no crivo para ser publicado, não mais é apagado. Vou consultar também nosso co-administrador Ruben Mousinho para me certificar se houve algum problema técnico por esses dias no site, mas nada notei de anormalidade. Peço à pessoa que escreveu o comentário que procure se lembrar aonde ele foi postado, porque às vezes há vários tópicos sobre o mesmo tema, e costumamos confundir aonde nós mesmos postamos nossos comentários. Falando em comentários, eles podem demorar até 24 Hs para serem publicados. Se após esse prazo vc notar que ele não foi publicado, entre em contato diretamente comigo pelo e-mail: blogdocrato@hotmail.com pois o que pode acontecer da mensagem não haver chegado até meu e-mail e o hotmail classificado como Spam.

Abraços,

Dihelson Mendonça

Um recado de amigo

PEDRO ESMERALDO

Não senti tanto entusiasmo pela vitória do atual prefeito. Fui esquecido e ofuscado pelas artimanhas de seus dois secretários: Saúde e Educação, que vieram de outras plagas, sem entenderem nada do ramo (por negligência ou falta de conhecimento). Atrapalham o desenvolvimento técnico na educação e saúde desta cidade.
Senti mágoas profundas, visto que fui fiel escudeiro, lutando com sinceridade, colaborando com bravura e destemor, sempre com boa vontade, para conseguir o objetivo de todos os cratenses que era a queda de oligarquia antiga e ultrapassada que há anos atanazava a cidade.
Desta vez, por motivos óbvios, não o apoiei. Embora meu candidato não lograsse êxito, devido à falta de recursos humanos e apoio financeiro, mesmo assim marchou sozinho, acompanhado com um pequeno partido, rachado devido às brigas internas que encobriam o desenvolvimento de sua candidatura. Mesmo assim, mostrou raça e coragem de atacar com vontade, lutando contra a maré, contra dois leões políticos que usurparam, sem muito esforço, os votos que poderiam ser dele.
Apesar dessa mágoa que permanece encravada em meu peito e, aos troncos e barrancos, vibro com muita animação por essa vitória, pois, se Deus não manda o contrário, Crato se livrará do comodismo, dependendo apenas do senhor Prefeito saber escolher seus assessores, afastando-os desse meio as pessoas nocivas e colocando outras dignas e arrojadas para acompanhar o seu mandato.
No momento de grandes reflexões, peço a Deus que o ilumine e conduza ao caminho do bem, que é a concórdia e a perseverança.
Olhe para frente, ultrapasse barreiras, evite o excesso de vaidade, abomine as pessoas maldosas. Elimine de uma vez por toda o cordão de puxa-saco, o disse-me-disse e as urdiduras que constantemente invadem o seu gabinete.
Repetirei com ardor palavras de crônicas anteriores: prestigie os seus correligionários e trate o adversário como cidadão de bem.
Se assim o fizer, com arrojo, creio que fará uma boa administração e o seu nome ficará gravado na história do Crato.

Apoio: Firenze Cosméticos
Rua Dr. João Pessoa, 401 – Centro - Crato - Fone: 3521.7072

Obs.: Postagem feita por solicitação do autor.

Reunião na URCA disute Bienal da UNE



Começa mobilização no Cariri para Bienal da UNE. Reunião acontece nesta terça feira, dia 04 de novembro. O tema da décima Bienal é Raízes do Brasil: Formação e sentido do povo brasileiro


Artistas e estudantes da região do Cariri estão se mobilizando para participar da 6ª Bienal de Cultura da União Nacional dos Estudantes – UNE que será realizada no período de 20 a 25 de janeiro, na capital baiana, Salvador. A Bienal é considerada um dos maiores eventos estudantis de arte da América Latina. Nesta terça-feira, dia 04 de novembro, acontecerá na sala de vídeo da URCA, a partir das 19 horas, reunião com a participação de Nah Vieira – da Base da UNE e uma das articuladoras da Bienal no Estado.


A Bienal reúne trabalhos das diversas linguagens artísticas: música, artes plásticas , artes cênicas, literatura, audiovisual, dança e trabalhos científicos. A região do Cariri já participou de edições anteriores. As inscrições já estão abertas e o regulamento e as fichas de inscrição encontram-se disponível no site da UNE: http://www.une.org.br/


Serviço:

6ª. Bienal de Cultura da UNE

Período: 20 a 25 de janeiro de 2009 Salvador Bahia

Site da UNE: www.une.org.br Nah Vieira (85)88525714 – Diretora Estadual de Cultura da UJS e da Base da UNE


Abertas as inscrições para a 6ª Bienal de Cultura da UNE


Evento receberá trabalhos de artes cênicas, música, literatura, ciência e tecnologia, cinema e artes visuais Já pensou em participar do maior festival de arte estudantil da América Latina? Ter seu trabalho publicado, apresentá-lo para estudantes de todo o Brasil e ainda debater a formação e sentido do povo brasileiro com intelectuais, artistas e estudiosos, tudo isso regado a apresentações artísticas de todos os tipos? Pois então se prepare, porque a partir de hoje (25.08) estão abertas as inscrições para a 6ª Bienal de Cultura da UNE.


O maior festival de arte estudantil da América Latina receberá trabalhos nas seguintes áreas: artes cênicas, música, literatura, ciência e tecnologia, cinema e artes visuais. Esta edição do evento terá a participação não apenas de universitários, mas também de secundaristas e pós-graduandos.Para participar basta ler o regulamento, preencher a ficha de inscrição e enviar o trabalho que será apresentado juntamente com o comprovante de pagamento da taxa de inscrição (emita aqui seu boleto) no valor de R$10,00, para o seguinte endereço: Centro Universitário de Cultura e Arte da Bahia, Av. Reitor Miguel Calmon, s/n. Vale do Canela - PAC (Pavilhão de Aulas do Canela) - CEP 40110-100 - Salvador, Bahia. Para as inscrições feitas por Correio será válida a data de postagem.


O prazo termina dia 15 de novembro.A divulgação dos trabalhos selecionados será feita pela internet, no sitio da UNE, a partir do dia 20 de dezembro de 2008, e os materiais enviados para julgamento não serão devolvidos. O estudante que tiver seu trabalho selecionado para apresentação no evento estará isento do pagamento da taxa de inscrição. No caso de trabalhos coletivos, que forem selecionados, cada integrante deverá pagar a taxa de inscrição no valor de R$ 10,00.Para participar das atividades, o valor é de R$ 50,00. Os soteropolitanos pagarão uma taxa de R$ 15,00. Estudantes da UFBA e da UCSAL que inscreverem trabalhos pagarão R$ 5,00 e para alunos de demais unidades de ensino (médio, superior ou pós graduação) do estado na mesma condição o valor é de R$ 10,00.


Vale lembrar que o custo de alojamento e alimentação não estão incluídos neste valor e que todos os inscritos na 6ª Bienal terão acesso às instalações, shows e demais atividades do evento. Ao enviar seu trabalho para a 6ª Bienal da UNE, escreva no envelope a área escolhida. As inscrições que não contiverem todo o material solicitado no regulamento serão automaticamente eliminadas, portanto leia com atenção!Não se esqueça de enviar a cópia do depósito bancário do valor da inscrição e o documento disponibilizando o trabalho sob a licença Creative Commons (clique aqui e veja o modelo)


Garanta sua participação no maior festival de arte estudantil da América Latina.


Inscreva-se e organize desde já sua Caravana rumo a Salvador!

Outras informações: (71) 3283.7688. Voltando à Bahia de todos os santosA 6ª edição da Bienal vai comemorar o 10º aniversário do Festival e também marcará a volta do evento a Salvador, já que em 1999 aconteceu na capital baiana a primeira edição da Bienal de Arte, Ciência e Cultura da UNE, vinte anos após a UNE ter sido colocada na clandestinidade pela ditadura militar. Outro fator marcante desta Bienal será a importância da cidade-sede em relação ao tema "Raízes do Brasil – formação e sentido do povo brasileiro", que pretende discutir a formação do povo brasileiro de um ponto de vista contemporâneo.


Fonte: www.une.org.br

Canal Futura abre inscrições para o 13º Geração Futura


Estão abertas até 17 de novembro as inscrições para 13ª Oficina de Produção de Vídeo Geração Futura. Podem participar os jovens entre 16 e 22 anos, que estejam na escola e/ou envolvidos com instituições e projetos sociais.

O curso será realizado durante quatro semanas das férias escolares, entre de 12 janeiro a 6 de fevereiro de 2009, na sede do Futura, no Rio de Janeiro. Jovens de outros estados são bem-vindos, embora o canal não se responsabilize pelo pagamento das passagens, hospedagem e alimentação.

SO Geração Futura oferece workshops de câmera, edição, direção, roteiro, videografismo, produção, etc. ministrados por profissionais do Futura e do mercado de produção de TV. Apresentando aos jovens um modelo de produção audiovisual e lançando o desafio ao grupo de produzir peças televisivas ao final da oficina. Os vídeos são exibidos na grade nacional do Futura.

Mais informações no regulamento em anexo, ou no site do Canal Futura .

Inácio destaca crescimento do PCdoB

Partido Comunista tem um crescimento de 300% nestas eleições.

O senador Inácio Arruda destacou nesta terça-feira (28) o crescimento do seu partido nas últimas eleições e também o fortalecimento das legendas da base do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Nas últimas eleições, em 2004, o PCdoB elegeu dez prefeitos, e agora, 40, em municípios como Crateús e Potengi (CE), Olinda (PE) e Aracaju (SE), ou seja, um crescimento de 300%.
“Quero registrar o desempenho do nosso partido, em cidades grandes, em cidades médias e importantes cidades deste imenso país que é o Brasil. Tivemos também uma participação ativa em alianças. Para enfrentar a crise que vivemos, o país precisa dos comunistas”, afirmou.

