09 outubro 2007

Mestre Alderico

Alderico de Paula Damasceno, 88 anos de vida e, destes, mais de 60 dedicados ao magistério.
Natural de Aracati, muito cedo radicou-se em Crato, ao lado dos seus irmãos Agnelo (também professor) e Alderi (funcionário dos Correios, já falecido).
Alderico é pessoa querida pelos seus inumeráveis amigos e admiradores, e respeitada por todos os cratenses, pela grande contribuição dada à educação local.
Ensinou História e ministrou Educação Física em vários educandários da Terra de Frei Carlos, com destaque para o Colégio Estadual Wilson Gonçalves, onde lecionou ao lado de grande nomes do magistério cratense, a exemplo de José do Vale Feitosa.
Foi também professor da Faculdade de Filosofia, sendo um dos fundadores do Curso de História, e, posteriormente, da Universidade Regional do Cariri (URCA), onde continuou como professor do encampado curso de História e do curso de Ciências Econômicas.
Mestre Alderico, como é chamado por vários dos seus declarados discípulos (a exemplo do Prof. Dr. Micaelson Lacerda, aluno universitário de Alderico e hoje Chefe do Departamento de Economia da URCA),- depois de aposentado, ( compulsoriamente. Senão, ainda hoje estaria na ativa), continua altivo, participando de quase todos os atos cívicos de nossa cidade.
No momento desta foto, no último dia 29 de setembro, estava participando da convenção municipal do Partido Verde, vestindo uma providencial camisa esmeralda. Alguns dias depois, em 4 de outubro, foi um dos primeiros a chegar na sede do Instituto Cultural do Cariri, onde deu-se a solenidade de posse dos novos sócios daquele sodalício. Convidado para integrar a mesa-diretora dos trabalhos, foi um dos mais aplaudidos. Prova inconteste de reconhecimento e carinho da comunidade cratense a este verdadeiro “paternon” da nossa vida sócio-cultural.
Para culminar este singelo tributo, reproduzo uma história que já foi publicada na "Coluna É", de autoria de Neno Cavalcante, no jornal Diário do Nordeste:
Quando era técnico de uma dos principais agremiações do futebol cratense, na década de 50, em jogos cujo palco era o Estádio Wilson Gonçalves, localizado por trás de onde hoje é o Campus do Pimenta da URCA,- Alderico só comandava seu time vestido, impecavelmente, de paletó e usando gravata, além de portar um inconfundível guarda-chuva.
E para que o guarda-chuva...
Mestre Alderico confirmou a mim o que Neno Cavalcante já tinha revelado: o providencial objeto não era para se precaver de uma imprevista chuva, mas para indicar aos seus comandados o lugar onde deveriam estar postados ou para onde deveriam (contra)atacar o adversário.

Salve, Salve, Mestre Alderico!

UMA CAMPANHA PELA CULTURA DO CRATO

O litoral ganhou a guerra institucional do Ceará, mas não tornou o seu povo um verdadeiro personagem do mundo. Pernambuco o é. A Bahia também. O Maranhão agora aparece. Mas o Ceará está no limbo. Está no limbo porque lhe falta a alma do Cariri. Eu fico sonhando o quanto será grande o Cearense quando juntarem sua terra seca, seu céu iluminado, seus mares de arribação às franjas da Chapada do Araripe, entre o fundamental das terras férteis e o divino transcendental da aridez da caatinga em volta. Estou sendo um tanto idealista do meu povo, mas isso não perde a força da idéia. Afinal o que é ser americano, francês, inglês, italiano? Certamente não é porque o tempo deu a este povo maior profundidade, é porque ele se consituíram em personalidade no mundo atual e isso aconteceu pela cultura em amplo sentido.
Hoje gostaria de inverter a chamada do prefeito Samuel Araripe de Crato. PREFEITO SAMUEL ASSIM QUE DIHELSON, RAFAEL, SALATIEL, VICELMO E JOSÉ FLÁVIO PEDIREM UMA CONVERSA, OS OUÇA COM MUITA SATISTAÇÃO. Samuel quando o senhor nasceu, eu já era ave de outros céus e por isso não sabe quem sou. Prefeito, no entanto, vou apresentar uma credencial que me fundou: junto com Ossianzinho, nem sabíamos ler, fizemos um discurso de criança para uma festa da cidade. Aquilo, o Ossian com quem frequentei faculdade e me encontrei raras vezes no Rio, sabemos era um compromisso com a terra e seu povo como espero seja o seu. Portanto peça para prepararem um café de boa vinda, se anime e converse até não mais haver saliva com aqueles que certamente o procurarão. Mais uma coisa, prefeito, não estou fazendo propaganda para determinadas pessoas, existem tantos mais que nem sei dar conta, apenas estes são a referência para algo começar.