22 dezembro 2007

Velox e Internet com problemas no Cariri !!!

Alo, amigos,

Ao ligar para a Telemar, fomos informados de que existe um problema com uma antena que segundo uma fonte, havia "caído"...

Daí se explica essa intermitência de sinal, o Velox da Telemar constantemente caindo no dia de hoje, Sábado. Um verdadeiro problema pra quem precisa de internet.
Estou acessando, mas com grande dificuldade.

Vamos ver se esse pessoal da Telemar providencia logo esse conserto!


Abraços,

Dihelson Mendonça

.

Hoje no DN - Lunga no imaginário popular

ANEDOTÁRIO DO CARIRI

Clique para Ampliar

Joaquim Rodrigues dos Santos, conhecido como seu Lunga, em sua sucata na Rua Santa Luzia, em Juazeiro do Norte (Foto: Antônio Vicelmo)

A maneira rude de ser de seu Lunga já ficou conhecida em todo o País, tanto que existem piadas sobre ele

Crato. Aos 80 anos, o comerciante Joaquim Rodrigues dos Santos, mais conhecido como “seu Lunga”, não consegue apagar a imagem de “ homem rude, grosseiro, ignorante” criada pelo imaginário popular e alimentada pela literatura de cordel. As piadas sobre suas respostas engraçadas e intempestivas estão nas mesas dos bares, na conversa entre amigos e programas de humor.

O único que não ri deste arsenal de anedotas é o próprio Lunga que atribui “estas mentiras” à gente que não tem o que fazer. “Só acontece isso, porque no Brasil não tem justiça”, afirma. A maior injustiça, segundo afirma, é o grande número de deputados, “são mais de 500 vivendo às custas do povo. Este Renan Calheiros já ganhou dinheiro que gente besta não conta. Mesmo assim, quer iludir o povo”, diz Lunga, demonstrando a sua indignação com a política.

Ele reclama do erro que o cartório cometeu ao registrar o seu nome. Diz que, na verdade, seu nome verdadeiro é Joaquim Rodrigues Tenório. “Meu avô era um homem valente do Estado de Alagoas, parente, portanto, de Natalício Tenório Cavalcanti de Albuquerque, de Palmeira dos Índios”.

Tenório foi um político brasileiro com base eleitoral no Rio de Janeiro, que possuía um estilo político agressivo, muitas vezes violento. Isto rendeu-lhe uma aura de mito. Foi eleito deputado estadual e deputado federal do Rio de Janeiro, tendo quase vencido também para governador do Estado. Sua vida inspirou o filme “O Homem da Capa Preta”, filmado em 1986 por Sérgio Rezende e estreado por José Wilker no papel de Tenório Cavalcanti.

Ao mesmo tempo em que critica os divulgadores de seu comportamento inusitado, seu Lunga admite que pergunta besta merece uma resposta à altura. Ele cita como exemplo, o cliente que entra na loja e pergunta. “Este ventilador está funcionando?”. Indignado seu Lunga devolve: “Como é que ele pode estar funcionando se não está ligado?”.

Este tipo de resposta fez de Lunga um personagem folclórico. Já não cabe mais em si, ele já não é mais o resultado das suas peculiaridades, mas a soma das elaborações dos outros. Daí se pode dizer que há modalidades de seu Lunga. Ele é símbolo do sertanejo sincero, que não leva desaforo pra casa.

Mesmo cercado por um grupo de jornalistas, que o entrevistavam, Lunga não tira o olho da porta de sua sucata. Quando percebe que é um freguês, deixa os repórteres de lado e vai atendê-lo com a maior delicadeza. Retoma a entrevista e observa que o produtor do programa de televisão falava no ouvido da repórter, orientando as perguntas. seu Lunga reage dizendo: “Fale alto, aqui não tem segredo não”.

Reclama do assédio da imprensa, justificando que não há motivo para dar entrevista. Afinal, diz, “eu sou um homem normal, não sou cientista, nem sábio”, diz ele.

É este jeito de ser de Lunga que o faz uma pessoa diferente. Afinal, ele nasceu nas brenhas, entre Caririaçu e Assaré, onde passou a infância com os pais e mais sete irmãos. O apelido lhe acompanha desde esta época, quando uma vizinha de sua família, que ele só identifica como “preta velha”, começou a lhe chamar de Calunga, que virou Lunga e pegou. Não se recorda de nenhuma brincadeira de criança. Foi criado na roça, ajudando o pai, de quem é grande admirador.