Discursando no plenário do Senado, Inácio ressaltou que o êxito do PCdoB nas eleições municipais é muito significativo e destacou os resultados em Maranguape, onde George Valentim, um jovem administrador de empresas e que participava da administração do Prefeito Eduardo Gurgel, e a reeleição da Prefeita da cidade de Graça, Augusta.

O Senador cumprimentou ainda os servidores públicos pela passagem do seu dia, comemorado nesta terça-feira, em especial os do Congresso Nacional - tanto os efetivos quanto aqueles com cargos comissionados. Inácio Arruda parabenizou em especial os servidores da Consultoria Legislativa da Câmara e do Senado, e pediu que o Congresso reforce o "apoio aos servidores públicos, apreciando matérias de seu interesse" com celeridade e atenção.
Leia íntegra do pronunciamento no site: www.inacio.com.br

Fonte: Assessoria de Comunicação do Senador Inácio Arruda

Chico Lopes consegue aprovar duas emendas para o Ceará


Aprovadas duas emendas de Chico Lopes ao relatório da Reforma Tributária. Semi-árido é beneficiado


O relatório da Reforma Tributária, entregue esta quarta-feira pelo deputado Sandro Mabel (PR-GO), inclui duas emendas aprovadas de autoria do deputado federal Chico Lopes (PCdoB-CE). A primeira, emenda 431, determina que 50% dos recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Regional - FNDR destinados ao Nordeste sejam aplicados em obras e iniciativas na região do semi-árido. A segunda emenda, de número 428, retira do Poder Executivo a atribuição de legislar sobre a mudança da forma de cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).
"A emenda sobre os recursos para o semi-árido é uma forma de garantir com que essa região, historicamente mais necessitada e de demandas sociais que continuam, apesar dos avanços nos últimos anos, seja contemplada com uma fatia de pelo menos metade dos recursos do FNE", explica Chico Lopes, sobre a emenda 431, constante da página 152 do relatório de Delcídio Amaral.

"Já a emenda sobre o ICMS corrige uma distorção que poderia acontecer caso o Poder Executivo federal, ou seja, o presidente da República, interferisse na legislação sobre ICMS. Como é um tributo estadual, essa mudança tem de ser prerrogativa dos Estados, pelo princípio do federalismo, e, pelos parlamentares entenderem assim, nossa emenda foi aprovada", acrescenta Chico Lopes, sobre a emenda 428, presente à página 126 do relatório do OGU para 2009.
Fonte: Ass. Imprensa - Dep. Fed. Chico Lopes - PCdoB-CE

Graciliano - Um escritor comunista

Evento multimídia gratuito celebra 70 anos de lançamento do livro "Vidas Secas", de Graciliano Ramos

Um evento multimídia gratuito celebrará, em novembro, os 70 anos de lançamento do romance "Vidas Secas", considerado a obra literária mais importante do escritor alagoano Graciliano Ramos (Quebrangulo, AL, 27 de outubro de 1892 - Rio de Janeiro, RJ, 20 de março de 1953).

Marco na literatura brasileira, por trazer um relato contundente sobre a luta pela sobrevivência do sertanejo nordestino, além de abarcar uma crítica social às causas da miséria e do flagelo da estiagem, "Vidas Secas" já vendeu um milhão e meio de cópias e se encontra na sua centésima sétima (107ª) edição.

Intitulado "Vidas, para sempre secas?", o evento-homenagem a Graciliano Ramos acontecerá a partir deste sábado, 1º de novembro (prosseguindo até o dia 30), nos Centros Culturais Banco do Nordeste-Fortaleza (rua Floriano Peixoto, 941 - Centro - fone: (85) 3464.3108) e Cariri (rua São Pedro, 337 - Centro - fone: (88) 3512.2855) - em Juazeiro do Norte.
Diversas atividaes estão previstas entre palestras, oficinas e exposições.


Biografia de Graciliano Ramos

Primogênito de dezesseis filhos do casal Sebastião Ramos de Oliveira e Maria Amélia Ramos, Graciliano viveu os primeiros anos em diversas cidades do Nordeste brasileiro. Terminando o segundo grau em Maceió, seguiu para o Rio de Janeiro, onde passou um tempo trabalhando como jornalista. Volta para o Nordeste em setembro de 1915, fixando-se junto ao pai, que era comerciante em Palmeira dos Índios, Alagoas. Neste mesmo ano, casa-se com Maria Augusta de Barros, que morre em 1920, deixando-lhe quatro filhos.Foi eleito prefeito de Palmeira dos Índios em 1927, tomando posse no ano seguinte. Manter-se-ia no cargo por dois anos, renunciando em 10 de abril de 1930. Segundo uma das auto-descrições , "(...) quando prefeito de uma cidade do interior, soltava os presos para construírem estradas". Os relatórios da prefeitura que escreveu nesse período chamaram a atenção de Augusto Schmidt, editor carioca que o animou a publicar "Caetés", em 1933.
Entre 1930 e 1936 viveu em Maceió, trabalhando como diretor da Imprensa Oficial e diretor da Instrução Pública de Alagoas. Em 1934, havia publicado "São Bernardo", e quando se preparava para publicar o próximo livro, foi preso em decorrência do pânico insuflado pelo presidente Getúlio Vargas após a Intentona Comunista de 1935. Com ajuda de amigos, entre os quais José Lins do Rego, consegue publicar "Angústia" (1936), considerada por muitos críticos como a melhor obra.Graciliano Ramos é libertado em janeiro de 1937. As experiências da cadeia, entretanto, ficariam gravadas em um obra publicada postumamente, "Memórias do cárcere" (1953), relato franco dos desmandos e incoerências da ditadura (Estado Novo) a que estava submetida o Brasil.Em 1938, publicou "Vidas Secas". Em seguida, estabeleceu-se no Rio de Janeiro, como inspetor federal de ensino. Em 1945, ingressou no Partido Comunista do Brasil - PCB (que nos anos 1960, dividiu-se em Partido Comunista Brasileiro - PCB - e Partido Comunista do Brasil - PcdoB), de orientação soviética e sob o comando de Luís Carlos Prestes.Nos anos seguintes, realizaria algumas viagens a países europeus com a segunda esposa, Heloísa Medeiros Ramos, retratadas no livro "Viagem" (1954). Ainda em 1945, publicou "Infância", relato autobiográfico. Adoeceu gravemente em 1952. No início de 1953 foi internado. Faleceu em 20 de março de 1953, aos 60 anos, vítima de câncer do pulmão.O estilo formal da escrita e a caracterização do eu em constante conflito (até mesmo violento) com o mundo, a opressão e a dor seriam marcas da sua literatura. Dono de estilo contundente e direto, Graciliano Ramos é um dos mais importantes autores da literatura brasileira, cujo interesse estético é inseparável do comprometimento ético.Seja por suas intervenções no campo político, pelo empenho em favor dos oprimidos ou ainda pela defesa do artista no mundo moderno, Graciliano Ramos reafirma, de modo inconfundível, o vínculo entre literatura e vida.
Ler os livros do escritor alagoano é tarefa fundamental para todos que têm interesse em entender o Brasil - e entender a si mesmos.

Futebol - Atualização - por: Amilton Silva

Jogo do Fluminense foi adiado em virtude de apagão.

Na noite de ontem (30). no estádio Orlando Scarpelli, o Figueirense e Fluminense já haviam entrado em campo quando em virtude de falta de energia elétrica o jogo não foi iniciado, após mais de uma hora o problema foi solucionado e jogo iniciado.O atacante e vice artilheiro do Brasileirão com 19 gosl, perdeu um penalte aos 5 minutos, com gol de arouca logo em seguida deixou o Flu em vantagem.Por volta dos 15 minutos do primeiro tempo outro apagão. O àrbrito esperou por meia hora e deu por encerrada a partida.A CBF marcou para próxima quarta feira dia 5. O jogo será reiniciado aos 15 minutos permanecendo o Placar de 1 X 0 para o Fluminense, segundo o regulamento da competição.

Dando prosseguimento a 32ª rodada da competição, o Vasco da Gama jogando no São Januário, enfrentou o Atlético PR, e empatou em 2 X 2. Os dois clubes permanecem na zona de rebaixamento.O Vasco marcou aos 27 minutos do primeiro tempo com o jogador Valmir, aos 44 minutos Julio dos Santos empatou.A virada do furacão veio aos 16 minutos do segundo tempo,e o empate do Vasco veio ja no final da partida aos 42 minutos com gol de Mádson.

Na Ilha do Retiro , em Recife o confronto entre Sport e Santos terminou em 1 X 1. O Sport marcou com Fumagalli aos 30 minutos e o Santos empatou aos 45 minutos do primeiro tempo atraves do artilheiro isolado da competição Kleber Pereira com 21 gols.

Série B

A 33ª rodada da Série B, prossegue na noite de hoje (31), com tres jogos:

BRASILIENSE X ABC
BARUERI X CRICIUMA
AVAÍ X PONTE PRETA.

A rodada será finalizada amanha com mais quatro jogos:

CORÍNTHIANS X PARANÁ
BRAGANTINO X BAHIA
SÃO CAETANO X CEARÁ
AMERICA RN X CRB

Por: Amilton Silva - Editor de Esportes do Blog do Crato.

O CRATO ANTIGO - José Helder França



Quando falamos em cidade, falamos em casas, pessoas, ruas, praças e avenidas. E não há nesse contexto a ausência das lembranças e das saudades. Como bem descreve o poeta Dedé França:

O CRATO ANTIGO

"Eu hoje senti saudade
da minha terra querida
lá onde fiz amizade
onde vivi minha vida
saudade da sua lua
saudade de tudo enfim.
Saudade daquela gente
que faz parte de mim.

