04 novembro 2007

ENCONTROS E DESENCONTROS NUMA AGENDA CULTURAL PARA O CRATO


Foi com este título que preparei um diálogo de ficção que tratava da luta de argumentos quanto a ir e não ir ao encontro do prefeito do Crato. Na ponta positiva o pessoal que lutou por ela e na outra a oposição ao prefeito e a oposição que o Dihelson chama de oposição do anos 70 que faz oposição como ato de fé. Oposição que nunca evolui para a situação. O diálogo pretendia demonstrar que o caminhar coletivo é feito destas diferenças mesmo. Não se faz uma agenda sem contradições. De toda natureza, inclusive por mero desconforto, vago e impreciso.


Os dois dialogadores, ao passo que acusavam um a ao outro, íam, lentamente, acusando a si próprio e por último acusavam a falta mesmo de mecanismos participativos. Então é isso ao que se chegou. A um primeiro passo. Ao passo em que se inaugura um momento participativo. Quem sabe um Conselho Cultural para a Municipalidade.


Todo momento participativo tem que ser amplo, sem exclusões, transparente, objetivo com foco no que se pretende e preparado para materializar, em ação, o pretendido. Portanto a face democrática do processo é feita da luta dos contrários. Agora como se pretende administrar o próprio tempo, é preciso que a síntese que é a agenda ocorra necessariamente. Ocorra como convergência, não esquecendo que toda convergência deixa alguns aspectos de fora. Ou seja a convergência não se faz com divergência. A divergência é passo imediatamente antes.


O que aconteceu com os diálogos que não postei? Preparei o Post, pus a figura acima e na hora de publicar, recebi um telefonema e acho que me dei como concluída a tarefa. Não postei e não salvei o texto. Mas o recado é o seguinte: não existe divergência que sempre dure, não existe oposição que não tenha algo para dizer, não existe situação que não esteja insatisfeita com o que faz. Não se chega à convergência sem antes discutir a divergência. Afinal a agenda cultura do Crato está na cabeças de todos os envolvidos no assunto, principalmente todos os artistas.

Missa e audiência pública serão realizadas alertando sobre a destruição do Rio Batateiras

Obteve grande repercussão a matéria disponibilizada neste site - de autoria do professor da URCA, Carlos Rafael, - sobre a degradação do Rio Batateiras. Informa-se agora que a Área de Proteção Ambiental da Chapada do Araripe; o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade e a Reserva Ecológica do Sítio Fundão irão realizar - nesta 3ª feira, dia 6 - um ato religioso em defesa do Rio Batateiras. O evento será realizada na área da reserva ecológica do Sítio Fundão, com início previsto para as 8:OOh.
O objetivo do ato religioso é o de continuar na luta pela preservação do Rio Batateiras e alertar as autoridades sobre a importância dessa preservação. O ato religioso será presidido pelo Bispo Diocesano de Crato, Dom Fernando Panico. Após a missa haverá uma audiência pública mediada por Dom Fernando, direcionada aos presentes, incluindo autoridades, representantes de ONG’s, professores e estudantes da URCA e a sociedade em geral.

90 anos da Revolução Russa


A edição de hoje do jornal O Povo traz uma interessante matéria ( na realidade várias matérias) sobre os 90 anos da Revolução Russa, comandada por Lênin e Trotsky e depois deformada pelo ditador Stálin. Um dos momentos políticos mais importantes na história humana moderna, a revolução Bolchevique foi um marco na política mundial e mudou, naquele momento, os rumos das políticas, das guerras e das economias. E muitos conceitos novos surgiram, assim como novas esperanças. O desenvolvimento do governo socialista é que não foi o esperado. Militantes foram assassinados, e a sucessão de Lênin foi um acordo comandado por Stálin, esse sim um verdadeiro ditador, que se apropriou da revolução e comandou e assassinou milhares, até milhões de pessoas. Um ditador que não faz falta ao mundo, bem diferente das conquistas da Revolução Russa. O mundo seria outro se os verdadeiros dirigentes da revolução tivessem sobrevivido?

Leia mais: www.opovo.com.br

Notícias do Cariri - Coluna Tarso Araújo - Jornal "O POVO"

GEOPARK ARARIPE

Quem sabe, sabe. O geólogo Alexandre Feitosa Sales - ex-diretor do Museu de Paleontologia da Urca - foi convidado para proferir palestra no XXII Simpósio de Geologia do Nordeste, que ocorrerá em Natal (RN) entre os dias 15 a 18 deste mês. Ele apresentará no dia 17 trabalho relacionado à temática: ensino de Geociências, Patrimônio Geológico e Geoturismo, durante a mesa-redonda intitulada: "Geopark Araripe e sua importância para a conservação do patrimônio geológico brasileiro". Uma prova da importância - no cenário nacional - do Geoturismo/paleoturismo nos meios acadêmico/cientifico.