Mudança para Juazeiro

Foi assim até os 16 anos, quando se mudou para Juazeiro do Norte. A mudança para este município se deu depois que Lunga caiu em uma cacimba e adoeceu, impedindo-o de trabalhar na roça com o pai. Lá ele aprendeu a arte de ourives, e viveu disso por dois anos. Foi neste período que aprendeu a negociar no Mercado Público da cidade, passando depois a trabalhar no comércio com sua loja de sucata na Rua Santa Luzia, Centro da cidade.

Além do comércio, Lunga é dono de um sítio onde cria gado e planta frutas que leva à loja para vender.

Antônio Vicelmo
Repórter

VIDA

80 anos é a idade do comerciante Joaquim Rodrigues dos Santos, mais conhecido como seu Lunga. Ele mora, atualmente, em Juazeiro

SAIBA MAIS

Piadas atribuídas a Lunga

Seu Lunga estava em casa com sede e manda o sobrinho trazer leite. Daí o garoto pergunta: - No copo seu Lunga? Ele responde: - Não. Bota no chão vem empurrando com o rodo.

Seu Lunga no elevador. Alguém pergunta: - Sobe? Ele: - Não, esse elevador anda de lado.

Seu Lunga fumando cigarro. A pergunta: - Ora, ora! Mas você fuma? - Não, é que eu gosto de bronzear os pulmões...

Seu Lunga, quando jovem, se apresentou à Marinha para a entrevista: - Você sabe nadar? Pergunta o oficial. - Sei não senhor. - Mas se não sabe nadar, como é que quer servir à Marinha? - Quer dizer que se eu fosse pra Aeronáutica, tinha que saber voar!!

Seu Lunga vai saindo da farmácia, quando alguém pergunta: - Tá doente, seu Lunga? - Quer dizer que se eu fosse saindo do cemitério eu tava morto!!!

O funcionário do banco veio avisar: - Seu Lunga, a promissória venceu. - Meu filho, pra mim podia ter perdido ou empatado. Não torço por nenhuma promissória.

O filho do seu Lunga jogava futebol em um clube local, e um dia Lunga foi assistir a um jogo do filho no estádio. O sujeito sentado ao lado pergunta: - Seu Lunga, qual dos jogadores é o seu filho? Seu Lunga aponta e diz: - É aquele ali. - Aquele qual? - Aquele ali! - Não tô vendo. Então seu Lunga ´P´ da vida pega uma pedra, joga em cima de seu filho e diz: - É aquele que começou a chorar!!!
.
Coluna CARIRI, de Tarso Araújo
jornal "O Povo" 23-12-2007
SURPRESA EM MISSÃO VELHA
Em reunião ocorrida com mais de 600 amigos e correligionários na última segunda-feira, 17, na quadra da escola Juvenal Rodrigues Brandão, o prefeito municipal de Missão Velha, Dr. Gidalberto (PSDB), comunicou a todos que não será candidato à reeleição. Em suas palavras, Francisco Gidalberto Rodrigues Pinheiro disse estar retirando seu nome da disputa eleitoral por entender que seu grupo de sustentação política não está coeso, que está fazendo um administração dentro da legitimidade e vai deixar tudo em dia. Além disso, alegou que não pretende sacrificar sua família, amigos e a futura administração numa campanha dispendiosa para o município. Que sua atitude é não por que teme perder as eleições e sim por entender que Missão Velha merece uma candidatura única e que deve acabar com o acirramento político que não constrói nada. A disputa política em Missão Velha está polarizada entre o grupo do atual prefeito Dr. Gidalberto (PSDB) e do médico Dr. Washington (PSB) da oposição.

ANOTE: EDVAN PIRES
Há anos, o escritor, poeta e farmacêutico Edvan Pires mantém na Rádio Progresso de Juazeiro do Norte um dos programas radiofônicos mais tradicionais do Cariri: "Bom dia Esperança". Irradiado aos domingos, às 8 horas da manhã, nele Edvan Pires compartilha com os ouvintes mensagens amenas e otimistas. Incentivando a solidariedade e o culto das virtudes cívicas e morais. Tudo permeado com belas e selecionadas músicas, que nos transportam a uma atmosfera bem diferente do cotidiano árduo e complicado dos dias atuais.

PALEONTOLOGIA
O prof. Alexandre Sales, ex-diretor do Museu de Paleontologia da Urca em Santana do Cariri, ficou feliz com a aprovação - pela Secretaria da Cultura do Ceará - Secult - de projeto para a divulgação daquele museu. O projeto participou de edital na Secult, em fevereiro último, e vai possibilitar a impressão e divulgação de catálogos e folderes. Alexandre Sales é professor concursado do Departamento de Ciências Biológicas da Urca, onde leciona atualmente.