Senti saudade do Crato
da cidade onde nasci
lugar feliz e pacato
coração do cariri

Senti saudade das feiras
da rua das laranjeiras
de sua água gostosa
que minha sede não mata
da rua rabo da gata
também da rua Formosa

Eu recordo calmamente
enquanto o verso rabisco
da caplinha da gente
do meu santo São francisco
onde aos domingos eu ia
com muita fé e alegria
onde com gosto rezava
pedindo felicidade
eu até sinto saudade
daquela esmola que dava

Esta saudade não cala
conversa com minha dor
recordo a rua da vala
ladeira do matador
e no tempo de menino
o açude de seu Lino
onde ia a meninada
Saudade deste tamanho
saudade também do banho
lá no pescoço da escada

Que tempo bom do passado
daquele Crato risonho
do meu Crato sem pecado
tudo era amor, era sonho!
Daquele Crato feliz
que do Quadro da Matriz
a gente ouvia sermão
Ai, como eu sinto saudade
daquele tempo em que frade ganhava mais atenção

Saudade da luz escura
do poste feito de trilho
da feira da rapadura
das velhas vendendo milho
do papagaio, da raia
do carro de Pedro Maia
das moedas de dez réis
dos dramas lá no cassino
quando eu era menino
e xingava Seu Moisés

O brilho dos pirilampos
sentido na noite escura
na praça Siqueira Campos
fazia luz com ternura
Que prazer a gente tinha
nas voltas lá na pracinha
todo o passado restauro
da mijada escondida
quando vinha da avenida
no beco do Padre Lauro.

E tudo me vem à mente
me provocando um sorriso
fortificando o repente
dando brilho ao improviso.
São boas recordações
momentos de emoções
do meu viver bem vivido.
Dentro de mim guardo o retrato
de tudo que vivi no Crato
este meu Crato querido

De tanta coisa me lembro
e a tudo dou importância
e com saudade relembro
tudo que vivi na infância
Essa beleza do Crato
que com saudade retrato
não me saem da memória
E esse peito bem meu,
é um verdadeiro Museu


José Helder França

Fonte: texto publicado no Jornal Gazeta de Notícias - Edição do dia 17 de outubro, próximo passado.

...A Mesma praça/O mesmo banco/ As mesmas flores...

O Blog do Crato traz hoje uma reportagem de Antonio Vicelmo sobre a reforma e reinauguração da Praça Siqueira Campos em Crato, publicada no jornal Diário do Nordeste de Hoje:

Praça Siqueira Campos passa por revitalização

Clique para Ampliar

A Siqueira Campos guarda memórias de acontecimentos vividos por antigas gerações do Crato, envolvidas em romances ou fatos políticos da história local (Foto: ANTÔNIO VICELMO)

Um dos pontos de encontro principais no município do Crato recebe nova infra-estrutura com obras de revitalização

Crato. A Praça Siqueira Campos, reduto de boêmios, intelectuais e aposentados deste município, está de cara nova. O velho piso de mosaico foi substituído por lajes de santana, o que deu uma conotação mais regional ao logradouro. Os bancos de madeira foram envernizados, os canteiros reduzidos, abrindo mais espaço para os freqüentadores. A nova iluminação foi direcionada para a arborização. No centro da praça foi construído um monumento com o busto de Siqueira Campos, patrono do logradouro.

O projeto foi financiado pelo deputado Ely Aguiar, filho do Crato, que destinou parte da verba de R$ 500 mil, liberada pelo Governo do Ceará para os parlamentares, à sua terra natal. Foram gastos na reforma da praça cerca de R$ 90 mil. Na solenidade de reinauguração da Siqueira Campos, o prefeito Samuel Araripe destacou o empenho do parlamentar cratense na melhoria do lugar.

Passarela

Construída no início do século passado, a praça se tornou um símbolo do Crato. Na década de 60, a Siqueira Campos se transformou na passarela de mulheres bonitas que encontrava ali o seu “príncipe encantado”. Testemunha de juras de amor eterno e palco de desencantos amorosos, a praça foi sempre uma espécie de relicário das mais fortes lembranças do Crato, das gerações de antigamente.

Com a poda das árvores centenárias, tornou-se mais visível o velho prédio do Cassino, que abrigou um dos primeiros cinemas da cidade. O lugar ainda conserva as linhas arquitetônicas do passado. A lembrança mais forte da época em que a praça era o ponto de encontro da sociedade é a presença do engraxate Francisco das Chagas Amorim, “Chaguinha”, que, ainda hoje, apesar do reinado dos tênis, mantém a sua imponente cadeira de engraxate.

Com o decorrer dos anos, o logradouro se transformou na “tribuna livre” de políticos, intelectuais e boêmios que discutem os mais variados assuntos e fazem críticas e elogios às reformas. A praça lembra, sobretudo, o seu patrono, Siqueira Campos, um comerciante que trouxe o primeiro automóvel para o Crato e, durante a seca de 1932, deu emprego aos pobres, mandando pavimentar, por contra própria, a Rua Dr. João Pessoa.

Ponto de encontro

Os tempos modernos não acabaram com o romantismo da praça. A Siqueira Campos não perdeu a sua característica de ponto de encontro, referencial maior de uma cidade que hoje conta com 130 mil habitantes.

Ainda guarda memórias inesquecíveis para as velhas gerações, bem como as novas que têm amor pela cidade.

A Siqueira Campos ainda emociona aqueles que se enterneceram com a música de Ronie Von. Pelas letras do cantor: “A mesma praça/ o mesmo banco/As mesmas flores/ o mesmo jardim/ Tudo é igual/ mas estou triste/ Porque não tenho você/ Perto de mim”.

Reportagem:
Antonio Vicelmo.
Fonte: Jornal Diário do Nordeste

30 outubro 2008

CADÊ O CRATO ? - Teresa Abath

Organizações da sociedade civil e governos municipais recebem Prêmio ODM

Escrito por Agência Brasil

29/10/2008

O 2º Prêmio ODM Brasil será entregue na tarde de hoje, em solenidade no Palácio do Planalto, a 12 organizações da sociedade civil e oito governos municipais que atuam nas mais diversas regiões do Brasil em projetos de inclusão social, alcance da cidadania e promoção dos direitos humanos. Na mesma cerimônia, haverá o lançamento da terceira edição do prêmio. Participam do evento o ministro da Educação, Fernando Haddad, e a ministra interina do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Arlete Sampaio. O Prêmio ODM Brasil tem a finalidade de incentivar ações, programas e projetos que contribuem efetivamente para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, que são: erradicar a extrema pobreza e a fome; educação básica de qualidade para todos; promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres; reduzir a mortalidade infantil; melhorar a saúde das gestantes; combater o HIV/ AIDS, a malária e outras doenças; garantir a sustentabilidade ambiental; estabelecer parcerias para o desenvolvimento. Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio foram definidos em reunião da Cúpula do Milênio, realizada em Nova Iorque, em 2000. Líderes de 191 nações oficializaram um pacto para tornar o mundo mais solidário e mais justo, até 2015. O sucesso desse projeto humanitário só será possível quando se cumprirem essas iniciativas.

As práticas das organizações vencedoras no Ceara são:

Instituto Palmas de Desenvolvimento e Socioeconomia Solidária (CE) - "Banco Palmas"

Práticas vencedoras das prefeituras são:

Prefeitura Municipal de Sobral (CE) - "Estratégias para elevação da proficiência da Língua Portuguesa e Matemática nas séries iniciais do Ensino Fundamental"
Prefeitura Municipal de Itaiçaba (CE) - Prática: Parto Humanizado com Enfoque no Aleitamento Materno Exclusivo

FONTE: www.odmbrasil.org.br
Enviado por Teresa Abath

Teresa Abath
Assessora do INEP/FALE CONOSCO
Técnica em Assuntos Educacionais
Relações Públicas da ASSINEP
Membro do Comitê de Gestão do INEP
Suplente Fórum dos Servidores INEP
Pró-Carreira
.

Ode à Rua da Vala - Para Armando Rafael


Na ponta da rua ...
Moreirinha é arte !
Núbia confeitava ?
Eunice ...
O doce do leite ,
a delícia da puba .
Seu Tôta ,
um jogo pra virar a noite ...
Tête , cadê você ?
Dona Evanir
Figurinos ,
desfile na praça ,
e nas matinais ...
Dona Carlinda e Carlindo ...
Seu Nenem ...
Fábio e Jairilene
Dona Zélia e Seu Decim
Lilita ,
rosto pincelado ,
boneca de carne ,
sempre linda !
Elsa Ramos ,
Dr Macário ,
E os Coriolanos ?
-Nossa Iracema do Crato...
Amélia , Iara ,
Mãe Ceiçinha ...
Dona Socorro e Seu Carlos ...
Teresinha Amorim ,
O Tenente Luiz ...
Minha mãe,
Minha avó , minha casa ...
Meu pé de algaroba
Minha catapora ...
Tudo para trás !
Casa dos apertos
Redes pelas salas
Pão , ovos e leite ...
e banana prata ...
Um banheiro só
Uma fila grande
Toalhas úmidas ,
um lençol gigante ...
Dona Leni e seu Esmerindo...
O carteiro
Um amor distante ...
Outros ,
na beira da vala ...
vigiados
por janelas intrigantes
Os Tavares Leite
Ângela ...
lembro tanto !
Telma Saraiva
pose , pincel , e arte !
Retrato falado ,
espelho de uma época ,
glamour, encanto !
A vala ,
e o mergulho dos carros
A queda dos meninos ...
Até a morte,
teve a sua história :
um tiro , um enfarte ...
uma chuva , um sumiço ...
Casamentos na sacristia
Fatalidades , mescladas de
alegrias ...
Vala dos limites
Dos gritos ,
das muriçocas ,
do calor dos ânimos ...
Brigas , amores, discórdias ...
Uma ode a esta rua ...
hoje tão estranha !
Dr Maurício e Dr. Hermano ...
Consultório de Dr. Zé Ulisses
Palacetes , casas enfileiradas,
dentro de um só plano.
Saudades ...
Cadeiras na calçada
e a gente a passar...
A deixar ...
Hora íntima ,
no ar...