ANOTE: PATRIMÔNIO HISTÓRICO
A histórica imagem de Nossa Senhora das Dores, padroeira de Juazeiro do Norte, foi adquirida na França, em 1887, pelo Padre Cícero. Foi confeccionada em papel marche (uma raridade!), o que lhe proporciona um aspecto belíssimo, mas também, certa fragilidade. Recentemente, o atual pároco, padre Paulo Lemos, mandou retirar do nicho o vidro que protegia a imagem da poeira e fuligem dos veículos. Pior: instalou lâmpadas comuns para iluminar a imagem que, por ser de papel, poderá ter suas cores originais alteradas para uma tonalidade escura.

GESTO ELEGANTE
Dom Fernando Panico pediu uma audiência ao governador Cid Gomes. Este mandou avisar ao bispo que iria visitá-lo em sua residência. Foi o que aconteceu. Na última vez que esteve em Crato e antes de participar da solenidade de início das obras do desvio da Batateira, o governador Cid fez uma visita de cortesia ao bispo. Inteligente, Cid Gomes vem construindo pontes ao invés de muros.

CENTENÁRIO DA DIOCESE
Em 2014 (daqui a 7 anos), a Diocese de Crato comemorará seu centenário de sua criação. Foi a segunda erigida no Ceará, 60 anos após a de Fortaleza e à frente de Sobral, cuja diocese foi criada em 10 de novembro de 1915. Oxalá nas comemorações desse centenário a Sé de Nossa Senhora da Penha já disponha de uma mesa de pedra para celebração (exigência litúrgica para as igrejas-catedrais) bem como de uma imagem de São Fidélis de Sigmaringa - o co-padroeiro de Crato - conforme consagração feita pelo fundador da cidade, frei Carlos Maria de Ferrara, em 1740. A propósito, não existe registro de que dom Quintino tenha feito a consagração daquela igreja depois de elevada à categoria de Catedral, ou seja, após a criação da diocese, fato ocorrido em 20 de outubro de 1914.

JAMACARU
Enquanto isso, Jamacaru - distrito localizado a 20 km de Missão Velha -, primeira localidade a instalar no Cariri um museu de fósseis (hoje desaparecido), ainda não conseguiu resgatar o projeto pioneiro iniciado, nos anos 60, pelo padre Neri Feitosa. O geólogo Indalécio Freitas - funcionário da Urca - há dois anos deu os primeiros passos nesse sentido. Acontece que ele é o novo gerente do Geopark Araripe, dispondo assim, hoje em dia, de condições para facilitar a reabertura do museu de Jamacaru.

NOVO IMORTAL
No próximo dia 16, o Instituto Cultural do Cariri vai empossar monsenhor João Bosco Cartaxo Esmeraldo na Cadeira Dom Vicente Matos. A solenidade ocorrerá em Ponta da Serra, como parte das festividades do jubileu de ouro de criação daquele distrito e dos 40 anos de criação (por dom Vicente) da Paróquia de Ponta da Serra.

PALESTRA
A professora Salete Maria, autora do Projeto de Balcão de Direitos para a Universidade Regional do Cariri, ministrará palestra dia 26 de novembro, às 16h no Campus Jacobina da Universidade Estadual da Bahia (Uneb) sobre direitos humanos e transformação social. Na oportunidade também auxiliará profissionais das Ciências Sociais e Direito a organizarem o seu Balcão de Direito. Além da Uneb, duas outras faculdades de Direito de Salvador (Unirb e São Joaquim), durante o mês de novembro, receberão a professora a fim de trocar idéias sobre atividades de extensão e pesquisa em Direitos Humanos.

JARDIM
Antes tarde do que nunca! O município de Jardim já está preservando exemplares do patrimônio fossilífero ali encontrado. A Fundação Francisco de Lima Botelho fundou e está mantendo o Museu de Ciência e História Natural Barra do Jardim, com um acervo de 400 fósseis catalogados além de 600 outras peças aguardando catalogação.


RELOCALIZAÇÃO
Em 1967, quando era o prefeito dos cratenses, Humberto Macário de Brito construiu um grande monumento à Nossa Senhora de Fátima, no antigo aeroporto do mesmo nome, localizado na Chapada do Araripe, a 11 km de Crato. Com o surgimento do Aeroporto Regional do Cariri, em Juazeiro do Norte, o de Crato foi desativado e encontra-se hoje em completo abandono. De forma tímida, está surgindo um movimento para relocalizar esse monumento nas proximidades da igrejinha de Fátima, existente em Crato. Se a idéia for avante, um excelente local para abrigar a estátua é o final da Ladeira da Integração, onde ela seria vista pela população.


SANTANA DO CARIRI
Um dos mais bonitos casarões de Santana do Cariri, o Solar do Coronel Felinto, foi no passado centro da vida social, econômica, política e cultural daquela cidade. Embora carente de obras de restauração, o casarão está abrigando a Secretaria de Turismo daquele município e a sede da Fundação Ailton Augusto Cruz.


CARIRIANAS
O governador Cid Gomes anunciou o roteiro da futura rodovia Padre Cícero, que terá início em Juazeiro do Norte e passando por Caririaçu terminará em Fortaleza, reduzindo o percurso da viagem em até 200 km (...)

Um dos pontos de encontro da intelectualidade de Crato, a cafeteria Maria Café está funcionando em novo endereço: rua Nelson Alencar, 484, próximo ao Colégio Diocesano(...)


Por: Tarso Araújo - Jornalista - membro do Blog do Crato.