OPINIÃO ABALIZADA
Bom caráter, Alexandre Sales ensina que a paleontologia representa para algumas comunidades caririenses a identidade cultural mais forte e - utilizando a socialização e interação entre a academia e a sociedade organizada - projetos de cunho educacional e social podem fomentar e ajudar essas comunidades. Prova disso são os programas, em numero cada vez mais expressivos, desenvolvidos pela Urca, ONGs e fundações da região do Cariri.

BOA SUGESTÃO
A praça Juarez Távora (mais conhecida como Praça São Vicente), localizada no centro de Crato, vai ser reconstruída. Para tanto, a Câmara de Vereadores aprovou um recuo de dois metros, no lado que dá para a rua Monsenhor Esmeraldo, com a finalidade de facilitar o tráfego, que ali é intenso. A decisão da Câmara desagradou a população cratense. Para compensar esse pedaço perdido, têm chegado sugestões ao prefeito no sentido de eliminar uma ruela - existente no lado oposto da área a ser suprimida - aumentando a área da pracinha. Como foi feito na Praça do Ferreira, em Fortaleza, ao lado do Cine São Luiz. Esses metros a serem acrescidos - com a extinção da ruela - seriam transformados em área verde. Afinal, o centro de Crato precisa, urgentemente, de árvores e plantas para respirar...

PROIBIDO COCHILAR...
O reitor da Universidade Federal do Ceará, Ícaro de Souza Moreira, esteve recentemente no Cariri. E aproveitou para informar que a primeira etapa do Campus Avançado da UFC-Cariri, em Juazeiro do Norte, será inaugurada no próximo mês de fevereiro. Ícaro nada declarou sobre a construção do Centro de Ciências Agrárias, do Campus-Cariri, previsto para Crato. Bom lembrar que para esse centro já foi doado um grande terreno, localizado na futura Cidade Universitária Reitor Antônio Martins Filho, no bairro Muriti.

TROCA-TROCA 1
Em 1998, um grupo de intelectuais, professores e monarquistas caririenses procurou os vereadores Ailton Esmeraldo e Edna Almino solicitando que a Câmara Municipal desse o nome de Imperatriz Leopoldina a uma nova rua de Crato. Assim foi feito. O ex-prefeito Raimundo Bezerra sancionou a Lei nº. 1.774 de 10 de junho de 1998, denominando de "rua Imperatriz Leopoldina" a artéria que tem inicio ao lado direito da avenida Padre Cícero - sentido Crato-Juazeiro - que dá acesso ao Parque Getúlio Vargas-Morro da Coruja em toda a sua extensão. Pois bem, talvez desconhecendo o fato acima, os atuais vereadores acabam de aprovar projeto dando o nome "Orestes Costa" a essa rua.

TROCA-TROCA 2
Infelizmente, a Câmara de Vereadores de Crato carrega, desde há muito tempo, esse triste costume de mudar os nomes de nossas ruas. As do centro tiveram antigos e pitorescos nomes mudados para personagens, a maioria desconhecidos da população. Que o Sr. Orestes Costa fosse homenageado com o nome de uma rua de Crato é justo. Mas que, para isso, uma lei em vigor fosse rasgada é inadmissível. A Imperatriz Leopoldina, que tantos serviços prestou ao Brasil, não merecia uma desfeita dessas...

GESTO LOUVÁVEL
Surgiram algumas rachaduras na capelinha de Nossa Senhora da Conceição, do bairro Granjeiro, em Crato. Construída por monsenhor Montenegro (e onde ele foi sepultado), esse fato levou amigos do saudoso monsenhor - sob a coordenação do padre Rocildo - a patrocinarem os trabalhos de recuperação do bonito templo.


BATE-PAPO

YES, NOS TEMOS PEQUI
O levantamento foi feito pela gerência da Floresta Nacional do Araripe (Flona): o Cariri produz 2,3 milhões de toneladas de pequi por safra, sendo o Crato o maior produtor com 1.684 toneladas/ano. Em seguida vem Santana do Cariri, com 295 toneladas; Jardim, com 135 toneladas; Barbalha, com 99 toneladas e Missão Velha com 95 toneladas.

NOVAS PARÓQUIAS
No próximo dia 30, dom Fernando Panico preside cerimônia de instalação de mais duas paróquias, recentemente criadas na diocese de Crato: a de São Vicente de Paulo (bairro Alto da Alegria, em Barbalha) e Sagrado Coração de Jesus, no distrito Palestina do Cariri (município de Mauriti).