Socorro Moreira
.

sertaopop


Fotógrafo Dada Petrole estará no Cariri ainda nessa semana !

O renomado fotógrafo Cratense, residente na Alemanha, DADA PETROLE, especialista em fotografia de Moda, comunica que ainda nesta semana estará chegando à "terrinha" após longo e tenebroso inverno...

Seja muito bem-vindo, Dada !!
Espero fazer uma entrevista contigo aqui para o Blog do Crato.

Abraços,

Dihelson Mendonça
.

Carta do Leitor - Confissões de um Ex-Vereador...

Caro Dihelson Mendonça, boa tarde.

Ontem numa manhã por demais proveitosa, ao passar por um recanto do nosso Crato escutei um quase ex vereador( não foi reeleito) a já demostrar saudades do poder....o que resolví estender ao registro ao Blog, pois trata-se de um fato que mostra as nuances de quem eatá no poder. O mesmo dizia a alguns amigos: "...não carrego mais nenhum FDP, tenho minha camioneta, minhas duas propriedade, tô raparigando todo dia....."
Vamos esperar que tudo isso, lhe dê o que o cargo de vereador o dava. Que pena tal quase ex-vereador assim se portar e pensar, ainda bem que o povo não mais o reelegeu. Temos que ficar de olho nesses vereadores, os novos e antigos para melhor serem aplicados recursos no nosso Crato.

Alberto Costa

Resposta:

Prezado Alberto Costa, obrigado pela carta. Eu te digo uma coisa: Ainda bem que esse filho da mãe não se reelegeu. Já pensou ? Seria bom você nos dizer o nome dele, mas acho que isso vai ser meio difícil né ? e devem ter outros assim...

Abraços,


Dihelson Mendonça
.

Aurora ( Município ), perspectiva cultural de um novo tempo !

Tradicionalmente o município de Aurora tem-se notabilizado no cenário artístico do Ceará, do Nordeste e por que não dizer do Brasil, como um verdadeiro celeiro que mantêm guardada uma das mais autênticas riquezas culturais do interior caririense. Com uma vertente por demais variada, indo da literatura à música, da escultura às artes plásticas, do artesanato à culinária, assim como do repentismo poético ao reisado e aos penitentes da Ordem Santa Cruz. Todos esses valorem compõem o verdadeiro caleidoscópio das preciosidades sócio-culturais desse belo município localizado nos grotões do Cariri cearense. No entanto, o abandono em que se encontram relegadas antigas tradições que no passado fizeram à alegria e a diversão de gerações inteiras tais como: a dança do coco, o reisado, o bumba-meu-boi, o maneiro-pau, as pastorinhas, o forró de pé de serra, o xaxado, a literatura de cordel, o Casemiro coco, dentre outras que se encontram hoje quase que completamente esquecidas. De tal maneira, não constitui nenhum exagero afirmar que parte considerável das manifestações da cultura popular de Aurora ou já desapareceu ou encontra-se num acelerado processo de extinção, rumo ao esquecimento total. Uma vez que aqueles que eram possuidores deste conhecimento oral, já tenham quase todos falecidos.

O mesmo acontece com o seu patrimônio arquitetônico de onde se destacam o Casarão do Cel. Xavier de 1831, a antiga residência da brava matriarca Marica Macedo, o prédio da Estação Ferroviária de 1920, incluindo a do distrito de Ingazeiras, juntamente com as residências do Agente da Reffsa ambas construídas no mais apurado em estilo neoclássico. Todo este patrimônio precisa ser recuperado/tombado(enquanto há tempo).

Um trabalho rigoroso com esta perspectiva preservacionista pode inclusive gerar divisas não apenas no sentido da preservação da memória histórica, mas principalmente no aspecto do turismo local que também precisa ser iniciado. Há, decerto, uma possibilidade efetiva de um desenvolvimento cultural sustentável. Não importa se estamos apenas começando, é preciso que tenhamos uma visão de futuro para tudo... Por conseguinte, com a implementação de uma política voltada para este setor é possível que Aurora passe a ocupar de vez um lugar de destaque e que tanto merece no cenário regional do Cariri e quiçá no Ceará. Já que potencial para isso possui de sobra...
O fenômeno relacionado à figura da Mártir Francisca, conhecida no além-fronteira como "A santa Popular de Aurora" constitui um outro aspecto fundamental para a projeção de Aurora e o desenvolvimento do chamado turismo religioso no contexto regional. Mesmo sem nenhum trabalho voltado para o setor(até agora 29/10/08) por parte do poder público, a história da mártir correu o mundo, ao ponto de serem muitas as caravanas de curiosos, devotos e fiéis que vêm todos os anos a Aurora para visitar a capela da 'Santa'. O primeiro passo seria dotar o local de visitação de uma infra-estrutura mínima necessária, proporcionando mais conforto, comodidade e bem-estar aos visitantes. O turismo religioso é outro item propulsor de desenvolvimento que vem sendo trabalhado em todo o mundo. Creio que em Aurora não poderia ser diferente.
Por outro lado, temos ainda cerca de 42 km do rio Salgado(o maior rio da região) cortando Aurora de uma ponta a outra. Com a viabilidade do projeto de Transposição do São Francisco para o Nordeste e, que usará o percurso do Salgado como calha natural, ajudará em muito a execução de um possível programa voltado para o turismo ecológico em várias partes do rio, notadamente onde os atrativos naturais são preponderantes. Para citar apenas alguns dos muitos atrativos naturais do manancial salgadiano, basta lembrar a aprazível vista da ponte; os mergulhos nas barragens; o banho e o panorama ecológico proporcionado pelo Poço-do-Meio, o insólito sítio arqueológico da Massalina(sítio Volta), a promoção de pescaria esportiva e controlada, etc. Tudo isso, facilitaria, inclusive o despertar para a necessidade de uma efetiva consciência ecológica atrelada a uma visão mais responsável no tocante à preservação dos recursos naturais do Salgado e por extensão, de todo o bioma aurorense por parte da população. Também é digno, tanto de preservação, quanto de aproveitamento turístico; a enigmática necrópole conhecida sob a denominação de Cemitério da Bailarina situada no sítio Carro-quebrado na região de Antas. Resquícios de sepultamentos clandestinos que remontam o século XVII.
Um município com o potencial cultural de Aurora não pode se dá ao luxo de prescindir de um centro cultural, de um museu, de oficinas de artes e ofícios, de um núcleo de exposição permanente, de uma central de artesanato, de uma biblioteca que seja modelo e referência para o Cariri, enfim de uma política de cultura realmente "agressiva" que possa mostrar aos próprios aurorenses e ao Brasil o que o município tem de melhor nesta área. É inconcebível que tenhamos ainda pessoas, sobretudo jovens que sequer já ouviram falar em Hermenegildo de Sá Cavalcante, Jaime de Alencar Araripe, Nêgo Simplício, Serra Azul, Marica Macedo, Padre Francisco França, Padre Luna, Amarílio Gonçalves e tantas outras figuras importantes desta terra. Todavia, conhecem de cor e com riquezas de detalhes: Madona, Xuxa, Michael Jackson, Tiririca, Bola de Fogo, Ronaldinho Gaúcho e por aí vai... Convenhamos, não podemos permanecer impassível perante esta inversão de valores cada dia mais crescente. Antes de se estudar o rio Nilo, Tigre e Amazonas, por exemplo; é imperioso conhecer o rio Salgado, o Jaguaribe, o riacho do Jenipapeiro, dos Porcos, o açude Cachoeira, o Orós, o Castanhão, a Massalina, o boqueirão, o olho d'água de Vinô, etc... de modo que o universal possa começar efetivamente, por nosso quintal.
Esta constatação também está umbilicalmente atrelada a forma como temos tratados historicamente as nossas riquezas culturais(tradição, o folclore, os saberes do senso-comum) e, por conseqüência o tratamento que se tem oferecido aos nossos autênticos valores da terra(os artistas e artesãos). A própria escola( no seu atual modelo engessador de novas idéias) e, sobretudo a sua metodologia estanque tem ajudado no atual emaranhado destas contradições. Além de todo o "lixo" midiático que tem produzido na nossa gente um verdadeiro "estupro cultural" ao subestimar a sua capacidade de raciocinar livremente sem a imposição do "emburrecimento" programado. Mas é verdade, a TV não é apenas causa, porém conseqüência também...
No entanto, digamos que uma cultura de verdade não se cria. Vive-se na medida em que a preservamos. Ao passo que a cultura é a própria identidade de um povo, sem ela, não se é ninguém... Assim como um povo sem história nunca pode sequer se imaginar no tempo futuro. É preciso conhecer para viver uma cultura de verdade, sob pena de não sermos ninguém. Ou quem sabe, apenas mais um, perdido para sempre numa massa amorfa que não pensa e não vive por si mesma. Chega, de se viver e consumir gregariamente o que não é nosso.
Por isso acreditamos que Aurora daqui para frente resistirá à tentação, construindo a sua própria história. Ou pelo menos se esforçará para isso. Optando por construir um novo tempo cultural para sua gente, com o mesmo entusiasmo de quem constrói uma aventura para uma vida inteira.

José Cícero
Professor, pesquisador, poeta e escritor.
Editor da Revista Aurora
www.blogdaaurorajc.blogspot.com

BACHARÉIS, ADVOGADOS E JURISTAS - Por: Aglézio de Brito.

Nos bancos da Faculdade de Direito do Ceará, conhecida por sua tradição jurídica e pelo refinamento cultural dos seus professores, dentre eles PAULO BONAVIDES, AMORIM SOBREIRA, ALCÂNTARA NOGUEIRA, AGERSON TABOSA, MARIO BARATA, FRAN MARTINS, certa feita disse-me um mestre: “Existem os bacharéis em direito e existem os advogados.” Bacharéis em direito são aquelas pessoas que apenas concluem o Curso de Direito, recebem um diploma e sequer se inscrevem na Ordem dos Advogados, sem iniciarem a profissão para a qual teriam se habilitado. Advogados são os bacharéis em Ciências Jurídicas e Sociais que terminam seu curso, prestam o Exame da OAB e dão inicio à sua profissão na defesa dos direitos e dos interesses dos seus constituintes, quer seja na esfera judiciária, quer no campo administrativo público, ou privado. Na maioria das vezes, lamentavelmente, o advogado, enrustido de uma fantasiosa erudição, ignorando a própria ignorância, confunde-se com o bacharel, pois sequer ler os códigos, peticiona por formulários e põe em risco os direitos daqueles que lhe confiam as suas causas.

Outros operadores do Direito, na melhor das hipóteses, dentre eles incluam-se os Juízes de Direito e os Promotores de Justiça, decoram as leis e adquirem uma formação jurídica padecente do incurável defeito de outorgar primazia ao Direito Privado, em prejuízo do estudo do Direito Público e da Teoria Geral do Direito e da hermenêutica.

A Teoria Geral do Direito, onde ínsitos estão os conhecimentos de filosofia, sociologia, antropologia, psicologia, história, política, semântica, é o caminho certo para se ter acesso ao conhecimento do Direito na sua abrangente e múltipla complexidade. Na inconformação com a inSipiência do bacharel, na insatisfação com a inCipiência do advogado limitado em seu dogmatismo acadêmico, surde no afunilamento indagativo de uns poucos a figura rara do jurista, voltado para as causas e efeitos primeiros, médios e finais do fenômeno jurídico, sua interpretação no espaço e no tempo, sua razão de ser no meio social. Todavia, como afirmara, um editor de Francesco Carnelutti, “ Existem muitos advogados; existem poucos jurisconsultos; é muito raro encontrar um jurista. “

Aos que desejam sair da ingenuidade jurídica e têm sede de conhecimento, imprescindível a consulta constante aos professores gregos, Sócrates, Platão (Diálogos, A República) e Aristóteles (Política, Arte Retórica e Arte Poética)). Aos Italianos Cícero (Do Orador, Da República), Carnelutti (Teoria Geral do Direito); Bobbio (Teoria do Ordenamento Jurídico), Tomaz de Aquino (Verdade e Conhecimento, Tratado da Lei), Beccaria (Dos Delitos e das Penas), ao prussiano Imanuel Kant (Criticas da Razão Pura, Prática e do Juízo); aos alemães Hegel (Filosofia do Direito), Jhering (A Finalidade do Direito, A Luta pelo Direito); ao escocês Hume (Investigação Sobre o Entendimento Humano, Tratado Sobre a Natureza Humana); ao austríaco Kelsen (Teoria Pura do Direito, Teoria Geral da Normas, O Problema da Justiça); aos ingleses, Locke, (Dois Tratados Sobre O Governo), Bentham (Uma Introdução aos Princípios da Moral e da Legislação) Stuart Mill (Sistema de Lógica Dedutiva e Indutiva), Thomas Hobbes (O Levitã, Do Cidadão); Ao irlandês Berkelley (Tratado sobre os Princípios do Conhecimento Humano; aos mestres franceses, Montesquieu (Do Espírito das Leis), Rosseau (O Contrato Social) Fustel de Coulanges (A Cidade Antiga) Comte (Curso de Filosofia Positiva); Descartes (Discurso do Método), Durkheim (As Regras do Método Sociológico), ao Americano Roscoe Pound (Filosofia do Direito) ao africano Agostinho (Confissões) ao brasileiro Pontes de Miranda (Teoria do Conhecimento Científico, Ciência Positiva do Direito) Clóvis Beviláqua (Teoria Geral do Direito), Miguel Reale (Teoria Tridimensional do Direito) dentre tantos outros. Sem esses estudos, voltados para um entendimento crítico, não podemos dizer sequer que somos amigos do conhecimento do Direito, mas ingênuos bacharéis, simples repetidores dos textos das leis, pondo em risco os direitos e interesses da comunidade, para quem são dirigidos os trabalhos do advogado, dos Juízes e dos Promotores de Justiça.


Por: Aglézio de Brito.
Advogado.

Algemas para rico só de sex shop


Há uma frase típica da filosofia popular brasileira : “Pobre só vai para frente, quando a polícia vem atrás”. Ela engloba , numa só linha, a nossa capacidade única de rir da própria desgraça e, por outro lado, atiramos, certeiramente, num dos maiores preconceitos : a atividade policial. Existe alguma coisa mais odiada pela população humilde brasileira do que a polícia ? Talvez porque o povaréu sempre esteve, em toda história, como na epopéia do cangaço, imprensada entre os macacos e os bandidos e,confesso, muitas vezes é quase que impossível descobrir qual o lado pior. No período colonial e no Império as manifestações libertárias populares foram massacradas, militarmente, sem pena. Já na República, o holocausto do Arraial de Canudos e o bombardeio do Caldeirão marcaram indelevelmente ,na alma do povo, a capacidade sanguinária dos nossos militares. A Revolução de 64, por outro lado, com a tortura e o extermínio de proletários e estudantes aos milhares, fortaleceu na alma brasileira, sempre afeita à negociação e ao diálogo, uma ojeriza já centenária contra a autoridade policial. Hoje , quando o foco da batalha transferiu-se para os morros e favelas, lá está novamente o Zé Povinho espremido entre traficantes, milicianos e policiais. Se tem que escolher, não é difícil imaginar para onde penderá o fiel da balança. Keith Richards , guitarrista do “Rolling Stones”, disse uma frase que parece orientar para a universalização deste ódio bélico: “ Nunca tive problemas com as drogas, só com a polícia”.
Recentemente, esta antipatia pareceu bastante visível no caso do seqüestro da estudante Eloá. Indiscutíveis os erros cometidos pela polícia, agora perfeitamente apontados pelos mestres das obras feitas, depois do desfecho trágico do acontecimento. Qualquer que tivesse sido o resultado, no entanto, certamente o GATE teria sido crucificado. Pagos todos com salário de fome, advindos da mesma fração pobre da população brasileira, morando todos nos mesmos rincões de miséria dos demais, trabalhando sobre pressão de toda natureza, a sociedade exige deles a precisão de um MOSSAD. Se o seqüestrador tivesse sido eliminado por um atirador de elite, seria a polícia imputada de violenta e assassina, pois o Lindberg, diriam todos, era uma doçura de pessoa, apenas nervosinho e apaixonado, mas sem antecedentes criminais. Quem lucrou com tudo aquilo ? A televisão brasileira, que ávida de sangue escorrendo pelas calçadas, empanturrou-se de pontos do IBOPE a custa da desgraça de muitos e os brasileiros que colados na telinha assistiam a tudo com um ar de indisfarçável sadismo. Para a mídia, o desfecho não podia ter sido melhor !
Nos últimos anos, a Polícia Federal tem desencadeado um trabalho hercúleo no sentido de combater uma verdadeira indústria de quadrilheiros, espalhados por todo o país, cuja especialidade básica é a de fazer desvio deslavado do dinheiro público. Só este ano já se contabilizam 181 operações, com 1949 presos, destes 290 eram servidores públicos. O grande problema criado é que , de repente, pessoas de elevado nível social começaram a ser presos, como juízes, políticos, secretários de estado, ex-governadores, ministros, prefeitos, advogados, políticos influentes. Num país de castas como o nosso, isto se tornou uma verdadeira blasfêmia. Mesmo tendo direito a celas especiais e confortáveis, embora a Constituição pregue a igualdade de todos perante a lei. Onde estamos, meu Deus ? Não se respeita mais patente? Esqueceram que cadeia foi construída apenas para negro, pobre e analfabeto ? Ainda bem que a justiça é rápida, no Brasil, da noite para o dia são concedidos Habeas corpus, alguns inclusive pela madrugada e, finalmente, as injustiças terríveis são corrigidas.
Em agosto último, o Supremo Tribunal Federal disciplinou o uso das algemas que, no seu entender, estavam sendo utilizadas de forma abusiva, editando a chamada Súmula Vinculante 11: "Só é lícito o uso de algemas em caso de resistência e de fundado receio de fuga ou de perigo à integridade física própria ou alheia, por parte do preso ou de terceiros, justificada a excepcionalidade por escrito, sob pena de responsabilidade disciplinar, civil e penal do agente ou da autoridade e de nulidade da prisão ou do ato processual a que se refere, sem prejuízo da responsabilidade civil do Estado".
A Lei no Brasil tem lá suas preferências. Todo o dia, nossos programas policiais, em tudo quanto é cafundó deste país, ridicularizam os presos comuns, os ladrões de galinha, expondo-os, queimando suas imagens, antes mesmo de qualquer investigação mais séria e julgamento. São presos e transportados como animais para o abate e, muitas vezes, é justamente para este fim. Acondicionam-lhes em latas de sardinha , em celas que os faria invejar Auschuwitz. Algemas para eles, tornaram-se meros detalhes, talvez uma espécie de adereço. No Brasil só é considerado roubo a apropriação do patrimônio particular e privado, roubar dinheiro público, independente do montante, é apenas uma pequeníssima contravenção.
O preço dessas deformidades será cobrado depois na guerra civil da ruas, onde o povaréu e a polícia são apenas meros atores de um enredo que não foi escrito nem dirigido por eles.

J. Flávio Vieira

AS IDÉIAS DE ARQUIPÉLAGO E CONTINENTE EM DEBATE DOS FILÓSOFOS DA BATATEIRA

Debates acalorados em grupos filosóficos não são incomuns. E foi. Nesta semana entre os filósofos da Batateira. Mas não foi a respeito de um tema específico. Como estamos nestes tempos de crise o conteúdo da peroração termina sendo mesmo estas ilhas separadas. A crise é o período em que tudo se fragmenta, se torna um arquipélago de idéias e só depois se confluirá em um continente.

Mitonho logo esticou seu corpo magro em direção ao céu, enquanto as veias do pescoço estufavam pelo esforço do discurso:
- A maior corrupção é de quem a pratica quando antes se dizia limpo. Quem levantou a bandeira da ética, da correção, da coisa pública, da democracia, da limpeza e depois se macula com o vil metal. É preciso rebentar estes traidores, eles são piores que os antigos ladrões, pois enganam para disfarçar os próprios atos.......

Chico Breca levanta-se na altura em que Mitonho se encontrava o combate:
- Você perdeu o rumo. Você combate pessoas. Não combate o instituto da corrupção. Não adiante prender um ladrão ou outro. É preciso além de expor e execrar o praticante da corrupção, também acentuar os motivos pelos quais a corrupção é ruim para todas as pessoas, é ruim para a sociedade e principalmente para a política. Que partido político no exercício do poder não praticou atos que lesam a sociedade. Fazem corrupção tanto nas contas do dinheiro quanto nas promessas impraticáveis. Ao invés de denunciarem as falsas promessas, se tornam cúmplice de uma ilusão que promete e apenas cumpre, de fato, a frustração da sociedade.

Zé de Dona Maria, como membro ativo do debate, toma a palavra:
- O problema é desta república ilegítima e corrupta. É desta ganância individualista. Desta falta de Deus no coração. Desta falta de uma autoridade mediadora, que sirva como um pai para a nação. Esta república só funciona na base da corrupção é nela que se encontra a raiz da corrupção.

Chambaril, por sua vez vem como um trator:
- Nem pessoa, nem instituto e nem rei. A corrupção se encontra na raiz do próprio sistema capitalista. Ou o comércio não corrompe o preço para ganhar mais? Ou um padre não deixa de batizar ou fazer a oração aos mortos se ele não tiver dinheiro? Ou um banqueiro não aplica juros para ganhar dinheiro sem fazer nada? Ora é do jogo do capitalismo explorar o outro. Mas os defensores deste regime vivem apregoando que a democracia só é possível com ele, que a liberdade só existe nele, que o progresso da pessoa só ocorre nele. Então dizem que tudo depende da capacidade de cada um, ninguém pode se achar lesado se a conquista do outro é fruto da sua maior capacidade. Mas aí a capacidade do trabalhador é o trabalho e pai se matou dia, noite, domingo e feriado de tanto trabalhar e hoje além de não ter quase nada ainda vê que todo mundo na vizinhança é a mesma coisa. Então pai sabe que a capacidade que diziam ser de cada um, é de muita gente ao mesmo tempo e quando muita gente é assim ao mesmo tempo, é que o modo é corrupto na sua própria natureza.

Fan levanta como se fosse entrar no tema e aborda uma coisa que ninguém, em princípio, entendeu:
- Catástrofe é o nome do presente. É este machismo que transformou as leis da convivência humana em relação de poder, de dominador e dominado. Veja aquele grande imbecil lá de São Paulo. O macho forte, dono da mulher, sem qualquer estrutura para agüentar uma rejeição. Mata a moça pois se julga o dono da alma e do corpo dela. E faz isto para deleite de todos os machões do Brasil, a cores e com som pela televisão. E isso se torna uma propaganda do poder, inclusive pela voz, a soldo dos donos de televisão, de inúmeras mulheres.

Um silêncio de arquipélago em que ilha alguma escuta a outra. Ou um balbucio infernal de maracanãs na areia. Nenhuma fala se funde. Ninguém se entende. Então Chico Preto, o maior filósofo que a Batateira já teve e talvez nunca terá igual, afina o término da reunião:
- Toda pessoa diz o que tem dentro de si. Mesmo que dentro dela tenha uma voz que não se originou nela mesmo. Seja a voz de uma revista ou da televisão, ou voz de uma doutrina, ou a voz de uma paixão. Então não é possível qualquer conversa em que não se considere isso. Mas é possível que todo conversador já saiba de cara que após a conversa ele não sairá com a mesma matéria com a qual havia chegado.Então só é possível irmos para uma sabedoria comum a todos, quando todas as vozes forem modificadas pelo confronto de tantas vozes. Como dizia um amigo meu: neste mundo até as pedras se encontram.

Como Acontece o Superfaturamento nos Municípios - Dr. Aglézio de Brito.

Olá, Pessoal,

O Eminente advogado, Dr. Aglézio de Brito nos enviou essa brilhante mensagem referente à questão levantada nas ruas do Crato pelo próprio povo sobre um possível superfaturamento na recente reforma da praça Siqueira Campos, e descreve como acontecem normalmente esses casos e o aonde se deve procurar o "X" da questão. Assim escreveu Dr. Aglézio em forma de carta/mensagem enviada ao Blog do Crato:

* * *

O capital aplicado nas despesas com a "reforma" da Praça Siqueira Campos" é apenas uma pequena amostra dos superfaturamentos que se fazem na Administraçõa pública para construções de obras. Não adianta, caro Dihelson, indagar onde está o dinheiro. A coisa funciona assim: Vence o processo licitatório aquela empresa que convier ao gestor público. A maquiagem do processo é feita pela Comissão de Licitação, que não tem independência para decidir, pois submissa ao gestor. No final, a construtora responsável pela execução da obra superfaturada fornece o recibo respectivo, obtém o talão de receita, recebe o valor constante da superfatura, tira o seu e entrega o restante, nós sabemos a quem... Fica tudo certinho. Se o povo tivesse coragem de denunciar essa festança dos administradores da coisa pública, e o Blog do Crato está começando a fazer esse trabalho, a coisa poderia se endireitar. A CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO - CGU - é o orgão fiscalizador por excelência. No caso da Praça Siqueira Campos, a CGU manda técnicos especializados em construção (material e mão-de-obra) para avaliar se, realmente, o que foi feito na praça corresponde à despesa licitada.

Para quem tiver conhecimento de desvios da receita pública,principalmente através das licitações, e desejar denunciar , seguem os endereços da CGU :

CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO - CGU: SAS - QUADRA 01, BLOCO A, EDIFÍCIO DARCY RIBEIRO, BRASILIA -DF, CEP: 70070 - 905.

CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO - CGU: RUA BARÃO DE ARACATI ,909, 8º ANDAR, BAIRRO ALDEOTA, CEP 60.115 -080

E-MAIL : cguce@cgu.gov.br

A denúncia pode ser anônima.

Dr. Aglézio de Brito
Advogado
.

Futebol - Atualização - por: Amilton Silva

Cruzeiro Vence Grêmio e embola o G 4

Jogando diante do Líder do Brasileirão Série A, no Mineirão, o Cruzeiro goleou o Grêmio por 3 X 0, e embolou o G 4 . Os gols da partida foram marcados por Wanger , Jonathan e Guilherme, com a vitória o Cruzeiro soma 58 Pontos , ficando atrás do Grêmio e São Paulo que somam 59. No Engenhão , no Rio de Janeiro, o Botafogo foi derrotado pelo São Paulo por 2 X 1.A rodada teve tambem: Portuguesa 2 X 0 Ipatinga, Coritiba 2 X 1 Atlético MG, Palmeiras 1 X 0 Goiás, Internacional 1 X 1 e Vitória 0 X 0 Flamengo.Hoje (30), a rodada do brasileirão será finalizada com mais três jogos: Figueirense X Fluminense, Vasco X Atlético PR e Sport X Santos.
O Flamengo deixou a zona de classifação da libertadores ao empatar com o Vitória na Bahia.O mais querido levou um grande público ao estádio Barradão,que estava super lotado. O Mengão está com 56 pontos ganhos , ainda sonha com o título do brasileirão, já que tem três partidas em casa.

Os quatros primeiros Classificados após a rodada de ontem (29):

1º Grêmio 59 PG
2º São Paulo 59 PG
3º Cruzeiro 58 PG
4º Palmeiras 58 PG

Os quatro Últimos classificados:

17º Náutico 3 PG
18º Atlético PR 31 PG
19º Vasco 30 PG
20º Ipatinga 28 PG

Por: Amilton Silva - Editor de Esportes do Blog do Crato.

Fiéis reverenciam túmulo do “Padim”

Romaria de finados

Clique para Ampliar

Na Capela do Socorro, os romeiros prestam homenagem diante do túmulo do Padre Cícero, um dos pontos de maior visitação neste período (Foto: Juliana Vasquez)

Clique para Ampliar

No Centro de Sobral, os vendedores ambulantes fazem renda extra com o comércio de flores (Foto: Wilson Gomes)

Romeiros com vestimentas de Frei Damião, São Francisco e do Padre Cícero lotam as ruas de Juazeiro do Norte

Juazeiro do Norte. Um período em que a temperatura atinge mais de 50°C e a população deste município praticamente triplica. Assim é a época da Romaria de Finados, iniciada ontem neste município. A “via crucis” dos fiéis do Padre Cícero se estende até o próximo domingo, com visitações constantes principalmente ao túmulo do Padre Cícero, na Capela do Socorro. O Cemitério do Socorro, ao lado da Capela, já recebe visitações constantes e estão sendo ultimados os ajustes para a recepção dos visitantes.

Nas ruas da cidade, a venda informal chega a fechar alguns pontos principais da cidade, dificultando o trânsito. Parte de Juazeiro se transforma, com a Romaria de Finados, a maior do ano, com circulação de, em média, 600 mil romeiros.

Ontem pela manhã, na Capela do Socorro, eram constantes a presenças de romeiros de cidades de Alagoas e Pernambuco. A cada instante chegam mais pessoas à terra do Padre Cícero e a expectativa é que nesta quinta-feira, a partir da tarde, o número de romeiros aumente ainda mais. Em vários locais da cidade, homens e mulheres com vestimentas de Frei Damião, São Francisco e do Padre Cícero têm como única preocupação o pagamento da promessa. Nos Franciscanos a presença de fiéis nesse período é mais constante. Na pousada, dentro do Santuário, se hospedam centenas de romeiros.

Há mais de duas semanas, segundo o administrador do Cemitério do Socorro, Maílson de Sousa, estão sendo realizadas melhorias no local, com pinturas e colocação de lâmpadas de melhor qualidade e maior poder de iluminação, no sentido de proporcionar melhores condições de fluxo no local. Outro ponto importante é a garantia de mais segurança.

O cemitério é o mais antigo da cidade e também o que mais possui edificações de túmulos. A orientação dada pela administração é que não sejam feitas novas construções, por conta do espaço restrito para a passagem das pessoas. Conforme Maílson, a idéia é que algumas casas que estão ocupando espaço dentro do cemitério sejam desocupadas, com indenização dos moradores, para reorganização da área.

Esse pelo menos é o seu projeto para os próximos anos. Ele afirma que levará ao novo prefeito da cidade, Manoel Santana, a proposta, no sentido de oferecer melhorias ao local. Este ano, dois novos portões foram abertos nas ruas Conceição e Santa Cecília, além de mais dois existentes na frente.

Guarda Municipal

Os trabalhos de melhorias na área ocuparam os 11 funcionários, que hoje se direcionarão aos serviços de outro cemitério público da cidade, o São João Batista, no bairro Novo Juazeiro. A cidade conta com quatro parques santos, incluindo dois públicos, e mais dois privados, afastados da área central da cidade.

O fortalecimento da segurança é outra preocupação para o Dia de Finados. No domingo, a administração do Cemitério do Socorro solicitou, além do trabalho de fiscalização dos funcionários, a presença de cerca de 15 integrantes da Guarda Municipal na área. Os portões nesse dia serão abertos às 6 horas e fecharão somente às 22 horas. Em dias normais a visitação vai até 18 horas.

Fonte: Jornal Diário do Nordeste
.

Sectarismo e Intolerância - Por: José Nilton Mariano Saraiva


A verdade é que os intolerantes, sectários e intransigentes, que literalmente pararam no tempo e teimam em usar conceitos e idéias do tempo da vovozinha, não aceitam, em hipótese alguma, que um "metalúrgico analfabeto" ( além de nordestino ) lhes dê uma lição de como governar, com absoluto sucesso, um país complexo e cheio de mazelas como o nosso Brasil.

Como o seu (deles) ídolo (FHC), o "principe dos sociológos", mesmo ostentando diploma da Sorbonne e fluente em várias linguas, fracassou por completo, deixando o país arrasado e na lona, já que o "quebrou" em três oportunidades durante seu desonesto e desastroso governo, é-lhes difícil e doloroso aceitar que alguém sem a cultura formal de uma universidade tenha a sensibilidade, honestidade e sensatez necessárias a gerir com eficácia e eficiência o verdadeiro "abacaxi" que lhe foi repassado (e os números estão aí para comprovar).

Como não podem se contrapor aos números honestos e grandiosos obtidos pelo Brasil ( e reconhecidos internacionalmente) ficam no lenga-lenga improdutivo e inconsequente de criticar as alianças feitas pelo governo, sem atentar que para conseguir governar, qualquer governo, em qualquer parte do mundo, sob qualquer regime, mesmo o monárquico, há de fazer concessões e aceitar (mesmo que a contragosto) certas companhias, já que se trata de uma herança cultural entranhada na sociedade e que levará gerações para ser abolida.

Com relação à corrupção, especificamente, o que estamos vendo é que no atual governo a ordem é para que a Polícia Federal investigue, vá fundo e prenda os desonestos que vicejam de há muito na ilegalidade (principalmente a turma do colarinho branco), ao contrário do governo do "principe dos sociológos", onde tínhamos a tétrica figura do "engavetador geral da República" (Geraldo Brindeiro) que, por ordem expressa de FHC, não deixava a Polícia Federal se conduzir e atuar com desembaraço, como vem fazendo atualmente (vide, por exemplo, a época das privatizações desonestas realizadas usando o nome do Presidente da República de então, com autorização do próprio. Investigar ? Jamais ! ).

Enfim, os contrários ao PT e antipáticos ao Lula precisam mesmo é cuidar da saúde ( já que ninguém vai lhes abrir a mente, para oxigená-las com idéias e conceitos atuais ), senão daqui a pouco vão ter que baixar hospital.

E, de antemão os aviso: não contem com a nossa visita.

José Nilton Mariano Saraiva
.

29 outubro 2008

Blog do Crato homenageia "Chaguinha" engraxate.

.

Há poucos dias, o Pedro Esmeraldo, através do seu irmão Carlos Eduardo Esmeraldo postou essa homenagem ao histórico engraxate que habita a praça Siqueira Campos, conhecido por "Chaguinha". No dia, eu procurei e procurei uma foto que eu sabia que tinha dele, entre as mais de 10.000 fotos que já fiz, e não encontrei. Até que hoje, procurando outra coisa, encontrei a referida foto. Então, para não postar somente a foto, posto o artigo do Carlos Esmeraldo, juntamente com a foto. Fica homenagem em dose dupla:

Dihelson Mendonça

Francisco das Chagas Amorim Damasceno, mais conhecido por Chaguinha, desde os dez anos de idade, exerce a profissão de engraxate. Por volta dos anos cinqüenta foi um profissional autêntico, exemplar e eficiente. Chaguinha era de estatura média e vivia numa luta cotidiana pela sobrevivência. Seu ponto de apoio era a Praça Siqueira Campos. Lá, há mais de 50 anos conquistou grandes amizades, equilibrando trabalho com segurança, conseguindo desse modo sua sobrevivência.

Simpático entre toda a população cratense, Chaguinha fez da Praça Siqueira Campos seu habitat natural, ali permanecendo até hoje. Lembramos que, há 55 anos, na data do centenário do Crato à elevação de cidade, Chaguinha engraxou os sapatos do Comandante da 10ª Região Militar, General Humberto de Alencar Castelo Branco, que aqui se encontrava para abrilhantar os festejos comemorativos do centenário da nossa cidade. Anos mais tarde, já Marechal, esse ilustre visitante se tornou o primeiro presidente da república do Regime Militar. Certamente, Chaguinha guarda em sua memória até hoje, a lembrança deste dia.

Nesse mesmo período, havia cerca de dez garotos exercendo juntamente com Chaguinha a profissão de engraxate, disputando espaço na Praça Siqueira Campos. Três desses garotos, cujos nomes não me recordo, conseguiram estudar e trabalhar ao mesmo tempo, com muita dedicação. Esse esforço levou-os à universidade. Um deles se formou em medicina e os outros dois em engenharia. Está aí um grande exemplo para juventude de hoje. Todos devem se dedicar ao trabalho, deixando de lado o comodismo, o desespero e marchando para o caminho do bem e da prosperidade. Portanto, quero homenagear esses trabalhadores humildes que se dedicaram de corpo e alma à sua profissão, principalmente afixando uma placa comemorativa ao Chaguinha, que ofertou um trabalho sério e honesto dentro de sua profissão.

Crato, 26 de outubro de 2008

Pedro Esmeraldo
Foto: Dihelson Mendonça
.

O outono das cidades

Emerson Monteiro

De observar as ruas da cidade, notamos forte tendência nos seus atuais moradores para se transferirem ao campo, escapar do barulho e respirar mais libertos da fumaça. Nos fins-de-semana, então, a coisa ocorre sem deixar qualquer dúvida. Os grandes centros, esses viraram só compromisso de segunda a sexta. Depois, fuja quem puder.
Tal avaliação sugere a falência de um sonho que nos alimentou durante muitos séculos. O instinto de procurar vilas e repartir preocupações lotou o espaço das cabeças todo tempo, que povos não pensaram em mais nada como outro modo de racionalizar o povoamento do Globo.
A proposta inicial seria somar forças. Entretanto a sofisticação da vida em grupo gerou dificuldades, no princípio superáveis pelo trabalho partilhado, depois intransponíveis, face ao crescimento exagerado, rompendo previsões de gastos e limitando alternativas para ocupação de toda a mão-de-obra concentrada.
Os núcleos de prosperidade em que se haviam modificado as povoações resultaram nas baías interiores, com classes sociais dilatando sempre o fosso divisório do abismo entre si, desvirtuando o impulso gregário dos indivíduos, subtraídos da ordem natural que ficara no campo. A tendência afluente reverteu-se num isolamento grupal, hoje bebido com náusea nos passeios neuróticos das violentas madrugadas urbanas.
De tal maneira as chagas têm sangrado, que maioria incalculável de cidadãos passou a descrer das soluções comuns, adotando iniciativas fechadas, mesmo em detrimento dos que nada podem.Seriedade não falta para o estudo de tais sintomas. Congressos, mesas redondas, longas, quadradas, sutis discursos, prepotência, pirotecnia. Interesses próprios mascarados de usurpação de atribuições. Fórmulas mágicas preenchem todas as prateleiras - critérios exclusivos nos programas de governo.
Em compensação, risco ocorre no achatamento dessas intenções, vez ficar difícil dizer quem pode ou quem quer só o poder; saborear o mel e descartar o fel. Do pecado na escolha ruim fica um preço a ser pago, tamanho o tempo perdido, multiplicado pelas vidas em jogo, milhares que habitam os guetos das cidades; seria, talvez, a democratização da miséria, invasora dos lares e destruidora da vida social, espécie de submissão aos valores piores, quando se descartou a chance de melhor escolher, vezes perdidas para sempre.
O relógio bem simboliza essa corrida às aversas. Muitos ainda acreditam que possam viver fora do problema, trabalhando nos mesmos escritórios, mesmas lojas, na prática de esconder a cabeça, deixando de fora o corpanzil, exposto ao adversário.
Vem dessas decisões o abandono que se verifica da zona urbana. Quer-se usar e não cuidar. Abandonam as cidades e deixam ao léu da sorte os que mais delas dependem. Participar, sim, mas no interesse dos trechos que ocupem nos cinturões verdes, para onde possam sumir aliviados, graças ao carro, eficaz reunidor de superfícies.
No passado, as guerras reviravam ordens estabelecidas e desfaziam os mais críticos problemas. Depois, técnicas potencializaram a riqueza, comprimindo exércitos no atributo de forçar direitos. Resultado: pólos urbanos transformados em campos de concentração e desavença. Os instrumentos de lazer eletrônico restaram desmantelados, nos cubículos escuros sem ar, nem paz, quais sucatas de luxo.
O retorno ao seio da floresta mais do que nunca antes parece surgir como lenitivo provável; estudiosos da alma humana acreditam mesmo que trazemos dentro de nós o mapa desse percurso, algo semelhante ao que perfizeram os hebreus, na saída do Egito empós da Terra Prometida.

LICITAÇÕES E CONTRATOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

AGLÉZIO DE BRITO
Membro do Instituto BrasiIeiro de Direito Administrativo - IBDA


Com o advento da Constituição Federal de 1988, a Administração Pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, sofreu o crivo da necessidade de se efetivarem sobre ela, de maneira concreta, a obediência aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência, cuja negligência pelos administradores já se constituía uma tônica na gerência da coisa pública, onde a corrupção grassava sob o manto vicioso da mais vergonhosa impunidade.

Por conta disso, o inciso XXI, do art. 37, estabelece que as obras, serviços, compras e alienações serão contratadas mediante processo de licitação pública que assegure igualdade de condições a todos os concorrentes.

Para regulamentar essas exigências moralizadoras , eis que surde, no ano de 1993, a Lei nº 8.666, alterada pela Lei nº 8.833, de 08 de junho de 1994, instituindo normas para licitações e contratados da Administração Pública.

Ninguém desconhece que as obras, os serviços, as compras e as alienações públicas são os canais por onde flui o dinheiro público e através dos quais os administradores corruptos, Prefeitos, Governadores, Presidente da República, Secretários, assessores, enfim, todos os que lhes mais chegados, se locupletam ilicitamente, quer superfaturando as operações, que recebendo benesses dos executores das obras e dos serviços públicos e dos fornecedores.

A Lei nº 8.666/93 acercou-se de uma série de garantias procedimentais no sentido de evitar as fraudes decorrentes dos pagamentos das obras públicas, dos serviços, das alienações e das compras. Deixou, entretanto, uma porta escancarada para os ladrões do erário público, quando não disciplinou a formação da COMISSÃO DE LICITAÇÃO, responsável pelo processamento e julgamento do certame licitatório. Nomeada sem o menor controle interno, ou externo, ad libitum do administrador, de suas conveniências e interesses pessoais, a COMISSÃO DE LICITAÇÃO quase sempre é constituída de pessoas subservientes e submissas ao gestor público e como tais, a seu mando, maquiam o procedimento da licitação, o edital, as publicações, as propostas, as atas, os pareceres técnicos, etc. Nessa esteira , ao contrário dos princípios constitucionais da moralidade, da legalidade e da igualdade, o processo licitatório brasileiro, torna-se um jogo sujo de cartas marcadas, onde vence aquele que antepactuou com o gestor público, ou com o ordenador da despesa, recebendo os administradores o troco graúdo pelo pagamento com o dinheiro do povo, das obras e serviços superfaturados, das compras muitas vezes fictícias , ou fraudulentas.

Espera-se no projeto de lei que alterará a Lei das Licitações, atualmente em tramitação no Congresso Nacional, sejam minimizadas as oportunidades de improbidades administrativas no processo licitatório, tornando obrigatória na COMISSÃO DE LICITAÇÃO a participação de, pelo menos, dois representantes idôneos do Poder Legislativo escolhidos pela Mesa da Câmara, ou da Assembléia, e dois representantes da sociedade civil eleitos pela comunidade, com o Parecer final do representante do Ministério Público.

Talvez, assim, possamos ter, a moralização e controle externo das compras, obras, serviços e alienações da Administração Federal, Estadual e Municipal mais isenta da sanha dos predadores da coisa pública.

Por: Aglézio de Brito
.

COISAS DA REPÚBLICA 1


Iniciamos esta seção com uma notícia
quentinha desta 4ª feira, 29/out/2008

Operação
POLÍCIA FEDERAL
PRENDE FUNCIONÁRIOS
DO IBAMA, DA SEMACE E SEMAM

Operação tem como objetivo combater
o crime de tráfico de influência para a
liberação de licenças ambientais no Estado
A Polícia Federal (PF) do Ceará promove na manhã desta quarta-feira, 29, operação que tem como objetivo combater o crime de tráfico de influência para a liberação de licenças ambientais no Estado. Foram cumpridos quatro mandados de prisão. Está detido Raimundo Bonfim Braga, superintendente do Ibama no Ceará. Também estão envolvidos funcionários da Superintendência Estadual do Meio Ambriente – Ceará (Semace) e Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Controle Urbano (Semam). No fim da manhã, a PF divulgará mais detalhes sobre o caso.
Redação O POVO Online

A ATUAL CRISE NA VISÃO DE TRÊS BAMBAS DA ECONOMIA

Terça Feira no salão de recepções da Câmara de Vereadores do Rio, na Cinelândia, uma reunião para poucos convidados. Políticos, militantes, membros da OAB e ABI, ouviram e debateram com Maria da Conceição Tavares, Carlos Lessa e Reinaldo Guimarães a atual crise econômica. O ex-deputado Vivaldo Barbosa coordenou o evento e a situação dos próximos anos e deste não é nada tranqüila. Nenhuma prática política se manterá igual pois a crise é tão abrangente que o rumo terá que mudar.

Para todos os debatedores a crise é ampla e tem uma importância histórica de relevância. O capitalismo funciona em crises, ao longo do século XX foram mais de 40 delas, porém entre o final do século XIX e até hoje duas crises foram realmente modificadoras. A primeira entre 1870 e 1890, abalou o império inglês e tornou mais violento, acompanhou-se da queda do padrão ouro inglês e seguramente esteve na raiz da primeira guerra mundial e da revolução russa. A segunda nos anos 30 do século XX, na raiz dos regimes nazo-facistas, a segunda grande guerra e o surgimento da hegemonia americana e da bipolaridade entre esta e a União Soviética. Os debatedores foram concordantes que esta crise é equiparável às duas primeiras, os valores do capital e das empresas capitalistas despencaram, a economia real, aquela que influencia sobre os bens e sobre o emprego também se encontra em crise. Os efeitos sociais da crise serão mais marcantes a partir do próximo ano e em 2010 estaremos em plena recessão.

Todos foram unânimes em acusar o modelo neoliberal com o motor da crise, a base estruturas se encontra na desregulamentação e em práticas lesivas à economia real, especialmente numa bolha de crescimento baseado em derivativos financeiros. Em todo o debate esteve em foco a volúpia com que os líderes brasileiros no Governo Fernando Henrique aderiram ao "cassino" financeiro internacional, contaminando toda cadeia produtiva brasileira e nos deixando em situação efetivamente grave. O governo Lula, em menor ou maior escala, dependendo dos compromissos políticos de cada debatedor, foi posto em linha com a crise pelo que deixou de fazer e especialmente pelo comportamento dos juros, do endividamento externo e pela política cambial frouxa.

A sensação de quem assistiu ao debate é que na raiz do problema temos fortes indícios de que a catástrofe nos atingirá igualmente e em maior escala, pois somos um país economicamente pequeno. Que esta catástrofe guarda relação com aquele discurso ideológico dos anos noventa, do Estado Mínimo, da desregulamentação e o Mercado Soberano. Guarda relação com os Governos Fernando Henrique e Lula que afinal não souberam defender um projeto nacional e ficaram a reboque de três grandes áreas da economia brasileira: agronegócio, bancos e produtores de commodities minerais.

A principal marca do debate é que não apareceu, até agora, nenhuma medida prática que proteja o emprego, que sustente a poupança popular e salvaguarde o pequeno patrimônio das famílias. O governo tem atendido aos interesses das três áreas citadas e não adotou medidas regulatórias que dê rumos pois o atual estado das coisas não se sustentará. Finalmente o debate apontou para a necessidade que a sociedade se mobilize, que os partidos políticos definam um programa mínimo de consenso para proteger a nação e o povo brasileiro. A verdade é que a crise é profunda e ameaça até mesmo o patrimônio da nação como a Amazônia e o petróleo do Pré-Sal.